BANCADA DIRECTA: Janeiro 2016

sábado, 30 de janeiro de 2016

Mundo Policiário. Historias de policias e ladrões e outros incidentes afins a cargo de Antonio Raposo e sob a asa protectora da Detective Jeremias que o acolheu no seu "Policiário de Bolso".



1º EPISÓDIO:

O CABO DE ESQUADRA  JEREMIAS (uma história policial a preto e branco )



Lisboa, nos anos cinquenta, era uma cidade com pessoas, coisa que se foi entretanto perdendo. Os casais novos mudaram-se, nos anos sessenta, para as casas da periferia, de rendas mais baratas. Nesses tempos vivia-se em bairros populares.

O operariado era numeroso e vindo em grande parte da província. A escolaridade era curta e breve, quando era.

Para se ingressar na Polícia, na GNR era preciso saber ler e escrever e depois a 4ª classe. Ao bairros de barracas circundavam a cidade. Eram conhecidas algumas zonas onde a água canalizada era o chafariz mais próximo, as casa de banho era o “lá vai água” quando os bispotes eram atirados das janelas para a rua.
Quando chovesse a água levava… Lisboa levou muitos anos a ter chamadas condições base de higiene generalizadas. As esquadras de polícia nos bairros populares tinham uma actividade enorme e era o “Sempre em festa”, As rixas entre os vizinhos era o dia a dia. A faca era a arma de agressão mais usada.

Na esquadra do Alto do Pina, imperava o cabo Jeremias. Era o cabo de esquadra. Tinha vindo aos vinte anos para a tropa. Fez a 4ª classe no quartel da graça em Transmisões. Concorreu à Polícia,estagiou em Campo de Ourique e acabou nomeado cabo de esquadra do Alto do Pina. Era uma esquadra muito animada pela etnia cigana que se amontoava na Picheleira, um bairro de barracas na zona ocidental de Lisboa.



A policia naquele tempo andava sempre a enxotar das ruas as varinas e restantes vendedores ambulantes. Era conhecida a frase viperina atirada a uma varina levada pelo braço para a esquadra: − Ó Micas, vais presa? − Não, vou dormir com o chefe

 O cabo de esquadra Jeremias ficou na história da esquadra pela forma expedita como resolvia as contendas − sempre à porrada!


A. Raposo. 
Publicado por Detective Jeremias (blogue Policiário de bolso)

Eis os autores destes temas. (Por enquanto ainda estão em liberdade)


sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Dom Nuno Alvares Pereira: Santo Condestavel. Nestes tempos modernos seria um heroi em crise. Tudo porque a "tática do quadrado" tem um valor relativo no futebol moderno


Dom Nuno Alvares Pereira derrotou de forma impiedosa os atrevidos "españoles", que confiados na superiodade numérica dos seus gerreiros não discerniram que a tática do quadrado permitia aos portugueses infiltrarem-se lateralmente no interior dos seus exércitos e levaram-nos à bancarrota, tal e qual como exemplos premonitórios do que aconteceu ao BPN, ao BES e agora ao Banifas.

No entanto este Condestavel, tão elogiado pelos historiadores que se debruçam sobre os feitos dos antepassados lusos, não teria qualquer sucesso estrategico se quisesse vencer no futebol moderno.

Sabe-se que o quadrado de uma equipa futebol é composto pela colocaçlão de quatro elementos no meio campo com a função de fazerem a transição da defesa para o ataque, a recuperação de bolas aos adversários e lançamentos para os atacantes desenvolverem lances ofensivos.

Mas a cereja em cima do bolo nos lances de ataque começa por confiar aos alas definirem o jogo pelo lado exterior a apanhar os seus atacantes em posições de materializarem as jogadas em golos. Diz-se até que sem alas de qualidade esta qualidade não existe nessas equipas.
Eliseu e André Almeida estou a falar convosco. Contamos convosco.

Eu agradeço para dormir melhor

Mas afinal que raio de moenga é esta? Prometem reduzir o IVA na restauração e agora é só meia dose que é beneficiada......


IVA reduzido só para o conduto?

 Esta ideia de aplicar o IVA normal às bebidas e o IVA de 13% deixa a sensação de que depois de a promessa tantas vezes repetida além de se aplicar apenas em Julho se ficou pela meia dose. 

Mas há algo de confuso nesta ideia pois fica-se com a sensação de que os sistemas de facturação dos restaurantes está preparado para calcular o IVA parcela a parcela.


Se isso não for possível vamos ter um problema sério e o pessoal dos restaurantes ainda vai fazer uma manifestação a exigir o IVA a 23% para todos os produtos. 

O PS fez uma promessa desnecessária e agora tem um problema de que não vai ser fácil sair.

 Mas não se pode confundir leite com vinho ou água com sumos de frutas, deve promover-se o consumo de água por oposição ao açúcar e o leitinho em desfavor do vinho pelo que há que aplicarv taxas de IVA diferentes.


Isto significa que muito provavelmente uma boa parte dos restaurantes devem considerar os seus programas de facturação obsoletos. 

Ainda há poucos meses tiveram de comprar tudo novo por causa do e-fatura, agora para aplicar taxas de imposto em cuja cobrança não passam de meros tesoureiros do Estado vão ter de comprar novo software e proceder à actualização cada vez que introduziram num novo produto na ementa.

Andam por aí e nos restaurantes loucos à solta.....

Está quase, quase. O economista que não deixa saudades mas que conseguiu manter uma direita ressabiada e sempre pronta a atacar

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Marcelo Rebelo de Sousa e Jorge Pação. Claro que tenho de pôr de lado as minhas convicções politicas. Mas por ser um meu descendente directo eu próprio e toda a familia estamos orgulhosos.

Revista "Expresso"

2012. Setembro. 08

Jorge Pação é meu neto

Expresso juntou duas gerações de estudantes, os consagrados e os principiantes, e pediu-lhes que partilhassem as suas histórias. Durante esta semana o QEM recupera esse trabalho. Hoje: Marcelo Rebelo de Sousa e Jorge Pação.

INTRODUÇÃO À ARTE DE BEM ADVOGAR

 É o decano, sem ser o mais velho. Há 40 anos que Marcelo Rebelo de Sousa dá aulas na Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa. Licenciou-se com a melhor classificação do seu curso, tornou-se mestre e doutorou-se entre estas paredes, que "nunca quis largar". Foi recusando metodicamente os vários convites que outras instituições lhe endereçavam. A ligação é tanta que este ano chegou a pedir uma licença sabática mas voltou atrás perante a perspetiva de estar um ano sem lecionar. Afinal, não tardará muito a aposentar-se e usufruir, aí sim, de uma licença ilimitada.
Os alunos que com ele se cruzam nos corredores sabem que por mais apressado que esteja os cumprimentará sempre. Um aceno de cabeça, um aperto de mão, um sorriso. Jorge Pação, que acaba de concluir a licenciatura com a melhor nota - 18 valores - corrobora esta imagem: a do homem de andar acelerado que tem sempre uma palavra de cortesia e cujos alunos ouvem em silêncio, presos às palavras que profere e ao que delas pode ser transformado em apontamentos. É também o que acontece quando o Expresso o convida a relatar a sua experiência universitária: o professor irá percorrer passo a passo esses anos, com a mesma objetividade e clareza com que aborda as espinhosas matérias do Direito.
Para os que não o sabem, a Marcelo Rebelo de Sousa pouco faltou para escolher a matemática. Se à última hora não o fez, foi graças a uma exclusão de partes que beneficiou a linguagem em detrimento dos números e dos símbolos abstratos. Ingressou na Faculdade de Direito em 1966, "uma época áurea", e diz ter tido sorte com os colegas: "Fiz parte de uma turma excecional, muito competitiva, na qual houve três alunos que acabaram com média de 18 e dois com 19." Um foi ele. A forma como o conseguiu é assunto que arruma em poucas frases: "É impossível ter notas altas sem estudar. Mas é fundamental ter uma vida além dos estudos. Fartei-me de namorar e de ter atividades durante a faculdade." Com António Guterres, Vítor Melícias, Diogo Lucena ou Pedro Roseta criou uma associação de desenvolvimento cultural que a PIDE proibiu, dedicou-se à intervenção política, fez trabalho social nos bairros de lata. "Era o tempo do coletivismo, fazíamos tudo em grupo", recorda.
As diferenças entre o antes e o agora conduz Marcelo a uma dissertação que leva o finalista Jorge Pação, de 22 anos, a abrir os olhos de espanto. Não só as orais eram obrigatórias como acontecia haver duas no mesmo dia e só havia aulas de manhã. As escassas mulheres (80 entre 300 homens) podiam ser gentilmente convidadas pelo professor Marcelo Caetano a mudar-se para o mais 'feminino' curso de Letras. O ambiente era menos interclassista, havia poucos ou nenhuns estrangeiros matriculados e muito menos alunos em geral. Porém, é sem estranheza que Jorge ouve o professor enumerar as 'dicas' que todo o aspirante a bom aluno deve seguir: não começar a estudar tarde de mais ("ganha-se ou perde-se o ano até final de novembro"), aprender a relacionar os conhecimentos, ter alguma ordem e organização, saber equilibrar o estudo escrito com o oral, saber compatibilizar o estudo individual e o coletivo.
Jorge concorda com a importância de existir "um equilíbrio entre o tempo de estudo e o tempo para fazer outras coisas" e com a manutenção de um ritmo diário de estudo, logo que o ano letivo começa. Mas acrescenta a assiduidade e a atenção como fatores essenciais, que "diminuem a carga de estudo", e revela o método que seguiu no decorrer do curso: "Passa por evitar a típica fórmula de decorar a matéria. Parar cinco minutos e pensar no que acabei de ler. Esse momento de pôr em causa e ponderar o que nos é dito ou o que lemos faz-nos formar as nossas próprias ideias e o nosso pensamento. O que interessa é a forma como vamos aplicar o que aprendemos."
Filho de um cirurgião e de uma dirigente da Polícia Judiciária, o mais velho de três irmãos (o mais novo estuda Medicina) não teve notas abaixo de 15 e só se lembra de "um dia mau", em que um professor não gostou da sua análise - mesmo assim, deu-lhe um 16. A Marcelo Rebelo de Sousa também lhe aconteceu tirar um malfadado 14 em História do Direito Romano, porque o exame oral não correu como previsto. O aluno anterior tratara o mesmo tema que Marcelo tencionava abordar, o docente digladiava-se com uma indisposição e, cansado de ouvir tudo pela segunda vez, "encravou num ponto" e obrigou-o a desfiar uma dúzia de argumentos, prolongando a prova muito mais do que o normal. "Foi a pior nota que tive, mas foi uma nota justa." Não ficou zangado.
Para Jorge Pação - e para todos os que culminam uma licenciatura na era pós-Bolonha - o futuro imediato é o mestrado, embora ainda não saiba em que área gostava de se especializar. Pode ser em Direito Administrativo, pode ser em Direito Privado. Não exclui a advocacia nem a magistratura, nem sequer uma carreira académica. Quando chegar o momento de optar por uma destas hipóteses, já o professor Marcelo estará às portas da sua aposentação. Entretanto, tal como nos últimos anos, prepara-se para assumir a cadeira de Introdução ao Direito, do 1º ano, que leciona à noite, as aulas num doutoramento interdisciplinar em Administração Pública, os mestrados e doutoramentos que supervisiona, cá, no Brasil, em Angola e Moçambique. "Com a idade, dar aulas é cada vez mais pesado. Se antigamente o tempo máximo de atenção era de 40 minutos, hoje é de sete. A linguagem tem de ser mais acessível, um raciocínio abstrato sem exemplos não resulta. E os alunos usam menos palavras para explicar uma questão." São as lições de uma vida a ensinar.

Faculdade de Direito Sessão de comemorar a vitoria de Marcelo. Uma bandeira da Monarquia é sintomática que o vencedor dava para todos mos lados

Amen

quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Venha daí uns tempos para um merecido descanso, porque me sinto bastante cansado

Carissimo amigo: pare de olhar para mim pois vou ocupar a sua cadeira, pois daqui a uns dias eu vou servir-me dela em exclusivo

Oh pá estás à vontade. Eu e a minha Maria vamos repousar. Foram tempos extenuantes a que ninguém dava valor

terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Comparem a beleza de " A Garagem da Vizinha" e a "Avé Maria" de Schubert. è que o autor da garagem está endinheirado e o cantor de ópera está desempregado. Mas mostra o seu valor nas ruas. Trata-se de Martin Hurkens. Quel malheur que des artistes de cette trempe soient obligés de faire la manche!!!!!

E agora digam que aquilo que se faz em Portugal não tem valor. Uma banda holandesa plagiou um dos maiores clássicos de Quim Barreiros : "A garagem da vizinha". Sim senhor muito bom gosto. Mais valia limpar as mãos e os instrumentos à parede.....



Música de Quim Barreiros foi plagiada… na Holanda! 

 O clássico de Quim Barreiros “A Garagem da Vizinha” foi plagiada por um grupo holandês chamado Ferry van de Zaande & Veul Gère. 

A banda holandesa juntou algumas das suas ideias sobre a “vizinha” e juntaram-lhe alguns elementos da canção original de Quim Barreiros. 

O caso de plágio remonta a 2014, mas só agora foi notícia depois de uma situação com os D.A.M.A. que viram também uma música sua passar pelo mesmo. 

No entanto, este caso é já do conhecimento do autor que no Facebook reagiu do melhor modo possível: “Até os holandeses gostam da “Garagem da Vizinha”! 

Quem entende o que eles dizem?”

Este plágio a mim não me diz nada. Eu até gosto do Quim sobretudo quando ele não está a cantar e a tocar acordeão. Basta de tanta brejeirice

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Valerá mesmo a pena meter o nosso dinheiro num banco qualquer ou em todos? Artigo do "Expresso" alerta-nos para a realidade desta opção negativa de se meter lá dinheiro

Todos falam em poupar, mas a questão é onde guardar o que poupamos. Há uns anos, os depósitos a prazo eram uma boa opção, mas hoje em dia já não são. Há casos em que até dá prejuízo guardar o dinheiro no banco Imagine que no ano passado conseguiu poupar 5 mil euros, ou que já os tem poupados no banco.

Se tem poupanças muito maiores, provavelmente esta crónica não é para si. Saberá muito bem onde as colocar a render, ou até pode colocar parte delas em produtos de maior risco. Mas, para o caso, vamos analisar a situação para quem tem pouco e não quer correr qualquer risco de perder capital. 
Por incrível que pareça, o BPI, por exemplo, oferece uma conta a prazo com juros de 0,05% para um depósito a 1 ano. Ou seja, só não dizem que é zero, provavelmente, por vergonha. Se acha que é ridículo, olhe que os outros não oferecem muito mais. O Novo Banco foi o que fez a melhor proposta: 0,6 % ao ano.

A Caixa Geral de Depósitos oferecia no início de 2016 0,4% brutos. O Millennium BCP propunha 0,35. O BPI e o Santander Totta ficaram-se por 0,1% nas melhores propostas. Uma décima de ponto percentual. BRUTOS. A estes juros é preciso ainda descontar os 28% que vão para o Estado, como taxa liberatória.

 Vamos a contas. Com estes juros mencionados acima, se depositar 5 mil euros no Novo Banco, daqui a 1 ano vai receber limpos 21,60 euros. Na Caixa Geral de Depósitos, 14,40. No BCP, 12,60. E no BPI e Santander Totta, 3,60. Uma fortuna, como pode ver. Se quiser ser mais picuinhas e descontar a inflação, que foi de 0,6 em 2015, vai chegar a uma triste conclusão. Em todos estes bancos está a perder dinheiro.
No pior cenário destas contas a prazo, ainda perde 26,40 euros por ano (por emprestar 5 mil euros ao banco). Mais grave ainda: se lhe cobram comissões de manutenção de conta, provavelmente paga ao banco cerca de 80 euros por ano só para ter a conta aberta. Para atingir este valor em juros e não ter prejuízo, teria de ter na conta a prazo no mínimo 20 mil euros (a 0,6%). E não estamos a contar com a inflação. QUAIS SÃO ENTÃO AS ALTERNATIVAS? Há bancos mais pequenos e menos conhecidos e os bancos online (Activobank, Best, BIG, etc), que dão juros melhores.

E depois tem os produtos de poupança do Estado. Nos Correios pode subscrever Certificados de Aforro, que rendem neste momento 0,87% brutos, e Certificados do Tesouro Poupança Mais, que prometem um juro médio a 5 anos de 2,25% (a taxa é crescente). São garantidos pelo Estado. Obviamente, tem de ter em atenção os riscos, e o facto de ter limites à mobilização do dinheiro (Certificados de Aforro é 3 meses e Certificados do Tesouro Poupança Mais é 1 ano).

Cada um tem de avaliar e escolher onde põe o dinheiro que tanto lhe custou a juntar. Só mais um alerta. A lei de proteção dos depósitos mudou agora, em 2016. Para se sentir seguro, tenha a certeza de que são mesmo depósitos - e não outras coisas. Até 100 mil euros fica tudo na mesma. Mesmo assim, tem de perceber que, se um banco tiver problemas, pode demorar até 3 meses até conseguir voltar a mexer no seu dinheiro.
Daí o conselho de “não ter os ovos todos no mesmo cesto”, mesmo que com juros diferentes. Lembre-se que regularmente (agora pode ser uma boa altura) deve contactar o seu banco ou bancos e fazer uma listagem de todas as suas poupanças com os respetivos juros atuais, e rever se deve mudar alguma ou algumas. Faça uma folha de Excel e atualize-a ao longo do tempo. Muitos portugueses fizeram um depósito a prazo há uns anos e esquecem-se que são renováveis. Alguns bancos renovam os depósitos, mas com as taxas de juros que definem ano a ano - e não com o valor inicial. Se não estiver atento, aquilo que já lhe deu lucro pode estar hoje a dar-lhe prejuízo.

Faça as contas.

Fonte: Expresso

Cavaco já tem sucessor: Marcelo Rebelo de Sousa. O Povo escolheu e decidiu. Pelo menos, quer votasse bem ou mal, demonstrou que está em pleno uso da sua Liberdade. Por agora só temos de dar os parabens aos vencedores

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Estamos confiantes e é uma nossa pregorrativa de que estas sondagens servem a Direita ainda ressabiada e não vão ser confirmadas depois de amanhã.


Independentemente dos resultados finais confirmarem ou não as sondagens é possível tirar já algumas conclusões com base na tendência: 

O PCP paga cara uma candidatura presidencial falhada, é batido de forma quase humilhante pelo BE e Edgar Silva pode valer pouco mais do que o Tino de Rãs. 

Marisa Matias é incapaz de segurar os votos do BE. 

O PS perde uma boa parte dos seus votos para o candidato da direita. 

Marcelo Rebelo de Sousa humilha Passos Coelho e Paulo Portas, não só os obrigou a apoiá-los a contragosto como poderá dizer que não precisou desse apoio. 

Os seguristas podem esquecer uma tentativa de incomodar a liderança de António Costa, poderão ter ajudado Marcelo a ganhar as presidenciais mas foram humilhados e Assis não poderá voltar a dizer que o pessoal dos leitões representa metade do eleitorado do PS. 

Marcelo, António Costa e Catarina Martins ganham, Francisco Assis, Maria de Belém, Paulio Portas, Passos Coelho, Jerónimo de Sousa e Sampaio da Nóvoa perdem.

quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

O Desporto no Bancada Drecta. Alto Minho com evento desportivo de realce. 1ª descida Melgaço-Monção. Sabado 23 de Janeiro 2016

Bancada Directa deseja os melhores sucessos para os participantes nesta descida

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

A atribulada vida de Maria de Belém. Precisa de uma subvenção vitalicia, para além de uma boa reforma, para sobreviver. A sua candidatura já me era indiferente e agora causa-me repulsa



Há pessoas que na vida não olham a meios para auferir no seu vencimento mais vil metal

terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Morreu Antonio Almeida Santos. Uma vida inteira dedicada a uma luta constante pela Democracia. Nesta tarde chuvosa recordo-me de contactos amigaveis que tive com ele e da sua afectuosidade para com todas as pessoas.

Antonio Almeida Santos

1926/2016

Paz à sua alma no seu eterno descanso

Nesta tarde chuvosa oiço uma das musicas que ele gostava

Recordar Zeca Afonso. Coro dos Antigos Orfeonistas do Orfeão Académico da Universidade de Coimbra, cantam Zeca Afonso, em Bratislava. 1 - "Coro da Primavera"

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Marinha Grande. Recordar os acontecimentos do dia 18 de Janeiro de 1934


Em reacção à Constituição que Salazar começou a preparar desde que chegou ao poder, em 5 de Julho de 1932, e que acabou por ser promulgada em Abril de 1933, à criação da polícia política (PVDE) e à legislação que neutralizou as organizações operárias, fascizando os sindicatos, gerou-se um amplo movimento operário que, depois de alguns acidentes de percurso, culminou na convocação de uma «Greve Geral Revolucionária» para 18 de Janeiro de 1934. 

 Porque na véspera a PVDE prendeu alguns dos principais responsáveis e activistas, o impacto foi menor do que esperado. Apesar disso, explodiu uma bomba no Poço do Bispo em Lisboa, na noite de 17, e o caminho-de-ferro foi cortado em Xabregas, em Coimbra, explodiram duas bombas na central eléctrica e houve movimentações em diversos outros pontos do país (Leiria, Barreiro, Almada, Sines e Silves). 

A mais significativa deu-se na Marinha Grande, onde grupos de operários ocuparam o posto da GNR, os edifícios da Câmara Municipal e dos CTT. Mas a repressão foi forte e uma das suas decisões concretizou-se na criação de uma colónia penal no Tarrafal, para onde acabaram por seguir, em 1936, muitos dos detidos do 18 de Janeiro. 

Nove acabaram por lá morrer. Estes acontecimentos puseram fim a décadas de sindicalismo livre, apesar de todos os condicionalismos persecutórios. 

Além disso, o falhanço que constituíram e a repressão que se seguiu liquidaram a liderança do movimento operário pelo anarco-sindicalismo.

Nota: Este texto é da autoria da Doutora Joana Lopes. Bancada Directa agradece

Paulo Gonçalves. Um desportista português de antes quebar que torcer. Vejam esta espectacular queda sua no ultimo Dakar

domingo, 17 de janeiro de 2016

Benfica: Chegou a hora! Um video que se tornou viral nos ultimos dias. Bancada Directa ajuda na sua divulgação.

Marcelo e Cavaco = farinha do mesmo saco. Alguém os imortalizou numa imagem feliz

Deus me livre

sábado, 16 de janeiro de 2016

O cata vento está em plena forma para enganar os seus apoiantes. Na imagem do cata vento em vez de N S devia estar D ou E (direita ou esquerda)

Claro que é o candidato duma direita da esquerda e duma esquerda da direita

sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

Mas que tremenda ansiedade a minha. Nunca mais vejo o actual inquilino do Palacio de Belém apeado do seu lugar. Confiram o tempo que falta!


Ainda falta tanto tempo para vermos Cavaco longe de Belém

Conferir o tempo que falta clicando aqui

E Marcelo que fique tão longe quanto a distancia o permita


Um pequeno partido, agora eivado de ambições de liderança cristófila. Nuno Melo desistiu em nome de altos interesses que brotam e que lhe interesam no Parlamento Europeu


Lá se vai a tranquilidade no CDS 

«Nuno Melo já tem a decisão tomada e desistiu pura e simplesmente, Assunção Cristas também  vai concorrer à liderança dos betinhos da nossa politica e já anunciou a sua disponibilidade.

Há mais de um ano que era óbvia a ambição de Assunção Cristas de ascender à liderança do CDS. 

Entre a desistencia de Nuno Melo e a disponibilidade de Assunção Cristas que venha o diabo e escolha.

Mas parece que outras candidaturas já surgem no horizonte.

Mas temos a certeza de que só Paulo Portas tinha artes de se encostar ao PSD sem prejuizos de maior para o seu partido

quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Tino de Rans

Estando em causa mais uma personalidade em cujos valores e comportamentos o país espera confiar nas eleições presidenciais somo mais exigentes para com os candidatos. 

Exigimos muito mais a um Presidente da República do que o fazemos com um deputado ou com um autarca, é esta a cultura da República onde o Presidente é o seu mais alto magistrado. 

Não se trata de uma eleição qualquer, trata-se de uma eleição onde esperamos que um cidadão como todos nós esteja à altura do cargo, por oposição à figura do Rei

Terá Tino de Rans as qualidades concretas para ser um convicente Presidente da República ?

Jogos de compadrio politico e afinidades afectivas. Passos Coelho quer o Presidente Marcelo do Estoril muito perto do Cavaco de Boliqueime


terça-feira, 12 de janeiro de 2016

Um poema de Natalia Correia sobre o candidato da Direita Marcelo Rebelo de Sousa intitulado "Marcelo e as Tágides"

Natália Correia sobre Marcelo Rebelo de Sousa, «o tal que um dia concorreu a presidente da autarquia de Lisboa». 

MARCELO E AS TÁGIDES 

Marcelo, em cupidez municipal 
de coroar-se com louros alfacinhas, 
atira-se valoroso - ó bacanal! -
ao leito húmido das Tágides daninhas. 

Para conquistar as Musas de Camões 
lança a este, Marcelo, um desafio: 
Jogou-se ao verso o épico? Ilusões!... 
Bate-o Marcelo que se joga ao rio. 

 E em eleitorais estrofes destemidas, 
do autárquico sonho, o nadador 
diz que curara as ninfas poluídas 
com o milagre do seu corpo em flor. 

Outros prodígios - dizem - congemina
: ir aos bairros da lata e ali, sem medo, 
dormir para os limpar da vil vérmina 
e triunfal ficar cheio de pulguedo. 

Por fim, rumo ao céu, novo Gusmão
de asa delta a fazer de passarola, 
sobrevoa Lisboa o passarão
e perde a pena que é de galinhola. 


in INÉDITOS 1979/91 
Cancioneiro Joco-Marcelino, 
POESIA COMPLETA

segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

A corrida para as Presidenciais 2016. Votar em Maria de Belém trazer-nos-há qualquer coisa de util? João Soares, que prima pelas suas atitudes divergentes, garante que sim!

Marcelo, com ufania e jactância, afirma que vai ser um PR de afectos. A realidade desmenti-lo-à, se for eleito. Maria de Belém diz que seguirá a  mesma atitude afectiva para com os portugueses, mas tem de evitar estes constrangimentos fisionómicos

João Soares é uma espécie de D. Duarte do PS, um príncipe herdeiro sem trono que há anos tem caído no esquecimento e só ganha protagonismo quando tem posições diferentes das do pai.

Agora foi mais longe, além de apoiar Maria de Belém garante que se a mãe fosse viva também, a apoiaria. Enfim, agora aguardamos que João Soares no diga em quem votaria o avô ou mesmo Willy Brandt.

 Por este andar a Maria de Belém vai ter de incluir os cemitério no roteiro da sua campanha e ninguém se admira se no último dia da campanha eleitioral organize uma arruada no Cemitério dos Prazeres, ou, talvez, no Cemitério do Alto de São João por ser mais republicano e socialista, ainda que demasiado laico para o gosto da candidata.
«Como “cidadão” e não como ministro. Mas, sobretudo, como militante socialista. João Soares fez questão de se juntar a Maria de Belém, na primeira ação de campanha da socialista, para manifestar o apoio “determinado” à ex-presidente do PS.

 Visivelmente emocionado – afinal, a mãe, Maria Barroso, ajudou a Fundação José Relvas a crescer -, o ministro da Cultura deixou uma garantia: “Se a minha mãe estivesse viva apoiaria Maria de Belém“. Para o socialista seria muito importante para o país que uma mulher fosse eleita Presidente da República.

“[E estou certo] de que Maria de Belém é a Presidente de que Portugal precisa”.»

A frase do dia

"O que está aqui em causa é escolher uma mulher para a Presidência da República", João Soares.

domingo, 10 de janeiro de 2016

Presidenciais 2015. Para o candidato Marcelo afirmar que vai ganhar à 1ª volta é um simples acto de vaidade, de pedantismo e aproveitar-se do beneficio que as Televisões lhe deram como comentador alinhado com a Direita


O candidato Marcelo usa Dry Joys (nada comum a pobres)

Tudo a combinar, a cor do Mercedes, o cachecol e o guarda-chuva da Dry Joys, uma marca de sapatos de golfe, só a gravata do desgraçado que o protege da chuva está a destoar, o Cavaco do Estoril em campanha sem dinheiro para material publicitário recorre a doações de marca finas. 

Marcelo não é um teso qualquer e como saloio do Linha do Estoril não usa guarda-chuvas do chinês, usa guardas-chuvas com publicidade a marcas para gente fina.
Enfim, este Cavaco é um híbrido que resulta do cruzamento de Cavaco Silva com a Lili Caneças:

sábado, 9 de janeiro de 2016

Recordar a nossa estadia na Ilha da Madeira com imagens. (1)



Vista de São Gonçalo, local da nossa estadia (Hotel Ocean Gardens)




Vista do Machico. Na imagem de cima vê-se o  Estadio Municipal do Machico onde joga o União da Madeira, embora actualmente utilize o Estadio da Madeira (Choupana)


Teleférico do Funchal para o Monte. Fotos captadas do interior de uma das cabines


 Mercado dos Lavradores. Centro do Funchal. Bancas de peixe escalado e seco

 Costa Norte. Farol

 Costa Norte. São Jorge

Costa Norte. Na encosta de Santana

Limite da Costa Norte. Vista captada do interior do Restaurante Cachalote

Obrigado Pela Sua Visita !