BANCADA DIRECTA: Novembro 2015

segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Ainda os actos de terrorismo ocorridos em Paris. O nosso amigo jornalista Fernando Correia disserta sobre este tema, intitulando a sua crónica "a cobertura informativa dos actos terroristas..


A cobertura informativa dos actos terroristas


Os recentes atentados terroristas em França, reivindicados pelo auto-denominado Estado Islâmico, levam a algumas conclusões que importa aqui deixar como forma de reflexão Fantastico O que pretendem os terroristas com estes actos?

Obviamente chamar a atenção do Mundo para a sua existencia? Dizem as pessoas menos avisadas que os aderentes à filosofia do tal Estado Islâmico (que mata em nome de nada) não se importam de morrer também, porque a vida para eles tem um valor diferente. No entanto, o certo é que alguns deles matam e fogem, o que leva a concluir que, matando em nome de coisa nenhuma, tentam salvar-se de alguma coisa.

Por outro lado, estes actos terroristas barbaros, perpetados em França, que conduziram à morte de dezenas de inocentes, têm uma finalidade evidente: a de chamar a atenção, sobre o auto denominado Estado Islâmico, sobre a sua existencia, sobre as suas reivindicações, sobre os seus objectivos, sobre o seu futuro.
E aqui é que importa ser inteligente e objectivo. Ou seja, fazer reportagens exaustivas dos atentados, mostrar imagens repetidas, não sei quantas vezes, das pessoas a fugir pelas janelas ou a arrastar-se até à morte nas reuas; divulgar cenas da mortandade, mostrar as flores, as lágrimas, os funerais, a dor, apenas serve os interesses dos barbaros.

É esse o objectivo. Fomentar o medo, o terror, o pavor é o que eles pretendem atingir. A revolta não se faz com imagens destas. Faz-se com acções. E a Europa, mais os Estados Unidos e o resto doi Mundo, devem pensar na questão das armas. Quem as vende? Quem as fornece? Quem instiga o crime? Quem é indirectamente culpado pelo assassinato de toda esta gente indefesa e inocente?

É preciso pensar sobre isto. Ainda que vivamos num Mundo global, com a guerra a ser transmitida em directo pelas televisões, torna-se fundamental não valorizar estas acções com imagens repetidas, horriveis e barbaras O Estado Islâmico agradece a divulgação
O fundamental é desencandear acções conjuntas e globais que acabem com a mortandade, com os assassinatos ou, pelo menos, que abortem à nascença a vontade de os levar a cabo. Dizem-me que o terrorista que fez explodir bombas no Estadio de França tinha sido impedido de entrar, embora tivesse bilhete para assistir ao jogo França-Alemanha. E foi impedido porquê? Porque transportava material bélico. Então porque razão não foi imediatamente detido pelas autoridades policiais?

Dar cobertura ao terrorismo (pelas imagens televisivas repetidas e pelas reportagens fotográficas) não é certamente o melhor caminho para acabar com a propaganda ao denominado Estado Islâmico

Sou do tempo em que jogadores de futebol de divisões inferiores faziam tudo para ser expulsos, só para que os seus nomes viessem publicados nos jornais, no mapa de castigos!!! Era a unica forma de terem alguma visibilidade. Lembram-se? 

Fernando Correia

domingo, 29 de novembro de 2015

Vamos lá menino Aníbal. Tome lá sua dose de óleo de fígado de bacalhau. Ou como diz o Larama do reality show "A Quinta" : Toma lá pipocas.......

É dificil de engolir, não acham carissimos leitores.......

sábado, 28 de novembro de 2015

Resquicios de decisões dos ex governantes que apoiaram o Governador do Banco de Portugal. Todos os esquemas serviam para favorecer os amigos

Sem comentártio,s mas acabem com esta benesse depressa

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

São estas pequenas ninharias que agora preocupam os ressabiados da direita. Isto de ser uma figura saliente sequencialmente a seguir ao PM não tem qualquer importancias se forem ministros competentes e eficientes. Tal é o caso de Mario Centeno. Não confundam revogaveis com irrevogaveis. Isso é que foi uma vergonha


As ninharias que os preocupam

 «Nenhum dos ministros de António Costa é ministro de Estado, algo que não acontecia desde 1999. E Mário Centeno, o ministro das Finanças, é o número 4, atrás dos ministros dos Negócios Estrangeiros e da Presidência.

Fará isso de Centeno um homem de pulso fraco perante os seus colegas? Ao Observador, um ex-ministro das Finanças do PS lembra apenas que a ter o título de ministro de Estado permite aparecer como uma “espécie de vice-primeiro-ministro” pelo facto de ter “preponderância em relação aos outros ministros”.

 Já Eduardo Catroga, ex-ministro das Finanças de Cavaco Silva, considera que mais importante do que ter o nome de ministro de Estado é o facto de o governante ter “o apoio total, determinado e inequívoco” do primeiro-ministro.

“Essa é a condição de base”, ressalva Catroga, lembrando que quando foi ministro das Finanças não teve estatuto de Estado. “Não tinha mais uma estrela, como os generais, mas não era preciso” porque contava com apoio total do primeiro-ministro, lembra.» [Observador]

 Parecer: É preferível ter um ministro forte e competente do que um ministro adjunto fraco, incompetente ou irrevogavelmente revogável.

terça-feira, 24 de novembro de 2015

"A Quinta". Reality show da TVI. As sondagens de Bancada Directa sobre quem vai ganhar o concurso.

Fizemos as contas. 
Analisámos as possibilidades
Concorrentes e convidados (não para a Ceia do Senhor)
Ficámos tristes com as expressões "irei-te depois dizer",  "explicarei-te" (Gonçalo). "virei-te" (Gisela)
Depois de termos assistido por parte de Marta a autenticas demonstrações de como ser um bom fumador de cigarros em doses industriais (com cigarros à borliames")
Depois de termos assistido a crises de choro por parte de chorões profissionais de estratégias
Não temos dúvida alguma em prever que será o Torres o vencedor deste reality show

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Uma campanha eleitoral com laivos de fraudulenta. Com que então a devolução da sobretaxa do IRS cifrava-se nos 35% em 2016? Devolução da sobretaxa está em risco e divide PSD e CDS. (2) Transcrevemos na íntegra um "comentário" de um nosso leitor amigo.


Já se sabia que ia ser assim.

Mesmo durante a campanha foi várias vezes referido que havia fraude da grossa nos números que eram dados. As razões eram conhecidas e centravam-se no facto de ter sido criado um tampão ao reembolso de IVA das empresas.

O IVA entrava, como é natural, mas quando tinha de ser devolvido, como por exemplo em caso de exportação, ele não saía. 

Assim se empolaram as receitas do IVA, que parecia irem rebentar a escala. Esse efeito trouxe outra ilusão: a de que a actividade económica estava melhor e por isso originava mais IVA!

De uma cajadada Passos, Portas e Núncio matavam três coelhos! Iludiam com grandes devoluções da sobretaxa, evidente mentira; diziam que havia recuperação económica porque se cobrava mais IVA, o que é outra completa mentira; e ainda agitaram com a treta dos cofres cheios, que é ainda uma mentira maior!

Esta última, quando começarem a sair os esqueletos dos armários de TODOS os ministérios, vamos ver o que resta! Dívidas a farmácias, dívidas a laboratórios, dívidas a fornecedores de diversos sectores, impostos não devolvidos, retenção de pagamentos, etc., para já não falarmos das indemnizações que aí vêm dos swapps da Maria Luís e dos prejuízos que aí vêm do assumir das garantias para a dívida da TAP, da tal TAP que esta gente se esforçou por entregar pelo preço de meio avião, ficando ainda, pasme-se, responsável pelas garantias das dívidas!

Ainda sobre a TAP, a CGD, consta, teve de adiantar os célebres 150 milhões que o consórcio tinha de meter na empresa! Ou seja, se isso é verdade que o presidente da Caixa não atendia o telemóvel à Ministra por não querer adiantar os 150 que a empresa falida que ficou com a TAP não conseguia arranjar em lado nenhum, por não ter crédito em parte alguma, ficamos com o lindo panorama de ver a TAP dada a um consórcio falido e sem crédito, com mais um "bónus" de 150 milhões que nunca regressarão à CGD.

 Se o alegado presidente da república vier exigir mais garantias a António Costa para formar governo, deve ouvir deste a exigência de que Cavaco apresente garantias dos tais cofres cheios! É que este Cavaco é o mesmíssimo que garantiu que a compra de papel financeiro do BES e anexos era excelente!

 É que com estes e tantos outros embustes, não haver ninguém responsabilizado é que devia merecer desconfiança a um presidente verdadeiro.

Luis Pessoa

domingo, 22 de novembro de 2015

Kelly Medeiros, uma brasileira concursante do reality show "A Quinta". E não há qualquer duvida que é uma potencial vencedora. Pela sua disponibilidade em ser agradavel, pelas suas atitudes solidárias e sobretudo pela sua experiencia frente a camaras de televisão escondidas.

Quem tem unhas é que toca guitarra.

E a Kelly tem tudo no seu sitio

Ainda bem....

Romana. O percurso de uma cantora com elevado valor artistico a um caminho actual de degradante miséria social afastada das regras da decencia conjugal revelada pelo reality show "A Quinta"



A Romana foi hoje ao palheiro contar que o casamento dela acabou. 

Ficamos a saber isso porque ela contou ao Santiago o que disse lá dentro, e foi simplesmente acabar o casamento dela em directo. 

Contou que tentaram durante uns anos que as coisas resultassem, mas viu que não dá mais, e que simplesmente vive com o melhor amigo. 

Declarações surpreendentes.


Mais nos alongamos sobre o que tem ocorrido entre ela  e  Santiago Romero

Simplesmente lamentavel....

sábado, 21 de novembro de 2015

Uma campanha eleitoral com laivos de fraudulenta. Com que então a devolução da sobretaxa do IRS cifrava-se nos 35% em 2016? Devolução da sobretaxa está em risco e divide PSD e CDS


Estimativa de reembolso da sobretaxa de IRS está em queda livre e divide PSD e CDS.PP. 

Governo já sabia da má notícia para os contribuintes, que foi recebida com bastante incómodo. Fala-se até de algum desconforto entre PSD e CDS sobre o tema. Balanço só poderá ser feito no final do ano mas, já no mês passado, havia sinais de que zero era o limite. Ao contrário do que o Governo andou a prometer... 

A informação de que a devolução da sobretaxa de IRS caminhava perigosamente para zero já é discutida no Governo há algumas semanas. Os números da execução orçamental de outubro só serão conhecidos na próxima quarta-feira mas dentro do executivo o tema é tabu. 

Ninguém quer falar sobre o assunto que, apurou o Expresso, tem sido um ponto de discórdia entre o PSD e CDS. O pai da medida, o secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, 

Paulo Núncio (que é do CDS), está a ser alvo de todas as críticas por ter levado o Governo a prometer algo antes das eleições que, agora, com grande probabilidade, não poderá cumprir. 

"Resta saber se não estão a tentar entregar a cabeça de Paulo Núncio numa bandeja", disse ao Expresso um membro do anterior governo.

Os ultimos estertores de um moribundo que estava agarrado ao poder como uma lapa à rocha

Passos Coelho 

Passos Coelho foi a Cavaco dizer que deve ser exigido um governo estável, este é o mesmo político que depois de ter falhado a criação de uma solução governativa estável aceitou formar um governo fantoche na esperança de se manter mais de seis meses em gestão. 

Este é o político que chamou fraude a um governo do PS. Isto é, este é o político que foi a Cavaco pedir que o futuro governo seja uma fraude estável e que se aguente uma legislatura. 

Este é um político que levou um mês e meio a perceber as regras da democracia e a aceitar que teve uma derrota com sabor a vitória. «Se o Presidente da República estivesse em pleno uso das suas competências, o PSD pedir-lhe-ia que dissolvesse o Parlamento e convocasse novas eleições legislativas, mas, como a Constituição não o permite, 

Pedro Passos Coelho disse esta sexta-feira a Cavaco Silva que deve exigir ao PS que forme um Governo "estável". 

 “Cabe ao PS construir uma solução de Governo que corresponda àquilo que o próprio PS disse que era indispensável e sem o que não derrubaria o Governo que saiu das eleições: ter uma maioria estável, duradoura e credível, que ainda não tem”, afirmou Pedro Passos Coelho.» [Público]

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

È mesmo verdade, verdadinha.....

E cá pelo nosso habitat esta verdade assentou arraiais e de que maneira...

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Uma autentica vergonha. Sejam quais forem os ideais reivindicativos cometer uma autentica barbárie é um acto condenavel.


ATENTADOS ISLÂMICOS EM PARIS

Não há desculpa nem justificações possíveis para os atentados perpetrados em Paris por fundamentalistas islâmicos.

Não há CIAs, nem Bushs nem Blairs que justifiquem ou desculpem essa barbaridade. Esses têm graves responsabilidades no que se passa atualmente no Médio Oriente. Mas não justificam o assassinato de civis inocentes em Paris.

Os islâmicos são pessoas como nós. Não são máquinas que funcionam automaticamente, nem cães de Pavlov que reajam por reflexos condicionados. Não há armas em Paris que lancem mísseis para o Médio Oriente.

Os atentados foram premeditados, pensados, planeados e combinados por homens dotados de inteligência e sentimentos (bons ou maus). São imputáveis e responsáveis. Os atentados foram deliberadamente perpetrados contra homens, mulheres e crianças inocentes.

Não há qualquer justificação nem desculpa.

 Espera-se que os países civilizados reajam adequadamente contra as barbaridades cometidas pelo denominado Estado Islâmico

quinta-feira, 12 de novembro de 2015

Quando os ressabiados da Direita têm memória curta


quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Uma questão aritmética.Passos Coelho lá terá as suas razões emocionais para não aceitar que a soma das partes não seja igual a um todo, mas que não tem razão lá isso é verdade.


A votação de hoje

António Costa, Jerónimo de Sousa e Catarina Martins foram os obreiros de uma decisão histórica que rompeu o isolacionismo dos partidos de esquerda, várias vezes por culpa própria, permitindo à direita a mais vil das chantagens e a mais enviesada das leituras.

A partir de hoje a decência política ganhou novos contornos e a geometria eleitoral nova amplitude.

Ninguém mais terá o direito de dizer quem pode ou não pode contribuir para uma solução de poder. A igualdade de todos os deputados significa a igualdade de cada voto que os elegeu.

Não aceitar isto é trair a democracia política. Foi preciso uma votação para que alguns crânios mais duros percebessem que a soma (89 + 18 = 107) é inferior à de (86 + 19 + 15 + 2 + 1 = 123).


Só Passos Coelho, na apoteose da indigência democrática, vociferou do alto da tribuna do ex- Governo: «A soma das partes é sempre diferente do todo».

Espera-se agora que a comunicação social eivada de elementos favorecidos pela Direita façam as mais lúgubres previsões sobre a durabilidade deste Governo, se Cavaco o decidir.

Mas que é verdade que Passos Coelho e Paulo Portas mostraram um azedume do caraças qundo lhe tiraram o tapete debaixo dos pés.

segunda-feira, 9 de novembro de 2015

Vejam bem as opiniões deste cromo direitista. Vejam bem Nuno Melo no seu melhor. Opina que josé Socrates foi condenadso e perdeu já todos os seus direitos constitucionais. Mal empregado tempo que o...... (o resto não digo)(


José Sócrates 

Foi condenado e perdeu os direitos constitucionais, designadamente, os direitos políticos e a liberdade de expressão. 

Isto porque foi ovacionado em Vila Real e pediram-lhe para se candidatar a Presidente da Republica

domingo, 8 de novembro de 2015

O eterno dilema de alguns "chuchas"!Não gostam dos partidos à esquerda do PS. Mas agora defendem que nesta coligação canhota deveria haver governantes desses partidos



Álvaro Beleza

É contra um governo de esquerda, algo que defendia há um ano, agora critica António Costa porque o governo não integra ministros do PCP e do BE, mais um pouco e vai sugerir Jerónimo para ministro da Defesa, Louçã para ministro das Finanças e Mário Nogueira para ministro da Educação. Haja seriedade e coerência.

 «O dirigente socialista Álvaro Beleza considerou hoje frágil e instável a solução de um Governo do PS, com PCP e Bloco de Esquerda ausentes do executivo, e defendeu um referendo aberto a simpatizantes do partido. Álvaro Beleza falava à entrada para a Comissão Nacional do PS, que vai apreciar a proposta de programa de Governo socialista, suportado no parlamento pelo PCP, Bloco de Esquerda e "Os Verdes".

 "Só se garante a estabilidade com todos os partidos no Governo. Não há coligações nos regimes parlamentares da Europa sem os partidos que suportam o Governo nesse mesmo executivo", declarou Álvaro Beleza, antes de vincar que o PCP nos últimos 40 anos e o Bloco de Esquerda nos últimos 15 anos "fizeram do PS o seu inimigo principal".» [DN

sexta-feira, 6 de novembro de 2015

O Independente. Uma maquina de triturar politicos. Durante sete anos Paulo Portas foi um triturador de figuras publicas. Depois e até hoje teve de engolir todas as diatribes que escreveu.

Um jornal conotado com a Direita da altura mas que a Oposição adorava

quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Estes são os verdadeiros artistas que dão o dito por não dito na medida dos seus interesses e ambições. Eles bem tentam dar a volta à situação mas estão encurralados nas malhas da Democracia


Estes são os verdadeiros artistas que dão o dito por não dito na medida dos seus interesses e ambições. 
Eles bem tentam dar a volta à situação mas estão encurralados nas malhas da Democracia

Ainda ontem diziam que iam adoptar medidas do programa do PS, até tinham mandado a comunicação social publicar que cediam no calendário da reposição dos vencimentos e da eliminação da sobretaxa.

 Agora dão o dito por não dito e mesmo sem poderes para o fazer e ainda antes de se conhecer o seu programa de governo, tentam forçar a maioria parlamentar a obedecer à austeridade extrema, mesmo depois de acabarem estas duas semanas de paranóia governamental

 O mesmo Passos que dizia que faltava governar apoiado no programa do PS quer agora que uma maioria parlamentar governe condicionado pelo extremismo ideológico da minoria.

 É preciso uma grande lata e uma enorme ambição (desmesurada) de poder....

Com estes dias e tempos de chuva sabe bem ouvir este tema do Jorge Fernando: Chuva



As coisas vulgares que há na vida
Não deixam saudade
Só as lembranças que doem
Ou fazem sorrir

Há gente que fica na história
Da história da gente
E outras de quem nem o nome
Lembramos ouvir

São emoções que dão vida
À saudade que trago
Aquelas que tive contigo
E acabei por perder

Há dias que marcam a alma
E a vida da gente
E aquele em que tu me deixaste
Não posso esquecer

A chuva molhava – me o rosto
Gelado e cansado
As ruas que a cidade tinha
Já eu percorrera
Ai, meu choro de moça perdida
Gritava à cidade
Que o fogo do amor sob a chuva
Há instantes morrera

A chuva ouviu e calou
Meu segredo à cidade e eis que ela bate no vidro
Trazendo a saudade


Com um abraço ao meu amigo Jorge Fernando

quarta-feira, 4 de novembro de 2015

Mais um para engrossar a lista dos cromos deste país. Vem na senda do menino Lomba, do expert Maduro, do atribulado Crato, da inefavel Cristas e ficamo-nos por aqui......


Calvão da Silva 

 Ser Figura do Dia por dois dias seguidos sendo membro de um governo com um contrato de duas semanas é obra, só mesmo alguém que só via virtudes em Ricardo Salgado é que conseguiria tal distinção. 

Num dia foi pregar o Evangelho para o Algarve, no outro fica-se a saber que desde pequenino que tem o sonho de passar revista às tropas em parada. 

 É uma pena que este governo vá cair ainda antes de se levantar pois este ministro prometia tempos ainda mais divertidos do que os de Pedro Santana Lopes. «Conhecer as capacidades operacionais da GNR e da PSP e visitar os respetivos quartéis-generais. 

É o objectivo do ministro da Administração Interna, Calvão da Silva, o qual, apesar de estar a prazo muito curto no governo, deu ordens para que estas forças de segurança lhe preparassem uma cerimónia oficial de boas vindas. 

 E tem que ser ainda esta semana, antes do governo cair. No comando-geral da GNR e na direção nacional da PSP a vontade do ministro foi recebida com um irónico "apreço" e os preparativos já começaram. 

"Nunca nenhum ministro nos visitou tão depressa, depois da tomada de posse", confirmou ao DN fonte de uma das instituições. 

As datas estão a ser acertadas entre gabinetes.» [DN]

terça-feira, 3 de novembro de 2015

Os mariolas cantam bem, mas não me alegram! Dizem que apoiam o Serviço Nacional de Saúde, mas por vontade deles o SNS não existia

Para que estas situações não sejam esquecidas....

segunda-feira, 2 de novembro de 2015

O que se passa com esta politica à portuguesa? Até parecem cenas de comedias burlescas. Foi uma semana do caraças.


Quo Vadis Portugal?

Esta foi uma das semanas políticas mais hilariantes da democracia portuguesa, um primeiro-ministro forma um governo convidando ministros para um mês e que discursa afirmando que tem um mandato para quatro anos, um presidente que se recusa a dar posse a um governo de esquerda mas discursa na posse do governo de direita já falando para o futuro governo de esquerda.


Pela primeira vez em democracia o presidente do parlamento foi eleito de forma transparente e democrática, sem acordo de bastidores, sem candidatos já eleitos. 

Só é pena que personalidades como António Barreto que apostaram tudo numa divisão do PS se tenham esquecido de elogiar os deputados que em vez de terem votado em Negrão em obediência a tradições, optaram por escolher quem entenderam que devia presidir ao parlamento.

Depois de perceber que não tinha condições para governar a direita ainda sonhou controlar a presidência do parlamento e com isso perturbar os trabalhos parlamentares. 

Assunção Cristas deu uma entrevista ao Observador dizendo que seguiu o exemplo de Jesus Cristo ao meter-se na política tendo de se dar com gente menos recomendável.

Com a sua saída do governo a senhora tem agora muito tempo para as suas missas e para continuar a dar-se com gente menos recomendável, da política ou de fora da política. Assis vai reunir a direita do PS porque discorda de um governo do seu partido viabilizado pelo parlamento.

Agora ficamos a aguardar onde é que vai meter-se para ver se leva duas galhetas e ganha a notoriedade que as suas qualidades políticas não lhe permitem alcançar.

domingo, 1 de novembro de 2015

Farncisco Assis. Em tempos criou confusões em Felgueiras e pôs-se a jeito para levar uma chapada bem assente aplicada por um camarada. Agora quer criar mais confusões para agradar à "Direita" e está a pôr-se a jeito outra vez para levar umas festazinhas a preceito.


Francisco Assis

 É um mau começo para um candidato á liderança do PS ser o grande animador da alma de uma direita desejosa de ver o PS ao lado de políticas extremistas como a desvalorização fiscal que insiste em implementar.

Nunca se viu Francisco Assis aprontar qualquer alternativa à direita, mas agora parece que está confundindo o António Costa com a Fátima Felgueiras, a autarca que permitiu a Assis tornar-se num herói graças a uma galheta mal dada, um herói que se esqueceu de pedir desculpa à autarca depois de os tribunais a terem declarado inocente.

 «Francisco Assis, que não tem poupado críticas ao governo de esquerda que está a ser negociado por António Costa, revelou ao jornal Expresso que irá, nas próximas semanas, reunir-se “com militantes de várias zonas do país que discordam do rumo que está a ser seguido” pela atual liderança partidária.

O eurodeputado, que sempre se mostrou avesso a um governo PS com o apoio do Bloco de Esquerda e PCP, diz que “ficará então claro que há uma corrente crítica e alternativa” dentro do partido – liderada por ele.

As correntes dentro dos partidos, quando oficializadas, pretendem juntar pessoas com proximidade ideológica e programática, dando corpo a correntes de pensamento de onde podem sair, depois, alternativas de poder. »  Publicado algures por aí.....

Obrigado Pela Sua Visita !