BANCADA DIRECTA: Agosto 2013

sábado, 31 de agosto de 2013

Padre abandona Igreja para assumir relação e paternidade. Quando a ficção se confunde com a realidade. No Brasil foi a realidade. Em Portugal, no mesmo dia, a série “Bem-vindos a Beirais” versava o mesmo tema: o padre Luís apaixonou-se pela Marina e foi correspondido

Padre abandona Igreja para assumir relação e paternidade. 
Quando a ficção se confunde com a realidade. 
No Brasil foi a realidade. 
Em Portugal, no mesmo dia, a série “Bem-vindos a Beirais” versava o mesmo tema: o padre Luís apaixonou-se pela Marina e foi correspondido. Duas cervejolas aproximaram-nos.
Por cá 5 chumbos do Tribunal Constitucional a Leis do Governo afastam Passos Coelho da triste realidade deste país.

 Durante a missa, um padre do interior da Bahia, Brasil, anunciou ir abandonar o sacerdócio católico. Em nome do amor, confessou manter uma relação com uma jovem, grávida de três meses. Os fiéis da paróquia brasileira de Nossa Senhora da Conceição, no interior da Bahia, foram surpreendidos por um anúncio inesperado, no passado domingo. 

Em qualquer das missas que celebrou (três no total), o padre Gerônimo Moreira deu conta da sua intenção de abandonar a vida religiosa, para assumir, de uma assentada, uma relação amorosa com uma jovem e o filho que ambos esperam. Foi uma decisão difícil, confessou na carta que leu, em jeito de comunicado. Mas, encarando a comunidade católica com lágrimas nos olhos, comovido, o padre Gerônimo explicou como o amor chegou à sua vida, depois de conhecer, em 2007, Emília Carneiro, com quem se acabou por envolver.  

Ao invés da reação de desagrado, que o casal temeu, os católicos presentes na igreja choraram com ele. Uma história com um final feliz, a que nem faltará o casamento religioso, se tudo correr como o previsto. O padre, de 32 anos, publicou a carta também na sua página no Facebook. Aí explica como tornar-se padre foi "uma atitude de fé", "uma decisão livre" e consciente. "Tinha consciência que para ser padre era necessário renunciar a vida familiar e viver o celibato. 

O que procurei fazer durante este tempo, mesmo diante de todas as dificuldades", escreve Gerônimo Moreira. "Cometi um pecado e não um crime" Ao jornal "O Globo" contou também como conheceu Emília, hoje com 23 anos, num encontro de jovens, quando era ainda seminarista. "Sempre tive um grande carinho por ela e a nossa amizade foi cada vez mais crescendo e se fortalecendo", recorda na carta, ainda que a intenção sempre tenha sido a de deixar a Igreja antes de assumir qualquer envolvimento "para não escandalizar a comunidade". 















Nuno Janeiro e Carla Chambel dão vida às personagens do Padre Luís e de Marina na série "Bem-vindos a Beirais". O estereotipo destas personagens no episódio de ontem não foi bem aproveitado. Faltou cenas de contacto que substituiriam diálogos.

Talvez o calor da paixão lhe tenha trocado as voltas, mas perante a gravidez descoberta em maio, Gerônimo quis assumir uma nova vida. "Quero lembrar que cometi um pecado e não um crime", escreve, para garantir que continuará a viver "todos os valores da fé cristã, agora na família, ajudando a Igreja naquilo que for possível". Estudante de letras, Emília cantava na igreja e nunca ninguém parece ter desconfiado da proximidade entre os dois. 

Enquanto não consegue voltar à faculdade, para estudar engenharia, o antigo padre recupera uma casa de um irmão, onde o casal vai viver, inicialmente, e por opção, mantendo-se mais afastado da comunidade. As mensagens de apoio nas redes sociais não se fizeram esperar. Como esta: "Casal lindo. Rezo para que agora acerte na vocação".


A situação do Padre Geronimo já corre mundo. Clicar aqui

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Siria. Uma janela aberta para um conflito internacional inimaginável e do qual todos vão perder. Se se confirmar que foi o regime de Bashar que lançou o ataque com armas químicas contra civis, não há qualquer duvida de que foi um acto premeditado para alargar o conflito a vários interesses de outros países.

Siria. 
Uma janela aberta para um conflito internacional inimaginável e do qual todos vão perder. 
Se se confirmar que foi o regime de Bashar que lançou o ataque com armas químicas contra civis, não há qualquer duvida de que foi um acto premeditado para alargar o conflito.
Parece mais do que certo de que foi Damasco que libertou o gás sarin sobre a população civil. Tudo aponta para que os inspectores da ONU cheguem a esta conclusão. E se este facto for verdade é inegável que o regime de Bashar quer internacionalizar o conflito com o intuito de o resolver o mais depressa possível.. Concluimos que Damasco usou o gás sarin para facilitar a invasão do país P

Parece que o mundo livre e o seu comandante, os EUA, já decidiram invadir a Síria. Diz o vice-presidente Kerry e diz David Cameron que só falta saber a hora e como. Estava anunciado há muito que, se o regime sírio usasse armas químicas contra os rebeldes, os EUA não tinham outro remédio senão intervir militarmente, derrubar, o actual governo, em defesa dos da liberdade e da democracia. 

O governo de Damasco, sabendo isto, e estando desde há meses na mó de cima na luta contra os insurgentes sírios, decidiu por razões de estratégia interna, atacar um bairro dos arredores da capital com gás sarin e assassinar indiscriminadamente 1300 civis, incluído muitas crianças. 

Os Estados Unidos manifestaram a necessidade de intervir militarmente na Siria mesmno sem a concordancia da ONU. Em principio contavam com o apoio da Inglaterra e da França. Ontem o Parlamento britanico chumbou o pedido de autorização solicitado por Dasvid Cameron. 


Talvez por isso há um ligeiro adiamento para a decisão final por parte de Barack Obama 


Aguardam-se novos episódios. A ver vamos, como dizia o cego..

Este Governo gosta de desafiar as inconstitucionalidades. E soma derrotas após derotas. Agora foi a vez da Lei da Requalificação dos funcionários publicos ser chumbada pelo TC. (Diploma 177º/XXII.Parlamento)

Este Governo gosta de desafiar as inconstitucionalidades. 
E soma derrotas após derrotas. 
Agora foi a vez da Lei da Requalificação dos funcionários públicos ser chumbada pelo TC. (Diploma 177º/XXII.Parlamento) 

 O Tribunal Constitucional (TC) chumbou o novo regime que criava o sistema de requalificação na função pública, e abria portas, pela primeira vez, ao despedimento de trabalhadores do Estado. O tribunal considerou que os motivos invocados no diploma para justificar a integração de funcionários neste regime são pouco precisos, tendo em conta o efeito “agressivo” desta lei. 

A votação feita apenas por sete juízes e não pelos 13 do colectivo, tendo o presidente do Tribunal Constitucional, Joaquim Sousa Ribeiro, citado a lei para justificar que o número reduzido se deveu a férias. Em causa está o diploma 177.º/XXII, do Parlamento, e a "fiscalização abstracta preventiva" pedida pelo Presidente da República, por dúvida em relação a duas normas. 

A proposta do Governo foi aprovada pelos partidos da maioria, a 29 de Julho. Com a nova lei, o Governo pretendia aplicar o regime de requalificação (que substitui a mobilidade especial), no qual os funcionários públicos ficam à espera de colocação durante um período máximo de 12 meses. 

Terminado este período, os trabalhadores poderiam optar por ficar em lista de espera para uma eventual colocação, mas sem receberem qualquer rendimento, ou optar pela cessação do contrato de trabalho sendo que, neste caso, teriam direito à atribuição do subsídio de desemprego. 

Esta medida é considerada pelo Governo como fundamental para a chamada reforma do Estado. Isso mesmo foi afirmado por Pedro Passos Coelho no discurso da rentrée política do PSD, no Algarve, há cerca de duas semanas. 
Vamos lá caro nosso amigo: vá receber mais instruções


De acordo com o presidente do TC, na decisão conhecida ontem estão em causa os novos motivos dados pelo Governo para justificar um processo de requalificação que pode finalizar na cessação de contratos, nomeadamente, "a racionalização das receitas do Estado, a necessidade de requalificação e, depois, o cumprimento da estratégia estabelecida" com a troika. : 


Disse o presidente do TC: "Estava em causa algo de muito mais contundente e agressivo. Sendo esse efeito tão agressivo seria necessário uma definição precisa desse processo de requalificação", disse. Assim, o tribunal “entendeu que os motivos dados pelo Governo não estavam bem esclarecidos". 

Agora, o Presidente da República tem de enviar a lei de volta para a Assembleia da República para que as normas sejam revistas.

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Mas afinal de que é que os funcionários públicos estavam à espera?

Não havia qualquer dúvida de que era limpinho, limpinho, limpinho!
O teste do algodão nunca enganou
E agora preparem-se os reformados da função pública que vem aí o corte de 10% nas pensões.
Sujinho, sujinho, sujinho!........

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Isto é que andam para aqui umas açordas de marisco. Depois de tanta diabrura pela informação da TVI alguém se lembra de retirar a Manuela do marasmo em que se encontra. A RTP encomendou à Manuela a apresentação do seu concurso “Quem quer ser milionário?” Ninguém diga que Deus é dorminhoco!

Isto é que andam para aqui umas açordas de marisco. 
Depois de tanta diabrura pela informação da TVI alguém se lembra de retirar a Manuela do marasmo em que se encontra. 
A RTP encomendou à Manuela a apresentação do seu concurso “Quem quer ser milionário?” 
Ninguém diga que Deus é dorminhoco? 


Manuela Moura Guedes vai trocar a carreira de jornalista pela de apresentadora de concursos. 
Segundo alguns órgãos da comunicação social está confirmado que M. M. Guedes vai ser a nova apresentadora do concurso Quem Quer Ser Milionário da RTP1, que deverá ter início em Setembro. 
Moura Guedes regressa assim à televisão pública, onde começou a apresentar programas de entretenimento, passando depois para a direcção de informação. Em 1995 transferiu-se para a TVI adoptando na informação um estilo polémico, que ganhou amores e ódios. 

Em 2009 acabou por pedir a demissão da TVI, depois de ver o seu espaço de informação cancelado pelos responsáveis espanhóis da administração da TVI. 

No passado dia 23 na sua página do Facebook Manuela Moura Guedes afirmou-se “proscrita” a propósito da polémica entrevista de Judite Sousa a um milionário brasileiro a viver em Portugal. “Ela [Judite de Sousa] está no activo, é directora numa estação de televisão, tem uma carreira de sucesso, eu, estou proscrita há 4 anos, desempregada.”

Bancada Directa apenas faz uma perguntinha inocente aos dirigentes da RTP que encomendaram esta apresentação do concurso: Têm a certeza absoluta de que a senhora vai corresponder às exigências da dinâmica do concurso?

“No Palco da Saudade” é a rubrica semanal de Salvador Santos e hoje recorda-nos o grande actor António Vilar. É o Teatro no Bancada Directa

In memoriam
António Vilar, de seu nome próprio António Vilar Justiniano dos Santos, nasceu em Lisboa em 13 de Outubro de 1912 e faleceu em Madrid em 16 de Agosto de 1995
Foi um um grande actor do teatro, do cinema português e internacional
“No Palco da Saudade”
Rubrica semanal de Salvador Santos
Recorda-nos hoje o grande actor António Vilar. 
É o Teatro no Bancada Directa 

No Palco da Saudade 

Texto inédito e integral de Salvador Santos 
Teatro Nacional de São João. Porto 

ANTÓNIO VILAR 
Foi um dos atores mais famosos do seu tempo, mas a sua ascensão ao estrelato levou-o primeiro a percorrer caminhos muito modestos. Depois de concluídos os estudos de liceu, iniciou-se como ator amador num grupo cénico do bairro alfacinha de Alcântara que o vira nascer dezoito anos antes. Passou depois pelo Teatro Nacional D. Maria II como figurante na peça “Romance” até que conseguiu um pequeno papel no filme “Milagre da Rainha” de António Leitão, que não chegou a estrear por motivos financeiros. 
Figurou depois no filme “A Severa” de Leitão de Barros, ao mesmo tempo que se assumia como cantor de rádio e repórter do jornal O Século. Aceitou de seguida ser assistente de realização no filme “Gado Bravo” e mudou-se depois para Espanha onde continuou a trabalhar no cinema… mas como técnico de plateau e maquilhador. Dois anos depois do início da sua primeira aventura por terras de Espanha, António Vilar regressa a Portugal e torna-se caracterizador no filme “Bocage” de Leitão de Barros. 
Duas cenas do filme "Le Femme et le Pantin" Brigitte Bardot foi a partenaire de Antonio Vilar

Regressa então aos palcos como ator na opereta “A Costureirinha da Sé”, no Teatro Sá da Bandeira do Porto, mas sem grande notoriedade. O cinema português chama-o de novo para a frente das câmaras, no desempenho de pequenos papéis em “Feitiço do Império” e “Pão Nosso”, mas a sua estreia como ator de cinema dá-se verdadeiramente com “O Pátio das Cantigas” de António Lopes Ribeiro. 

E é com este filme, no papel de Carlos Bonito, que António Vilar consegue impor-se como ator. No ano seguinte, recebe rasgados elogios da crítica pela sua prestação no filme “Amor de Perdição” e ganha o prémio de melhor ator pelo seu desempenho no filme “Camões”. 

António Vilar regressa a Espanha, desta vez como ator, assentando arraiais em Madrid, onde vive até ao fim dos seus dias. Começa por protagonizar o filme “Rua Sem Sol” de Rafael Gil, o primeiro de quarenta filmes castelhanos com os quais conquista dimensão europeia, filmando ao lado de atrizes como Brigitte Bardot, Virna Lisi, Ana Karina, Maria Félix e Odile Versóis, entre muitas outras grandes vedetas internacionais. 
António Vilar contracena com Martine Carol no filme Le Désir et L"Amour

Em Espanha, onde foi por várias vezes galardoado, destaca-se a sua participação nos filmes “La Mantilla de Beatriz”, “Reina Santa”, “Muerte al Amanecer” e “Disco Rojo”, mas os seus papéis mais marcantes no cinema espanhol foram sem sombra de dúvida os que desempenhou em “Don Juan” e “Alba América” (encarnando Cristóvão Colombo). Mas é o filme “El Judas”, onde António Vilar se desdobra em três personagens distintas (Mariano Tomé, um homem que apenas pensa no lucro, Judas e o próprio Jesus Cristo), recebido com grande sucesso no Festival de Veneza, que lhe abre as portas dos estúdios de cinema de França, Itália, Brasil e Argentina. 

Em Buenos Aires, filma “La Quintrala”, “Os Irmãos Corsos”, “Miercoles Santo” e “El Juramento de Lagardère”, que não conclui devido a uma queda. 

No Rio de Janeiro participa com êxito em “Guarany”. Em Roma protagoniza “Santo Disonore” e “Il Padrone Delle Ferriere. E em Paris integra o elenco dos filmes “Bel Amour”, “Le Désir et L’Amour” e “La Femme et Le Patin” (A Mulher e o Fantoche), no qual contracena com Brigitte Bardot quando estava no apogeu da sua fama, interpretando o rico e orgulhoso Matteo Diaz. 

 De sucesso em sucesso, António Vilar consolida a sua carreira, sendo alvo das apreciações cada vez mais acaloradas dos críticos internacionais e das mais diversas propostas para filmar em importantes estúdios cinematográficos europeus. 

Porém, isso não o impede de aceitar o convite para participar no filme “O Primo Basílio” que António Lopes Ribeiro roda nos estúdios rudimentares da Tóbis Portuguesa. Mas apesar da excelente prestação do ator e da cuidada realização, a adaptação do romance de Eça de Queirós passa despercebida e a crítica dos órgãos de comunicação social considera-a absolutamente falhada. 

Por coincidência, ou não, esta seria a derradeira longa-metragem de António Lopes Ribeiro e a última vez que António Vilar trabalha em Portugal. Espanha seria inevitavelmente o seu destino, onde era há muito considerado como um dos seus filhos. 

E por lá foi continuando a interpretar os mais importantes papéis de filmes produzidos e realizados por prestigiados nomes do cinema espanhol, francês, italiano e norte-americano. “Embaixadores do Inferno” e “Histórias de La Féria” foram as películas que mais marcaram os últimos anos da sua brilhantíssima carreira, mas o seu último filme foi “Estimado Señor Juez”, que teve estreia em simultâneo nalguns dos maiores cinemas dos mais diversos países europeus em 1978. 
Nos anos seguintes, António Vilar perseguiu o sonho de produzir, realizar e protagonizar um filme épico sobre o navegador português Fernão de Magalhães, tendo gasto quase toda a sua fortuna pessoal na pré-produção do filme quando se viu confrontado com as recusas de subsídios por parte dos governos de Portugal e de Espanha. 

Para esse efeito, António Vilar conseguiu construir a réplica de uma nau quinhentista da frota de Magalhães, que acabaria por ser oferecida à Comissão Nacional dos Descobrimentos Portugueses após a sua morte, ocorrida a 16 de agosto de 1995. Apesar de muitas propostas anteriormente feitas à Comissão de Toponímia, só nessa altura a Câmara Municipal de Lisboa deu o seu nome a uma das ruas da cidade. 

Salvador Santos

Teatro Nacional de São João. Porto
Porto. 2013. Agosto. 24

terça-feira, 27 de agosto de 2013

Bernardo Figueiredo tinha 23 anos de idade. Era bombeiro na Corporação dos Bombeiros Voluntários do Estoril. Ficou ferido no fogo florestal da Serra do Caramulo na passada quinta-feira. Morreu esta madrugada. Todos nós sentimos a sua falta.

Bernardo Figueiredo tinha 23 anos de idade. 
Era bombeiro na Corporação dos Bombeiros Voluntários do Estoril. 
Ficou ferido no fogo florestal da Serra do Caramulo na passada quinta-feira. 
Morreu esta madrugada. 
Todos nós sentimos a sua falta. 

A infausta noticia
Morreu bombeiro de 23 anos ferido no Caramulo O bombeiro Bernardo Figueiredo, de 23 anos, ferido durante o incêndio na Serra do Caramulo na passada quinta-feira, morreu esta madrugada de terça-feira. Bernardo Figueiredo estava no mesmo grupo de Rita Pereira, a bombeira de Alcabideche que também morreu no combate às chamas. 

Segundo Carlos Coelho, comandante dos Bombeiros Voluntários do Estoril, Bernardo Figueiredo não resistiu aos ferimentos e que faleceu cerca da 1 hora desta terça-feira. Bernardo Figueiredo tinha 23 anos e pertencia aos bombeiros voluntários há cerca de cinco anos, acrescentou, ainda, Carlos Coelho. 

O corpo do jovem bombeiro está no hospital de São João, no Porto, para onde foi transferido após ter ficado ferido na quinta-feira no fogo na Serra do Caramulo. Bernardo Figueiredo estava no mesmo grupo de Rita Pereira, a bombeira de Alcabideche que também morreu no combate ao incêndio. 

Dois outros bombeiros ficaram ainda feridos no mesmo fogo, mas sem gravidade tendo sido transferidos para hospitais da sua área de residência. 

Pedro Sousa e Adriano Rui Ribeiro, administradores do blogue Bancada Directa, apresentam as mais sentidas condolências a sua familia e à sua Corporação de Bombeiros do Estoril.

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Afinal Cavaco é ou não é o presidente de todos os portugueses? Realça-se o seu silencio perante a morte de bombeiros e muitos feridos com grande sofrimento. Mas também se pode realçar a pressa com que lamentou a morte de Antonio Borges, companheiro de partido, e as suas condolências à familia. Bem pode agora repetir as suas condolências pela mortes dos bombeiros.

Afinal Cavaco é ou não é o presidente de todos os portugueses? 
Realça-se o seu silencio perante a morte de bombeiros e muitos feridos com grande sofrimento. 
Mas também se pode realçar a pressa com que lamentou a morte de Antonio Borges, companheiro de partido, e as suas condolências à familia. 
Bem pode agora repetir as suas condolências no seu Facebook pela mortes dos bombeiros. 

 Cavaco é o presidente e de todos os portugueses, quer votassem nele ou não. Deveria ser. Disso ninguém tenha dúvidas Que tenha publicamente demonstrado o seu pesar pela morte de António Borges, parece-me normal. 


O que não é normal é que não tenha tido a mesma atitude pública perante a morte de três bombeiros - mais uma dezena de feridos -, três bombeiros que morreram a combater o fogo, a defender as populações que o presidente supostamente representa. Cavaco Silva concretamente não tornou publicas as suas condolências que alegadamente endereçou às corporações dos bombeiros a que pertenciam os falecidos. 


Aos olhos da opinião pública cheira a esquecimento. Foi um deslize seu. Hoje uma fonte veio dizer que os votos já foram dados em privado. Mas a verdade é que  o presidente da República achou por bem tornar públicas as condolências à família de António Borges e não o fez em relação às famílias dos bombeiros. Lamentável!


A estatura moral de Cavaco Silva não fica de modo algum beliscada. Aliás o povo nem fica surpreendido. Já está habituado a que não seja um bom pai para o seu povo. Deveria ser. 

Alguém escreveu num blog que os bombeiros para Cavaco são filhos de um Deus menor. Mas meus caros leitores podem crer que o não são. Os bombeiros deste país são a melhor coisa do mundo que temos ao nosso dispor. E eles correspondem com actos de abnegação e heroísmo. 

Que o diga a Ana Rita Pereira e todos aqueles que deram a sua vida no cumprimento da sua missão 


Bem Hajam!.

Ana Rita Pereira. A morte de um anjo! A bombeira de Alcabideche morreu na defesa do seu ideal de vida: salvar as vidas e os bens do seu semelhante





Na morte de alguém é costume entoarem-se loas e oratórias para dignificar a memória daqueles que partem.

Ana Rita Pereira, aquela que foi um elemento da Corporação de Bombeiros de Acabideche estava sempre pronta a arriscar a sua vida no cumprimento do seu ideal solidário: defender os bens dos outros e salvar a vida  daqueles que estivessem em perigo. 

A morte levou-a aos 24 anos de idade

Que o teu exemplo como soldado da PAZ possa ser seguido por toda esta juventude que está irmanada no mesmo ideal e que os teus camaradas mais velhos possam ensinar aos mais novos que a tua memória seja um exemplo de comportamento para eles.

Morreu Antonio Borges

Que Deus tenha em paz a sua alma
Gabam-lhe a sua frontalidade e determinação
Eu preferia salientar que era um homem da direita e que serviu o grande capital. Um homem que ajudava o Governo a tomar medidas arrasadoras para quem vive apenas do rendimento do seu trabalho.
Não nutria qualquer especie de consideração pelas classes trabalhadoras

domingo, 25 de agosto de 2013

Também eu tive um sonho que gostaria de concretizar. Era ver o meu pais numa boa terra com oportunidades para todos e afinal é uma porcaria e mal governado.

Mulheres deste Portugal! Indignai-vos!. Alguém dá a ideia de que dar "uma coça" na mulher são pancadinhas de amor. Só faltava mais esta!.....

Francamente
Esta crise valores morais está associada ao modo como este país está a ser governado

sábado, 24 de agosto de 2013

Por estas terras de Vila Nogueira de Azeitão. Não me fazem esquecer Sintra mas sinto-me bem, muito bem mesmo. Mas no dia 27 lá estarei na Praia Grande






sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Isto é que anda para aqui uma açorda de marisco com gambas a ameijoas maradas. E nem me interessa os rumores de gravidez da Cristina Ferreira. Estes titulos da imprensa é que permitem avaliar como vai a nossa politica



Agradecimento ao "Ponte Europa" de Coimbra

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Confesso que este senhor já me anda a chatear a cabeça com as suas teorias. Ele pode muito bem perceber de assuntos constitucionais, mas as suas convicções actuais dá-me a impressão de que quer novamente mudar de cor partidária. Veio de uma fornada do PC, está a passar pelo PS e dá a impressão de estar deslocado.

Confesso que este senhor já me anda a chatear a cabeça com as suas teorias. 
Ele pode muito bem perceber de assuntos constitucionais, mas as suas convicções actuais dá-me a impressão de que quer novamente mudar de cor partidária. 

Em causa estão as suas declarações recentes que a ordem do Governo para se aumentar a carga horaria de 35 para 40 horas semanais não sofre de nenhuma inconstitucionalidade. Nem sei aonde é que ele pode ter a convicção de que se pode aumentar o numero de horas a trabalhar por um cidadão e não se aumente o respectivo vencimento e não se melhore as devidas condições de trabalho. Aumenta-se a carga horaria sem mais nem menos e pronto está tudo bem. Quem vier em ultimo que apague a luz e feche a porta! 

Francamente! 


Claro que este aumento da carga horaria para trabalhadores da função publica é uma autentica injustiça. E não percebemos como é que este senhor aceita que uma injustiça flagrante possa conviver com a Constituição tão senhora em garantir os direitos dos cidadãos e não aceitar injusticas bacocas. 


Vital Moreira também dizia que não encontrava inconstitucionalidades no Orçamento de Estado para 2013 e depois foi o que se viu. Só considerava problemática a sobretaxa sobre as pensões e afinal não houve problemas nenhuns. Houve mesmo a sobretaxa. 


Para concluir penso que o euro- deputado Vital Moreira devia abandonar o Partido Socialista e filiar-se em partidos que acolham as suas ideias. 
Uma breve resenha do percurso politico de Vital Moreira
Estreou-se na política após o 25 de Abril de 1974. Militava então no Partido Comunista Português, pelo qual foi deputado à Assembleia Constituinte5 (1975-1976). Foi juiz no Tribunal Constitucional (1983-1989).6 Em 1995 voltou ao Parlamento, como deputado independente, eleito pelo Partido Socialista. No XVI Congresso do PS foi anunciado como cabeça de lista às eleições europeias de 2009,7 saindo perdedor face à candidatura do PSD, encabeçada por Paulo Rangel. Colabora regularmente na imprensa, sendo colunista no Diário Económico e no Público, e é um dos autores do blogue Causa Nossa. Em 4 de julho de 2012, no parlamento europeu, o deputado Vital Moreira foi o único deputado português que votou a favor do ACTA, acordo que para muitos privilegia a ganância e os seus royalties em detrimento da liberdade individual e da internet

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

O desporto na minha terra. Circuito Mundial de Bodyboard. Sintra Portugal Pro 2013. É a modalidade do bodyboard na sua maior manifestação. Praia Grande. De 27 de Agosto a 1 de Setembro. Nós estaremos lá todos os dias

O desporto na minha terra. 
Circuito Mundial de Bodyboard
Sintra Portugal Pro 2013. 
É a modalidade do bodyboard na sua maior manifestação. 
Praia Grande. De 27 de Agosto a 1 de Setembro. 
Nós estaremos lá todos os dias 

 O destaque 



Faltam precisamente 6 dias para começar este grande evento desportivo de bodyboard. Á semelhança de anos anteriores as magnificas ondas da Praia Grande preparam-se para receber mais uma vez este evento e que é o Sintra Pro 2013, uma prova do GSS do World Tour. 

Bancada Directa aguarda com ansiedade natural a realização deste evento que é o único disputado em águas nacionais para o circuito mundial. Esperamos que todos os amantes da modalidade e aqueles que são meros frequentadores desta praia sintrense possam estar nesses dias em força no local para aplaudir os concorrentes. 


O desenvolvimento 


São mesmo as ondas da Praia Grande

De 27 de Agosto a 1 de Setembro, vais ter a oportunidade de voltar a ver os melhores bodyboarders do mundo em acção, nesta que é a mais antiga etapa do Mundial da IBA (International Bodyboarding Association). 

A prova está inserida no Circuito de Qualificação Mundial e inclui uma GQS (Grand Qualifying Series) masculino, um WWT feminino e uma prova na variante de Drop Knee (DKWT), que trará alguns dos melhores atletas desta especialidade do Bodyboard. 

É o caso de Dave Hubbard (campeão mundial de Drop Knee em 2009 e actual campeão norte-americano da especialidade e em bodyboard open) que já confirmou presença no Mundial de Sintra 2013, para competir em ambos os estilos. Também o campeão mundial IBA de 2011, Pierre Louis Costes, marcará presença na Praia Grande. 


Entretanto, a Federação Portuguesa de Surf (FPS) e a Associação Portuguesa de Bodyboard (APB) já atribuíram os wildcards para esta 18ªedição do Sintra Portugal Pro. A FPS concedeu à APB a oportunidade de definir os atletas que melhor representam o bodyboard nacional, e esta atribuiu 6 dos 8 convites facultados à organização segundo critérios objetivos. 


Para o main event (GQS): A) O campeão Nacional de s
ub-18 de 2012 B) O atleta melhor classificado no ranking GQS do ano corrente C) O campeão Nacional de Bodyboard Open Na competição feminina (WWT): A) 

A campeã nacional sub-18 de 2012 B) A campeã nacional feminina ou, caso esta já tenha seeding mundial, a atleta com melhor seeding no Mundial. No evento de Drop Knee (DKWT): A) O atleta nacional com melhor ranking no DKWT Assim, traduzidos em nomes, e dada a impossibilidade em estar presente o campeão nacional de sub-18 Bernardo Machado, o wildcard vai para o segundo classificado de sub-18 de 2012, Stephanos Kokorelis. 


O melhor classificado do "ranking" GQS actual é Rui Pereira. O campeão nacional de bodyboard open é Manuel Centeno. Na competição feminina, Madalena Pereira recebe o wildcard como campeã de sub-18 de 2012 e Carina Carvalho, o wildcard como atleta com melhor seeding internacional em 2012 (já que a campeã nacional Catarina Sousa já tem seeding para entrar no evento principal feminino). 


Finalmente, no Drop Knee, Diogo Pimenta é o escolhido (dada a impossibilidade de Luís Pereira, atleta melhor classificado no circuito de DK em 2012). 


Como vês, só faltas tu juntares-te às e aos melhores bodyboarders do planeta!!

O Teatro no Bancada Directa. Salvador Santos apresenta a sua rubrica “No Palco da Saudade” e recorda hoje aquele que foi um galã do cinema português de seu nome Virgílio Teixeira

In memoriam 
Virgílio Teixeira, de seu nome completo Virgílio Delgado Teixeira, nasceu no Funchal. Ilha da Madeira em 26 de Outubro de 1917 e faleceu nesta mesma cidade, no Hospital João de Almada, devido a uma crise respiratória, em 5 de Dezembro de 2010. 

Foi um grande actor do nosso Cinema Português, do Teatro  e da Televisão. 

O Teatro no Bancada Directa. 
Salvador Santos apresenta a sua rubrica “No Palco da Saudade” e recorda hoje aquele que foi um galã do cinema português de seu nome Virgílio Teixeira 

“No Palco da Saudade” Texto inédito e integral de Salvador Santos (Teatro Nacional de São João. Porto) 
VIRGÍLIO TEIXEIRA 

Não era um actor de grandes recursos interpretativos, mas conquistou um estatuto internacional invulgar no cinema. 

Começou a filmar em Portugal, mas foi a notoriedade atingida em Espanha que o levou até Hollywood, onde contracenou com alguns dos maiores nomes da meca do cinema, como Rita Hayworth, Sophia Loren, Rex Harrison e Yul Brynner, entre muitos outros. “Alexandre, o Grande” de Robert Rossen e “Doutor Jivago” de David Lean, foram os filmes que lhe granjearam maior projeção internacional. Mas a sua participação nas megaproduções “Os Sete Magníficos” e “A Queda do Império Romano” também foram em parte responsáveis pelo grande prestígio por ele alcançado além-fronteiras, nomeadamente em países como França e Itália. 
A primeira grande paixão de Virgílio Teixeira foi o desporto, onde chegou a atingir resultados de relevo, sobretudo na natação, no futebol e no ténis. Na natação, conseguiu por duas vezes o título de campeão nacional de saltos acrobáticos. No futebol, foi guarda-redes na equipa principal do Sporting Clube da Madeira, depois de ter integrado o plantel do Marítimo Sport Clube, ao serviço do qual conseguiu a internacionalização num confronto com a selecção das Ilhas Canárias. 

No ténis, ele não só conquistou algumas provas importantes, como teve oportunidade de disputar torneios com grandes astros do cinema, como Douglas Montgomery, June Clyde, Mary Maguire, June Knight ou Dolores del Rio, que espicaçaram a sua tentação pela sétima arte. Já antes Jorge Brum do Canto, quando estivera na Ilha do Porto Santo a rodar “A Canção da Terra”, quis despertar em Virgílio Teixeira o gosto pelo cinema. A sua bela figura de galã justificara o convite do realizador para uma breve participação no filme em rodagem, mas nessa altura o jovem tinha outros sonhos para o seu futuro. 
Porém, o convívio com os astros e a recorrente pergunta «porque não experimenta o cinema?», fizeram-no pegar nas malas e zarpar até ao continente anos mais tarde. Mas não foi nada fácil a vida em Lisboa. Apesar dos muitos contactos feitos previamente com gente do cinema, o jovem só conseguiu uma oportunidade para testar a sua vocação cinco meses depois de ter chegado à capital. Foi o realizador Armando Miranda quem lhe valeu. 

O jovem Virgílio Teixeira já andava desesperado. Não saía do Café Palladium, nos Restauradores, onde dissera que o podiam encontrar. E foi aí, à porta daquele histórico café lisboeta, lugar de artistas, boémios e nómadas, que chegou a proposta para fazer “Ave de Arribação”, um drama passado na costa algarvia. Ainda antes da estreia deste filme, surgiu o convite para uma pequena participação na comédia “O Costa do Castelo” de Arthur Duarte, onde conviveu com Fernando Curado Ribeiro, de quem se tornou grande amigo. 
No ano seguinte teve a sua prova de fogo: “Zé do Telhado”, de Armando Miranda, filme onde encarnou o famoso salteador do século XIX e que o tornou num dos galãs mais populares do cinema português, a par de António Vilar. Após o estrondoso êxito daquele filme, Virgílio Teixeira foi convidado para participar em três produções em Madrid: “Cero en Conducta”, “La Mantilla de Beatriz” e “Reina Santa”. Era o início de uma frutuosa relação com várias produtoras espanholas, que se manteria por mais de vinte anos, alternando com filmagens em Portugal, Itália, França e Estados Unidos. 

Em Espanha fez mais tarde “El Verdugo” e “Agustina de Aragón”, entre um conjunto de cinquenta filmes, contracenando com grandes nomes da cinematografia mundial, como Richard Burton, Frederic March, Julie Christie, Omar Sharif, Alec Guinness, Charlton Heston, Christopher Plummer ou Gina Lollobrigida. Apesar de ter participado em quinze filmes americanos, apenas três deles foram rodados em terras de Tio Sam, onde Virgílio Teixeira era carinhosamente tratado por Tex nas relações com os colegas de plateau. As restantes produções com a marca de Hollywood foram rodadas em França, Itália, Espanha e Reino Unido. 
The Sign of the Zorro. 1963

E a passagem por Londres ficou marcada pela sua excelente interpretação em “The Boy Who Stole a Million”, realizado por Charles Crichton, o único filme de produção estrangeira até então que teve como protagonista absoluto um artista de nacionalidade portuguesa. Em Portugal participou ao todo em 25 filmes, entre os quais se destacam “Vendaval”, “ “Ribatejo” e… “Fado, História de uma Cantadeira”, onde contracenou com Amália Rodrigues de quem ficou amigo para sempre. 

Aos cinquenta anos de idade, Virgílio Teixeira regressou à sua Madeira com o propósito de não voltar a representar. Mas dezasseis anos depois não resistiu a convites de realizadores amigos. Foram os casos de Barbet Schroeder, Quirino Simões e José Fonseca e Costa que o desafiaram a participar em “Os Batoteiros”, “Eternidade” e “A Mulher do Próximo”, respectivamente, filmes que acabariam por ser responsáveis por outras experiências que se lhes seguiram. 
A telenovela “Chuva na Areia” e as séries televisivas “Hotel Bon Séjour” e “A Casa da Saudade” foram os últimos trabalhos de Virgílio Teixeira como actor, que se refugiou depois definitivamente na sua ilha natal, onde viria a falecer com a bonita idade de 93 anos. Diz quem o viu dias antes que continuava a ser um homem bonito e charmoso, de grande elegância e simpatia, muito feliz com tudo o que a vida lhe deu. 

Salvador Santos 
Teatro Nacional de São João. Porto 
Porto. 2013. Agosto. 19

Obrigado Pela Sua Visita !