BANCADA DIRECTA: Setembro 2015

quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Traquinices by Luis Rodrigues

Recebemos via mail uma nova ideia de aspectos desportivos

Chama-se "Traquinices" e o seu autor é Luis Rodrigues, que é o "Reporter de Ocasião"

Interesante o conjunto de fotos. Esperamos a inevitavel melhoria desta ideia

Classe, talento colectivo e individual, garra e querer foram os atributos desta vitoria memoravel. FC Porto no bom caminho para os oitavos da Champions


terça-feira, 29 de setembro de 2015

Por esta é que eu não esperava. Então não é que o uruguaio sempre disse que tinha de acautelar o futuro da sua familia? Então isto não significa que ele tinha de ganhar mais pilim?


segunda-feira, 28 de setembro de 2015

O saber discursar. As virtualidades de quem enfrenta a populaça no meio desta campanha eleitoral Legislativas 2015


Virtualidades

Durão Barroso dizia que Portugal estava de tanga, 

 Passos Coelho desmente esta afirmação e diz que o país está rico (de promessas). O seu discurso é uma tanga autentica 

A Joana despe-se e só deve convencer o autor da gracinha. Claro, da gravidez 

 Paulo Portas é a pornografia insuportavel virada para um politico melifluo que esconde os seus proprios pecados apontando os dos outros. 

 E assim segue este destino eleitoralista eivado de sondagens pouco crediveis, aliás, muito pouco credíveis.

domingo, 27 de setembro de 2015

Uma onda de entusiasmo acolheu a comitiva dos PAF em Setubal. Os gritos de ladrões, vão trabalhar malandros, tenham vergonha, gatunos, etc: não foram dirigidos ao irrevogavel Portas e nem ao Passos amnésico de pagar contribuições para a Segurança Social. Se calhar é o que eles vêm agora dizer.

Sondagens maradas. Isto é que anda para aqui uma açorda de marisco com este dito todo marado. Nãoa restam duvidas que há uma encomenda das mesmas para influenciar esta gentinha lusa. E a gente bem sabe quem as encomenda. Uma crónica de "Olho Vivo e Pé Ligeiro"


Sondagens maradas. 
Isto é que anda para aqui uma açorda de marisco com este dito todo marado. 
Não restam duvidas que há uma encomenda das mesmas para influenciar esta gentinha lusa. 
E a gente bem sabe quem as encomenda. 
Uma crónica de "Olho Vivo e Pé Ligeiro"

As sondagens e a trafulhice


É fatal que a apresentação de sondagens dão ao leitor pouco esclarecido e desconhecedor dos truques das estatísticas acaba convencido de uma realidade ficionada. Acontece que –por uma razão de custos – as sondagens tem amostras reduzidas e métodos de inquirição desajustados.

Assim sendo os resultados não poderão ser fiáveis. Vejamos: utilizar a base de contacto exclusivamente ao telefone fixo, só pode desviar o resultado. Os possuidores de telefones fixos são uma faixa etária mais elevada e conservadora.

Muitos casais jovens e até jovens solteiros e em idade de votar só tem telemóvel. Essa importante fatia da população fica de fora. E assim a coisa nasce torta e já não tem conserto. Outro defeito é a base de inquéritos válidos ser demasiado baixa, o que resulta numa percentagem elevada de incerteza.

Outra intervenção que falseia tudo é o aproveitamento dos que dizem que não sabem em quem vão votar ( ou não querem dizer!) os chamados indecisos que representam mais de 30% do eleitorado. Ao transformarem estas informações como eventuais votantes dos partidos e repartindo esses números proporcionalmente pelos partidos estão a alterar a realidade, martelando os resultados. Para que servem então estas sondagens?

Para INFLUENCIAR OS LEITORES! Por isso as sondagens na Inglaterra e na Grécia saíram todas enganadas. Lembra-me de dizerem nas televisões que o Siryza estava empatado! Ganhou à larga! Com uma pequeníssima diferença da votação anterior.

 Concluo que a maioria dos jornais e televisões que fazem inquéritos estão a trabalhar para o patronato.

 Não nos devemos enganar tão facilmente.

"Olho Vivo e Pé Ligeiro"
Lisboa. 2015. Setembro. 27

sábado, 26 de setembro de 2015

Eles bem apregoam virtualidades governativas. Mas é tubo uma fuga à realidade. Vejam este legado de PC/PP

 Eles bem apregoam virtualidades governativas. Mas é tubo uma fuga à realidade. Vejam este legado de PC/P

"O mais perigoso ignorante é aquele que ignora a sua ignorância".

 Há 2 dias, lá por Beja, PC afirmou que ia pagar, por antecipação, parte da dívida ao FMI. Omite que a dívida é "paga" contraindo nova dívida (em melhores condições graças ao BCE, que garante as operações), ou seja "reforma por inteiro", à semelhança de situações anteriores.

De facto, não paga...só adia...e aumenta a dívida com novas operações. Este é o legado financeiro: (Fonte: BdP e Eurostat)

Ano 2009.  Stock Divida Publica (ME) 146.691. Taxa (%) 4.5  Juros (ME) 5 218
Ano 2010      "           "         "                 173 062     "           3.6                     5 268
Ano 2011      "           "         "                 195 690     "           4.4                     7 604    
Ano 2012      "           "        "                  211 784     "           4.2                     8 214
Ano 2013     "           "         "                  219 645     "           3.9                     8.319
Ano 2014    "            "         "                  225 280    "            3.9                     8.580
Ano 2015     "           "         "                  227 112                  n.d                      n.d

Nota 1 - Acresce a este cenário o agravamento da “Dívida Externa Bruta” de 342 mil milhões de euros em 2008 para 407 mil milhões de euros em 2014.

Nota 2 - As privatizações só “deram” para pagar 1 ano de juros e já não há mais nada de significativo para privatizar; foram-se os anéis e…os dedos.

 Nota 3 - Pontualmente o governo e alguns comentadores arregimentados, “deixam cair” a ideia que o aumento da dívida se ficou a dever à inclusão, por iniciativa deste governo, das dívidas das empresas públicas.
Este “argumento” é falacioso, pois estas dívidas começaram a ser contabilizadas na dívida pública em 2010(*) – ano de comparação - por decisão do Eurostat, pelo que o aumento da dívida pública dos últimos 4 anos, é da total responsabilidade deste governo, apesar da austeridade, da hipotética contenção orçamental e da ausência de investimento público.

Nota 4 - Estima-se que o défice/2014 passe de um valor de 4,5% para 7,3% (considerada a capitalização do Novo Banco), ou seja, um défice idêntico ao de 2011!!!

 Convenhamos que é obra!!!

sexta-feira, 25 de setembro de 2015

Falemos dos dinheiros ganhos pelos jogadores de futebol. E também de outras gentes que por não serem tão mediáticas conseguem fugir aos impostos de maneiras faceis. Uma crónica do nosso colaborador Antonio Raposo




Falemos dos dinheiros ganhos pelos jogadores de futebol.
E também de outras gentes que por não serem tão mediáticas conseguem fugir aos impostos de maneiras faceis.
Uma crónica do nosso colaborador Antonio Raposo

OS MEALHEIROS DA MALTA DA BOLA


 Sabemos que os jogadores de futebol, os agentes de compra e venda de jogadores, os treinadores de alta cotação, toda esta gente ganha fortunas.

 Acontece que à imagem das empresas multinacionais que arranjam sempre um país com um off-shore confortável onde – legalmente – plantam os lucros fugindo ao fisco dos países sede das empresas onde vendem os seus produtos, também os jogadores de futebol não acham normal deixar para os estados onde vendem o seu trabalho, percentagens exorbitantes de dinheiro.


Querem ter e parece-nos que será compreensível o mesmo tratamento: um buraquinho onde meter o dinheirito (normalmente milhões) do seu suor. Vejo aos televisões fazerem uma certa algazarra por causa dos jogadores mas já não as vejo fazer o mesmo às grandes marcas.
Será porque as grandes marcas comerciais poderiam retirar-lhes a publicidadezinha que tanto precisam. E assim lá se vai a moral toda pelo cano! Isto das dependências económicas tem os seus custos…e as suas morais.

 Pergunto: suponhamos que um magnata dono de uma emissora de televisão (privada) faz uma falcatrua e isso vem a público. Com que lata o chefe da redação dessa televisão fará uma notícia criticando o homem que lhe paga o bife?

É por essas e por outras – algumas bem mais evidentes – que quando oiço dizer que a informação tem que ser isenta, começo a sorrir e dou cabo do cieiro!

 Mas não é nada que um bom stick de vaselina, nos lábios, não resolva.

Um abraço para os meus amigos leitores

Antonio Raposo

Lisboa. 2015. Setembro. 22

quinta-feira, 24 de setembro de 2015

A minha campanha eleitoral. Já que tenho o meu voto bem definido (nada com mentirosos) resta-me apontar factos do dia a dia. Repito que é à minha custa e ninguem me subsidia.

Esta situação é comum a todas as forças politicas.

E eu que o diga. Ir para o Porto de avião e regressar de comboio. Outro mais influente tomou o meu lugar no projecto.

Mas não mudei de ideologia

quarta-feira, 23 de setembro de 2015

Claro que não são os mexilhões mas sim os refugiados a pagar o horror e a fuga dos cenários de guerra. Horrorizados já eles andavam e sofriam na pele. O que é grave é não haver soluções para resolver este êxodo.. O nosso cronista "Olho Vivo e Pé Ligeiro" disserta sobre esta situação de falta de solidariedade da classe politica.




Claro que não são os mexilhões mas sim os refugiados  a pagar o horror e a fuga dos cenários de guerra. 
Horrorizados já eles andavam  e sofriam na pele. O que é grave é não haver soluções para resolver este êxodo.. 
O nosso cronista "Olho Vivo e Pé Ligeiro" disserta sobre esta situação de falta de solidariedade da classe politica.

UNS ATIRAM OS FOGUETES OUTROS VÃO APANHAR AS CANINHAS (Uma fábula sobre os desgraçados que arriscam a vida a tentar chegar à Europa)



Toda a gente anda à roda do problema dos emigrantes que fogem à guerra mas ninguém tem a hombridade de falar nos culpados do êxodo. 

 Uns poem obstáculos à entrada dos fugitivos, outros acolhem-nos humanamente.

Ainda ontem ouvi António Guterres lastimar-se dizendo que não pode resolver o problema. É claro que não pode. 

Ninguém pode porque é muita gente. E cada dia a chegar mais. Alguém se lembrou de parar a guerra? Negociar a paz?


Colocar os dados na mesa e partir para uma solução? Ninguém! Querem todos vender material de guerra. Dá milhões! Se parassem de bombardear a zona as pessoas não teriam de fugir. É tão simples quanto isto.

Alguém se lembrou de sugerir esta hipótese? Não. Os meus leitores vejam quem são os grandes fabricantes de armas de guerra e fixem a cara dos dirigentes desses países: uns anjinhos. Alguns vão à missa ao domingo!


E quem se lixa é sempre o mexilhão. É por essas e por outras que ninguém compra um carro em 2ª mão a um político. São mais falsos que judas. E acho sinceramente que a culpa é deles e de quem os lá pôs.

São coniventes e não dão por isso

Este mundo está muito falsificado.

"Olho Vivo e Pé Ligeiro"
Lisboa. 2015. Setembro. 22.


terça-feira, 22 de setembro de 2015

Eleições Legislativas 2015. Eu também faço a minha campanha eleitoral. Ficam sabendo que é à minha custa. Ninguém me subsidia

É um recado para os mandantes da coligação de direita.

Amanhã há mais......

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

O Siriza voltou a ganhar as eleições na Grécia. O nosso cronista Dom Payo Peres Correia diz nesta sua crónica que o que está a acontecer na Grécia com o 3º resgate assinado também já aconteceu em Portugal. Para gaudio e beneficio dos especuladores financeiros


O Siriza voltou a ganhar as eleições na Grécia. O nosso cronista Dom Payo Peres Correia diz nesta sua crónica que o que está a acontecer na Grécia com o 3º resgate assinado também já aconteceu em Portugal. Para gaudio e beneficio dos especuladores financeiros

OS GREGOS INSISTEM.



Lá foram outra vez a votos os gregos. Mais uma vez insistiram em dar a maioria ao Syriza, que fica praticamente igual ao último resultado obtido. A democracia funcionou no que se refere e até à eleição do governo do Syriza coligado para obtenção da maioria do Parlamento. Acontece que o 3º empréstimo está assinado e contra o dinheiro os credores exigem o sangue da população. Não querem só os juros.

Pois para qualquer empréstimo a juros honesto só aos juros tem lugar à voragem de quem empresta. Aqui nesta Europa não. Querem os juros e os bens. É a rapina. Cá pelo burgo sucedeu o mesmo. 

A Europa emprestou mas não quis só os juros, tivemos que vender os bens do País aos financeiros que estavam em fila para adquirir bancos, seguradoras, distribuidoras de eletricidade, os correios, os aeroportos, tudo o que desse lucro e a preço de amigo!

Foi a pilhagem completa com o compadrio de muita gente que me parecia séria. Foi o fartar vilanagem. E não me venham os Pêesses chorar sobre o leite derramado. Do tempo do Guterres o que se passou para as mãos dos privados foi uma enorme fatia.

 É por essas e por outras que eu desconfio que cá pelo burgo o que se tem passado é a alternância e não a alternativa. Não nos admiremos portanto que quem venha a ganhar as eleições seja o partido “abstencionista” e com maioria!

Mas se alguma coisa de fora do normal acontecesse cá pelas nossas bandas, sucedia o mesmo o que está sucedendo na Grécia, já por duas vezes, vem a Dona Europa e não deixa!

 Com isso o valor do voto das pessoas não vale nada e a democracia é sinónimo de aldrabice. Já há mais de 40 anos que estão a gozar com o Zé pagante.

Chega!

Dom Payo Peres Correia

Algures em 2015. Setembro. 21

domingo, 20 de setembro de 2015

Pedro Guerra = um benfiquista de quatro costados. É uma honra ter um homem deste quilate a defender o seu SL Benfica




Pedro

Continua a defender o teu Benfica

Parabens pelas tuas intervenções junto de quem quer denegrir o teu clube

sábado, 19 de setembro de 2015

Portugal está só a um bocadinho de sair do rating de "lixo". Como uma agencia de rating se consegue intrometer numa campanha eleitoral publicando resultados que só beneficiam o Governo em funções. Mas há uma verdade que temos de contar: os portugueses vêem o país a sair do lixo mas sua vida no lixo continua. Se não for no aspecto financeiro, pelo menos será no aspecto moral se apoiarem estes governantes.

Portugal está só a um bocadinho de sair do rating de "lixo". 
Como uma agencia de rating se consegue intrometer numa campanha eleitoral publicando resultados que só beneficiam o Governo em funções. 
Mas há uma verdade que temos de contar: os portugueses vêem o país a sair do lixo mas sua vida no lixo continua. 
Se não for no aspecto financeiro, pelo menos será no aspecto moral se apoiarem estes governantes.

Se acaso necessitássemos de uma prova como a democracia está a ser destruída pelas teorias globalizantes a recente notação financeira da Standard & Poor’s (S&P) seria tremendamente esclarecedora. Claro que esta revisão de rating vai ser explorada pelos círculos governamentais. Como se o aparente bónus que o sistema financeiro orquestrou, e resolveu anunciar neste momento, tivesse reflexos directos e imediatos nos bolsos e na qualidade de vida dos cidadãos. 
É a clássica atitude ‘patrioteira’ que a Direita tanto gosta e que proporciona ocultar os seus reais desígnios, onde a servidão (exploração) continua a persistir. Independentemente da análise da ‘oportunidade’ desta revisão (em plena campanha eleitoral) protagonizada pela citada ‘agência de rating’ o conteúdo da análise que lhe está subjacente, e a fundamenta, é espantoso pela ausência de vergonha. Quando se afirma esperar que exista “… uma ampla continuidade das políticas, independentemente dos resultados das eleições de Outubro em Portugal” link está tudo dito. 

Não será possível continuar a esconder o clima de ‘ditadura financeira’ a que estamos a ser implacavelmente submetidos e a forçada inexistência de políticas alternativas, isto é, esmaga-se impiedosamente o cerne da democracia que – simplificando - é a avaliação dos resultados (escrutínio) e as escolhas que colectivamente (maioritariamente) emergem do exercício de poderes delegados pelo voto. É por essa razão que incomodam pela sua superficialidade e pelo aproveitamento imediatista as frequentes citações sobre a Grécia. 
Todos sabemos que o que sucedeu no berço da Democracia (à sombra da teoria da ‘vacina’) deveria colocar-nos de atalaia para um facto que é sistematicamente ocultado. Mais importante do que analisar o que sucedeu ao Syriza, ou a Tzipras, será constatar o violento empurrão para o colapso da democracia que a atitude das instituições políticas e financeiras (europeias e mundiais) representou (e representa). 

E em consequência desconfiar dos que se apresentando como ‘realistas’ são, isso sim, os coveiros dos sistemas (políticos, financeiros, sociais e culturais). Não é despropositado exigir algum recato na análise do problema europeu e das suas ‘soluções’, nomeadamente, depois da ‘crise grega’ ainda em curso (as eleições deste fim-de-semana assim o provam). 
Seria mais inteligente confinar a ‘situação grega’ a uma batalha perdida. Todavia, a Esquerda deve saber tirar lições do 'caso grego' e mostrar-se determinada no arregimentar ‘soldados’ e preparar-se para ganhar a guerra que, inevitavelmente, se avizinha. A revisão de notação oriunda da Standard & Poor’s, bem como os comentários anexos, não passa de um contributo bélico (para essa guerra que paira no horizonte). 

Quem embandeirar em arco com esta revisão de ‘rating’ está, de facto, a tentar escrever um ‘conto para criancinhas’…

sexta-feira, 18 de setembro de 2015

Enquanto eram jogos a brincar as coisas corriam bem. Com jogos de responsabilidade está tudo a ir por água abaixo. Põe-se a questão se Jorge Jesus ainda passará o Natal convivendo com os leões.


Agora há que aguentar a ver se a coisa se endireita.

Mas nuvens negras se aproximam de Alvalade

E a culpa não é só do descarrilhamento peruano

Um Sporting na sua máxima força futebolistica é necessário para pôr a Liga a mexer de emoção.

ASSIM SEJA!

quinta-feira, 17 de setembro de 2015

Coisas da vida que acontecem a um espertalhão: pensar que iria tosquiar uma qualquer ovelha ranhosa na pele de uma reformada e afinal saíu ele próprio tosquiado!....Eis Passos Coelho no seu melhor. O que vale é que ainda se conseguiu livrar de uns bons tabefes com o que queriam mimoseá-lo....


Coisas da vida que acontecem a um espertalhão: pensar que iria tosquiar uma qualquer ovelha ranhosa na pele de uma reformada e afinal saíu ele próprio tosquiado!....Eis Passos Coelho no seu melhor. O que vale é que ainda se conseguiu livrar de uns bons tabefes com o que  queriam mimoseá-lo.

Tendo perdido os debates a que não se conseguiu esquivar e depois de evitar os Gatos Fedorentos Passos Coelho mostra a sua capacidade intelectual e faz prova do seu brilhantismo intelectual com "populares". 

Já tinha tentado a estratégia manhosa com os lesados do BES, nem levou os tabefes em directo para as televisões que esperava levar, nem se saiu bem ao garantir que ia organizar uma recolha de fundos, algo de que se esqueceu mal virou as costas. 

Braga. 11 de Setembro de 2015. Andava na mente das pessoas pregar uns bons tabefes ao primeiro ministro. Afinal, disse ele depois, que não se apercebeu de nada

Ao cruzar-se com uma reformada achou que tinha ali o adversário indicado para, finalmente, sair vencedor de um debate eleitoral (TVI24), era a pessoa indicada para provar estar certa a sua tese da culpas de Sócrates e para demonstrar que não cortou nada aos pensionistas. 

Era a ovelha ideal para tosquear mas, mais uma vez, foi um azarado e saiu tosqueado.

quarta-feira, 16 de setembro de 2015

Paulo Portas com os modelos das suas mulheres ideais. 2ª série









terça-feira, 15 de setembro de 2015

As mulheres ideais no que se refere ao seu estatuto familiar de Paulo Portas. 1ª série






Obrigado Pela Sua Visita !