BANCADA DIRECTA: Agosto 2015

segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Refugiados e populações migrantes fugindo da guerra a caminho de uma vida digna. Muitos não compreendem os que eles sofrem. Um drama dos nossos dias sem soluções de acolhimento à vista



Ainda vão demorar 15 dias para chegarem a um acordo. Oxalá haja uma luz ao fundo do túnel.

Ministros da UE reúnem-se a 14 de Setembro para discutir a crise de refugiados

Os números de migrantes e refugiados a chegar à Europa estão a atingir “proporções sem precedentes”.

Reunião com os ministros do Interior dos países-membros da UE visa encontrar soluções

sábado, 29 de agosto de 2015

Bom Fim-de-semana, para todos os que estejam lá pelos Algarves em férias ou que venham já a caminho para suas casas. Para a semana iremos nós, se Deus quiser.........


Franciele Christ queria ver CR7 num clube. 
Sabe qual

Dona de um corpo deslumbrante, olhos quase hipnotizantes e seios naturais, eis Franciele Christ, uma famosa manequim brasileira (já foi uma das Belas da Semana no Brasil), de 23 anos, que nasceu numa localidade de nome... Feliz. 

Enorme felicidade sentem também os adeptos do Grémio quando têm a oportunidade de ver esta modelo nos jogos da equipa que ocupa o seu coração. 

Um coração que também palpita por um português. Quem? Obviamente a estrela planetária Cristiano Ronaldo, o jogador que mais admira no mundo do futebol e no qual desejaria ver jogar pela sua equipa. 

Um cenário que não se afigura fácil...

In "A Bola"

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Não enganem as criancinhas que os paizinhos vestem com roupa de cor laranja. Depois da Festa do Pontal de braço dado com o CDS.PP, os laranjinhas voltam a ter uma Universidade de Verão em que vão juntar cem alunos que vão receber ensinamentos de ministros, ex-ministros, deputados e outras figuras alaranjadas. Nada de convidar figuras do PS.

Não enganem as criancinhas que os paizinhos vestem com roupa de cor laranja. 
Depois da Festa do Pontal de braço dado com o CDS.PP, os laranjinhas voltam a ter uma Universidade de Verão em que vão juntar cem alunos que vão receber ensinamentos de ministros, ex-ministros, deputados e outras figuras alaranjadas. 
Nada de convidar figuras do PS. . 

 Não enganem as criancinhas 

O PSD reuniu as suas criancinhas em mais uma encenação a que designam pomposamente universidade, cujo reitor lá aparece na mesa com ar informal, uma espécia de quota cor ar de pintas. Em tempo de eleições ficaram de fora os candidatos presidenciais ou presidenciáveis do PSD e evitaram exibir personalidades de outros quadrantes como peças de caça cozinhadas em ambiente gourmet.

Lá aparece a costumeira Maria Luís Albuquerque que aproveita estas iniciativas para dar ares de professora de política económica, talvez porque isso lhe recorda os tempos em que era ela que ensinava outro iletrado, por sinal o agora primeiro-ministro. Tendo em consideração o ambiente e o nível dos alunos era uma oportunidade para brilhar e o PSD ficaria a ganhar, os putos sempre aprendiam alguma coisa. 
Mas parece que em vez de ensinar algo de útil a ministra optou pelas sua larachas do costume, só que neste caso foi mais longe e em vez de bons valores transmitiu maus valores. O que será o futuro político destes putos quando uma ministra das Finanças vai falar-lhe do programa eleitoral da oposição e diz uma verdadeira alarvidade, diz cobras e lagartos do programa mas admite que não o leu todo. 

De uma ministra esperar-se-ia mais rigor e seriedades. Mas a alarvidades não se ficaram pelas senhora da Estação Sul Sueste, outro alarve a estar presente foi um tal Durão Barroso, um senhor que fugiu de Portugal em busca da sua zona de conforto, fugindo a tempo de evitar crises piores do que a austeridade adoptada para corrigir o défice que deixou. 

Este senhor descobriu agora que a culpa da crise não foi dos governos do PS e muito menos dos nossos abusos consumistas: “A crise do euro é uma expressão curiosa, sugere que o euro está no centro da crise. Mas não é verdade, o que esteve em crise não foi o euro, o euro manteve-se sempre como moeda estável e sólida. 
A crise nasceu nos EUA, e o detonador foi a falência do Lehman Brothers, a crise do subprime, o crédito excessivo dado a quem não tinha como pagar”, Como ninguém espera que Durão Barros tenha aderido às teses da esquerda portuguesa esta conclusão só pode uma explicação, Durão Barroso voltou a ser propriedade do DDT e repetiu a intervenção de Ricardo Salgado na comissão parlamentar de inquérito ao BES. 

Com professores temos motivos para ficarmos seriamente preocupados com os nós cegos que estão dando nas cabecinhas frágeis daquelas criancinhas.

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Nunca em eleições anteriores se prometeu tanto, mas navegando em ondas de "ses", "ses", "ses". Quando a falta de decoro e ética politica se instalou nas nossas vidas. Só para nos prejudicar.......

Nunca em eleições anteriores se prometeu tanto, mas navegando em ondas de "ses", "ses", "ses". Quando a falta de decoro e ética politica se instalou nas nossas vidas. Só para nos prejudicar.......


O reembolso da sobretaxa

O governo Português foi o primeiro a adoptar medidas de política económica com efeitos retroactivos o que, no mínimo, é um absurdo, algo que não deve ser motivo de admiração pois nas Finanças está alguém com parcos conhecimentos de política económica, o que, entre outras coisas a senhora prefira fazer discursos para os pirralhos de Castelo de Vide do que discutir as políticas que adopta com políticos crescidinhos da oposição.

 A sobretaxa é uma manifestação de incompetência, num quadro recessivo em que qualquer estímulo à actividade económica ou uma redução das medidas restritivas era desejável, o governo decidiu manter a austeridade com a promessa de que se esta tivesse sido excessiva o governo saído de futuras eleições procederia à devolução da sobretaxa já depois da receita desta ter sido gasta em 2015 muito provavelmente em medidas eleitoralistas.
Para criar a ilusão de sucesso na cobrança de impostos empola-se a retenção de tudo o que seja reembolsos iludindo os cidadãos pois passadas as eleições será reposta a normalidade fiscal e as receitas fiscais serão corrigidas em baixa, mas nessa ocasião os portugueses já terão sido levados ao engano com a preciosa colaboração dos muitos jornalistas sem escrúpulos dos nossos jornais e televisões.

Só em Maio de 2016, depois de encerradas as contas de 2015 e após a entrega da declaração de rendimentos e da consequente liquidação do IRS os contribuintes saberão se vai haver algum reembolso do excesso de impostos pago em 2015 a título de sobretaxa Isto significa que tudo o que agora se diz sobre reembolso da sobretaxa não passa de manipulações alimentadas por um secretário de Estado que anda a ajeitar a receita fiscal com truques manhosos e que são condenáveis.

Um dos truques de que ainda não se falou é a adopção de taxas exageradas de retenção na fonte do IRS e de que têm resultado reembolsos exagerados no IRS. A aplicação de taxas exageradas de retenção na fonte do IRS, decididas no segredo do gabinete do Núncio Fiscoólico e publicadas por mera portaria tem funcionado como uma verdadeira sobretaxa. Basta um aumento das taxas de retenção na fonte do IRS para que as receitas fiscais sejam empoladas e fiquem acima do previsto.
O problema é que em 2016 estes montantes terão de ser reembolsados e deduzidos do suposto excedente de receitas fiscais, o mesmo sucedendo com os reembolsos não processados. Esperemos que Paulo Portas, Paulo Núncio e Maria Luís Albuquerque andem pelo país em Maio de 2016 pois terão de vir explicar aos portugueses a fraude que montaram numa jogada manhosa para ganhar votos.

Nunca na história do ministério das Finanças foi montada uma mentira de tão grande dimensão.

terça-feira, 25 de agosto de 2015

Claro que o Governo anda a ignorar esta luta dos policias, que se prevê possa causar moléstias às pretensões eleitorais, mas estamos convencidos, que mais ou menos decoro e vergonha o Governo dá volta à situação e pode contar com o apoio das forças de segurança. E não seria a primeira vez


Claro que o Governo anda a ignorar esta luta dos policias, que se prevê possa causar moléstias às pretensões eleitorais, mas estamos convencidos, que mais ou menos decoro e vergonha o Governo dá volta à situação e pode contar com o apoio das forças de segurança. E não seria a primeira vez

 A medida de protesto, diz a Associação Sindical dos Profissionais da Polícia, vai deixar os cofres do Estado com menos alguns milhões de euros. Esta segunda-feira foi o primeiro dia de contestação e os polícias que puderam levaram o apelo à prática

A medida de protesto, diz a Associação Sindical dos Profissionais da Polícia, vai deixar os cofres do Estado com menos alguns milhões de euros. Esta segunda-feira foi o primeiro dia de contestação e os polícias que puderam levaram o apelo à prática

 O protesto dos polícias que consiste em evitar passar multas começou esta segunda-feira com uma “forte adesão”, disse à Lusa o dirigente de uma das associações envolvidas, sem contudo avançar com números.

 Paulo Rodrigues, dirigente da Associação Sindical dos Profissionais da Polícia (ASPP/PSP), explicou à Lusa que não sendo possível traduzir em números, a informação que chegou de todos as secretarias nacionais (em todos os comandos do país) foi a de que a adesão foi muito grande. A ideia da ação de protesto, chamada de “100% Prevenção” foi “muito bem aceite” pelos polícias, que a consideraram “oportuna e que permite a participação de cada um”.
E esta segunda-feira os que puderam levaram o apelo à prática, disse Paulo Rodrigues. Com esta medida, de um mês, os polícias vão abster-se de passar multas, o que deixará os cofres do Estado com menos alguns milhões de euros.

Além dela, os polícias, convocados pela ASPP/PSP mas também pelo Sindicato dos Profissionais da Polícia (SPP/PSP), Sindicato Independente dos Agentes da Polícia (SIAP) e Sindicato Vertical de Carreiras da Polícia (SVCP), têm agendadas para setembro várias manifestações por todo o país, não excluindo o responsável que se faça uma grande manifestação nacional.

Na base destes protestos está a não aprovação pelo Governo das alterações ao estatuto profissional, que já foram discutidas e aprovadas entre as associações e a ministra da Administração Interna. Anabela Rodrigues já disse que o processo estará terminado até ao fim do mês, pelo que deverá ser aprovado no próximo Conselho de Ministros, o último de agosto.

"Espero que seja aprovado a 27, e se for cancelamos as ações", disse Paulo Rodrigues. Mas acrescentou: "O processo começou há quatro anos, em fevereiro começámos a negociação efetiva e todo o processo terminou em meados de junho, quando nos foi garantido que seria aprovado em julho".

Conta o responsável que depois se esperou que fosse aprovado a 13 de agosto, o que também não aconteceu, pelo que os polícias marcaram as ações que agora começam, muitas delas em plena campanha eleitoral para as eleições de outubro. É que já a partir da próxima semana vão começar a surgir protestos, todas as semanas e até ao fim do mês, que podem ser manifestações, vigílias ou outro tipo de iniciativa. Paulo Rodrigues não volta as costas a uma "grande manifestação".
Quatro associações socioprofissionais da GNR, por motivos idênticos, anunciaram hoje manifestações ao longo do próximo mês, que terminarão com uma grande manifestação nacional no último dia de campanha eleitoral, a 02 de Outubro. Paulo Rodrigues diz que não foram discutidas manifestações em conjunto, mas não nega que possam acontecer.

sábado, 22 de agosto de 2015

Ainda os ecos da festa do Pontal em que a direita confirmou o casamento dos lideres da sua Coligação. Só resta saber quem vestiu a saia rodada para apimentar a chegada do seu amor?



Vesti a saia rodada 
P'r' apimentar a chegada
Do meu amor 
No mural postei as bodas 
Rezei nas capelas todas 
Pelo meu amor 

Vem lá de longe da cidade e tem 
Os olhos rasos de saudade em mim 
E eu mando-lhe beijos e recados em retratos meus 

Pensa em casar no fim do verão que vem 
Antes pudesse o verão não mais ter fim 
Que eu estou tão nervosa com esta coisa do casar Meu Deus 

Vesti a saia rodada 
P'r' apimentar a chegada
Do meu amor 
No mural postei as bodas 
Rezei nas capelas todas 
Pelo meu amor 

Por tantas vezes pensei eu também 
Sair daqui atrás dos braços seus 
De cabeça ao vento e a duvidar o que faz ele por lá 
São os ciúmes que a saudade tem 
E se aos ciúmes eu já disse adeus 
Hoje mato inteiras as saudades que o rapaz me dá  

quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Esta Europa que anda muito longe de nos satisfazer agradavelmente. O nosso cronista Dom Payo Peres Correia diz de sua justiça e anda muito aborrecido com o que vê à sua volta.

Esta Europa que anda muito longe de nos satisfazer agradavelmente.
O nosso cronista Dom Payo Peres Correia diz de sua justiça e anda muito aborrecido com o que vê à sua volta.


ACHO QUE A POLITICA ESTÁ A ABORRECER O PESSOAL

 A situação actual dos países europeus está a deteriorar-se. Esta Europa que se orgulhava de possuir uma indústria capaz de dar trabalho à maioria dos trabalhadores. Digo trabalhadores de todos os escalões. Aqueles que vendiam a mão-de-obra aos que vendiam a investigação, o conhecimento.

 Esta Europa já praticamente não existe, porque a globalização acabou com ela. Hoje fazem-se as coisas longe da Europa utilizando a mão-de-obra e até a investigação nos países que pagam menos pelo mesmo. Se você quiser ter uma ideia mais perfeita vá a um grande armazém multinacional e veja onde foram fabricados os artigos.

Vá ao IKEA e encontra as loiças da Turquia, os tecidos da India, as cadeiras da China – tudo é feito fora da Europa. Veja onde são fabricados os televisores os telemóveis, os relógios, os telefones, os pequenos eletrodomésticos, as máquinas fotográficas, tudo.

 Com esta política seguida pelas “cabecinhas pensadoras “ que estão a dirigir os destinos da Europa, de certeza que estamos a cavar a nossa própria sepultura, sem se dar por isso. Grandes intelectuais como é (foi) o mestre Durão Barroso ou o equilibrista Junker,só para dar dois exemplos, levarão esta Europa ao desastre.

 Com o apagar das democracias e a entrega dos destinos destes povos a pessoas com uma capacidade de visão algo deteriorada, não me admira que um dia destes as pessoas se cansem de serem usadas e acabem dando fogo às instituições que não representam coisa nenhuma a não ser os interesses da finança mundial.
Querem melhor exemplo que o da Grécia e da Alemanha? Talvez vocês nem saibam mas quem está a ganhar com os empréstimos é a Alemanha e quem vai para o buraco é a Grécia. Chegaram ao ponto de emprestar dinheiro para que os juros lhes sejam pagos e depois vão-lhes comprar a preço da uva mijona tudo o que dê lucro.

 Aliás como se fez cá na terra. Tudo o que dava lucro foi vendido. Até o oceanário! E se o pessoal continua a achar bem…e a votar neles, acontece que ficaremos escravos dos que o Hitler achava ser o povo eleito.

 E depois digam que não vos avisei.

Ass) Dom Payo Peres Correia
Algures por aí em 2015. Agosto. 20

quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Todos aqueles que se quiserem divertir aproveitem este cartaz

Sejam criativos

Criem frases tais como esta: "este é o maior mentiroso que tudo promete e nada dá. Antes pelo contrário"!

terça-feira, 18 de agosto de 2015

Ainda os ecos da união de facto do Pontal. O Paulinho já era irrevogavel e agora arma-se em "inequívoco". Que desgrala a deste povo com estes artistas de vender ilusões

Ainda os ecos da união de facto do Pontal. 
O Paulinho já era irrevogavel e agora arma-se em "inequívoco". 
Que desgraça a deste povo com estes artistas de vender ilusões

Paulo Portas e Pedro Passos Coelho: chama-lhe tu primeiro antes que te chamem a ti

O casal que na semana passada se deslocou à Quarteira conduzido pelo padrinho Marco Antonio Costa, essa referência ética, oficializou, depois do irrevogável arrufo, o matrimónio que já une o partido de Sá Carneiro com o que enxotou o fundador, Freitas do Amaral, na presença de 3.500 testemunhas comprometidas e interessadas a ulular de contentamento.

 Paulo Portas acusou o PS de ter um projecto para pôr em risco, nada disfarçado, a sustentabilidade da Segurança Social, através de um convite disfarçado à privatização, ‘acuso-o primeiro para não ser ele a acusar-nos’.

Pedro Passos Coelho foi o arauto da defesa das famílias, da classe média e dos reformados, aqueles que o Governo, onde casta e inocentemente esteve, mais castigou. A vida em comum obrou um estranho mimetismo em que já não se distingue quem é o inteligente e quem comprou a rifa que Miguel Relvas, Marco António Costa e Paulo Júlio viciaram para lhe entregar o lugar de Primeiro ministro.

Os militantes e avençados extasiaram-se  com os dois. São o abono de família de farta clientela. Pedro Passos CoelhoC alertou para o aventureirismo de uma das oposições – o PS –, e, quem fez do país laboratório político e dos portugueses cobaias, quem passou além da troika, ameaçou com voz canora “se o resultado não for inequívoco o próximo Governo será cheio de problemas”, na esperança de dizer uma verdade que redundasse em seu favor.

 Nos ares, um drone filmava a festa de quem se divertiu à custa do povo, durante mais de quatro anos, de quem se vingou do 25 de Abril e da descolonização, e teve a conivência de um PR que trocou a dignidade do cargo pela submissão ao casal que no Algarve foi filmado entre cúmplices e carne assada na esperança de atraiçoar de novo o País que deixou no osso

E assim segue ufana e orgulhosa esta pleiada de artistas do espectaculo de vender ilusões a este povo tão maltratado por aqueles que agora lhes pede para lhes entregar o seu vioto. O voto da desilusão, da desgraça e da miséria. Assim Seja!

segunda-feira, 17 de agosto de 2015

Tempos rascas. Que se espelham especialmente nos politicos que têm uma palavra neste país e naqueles, que vivendo do futebo,l nunca saíram de uma miseravel iletracia.

Tempos rascas

No futebol como na política vivemos tempos rascas, aquilo que em tempos seria um escândalo e levaria à vergonha pública de políticos e treinadores da bola parece ser hoje um padrão de comportamentos, vale tudo.

 Um conhecido e desbocado treinador que descobriu as suas capacidades técnicas e intelectuais aos 60 anos cospe agora na mão que lhe deu de comer, não hesita em recorrer a todos os truques para ganhar um jogo de importância secundária, se no futebol a ética era coisa rara, agora nem os marqueses parecem respeitá-la, logo eles que são modelos dos bons princípios.

 Na política sucede o mesmo, o governo cria uma realidade virtual e contam-se pelos dedos os comentadores ou jornalistas que denunciam a situação, o jogo sujo inventa crescimento e contas equilibradas, reembolsos da sobretaxa e elimina o desemprego.

Tudo vale para apagar as responsabilidades e os erros do passado, numa tentativa de ganhar uma segunda oportunidade para os cometer. Ainda é cedo para sabermos como vai acabar o campeonato ainda que não seja difícil de prever pois são demasiadas jornadas para sobreviver.

Já na política e depois de um árbitro rasca a apitar durante quatro anos, resta-nos esperar que não ganhe o jogo sujo de Cavaco, Passos e Portas.

Os trapalhões da bola até têm alguma graça, a malandragem da política já não nos dá vontade de rir, ainda que os discursos estejam ao nível das conferências de imprensa da bola.

sábado, 15 de agosto de 2015

Deste Governo só saem boas noticias, com forte cheiro a campanha eleitoral. Até um minimo crescimento de 0.4 do PIB erntre Abril e Junho dá para embandeirar em arco. Francamente


Deste Governo só saem boas noticias, com forte cheiro a campanha eleitoral.
Até um minimo crescimento de 0.4 do PIB  erntre Abril e Junho dá para embandeirar em arco. 
Francamente

A propaganda do Governo recebeu hoje do INE um presente para distribuir pelos fanáticos do “pensamento positivo” que melhor os mantenha a leste da realidade. O PIB português cresceu 0,4% entre Abril e Junho. 

É muito ou é pouco? Há sempre um especialista em décimas para dar corda ao clássico que usam para nos fazerem de tolinhos segundo o qual 0,4 é mais do que 0,3, 0,3 é mais do que 0,2 e 0,2 é mais do que 0,1, do que 0, do que qualquer variação negativa. Impossível não estar de acordo. 

Tal como é impossível discordar que 0,4% é metade de 0,8%. E 0,8% foi o que a economia grega cresceu entre Abril e Junho, isto é, que mesmo sem condições para Governar e mesmo com toda a instabilidade imposta pelo império alemão, a economia grega aproveitou melhor do que a economia portuguesa a conjuntura de euro em depreciação face ao dólar e preços do petróleo em queda. 
Sejamos honestos, porque esta imagem acontece no Brasil o nosso grande país irmão. Paradoxo é que quase todos os brasileiros que residiam em Portugal voltaram  para o Brasil dada a miséria que em Portugal se vivia. Falem-me entao dos 0.4 de crescimento do PIB

Recuperando a questão inicial, se 0,4 é muito ou é pouco, ignorando a quebra de 2,1% na produção industrial, o agravamento da balança comercial no período e que o investimento continua em mínimos que não cobrem sequer as amortizações, a questão pode responder-se recordando que qualquer aumento da riqueza gerada pela nossa economia abaixo dos 3 e tal por cento a que se remuneram os nossos credores tem como significado que a nossa dívida continua a aumentar pelo valor da diferença. 

A resposta é, pois, que entre Abril e Junho o euro continuou a enegrecer-nos o presente e a roubar-nos o futuro com as regras que as suas claques laranja e rosa nunca ousarão questionar. 

Os cortes ajudam a crescer a dívida, a dívida dá-lhes argumentos para continuarem a cortar. 0,4% de crescimento trimestral do PIB é mais uma excelente noticia.

quinta-feira, 13 de agosto de 2015

A maioria dos jogadores do Benfica virou as costas ao antigo treinador

A maioria dos jogadores do Benfica virou as costas ao antigo treinador

J.J. "O desbocado incorrigível"

Comitiva encarnada não gostou das declarações de Jorge Jesus e da altercação com Jonas. 

O brasileiro pediu "respeito" junto ao autocarro dos leões. Jonas pediu "respeito" a Jorge Jesus no final da Supertaça, mas não foi só o avançado do Benfica que não gostou de algumas atitudes do ex-treinador dos encarnados, antes, durante e depois da vitória do Sporting no primeiro dérbi da temporada. 

Segundo informações recolhidas pelo DN, foram vários os jogadores que viraram as costas ao antigo treinador já depois do fim do encontro no Algarve. 

"O discurso durante a semana não agradou. Já todos sabiam o perfil de Jorge Jesus, mas alguns privaram de perto com ele durante seis anos e não esperavam isto", disse fonte do clube encarnado ao DN, abordando depois os acontecimentos no estádio do Algarve. 

"Mal acabou o jogo não se percebeu se Jesus estava a fazer o gesto de "v" de vitória para o banco do Benfica ou para a bancada por detrás, depois foi a altercação com Jonas e finalmente na entrega das medalhas ao Benfica alguns não gostaram da forma como o treinador estava, de braços cruzados, a olhar com ar de gozo", revelou a mesma fonte.

quarta-feira, 12 de agosto de 2015

Portugal vai ter as suas eleições legislativas 2015. Portugal é um país de brandos costumes que se exacerbam nos períodos pré eleitorais. Claro que a culpa é dos politicos, mas não deixem de fora grande parte da nossa comunicação social adepta de quem lhe dá uns tachinhos. Seja como for esta não é a minha campanha eleitoral e nem será até Outubro


Portugal vai ter as suas eleições legislativas 2015. 
Portugal é um país de brandos costumes que se exacerbam nos períodos pré eleitorais. 
Claro que a culpa é dos politicos, mas não deixam de ser em grande parte da nossa comunicação social adepta de quem lhe dá uns tachinhos. 
Seja como for esta não é a minha campanha eleitoral e nem será até Outubro

Esta não é a minha campanha.

Discutir cartazes para iludir a tragédia do desemprego é o talento da central de intoxicação da direita, da pior direita imaginável, que o pior PR do regime democrático ungiu. Há quem veja nas ondas apenas a espuma e ignore a dimensão do mar e a influência dos ventos.

Há quem viva para explorar aparências e ocultar a realidade, quem espalhe ruído para não deixar ouvir a música, quem faça o mal e a caramunha. A canibalização do espaço mediático e a infiltração de peritos de contrainformação nas redes sociais por quem malbaratou o que restava do País, impede o contraditório e faz da campanha eleitoral uma cerrada oposição às oposições, na razão direta do perigo que cada partido representa para esta maioria que confiscou o PSD, o Governo e o PR. 
Esforçaram-se por inviabilizar a alternativa política e, com a destruição do Estado, já se preparam para impedir a mera alternância partidária e assegurar a impunidade. As eleições de outubro vão julgar este Governo e o PR, mas já não conseguem devolver a esperança aos portugueses, invadidos pelo desânimo e tolhidos pelo medo.

 O futuro que nos espera, independentemente de quem formar o governo precário que se adivinha, não é ridente, mas cabe-nos punir nas urnas este Governo, esta maioria e o PR que esteve ao seu serviço, de um lado, os que seguem o adágio “quem não se sente não é filho de boa gente”, do outro, os que refocilam no ‘pote’, com os que criaram empatia pelos algozes, vítimas do síndrome de Estocolmo.
Cumpramos o nosso dever. A herança é péssima, salvemos o amor-próprio e unamo-nos num projeto patriótico que nos devolva um módico de esperança no futuro colectivo

Contribuições avulsas para mostrar idiotices...

Só gostava de saber quem foi o idiota aparvalhado que teve esta tirada de mau gosto. Desta maneira evitarei de olhar para os futuros cartazes que venham a ser colados nos paineis publiciários pagos a peso de ouro.



E este cartaz da coligação de direita serve-se de uma imagem nada condizente com a nossa realidade


Também não gosto da mensagem grafitiana sem imagens aqui em baixo. Deploravel porque é uma atitude anónima. Podem não gostar deles e desejar o pior que lhes aconteça. Mas assinem por favor.
Casa da Cerca. Almada. Agosto 2015


segunda-feira, 10 de agosto de 2015

Ensaio sobre a cegueira esvaziando-se numa candidatura a deputado. Está em causa as justificações daqueles que pretendem mascarar a pretensão de Paulo Portas em usufruir de debates como se de um lider partidário se tratasse em vez de estar diluido numa coligação direitista

Será a candidatura de Paulo Portas uma fraude eleitoral?

A candidatura de Paulo Portas

Há dois tipos de explicações para o facto de Paulo Portas pretender participar nos debates eleitorais, as séria e as pouco sérias. O problema é que em Paulo Portas não há uma linha que divida a seriedade da falta dela, aliás, a começar na famosa linha vermelha em Paulo Portas não há linha que separe o que quer que seja.

A primeira explicação óbvia é a de que nesta exigência de Paulo Portas há uma estratégia combinada com Passos Coelho em que o líder do CDS aceita armar-se em parvo para que no mês de Agosto se esgote na ausência de debate. Paulo Portas paga o preço de lhe ter sido dado um grupo parlamentar muito superior ao que alguma vez poderia ter à custa do desemprego dos candidatos a deputado do PSD

Um dos aspectos mais perversos da coligação da direita é salvar o CDS de uma redução à sua verdadeira expressão eleitoral. Ao garantir o estatuto de Verdes da direita o CDS tem deputados que não representam os eleitores e um líder que há custa de golpes, uns mais baixos do que outros, vai evitado o enterro de alguém que há muito é um cadáver da política portuguesa e que só a bandalhice nacional permitiu a sua sobrevivência depois do muito estranho negócio dos submarinos, para não referir outras coisas do seu passado, como a passagem pela Universidade Moderna.
 Paulo Portas é uma fraude da política portuguesa, um politico oportunista que tem sobrevivido graças a um cinismo e oportunismos extremos, alguém que não hesita em faltar à sua palavra desde que a possa vender a bom preço. Debater com Paulo Portas atribuindo-lhe um estatuto de líder de um grande partido ou de candidato a primeiro-ministro é gozar com o país e com os eleitores.

Paulo Portas é uma fraude, um cadáver à espera de ser enterrado e com os cadáveres da política não se debatem ideias ou programas de governo, fazem-se enterros e contratam-se carpideiras para chorarem em sua memórias, isso se velhas deputadas do CDS como a Manuela Moura Guedes e outras senhoras não estiverem dispostas a fazer o serviço de boa vontade e a título gracioso

Bancada Directa / O Jumento

domingo, 9 de agosto de 2015

Vivemos no Portugal dos Pequeninos. Mas a populaça lusitana tem de saber distinguir entre o PAF e o PDT. Pelo menos as mentiras, as tretas e as manipulações dos números assim o exigem.....



PAF ou PDT

Pela forma como trata o país a coligação da direita escolheu a sigla errada, em vez de PAF - Portugal à Frente, devia designar-se PDT - Portugal da Treta, tantas são as mentiras e manipulações da realidade, a treta é tanta que só falta dizerem-nos que com a austeridade brutal Portugal criou emprego acima do que que se passava no passado ou que os portugueses têm agora maiores rendimentos e melhores cuidados de saúde.

A política defendida por Vítor Gaspar e apoiada por Passos Coelho e que foi continuada com menos competência por Maria Luís Albuquerque não passava por uma aposta no crescimento, mas sim numa cura de austeridade que mataria empresas consideradas inúteis, que reequilibraria o mercado de trabalho pela emigração dos excedentes em vez da criação de emprego e que atrairia investimento.

A verdade é que a experiência levada a cabo por Vítor Gaspar inspirada num livro de economia assente em dados numéricos errados falhou. Durante toda a legislatura não se realizou um único investimento digno de nota e todos os indicadores de suc esso invocados pelo governo não podem ser atribuídos às suas políticas ou resultanm de tendências anteriores a este governo, como é o caso das exportações ou do turismo.
Este governo falhou, a poda drástica da economia que levou a cabo matou a árvores e a desgraça só não é maior porque as intervenções do BCE têm permitido o financiamento externo do Estado, uma intervenção contra a qual se manifestou o governo desde o primeiro momento em que tal solução foi proposta.

A verdade é que a notação da dívida é a mesma do início da crise, a dívida soberana está acima do que alguma vez foi previsto e o défice público está longe dos níveis desejáveis. O país está hoje mai fraco do que alguma vez esteve e desperdiçou o recurso em que mais havia investidos, os quadros altamente qualificados que gente como Miguel Relvas convidou a emigrar.

Mais grave do que o governo andar a inventar um país assente em estatísticas manipuladas é o falhanço de uma economia que deixou um rasto de miséria. Tudo por nada pois o país está pior.

sexta-feira, 7 de agosto de 2015

No Portugal PAF é tudo uma maravilha. O que é uma realidade virtual e enganosa. Logo os seus mentores são uns aldrabões

No Portugal Paf 

Neste novo Portugal criado por Paulo portas, com a ajuda de manipuladores de estatística vindo do CDS (a santinha da Horta Seca, o Núncio Fiscoólico e o Lambretas), o Portugal Paf, há uma realidade indesmentível, o país caminha para o paraíso, um país sem desempregados, sem doentes, sem empresas públicas deficitárias. 

 Os doentes são cada vez menos, os que se dirigem ao hospitais públicos e conseguem ser atendidos estão confortavelmente deitados em macas com grades para não caírem e longe dos olhos das máquinas fotográficas dos poucos jornalistas que se dedicam à realidade que fica para além do Portugal Paf. 

Mas os doentes são cada vez menos, muitos desistiram de se tratar e outros receiam que lhes suceda o que sucedeu a muitos no Natal passado. Neste Portugal Paf não há desempregados, os mais qualificados partiram, dos que ficaram muitos desistiram, alguns trabalham sem segurança e sem descontos no paralelo, os que insistem em incomodar os serviços de emprego vão para estágios, curos e outros passatempos estatísticos. 
O Portugal Paf caminha para o pleno emprego sem crescimento e sem investimento. No Portugal PAF os bancos não são nacionalizados, em vez disso são “resolvidos” sem custos para os contribuintes, desaparecem no Verão para depois a sua parte boa ser vendida a preço de saldo novamente no Verão, para não incomodar os contribuintes com contas que não lhes dizem respeito. 

No Portugal Paf os portugueses não são incomodados, não souberam mais das vítimas da legionela nem das causas da propagação da doença, não fazem a mais pequena ideia quantos milhões foram mandados para o tribunal a fim de dar a sensação de que o Novo Banco é bem, vendido.

 É um Portugal onde tudo funciona bem excepto quando a incompetência dos funcionários públicos interfere com a competência dos governante, como sucedeu com as urgências dos hospitais, com o fisco, com o Citius ou com os vistos dourados.

quinta-feira, 6 de agosto de 2015

Para se venderem empresas há uma pressa dos diabos, mas para resolver os prejuizos dos depositantes espoliados do BES a indiferença assentou arraiais


Aconteceu numa noite de Verão

Foi numa noite de Verão que o país ficou a saber que o Grupo BES tinha sido destruído em nome de um processo a que designaram por resolução, pelas forma como a coia nos foi contada não havia alternativa e os contribuintes eram uns felizardos pois seriam os bancos a suportar o custo da brincadeira, para o que existia um fundo que era financiado com dinheiro que nos tinha sido emprestado pela Troika para ajudar a banca.

 Todos ficámos descansados e no dia seguinte muito boa gente deu um mergulho na praia e esqueceu o assunto. Poucos estaríamos interessados em saber se o Ricciardi teria tido o apoio de Passos Coelho se tivesse conseguido derrubar o Ricardo Salgado ou se não teria havido outra solução mais vantajosa para a economia portuguesa.

Se o problema era da família mais detestada do país então “os brancos que se entendam” e como nos garantiam que os contribuintes não seriam lesados porque motivos teríamos de nos preocupar. Hoje ninguém sabe muito bem o que está no banco bom, o que está no bano mau ou o que não está em lado nenhum.
Nenhum jornalista está muito interessado em saber por que razão houve tanta pressa em vender a TAP e agora não há pressa nenhuma em vender o Novo Banco. Pior ainda, ninguém sabe quantos milhares de milhões varridos para a burocracia dos tribunais terão de vir a ser suportados pelos contribuintes.

 O governo tem vindo a construir uma realidade virtual para o período eleitoral e é cada vez mais evidente que o BES deve ser eliminado dessa imensa patranhice com que Paulo Portas, Passos Coelho e Carlos Costa estão tentando ludibriar os portugueses

terça-feira, 4 de agosto de 2015

Deste politico já tudo se espera. Concorre coligado com outro partido, mas quer tratamento mediatico como se concorresse sozinho


Paulo Portas quer "sol na eira e chuva no nabal" 

Daniel Oliveira tece duras críticas à possibilidade de Paulo Portas ir sozinho aos debates televisivos, uma vez que faz parte de uma coligação. Daniel Oliveira fez na passada  quarta-feira referência, no seu espaço de opinião no Expresso, à temática dos debates televisivos, indicando que “a dificuldade em definir regras que não sejam alteradas ao sabor das conveniências de cada um” é “um velho problema português”.

 “Aquilo que eu defendo há muito é um debate entre os líderes das candidaturas com mais fortes possibilidades de vencerem, segundo as sondagens, um ou mais debates entre as candidaturas que incluem partidos com assento parlamentar, e uma entrevista (…) com cada partido que autonomamente se candidata e não tem assento parlamentar”, escreveu o comentador. Daniel Oliveira defende que “a exigência de total igualdade (…) é impossível”, sublinhando que “resultaria no que tivemos nas últimas campanhas: debates nenhuns”.

Sobre as alegações de que Paulo Portas possa participar num debate de forma autónoma, mesmo estando o CDS a concorrer coligado, Daniel Oliveira é peremptório: “Não consigo compreender como é que esta possibilidade está sequer em cima da mesa”, indica, acrescentando que “se vingasse seria arbitrária e irracional”. “(…)

Decidiram concorrer juntos. Mas nos debates querem as vantagens de quem concorre separado. Querem que as regras que sempre vigoraram sejam alteradas para terem as vantagens de ir sozinho e as vantagens de ir em separado.

Querem sol na eira e chuva no nabal”, atira.

segunda-feira, 3 de agosto de 2015

Fernando Alves, mais conhecido pelo "Emplastro". Exemplo triste de quem tem pouco juizo. Mas na berra já anda por aí um sósia. Mas este tem juizo e é especialista em enganar os velhotes.

Exemplo de uma tacanhez mesquinha.

Mas vem por aí outro exemplo de tacanhez intelectual

Particularidades selectivas de curriculos profissionais para se arranjar um tachinho.

Comentários para quê?

Clicar na imagem para aumentar.

domingo, 2 de agosto de 2015

Vem, vem meu amigo. Estou cá sempre à tua espera nesta praia. Normalmente o meu dono tem-me arrecadado numa palhota ali para os lados da Praia dos Três Pauzinhos. Nesta altura pôe-me à espera dos meus amigos a uns 8 Kms a oeste de Monte Gordo


Por favor não tragas o emplastro contigo.....

Bom Domingo e que amanhã iniciem uma boa semana de trabalho. Se estiverem de férias tanto melhor......

Até amanhã e boa sorte

Esta moçoila chama-se Sidney Maler e o texto seguinte retirei-o de "A Bola"

.....Ronaldo fez Sydney Maler torcer pelo Real Madrid 

A carreira de Sydney Maler começou em 2012. Desde então que se tem assumido como uma das manequins californianas mas reconhecidas nos EUA. 

Dela dizem ter uma beleza inocente, mas uma figura fantástica sempre que aparece em qualquer câmara fotográfica. 

Um inegável talento que Sydney fez questão de mediatizar (ainda) mais declarando-se como uma das mais apaixonadas adeptas do... Real Madrid. Uma paixão que se iniciou aquando da chegada de... Cristiano Ronaldo a Madrid. 

Ela que deseja ver a equipa de Rafa Benitez campeã no final da presente temporada. Sydney Maler pode ser uma importante fonte de inspiração...

Nota de Bancada Directa: antes estar hoje a pensar na Sidney Maler do que no liar, liar compulsivo Passos e no seu colega dos submarinos agora promovido "a seu emplastro"..

sábado, 1 de agosto de 2015

Ai Diogo, Diogo. Todos têm direito a ter opinião personalizada, mas renegar os ideais que te permitem viver em liberdade não me parece lá muito bem

Cabo dos Forcados Amadores de Santarém, momentos antes de receber a medalha de Grau de Membro Honorário da Ordem de Mérito atribuida por este Presidente da Republica

Eu bem sei que a condecoração não foi para ti, mas para  o teu Grupo.

Mas não te esqueças que as tuas opiniões tomam mais visibilidade por seres  o seu lider.

E francamente não gostei nada do teu desejo. De certeza que já te esquecestes das vantagens que a Revolução dos Cravos te trouxe.

Obrigado Pela Sua Visita !