BANCADA DIRECTA: Maio 2011

terça-feira, 31 de maio de 2011

Fragmentos e Opiniões. Austeridade a quanto obrigas nesta Europa. A Confederação dos estúpidos


Fragmentos e Opiniões. Austeridade a quanto obrigas nesta Europa. A Confederação dos estúpidos

Ao contentarem-se com a imposição de austeridade aos países endividados, a UE e seus dirigentes dão prova da sua cegueira e estupidez: põem os parceiros em dificuldades, sem daí tirarem qualquer vantagem, nota um jurista português.

Artigo de Eduardo Paz Ferreira do Jornal de Negócios

Há algum tempo, e a propósito das conclusões do Conselho Europeu da primavera, interroguei-me se a rainha iria nua, procurando acentuar aquilo que me parecia ser a divergência radical entre o prometido e anunciado, patente nos escassíssimos e conservadores resultados alcançados. Daí para cá, tenho assistido, atónito, ao espectáculo da multiplicação de declarações, por vezes contraditórias e, quase sempre, incendiárias dos mercados por parte de responsáveis da União Europeia.
Com a sua capacidade analítica impar e o brilho da sua inteligência e cultura, o meu amigo José Medeiros Ferreira, tem comparado a actual situação europeia ao período final do Império Austro-Húngaro, com o poder caído na mão de uma burocracia desligada da realidade. Creio que tem absoluta razão e que a burocracia da União Europeia, que tanto tem contribuído para afastar os cidadãos da ideia de Europa, se limita a cuidar dos seus interesses, sem cuidar de saber de qualquer projecto europeu. Quando vejo as declarações de Jean-Claude Trichet (e só posso antever que Mario Draghi, obcecado por mostrar aos alemães que é mais teutónico do que eles próprios, se não afaste muito do que tem sido a posição oficial e oficiosa do BCE) orientarem-se no sentido de impor à Grécia medidas claramente insuportáveis, ao mesmo tempo que o Banco Central Europeu começa a subir as taxas de juro, apesar do anémico crescimento da zona euro e da crise dos países periféricos, só posso interrogar-me se a independência dos bancos centrais será uma solução tão boa quanto aquilo que fomos levados a acreditar.

Aquilo que me parece verdadeiramente enigmático é, no entanto, a razão que leva os principais dirigentes políticos europeus a insistirem numa receita que ficou já amplamente demonstrado que só pode conduzir a péssimos resultados para os pacientes a quem for ministrada e, em última análise, a eles próprios ou aos interesses que representam.

Nota de Bancada Directa. Eduardo Paz Ferreira é Advogado e Jurisconsulto

Legislativas 2011

Legislativas 2011

Ora vamos lá a falar verdade!....

Perguntamos apenas: Afinal porque se omitiu que Fabio Coentrão, mesmo que não vá votar, é um socialista convicto e que continuará a sê-lo no futuro?


Afinal , por omissão, estava-se a dar uma imagem diferente do Fabio Coentrão.






Os desalinhados no Bancada Directa




Motor já velho(a) e lubrificado(a) a ódio

Eis a senhora Manuela Ferreira Leite

Para esta senhora, que serviu a nossa Democracia e dela se sustentou, não lhe interessa quem vai para primeiro-ministro, interessa-lhe, isso sim, que nunca mais oiça falar de José Sócrates…Isto é a escola social-democrata pura e dura. Não se querem vivos os adversários….

Nem tranquila fico se ele ficar na oposição, porque acho que ele na oposição vai ser tão pernicioso para o país quanto na liderança do país”. (Manuela Ferreira Leite)
Esta afirmação de Manuela Ferreira Leite vem confirmar o que já se sabia: que a campanha do PSD, no essencial, é uma campanha que tresanda e é movida a ódio. A Sócrates. E, para Ferreira Leite, pelos vistos, só há uma solução: há que remeter Sócrates para as trevas exteriores.

Onde é que esta gente pensa chegar com tanto ódio ? A um bom resultado para o país não é com certeza.

Estou certo que, um dia, vão ter que responder por isso. Mais cedo, ou mais tarde e quanto mais cedo, melhor. Se a resposta chegasse no próximo dia 5 de Junho, seria oiro sobre azul.

Mas não lhes auguro nada de bom se passarem para os comandos deste país.

segunda-feira, 30 de maio de 2011

O Detective Tempicos volta a atacar. 7º Episódio de "Os Mistérios do Castelo de Chamborg"

O Detective Tempicos volta a atacar. "Os mistérios do Castelo de Chamborg". 7º Episódio. Autor: Inspector Boavida.

Nota dos administradores do Bancada Directa: com a publicação do 7º e último episódio desta novela está terminada a 1ª série da mesma. Foram sete escritores (?) que se encarregaram da tarefa colectiva, a saber; A. Raposo, que coordenou, Zé, Detective Jeremias, Onaírda, Arnes, Nove e Inspector Boavida. Seguir-se-à o episodio final, novamente a cargo de cada um dos escritores e um júri escolherá, no seu entender, qual foi o melhor final. No entanto todos os episódios serão publicados aqui neste blogue. Haverá um valioso prémio para a melhor conclusão da novela, o qual consiste em tomar à sua guarda o “gato farrusco” que tantas dores de cabeça tem dado aos policiaristas. Junta-se a foto do bichano

Bancada Directa agradece aos sete escritores a feitura da novela e a todos os leitores que tanto interesse demonstraram na sua leitura. Muito obrigado.

Pedro Sousa (New Bedford) e Adriano Rui Ribeiro (Sintra)

Titulo do episódio de hoje: SANTI DE REGRESSO AO PASSADO

Autor Inspector Boavida
Quando o avião aterrou no aeroporto de Orly, Salvador Santi, um dos mais reputados e bem sucedidos programadores teatrais da Broadway, soltou um longo suspiro. Não de alívio, mas de nostalgia e ansiedade. Ou talvez de angústia e temor por ir remexer num passado que lhe deixou marcas profundas e dolorosas. O coração começou a bater forte e descompensado. Ele havia jurado jamais voltar a Paris, mas as circunstâncias impunham o seu regresso àquela cidade onde fora feliz outrora. Tudo começara na revolta estudantil de Maio de 1968. No meio de um magote de gente que invadira a Boulevard Saint-Michel, conheceu a grande paixão da sua vida. Era ainda um inocente moçoilo com 18 anitos acabados de fazer, quando descobriu o amor. Tudo aconteceu tão depressa, como depressa acabou. O amor começou numa avenida por entre gritos de libertação e terminou num bar ao som das canções de Juliette Gréco Paris. Boulevard Saint-Michel

Foram apenas dois anos de um amor fogoso e ardente que acabou por degenerar num desgosto que ainda hoje perdura. Santi sofrera em silêncio durante todos estes anos a terrível dor da traição. A ferida fora agora inesperadamente reaberta. Um velho e maçador detective reformado da Polícia Judiciária Portuguesa, que se assina simplesmente Tempicos – estranho nome… –, um típico machão português que habitualmente se pavoneia pelas praias do sul do país, convenceu-se de que tem dotes de escritor e pediu-lhe uma oportunidade de mostrar os seus talentos na escrita teatral. Santi, para o despachar, disse-lhe que sim. Mas exigiu que a peça estivesse pronta a tempo de estrear na próxima temporada teatral. E mais: impôs que a trama fosse desenvolvida em registo policial e envolvesse um crime. Tempicos rejubilou de alegria e respondeu-lhe: «Terá notícias minhas em breve. Siga a Bancada Directa».

Santi ficou curioso, muito curioso. Ao princípio pensou que a tal Bancada Directa teria alguma relação com o mundo do futebol, um desporto que ele abomina, por não entender que prazer pode haver em assistir a um grupo de homens de calções vestidos a correr e a chutar uma pobre e indefesa bola, o que, segundo ele, só pode contribuir para a alienação do povo. Mas após uma pesquisa rápida na internet, Santi percebeu tudo. O incrível Tempicos havia engendrado um expediente bastante original e criativo que lhe permitia produzir um guião teatral sem qualquer esforço, explorando a boa fé de sete notáveis escritores, sete ilustres personalidades que ocupam os seus tempos de ócio escrevendo e decifrando enigmas policiais. Tempicos desafiou-os a escrever uma novela a várias mãos, definindo-lhes previamente as regras que deviam cumprir, descrevendo-lhes as personagens e fixando o local de acção: Castelo de Chamborg.

Os bosques envolventes do Castelo de Chamborg e onde Tempicos se refugiava para se arrepender das suas diatribes amorosas.

Ao ler o nome do Castelo, Santi sofreu um forte abalo que o remeteu para a memória dos tempos que havia reprimido e recalcado no mais íntimo do seu ser. Fora naquele
Castelo que ele vivera o seu grande amor. Os nomes dos protagonistas não correspondiam aos das pessoas com quem vivenciou o seu passado no Loire. Mas à medida que os capítulos iam sendo publicados, as personagens foram-se tornando cada vez mais reais e Santi foi associando os protagonistas da novela à sua história de amor. Só a personagem mais jovem, a tal Kátinha que o cónego Novenat sustenta ter sido convidada para ingressar no Teatro Ambassador, escapava ao seu conhecimento. Ela ainda não havia nascido. Todos os outros, desde a Lilly ao Anarda, encaixam no perfil psicológico das pessoas com quem partilhou aqueles adoráveis e, ao mesmo tempo, tenebrosos tempos da sua juventude. Eram eles, só podiam ser eles.

Santi estava de regresso ao passado! Quando chegou ao Castelo, as pernas tremiam-lhe. As mãos gelaram. Um fino suor frio correu-lhe pela espinha abaixo. Conduziu o carro que havia alugado no aeroporto até uma zona próxima do Castelo. Ninguém o viu. Não avistou vivalma. Nada indiciava que houvesse gente no Castelo. Com cautelas, para que ninguém o visse, Santi penetrou lentamente pelo Bosque dentro. Passaram largos minutos. No Castelo continuava a reinar o silêncio. Nada, nenhum ruído. Apenas se ouviam, vindo do Bosque, os sons dos pássaros. De repente, um sinistro silvo de cobra. Ou seria de uma seta de caça? Um grito lancinante. Depois, passos pesados em correria por entre a vegetação. Poças pisadas por desatino. Um homem sai do Bosque correndo em direcção ao Castelo. Era Tempicos! Voz rouca e profunda. Algum tremor na garganta: «Acudam, acudam! O Marquês está morto!! Mataram o Marquês!!!».

Inspector Boavida
24 de Maio de 2011















Inspector Boavida: autor do episódio de hoje

domingo, 29 de maio de 2011

O saber não ocupa lugar. Temas de Medicina. Falemos de doentes com insuficiência renal

O saber não ocupa lugar.





Temas de Medicina.



Falemos de doentes com insuficiência renal

Alimentação de Insuficientes Renais.

Conhecem os vossos rins?

Recomendações gerais
Atenção aos condimentos ricos em potássio, como sejam os sais de dieta, ketchup. Consultar sempre as tabelas de composição dos alimentos para se poder escolher os que contenham menor quantidade de potássio.

Sempre que possível:
- Comer lentamente, mastigando bem;
- Procurar estabelecer horários regulares para as refeições, comendo todos os dias à mesma hora.
- É importante que se pese os alimentos para conhecer a quantidade que se pode ingerir.
- É aconselhável a prática diária de exercício físico, de acordo com as suas possibilidades (por exemplo, andar em passo rápido, ou curto, etc.).
Não existe um peso ideal para todos os Insuficientes Renais Crónicos, cada um tem o seu peso próprio e deve esforçar-se por o atingir e manter o peso ideal, o qual está relacionado com vários factores, ou seja:
- Com a fase de diálise em que se encontra (início recente, período mais ou menos longo.
- Com o peso antes e depois de cada sessão de diálise.
- Com o rigor com que se segue a dieta alimentar.

Por isso deve-se falar com o nefrologista para determinar com ele o peso adequado para o doente, em cada momento.

Alimentação de Insuficientes Renais. Recomendações gerais

ALIMENTOS PROIBIDOS
Apresentamos aqui uma pequena lista dos alimentos que os IRC em diálise devem evitar:
- Leite em pó (muito rico em potássio).
- Queijo salgado e rico em potássio e fósforo.
- Produtos de charcutaria (presunto, carnes salgadas e fumadas).
- Conservas ou concentrados de carne e peixe.
- Peixe salgado, ou fumado, mariscos e crustáceos.
- Legumes secos (grão, feijão, lentilhas, soja).
- Favas e ervilhas.
- Frutos secos (tâmaras, passas, figos).
- Oleaginosas (amêndoas, avelãs, amendoins, azeitonas).
- Sopas instantâneas, purés instantâneos, pratos comercializados.
- Cacau, chocolate e gelados. Não abusar dos chamados açúcares simples (açúcar, caramelo, mel, compotas).

- Gorduras salgadas: manteiga salgada, banha e toucinho.
- Condimentos salgados: azeitona, etc.

Atenção aos condimentos ricos em potássio, como sejam os sais de dieta, ketchup.

Consultar sempre as tabelas de composição dos alimentos para se poder escolher os que contenham menor quantidade de potássio.

Fonte: APIR - Associação Portuguesa de Insuficientes Renais

Os desalinhados no Bancada Directa

Os desalinhados no Bancada Directa.

Não é em Lisboa, mas quase é a mesma coisa. È mesmo encostadinho.

Diz o bebé para a sua mamã: corre mamã corre, antes que algum carro te apanhe

Desde que me tornei mãe, há poucos meses, e que o tempo começou a melhorar, comecei a dar passeios em Algés com a minha bebé. Cedo me apercebi que atravessar a Avenida dos Bombeiros Voluntários, uma das principais , com um carrinho de bebé é equivalente a participar numa gincana. Eu, como condutora que também sou, passei a prestar mais atenção aos sítios onde estaciono e sinto necessidade de alertar quem ainda não se apercebeu da falta de consideração para com os peões.
Agradecimento ao "passeio livre"

Esta Lisboa que eu amo.. Até quando?

Lisboa. Maio 28. Praça dos Restauradores

sábado, 28 de maio de 2011

Juiz Carlos Alexandre. Um elevado sentido de justiça norteia as atitudes deste digmº representante da nossa justiça.

Juiz Carlos Alexandre. Um elevado sentido de justiça norteia as atitudes deste digmº representante da nossa justiça.

Há muito que esperar deste juiz. Se todos tivessem a sua coragem e elevado respeito pelos cidadãos ofendidos a nossa sociedade estaria melhor

Caro amigo Dr. Carlos Alexandre: Que nunca lhe doam as mãos quando aplicar a justiça de que todos nós precisamos

sexta-feira, 27 de maio de 2011

As agressões a uma jovem estudante em Lisboa. Vale a pena rever o que se passou e os comentários dos pedopsiquiatras




Nota: este video foi retirado do Facebook logo que a PSP detectou a situação.


Nesta hora o Rodolfo (filho da stripteaser) e uma das agressoras (a mais velha) estão a ser ouvidos por um juiz de Instrução Criminal

Neste aproximar do dia das eleições, há que tomar em atenção estas tiradas filosóficas muito a propósito.

Neste fim da 1ª semana de campanha eleitoral vamos ouvir Antonio Variações. De seguida aparecerá o vídeo. "Estamos na Ratolândia"


O tema “Estou além” de António Variações

Não consigo dominar
Este estado de ansiedade
A pressa de chegar
P'ra não chegar tarde


Não sei de que é que eu fujo
Será desta solidão
Mas porque é que eu recuso
Quem quer dar-me a mão


Vou continuar a procurar
A quem eu me quero dar
Porque até aqui eu só:
Quero quem quem eu nunca vi
Porque eu só quero quem
Quem não conheci
Porque eu só quero quem
Quem eu nunca vi
Porque eu só quero quem
Quem não conheci
Porque eu só quero quem
Quem eu nunca vi


Esta insatisfação
Não consigo compreender
Sempre esta sensação
Que estou a perder


Tenho pressa de sair
Quero sentir ao chegar
Vontade de partir
P'ra outro lugar


Vou continuar a procurar
A minha forma
O meu lugar
Porque até aqui eu só:
Estou bem aonde eu não estou
Porque eu só quero ir
Aonde eu não vou
Porque eu só estou bem
Aonde eu não estou
Porque eu só quero ir
Aonde eu não vou
Porque eu só estou bem
Aonde não estou
Estou bem aonde eu não estou
Porque eu só quero ir
Aonde eu não vou
Porque eu só estou bem
Aonde eu não estou
Porque eu só quero ir
Aonde eu não vou
Porque eu só estou bem
Aonde eu não estou
Porque eu só quero ir
Aonde eu não vou
Porque eu só estou bem
Aonde não estou
Porque eu só quero ir
Aonde eu não vou
Porque eu só estou bem
Aonde não estou




quinta-feira, 26 de maio de 2011

Arta urbana: uma realidade das grandes metropoles


Uma situação recorrente. Amigos, amigos, mulheres ficam de fora!

Uma situação recorrente. Amigos, amigos, mulheres ficam de fora!

Déjà Obama se méfiait ... .

Oh DSK....." On ne touche pas ! "

Fragmentos e Opiniões. Ser tratador de lixo: uns andam aborrecidos, outros ganham dinheiro.

Fragmentos e Opiniões. Ser tratador de lixo: uns andam aborrecidos, outros ganham dinheiro.

Enquanto alguns se deixam abater por montanhas de lixo, consideradas como um fardo, outros ganham dinheiro.
Caixote de lixo na Suécia

Leio o semanário polaco “Politika” de Varssóvia e constato que o exemplo sueco é um caso de sucesso.
Artigo do jornalista Tomasz Walat

Há precisamente cem anos que a primeira unidade de incineração de resíduos da Suécia entrou em funcionamento. Desde então, o lixo tornou-se a principal fonte de energia sueca, à frente do petróleo e do gás. Fornece mais energia que o conjunto de recursos hidroeléctricos e nucleares.

A biomassa, constituída por resíduos vegetais e animais (incluindo humanos), é amplamente utilizada na produção de electricidade e calor. É usada como combustível para os transportes e matéria-prima para a indústria. A maioria das cidades suecas é aquecida por centrais térmicas alimentadas directamente pela combustão de resíduos e pelo biogás produzido a partir destes.

Estocolmo, primeira "capital verde" da Europa
A central incineradora de Hogdalen

Actualmente, o aquecimento da capital sueca é assegurado principalmente pela central de incineração de Högdalen e por algumas unidades auxiliares, localizadas na vizinhança de bairros residenciais. Protestos dos habitantes? Nunca houve. Os responsáveis pela central de Högdalen gostam de salientar que o gás expelido pelas suas chaminés contém tantas substâncias tóxicas como o fumo produzido por três fumadores.

A autoridade responsável pela protecção do ambiente confirma-o. Na Suécia, apenas 1% dos resíduos é depositado em aterro. Principalmente as substâncias mais perigosas, que são armazenadas em recipientes herméticos para evitar a contaminação da atmosfera e das águas subterrâneas.

Estocolmo foi a primeira cidade da União Europeia a receber (em 2010) o título de "capital verde" da Europa. O bairro ecológico de Hammarby Sjöstad tornou-se um cartão-de-visita exibido alegremente perante especialistas e turistas interessados no assunto. Este bairro, com várias dezenas de milhares de habitantes, espera atingir em breve a auto-suficiência energética.

Suecos querem comprar o lixo de Nápoles
O lago Malaren rodeando Estocolmo

Todos os resíduos domésticos e esgotos já são encaminhados para as estações de tratamento localizadas nas proximidades, para a respectiva transformação em biocombustível, que é, então, utilizado pela central térmica mais próxima. Poderosas bombas de calor retiram o calor das águas, apesar de frias, do canal que liga o lago Mälaren, onde se situa a capital, ao mar Báltico. Tudo isso acontece a apenas 4 km do centro de Estocolmo, nas antigas zonas industriais e portuárias.

A filial de tratamento de resíduos, que beneficia de um regime fiscal vantajoso, é de uma tal produtividade que os resíduos até estão a começar a escassear. Em Gotemburgo, há muitos anos que eram recolhidos, até à capital norueguesa da indústria petrolífera, Stavanger. Mas a Noruega, embora farta em óleo e gás, também se converteu à utilização de resíduos como fonte de energia. A atenção dos suecos concentrou-se, então, em Nápoles, literalmente enterrada em lixo.

Fonte de problemas para os italianos, o lixo é uma verdadeira mina de ouro para a empresa sueco-norueguesa que prevê comprar até um milhão de toneladas por ano, a cerca de 90 euros por tonelada. Os resíduos estão, desta forma, a transformar-se no autêntico “ouro de Nápoles”- uma alusão ao filme de culto protagonizado por Sofia Loren.

A empresa produtora de energia Hem, em Halmstad (a sul de Gotemburgo), está prestes a resolver a crise do lixo em Nápoles e noutras cidades europeias, garante um dos seus dirigentes, Per Aalund. Na Europa, cerca de 150 milhões de toneladas de lixo acabam em aterros sanitários, violando as leis europeias. "Queremos ficar com esse lixo", afirma.


O desporto na nossa terra. Para não variar é sempre a mesma coisa. Estratagemas para fugir ao Fisco

O desporto na nossa terra. Para não variar é sempre a mesma coisa. Estratagemas para fugir ao Fisco

Polícia Judiciária investiga contrato de Júlio César
Inspectores da PJ foram à SAD com mandado de busca. Viram vários contratos e o do guarda-redes brasileiro foi apreendido. Dinheiro da transferência para a Luz em investigação.

Três inspectores da Polícia Judiciária (PJ) estiveram ontem à tarde nas instalações da SAD encarnada, no Estádio da Luz, com mandado de busca para serem observados diversos contratos de jogadores do plantel encarnado. Os inspectores viram vários documentos contratuais e acabariam por apreender o vínculo de Júlio César, guarda-redes brasileiro que há duas épocas se transferiu do Belenenses para o Benfica.

Segundo foi possível apurar, a PJ estará a averiguar o destino do dinheiro pago pelos encarnados no âmbito da transferência do jogador, de 24 anos. No Verão de 2009, pouco depois da chegada de Jorge Jesus ao Benfica, os encarnados entram em acordo com o Belenenses, então clube do guardião, para a aquisição da totalidade dos direitos económicos e desportivos por uma verba a rondar um milhão de euros, apesar de o clube do Restelo, segundo foi noticiado na altura, apenas deter uma percentagem do passe (30 por cento), pertencendo os restantes 70 por cento alegadamente a um fundo liderado pelo empresário português radicado no Brasil, Costa Aguiar. Benfica e Belenenses acordaram um pagamento faseado em 24 parcelas.

Tudo certo até ao momento em que junto da entidade bancária as letras passaram a ser descontadas não pelo Belenenses mas por uma entidade externa ao negócio, a quem as letras teriam sido endossadas pela SAD do Restelo, situação que os responsáveis da Luz estranharam. Segundo foi possível apurar, é este rasto ao dinheiro que os inspectores da PJ tentam colocar a limpo, eventualmente devido à suspeita de fugas fiscais.

E é este país em que nós vivemos e que tem uma juventude escolar de muitos bons comportamentos cívicos. Já se sabe qual foi o “pomo da discordia

Afinal já se sabe qual foi o “pomo da discórdia”. Não há duvida que as agressões foram todas programadas.
Não gostei que me chamasse prostituta”

Não acho bem o que fizeram à miúda, mas não gostei que me chamasse prostituta", começa por dizer Sónia Patrícia, mãe de Rodolfo Santos, o rapaz de 18 anos que publicou na rede social Facebook o vídeo em que Filipa, uma adolescente de 13 anos, é agredida por duas jovens. Alegadamente, Filipa terá ofendido a mãe de Rodolfo


Sou stripper, trabalho num bar à noite, e não tenho vergonha disso", afirma convictamente a mulher, de 38 anos, que garante "não faltar nada" ao filho.

Rodolfo, que ontem não quis falar â comunicação social, já tem antecedentes criminais pela prática de crimes violentos, tendo sido detido segunda-feira pela PSP pelo roubo de um telemóvel na zona de Benfica. Ficou obrigado a apresentações periódicas na esquadra da sua área de residência.

O jovem poderá ser acusado de cumplicidade se ficar provado que instigou as agressões. Já a agressora de 16 anos pode vir a ser acusada por ofensas à integridade física, enquanto a de 15 anos está sob alçada da Lei Tutelar Educativa.

A mãe de Rodolfo assegura não saber pormenores, mas relaciona as agressões com as "ofensas" de que foi alvo e "boatos de que a Filipa se terá metido com o namorado de uma das agressoras". Sónia Patrícia, que reside com o filho na Reboleira, Amadora, disse que Rodolfo "não quer estudar" e que abandonou o curso profissional que frequentava.

As duas agressoras, Bárbara e Raquel, de 16 e 15 anos respectivamente, frequentam a Escola Secundária Pedro Alexandrino, na Póvoa de Santo Adrião, Odivelas.

Bárbara confessou estar arrependida e com medo. "Queria pedir desculpa à Filipa, mas com esta confusão ainda não consegui. Sei que as coisas não se resolvem com violência. Mas agora já está feito", contou, adiantando que tanto ela quanto Raquel já foram ameaçadas: "Sabemos que temos muita gente da ‘pesada' atrás de nós. Já ameaçaram um amigo nosso, no Colombo, e disseram que iam atrás de nós." Bárbara, que foi criada pelo pai e pela avó, voltou a chumbar por faltas. Frequentava o curso profissional de assistente comercial.

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Assim se justifica que os Alls Blacks sejam os melhores do mundo. É o mundo do Rugby no Bancada Directa

E é este país em que nós vivemos e que tem uma juventude escolar de muitos bons comportamentos civicos. Felizmente nem todos os jovens.

E é este país em que nós vivemos e que tem uma juventude escolar de muitos bons comportamentos civicos
Todos os intervenientes no vídeo colocado no Facebook com imagens de uma jovem a ser espancada por outras duas perante a passividade e até regozijo de outros adolescentes já foram identificados, assegurou o Comando Metropolitano de Lisboa da PSP, em comunicado. O rapaz que terá colocado o vídeo na Internet tem antecedentes criminais pela prática de crimes violentos.

PGR sem meios para casos como o do vídeo de agressão violenta a jovem em Benfica

A Procuradoria-Geral da República admitiu esta tarde que o Ministério Público "não tem peritos informáticos ao seu serviço capazes de detectar, em tempo útil, crimes divulgados nas redes sociais".
Não se sabe qual o local exacto nem a data dos incidentes (DR)

O esclarecimento surgiu em resposta a perguntas da comunicação social sobre um video, que foi colocado no facebook, com imagens de uma jovem a ser espancada por outras duas perante a passividade e até regozijo de outros, que assistiram à cena. Um rapaz gravou o sucedido e colocou o video na internet.

A PGR confirmou, na mesma nota, que "a Polícia de Segurança Pública já está a investigar quem são os autores e a vítima". Ao fim da tarde, a Rádio Renascença adiantou que a polícia já identificou a jovem agredida e que conseguiu inclusive falar com os seus pais, que não terão mostrado vontade de apresentar queixa. No entanto a PSP (serviço de relações públicas) indicou que desconhecia esta evolução.

O espancamento da jovem pode configurar um crime de ofensas corporais qualificadas. Neste tipo de crime não é necessária a apresentação de uma queixa para se iniciar uma investigação. O processo está a ser seguido pela Procuradoria, nomeadamente através do Departamento de Investigação e Acção Penal de Lisboa (DIAP). Apesar de frisar que falta ao Ministério Público "apoio especializado em matéria de crimes através da Internet, divulgados na Internet ou com o uso da Internet", a PGR indicou que, neste processo, dará à PSP "o apoio informático que for possível e necessário para a recolha de prova".

Legislativas 2011. O apressado Passos de Coelho já andava afónico. E agora apanhou um banho de água fria.

É verdade que sondagens são apenas sondagens. E os politicos atingidos negativamente por elas desvalorizam-nas.

Mas que produzem suores frios na espinha deles também é verdade.

Passos de Coelho que o diga.....

Legislativas 2011. Um mistério por desvendar em Maranhão. Alentejo. (70-2). Unanimidade menos dois

Legislativas 2011. Um mistério por desvendar em Maranhão. Alentejo. Unanimidade menos dois

Jerónimo de Sousa percorre Ponte de Sor e é informado que em Maranhão toda a gente votou CDU menos duas pessoas.

-Tenho de visitar essa terra! Afirma Jerónimo.

Os jornalistas que acompanham a caravana adiantam-se ao líder comunista para tentar descobrir esses dois traidores da causa do proletariado. Os entrevistados desconfiar , desconfiam, mas não têm a certeza. Diz uma velhinha que é lá para baixo. E aponta o dedo para o vale


Os jornalistas informam os habitantes que vem aí a chegar a caravana da CDU. E perguntam a uma senhora:

-Sabe quem é o senhor que é o líder da CDU?

A senhora olha muito pesarosa e diz que não sabe!...

E outra pergunta é feita àquela velhinha que até era muito simpática.

Em quem é que vai votar?

-Tenho sempre votado desde o inicio nos mesmos.

-Nos mesmos quem?

- Nessas comunices!....

O resto das justificações da velhinha já não interessa referir.

O velho e o mar. Bancada Directa debruça-se sobre as perigosas pescas no Mar de Bering e nas costas da Nova Inglaterra






Caros amigos leitores do Bancada Directa

Diariamente o canal Discovery exibe uma série sobre a pesca do peixe espadarte nas costas atlânticas (Nova Inglaterra) lá muito perto da Terra Nova e que se chama “A pesca do gladiador”.

Serie excelente em que os operadores de câmara acompanham, as fainas de quatro barcos: o “Big Eye ”, o Frances Anne”, o Eagle II” e o “Seahawk”. Ainda da não fixei os nomes dos capitães.

Uma série que complementa outra , também excelente, “Deadliest Catch”, a histórica saga dos pescadores de caranguejos no Mar de Bering – que se exibe anualmente de Outubro e Abril. Série que fica marcada pela morte do capitão do barco Cornélia Marie, Phil Harris, devido a um acidente vascular cerebral a partir do aparecimento de um tumor na cabeça.

Os capitães dos barcos da pesca do espadarte não têm a carisma dos capitães do Time Bandit (irmãos Hilstrand), do Northwestern, (Sig Hansen), do Wizard (Keith Colburn). Mas o “The Gladiator”é uma série muito interessante.

Pesquisei a pesca do espadarte e dou com um romance do Ernest Hemingway, intitulado “O velho e o mar”. Excelente.

Apreciem leitores o vídeo animado sobre o “O velho e o mar”.

O Velho e o Mar (The Old Man and the Sea, no original em inglês) é um romance de Ernest Hemingway, escrito em Cuba, em 1951, e publicada em 1952. [1]

Foi a última grande obra de ficção de Hemingway a ser publicada ainda durante a sua vida, sendo uma das suas obras mais famosas.

Conta a história de um velho pescador que luta com um gigante espadarte em alto mar por entre a Corrente do Golfo. Apesar de ter sido alvo de apreciações muito divergentes por parte da crítica, é uma obra que permanece uma referência entre os livros de Hemingway, tendo reafirmado a importância do autor em tempo de o qualificar para o Prêmio Nobel de Literatura de 1954.

A história tem como personagem principal um velho pescador chamado Santiago. Apesar de muito experiente, Santiago acha-se em uma maré de azar, tendo ficado quase três meses sem conseguir pescar um peixe.

Santiago possui um jovem amigo, chamado Manolín, que o incentiva a pescar. Na manhã do 85º dia, na sua pequena canoa, Santiago consegue um peixe, de tamanho descomunal (aproximadamente cinco metros de comprimento).

O peixe oferece muita resistência, e puxa a canoa de Santiago cada vez mais para o mar alto. Santiago sofre com o sol cegante e abre feridas nas mãos, de tanto lutar com o peixe.

Depois de alguns dias, Santiago consegue finalmente matar o peixe e amarrá-lo a sua canoa. Porém, enquanto retornava para a costa, sofre constantes ataques de tubarões.

Quando finalmente consegue chegar a praia, o peixe já estava sem carne, só restava seu esqueleto, e Santiago estava sem forças. Os outros pescadores, vendo tamanho peixe, o maior que alguém já havia pescado, respeitam-no e o ajudam, especialmente o jovem Manolín, que gosta muito do velho.

A essência da história é a luta constante do homem contra a natureza, disputando a sua sobrevivência, com destaque para a importância não só da experiência, mas também da sorte e da perseverança. O livro também pode ser interpretado com uma simbolização da luta de um homem simples que obtém o sucesso (o espadarte) através de muita luta e passa a ser perseguido e atacado pelos donos do poder (os tubarões).

Contribuições











Falecimento do Cap. Phill

O Capitão Phil Harris do Cornelia Marie faleceu em 09 Fevereiro de 2010, durante as gravações da 6º temporada (episódios 86 e 87), após descobrir uma doença e de se negar a parar. Faleceu no Hospital depois dos médicos tentarem reanimá-lo por horas. Seria gravado um especial com seu filho naquele dia, mas este foi trocado por um episódio especial em homenagem ao Capitão.

O seu velório e uma homenagem especial dos demais capitães foram transmitidos ao vivo pela Internet e pelo Discovery Channel.

Cap. Phill esteja em Paz
!

terça-feira, 24 de maio de 2011

O Detective Tempicos volta a atacar. 6º episódio da novela “Os mistérios do Castelo de Chamborg” Nove é o autor.

O Detective Tempicos volta a atacar. 6º episódio da novela “Os mistérios do Castelo de Chamborg” Nove é o autor.

Capítulo VI

Titulo deste episódio . “As dúvidas de Novenat”

Autoria de Nove



No belo Castelo de Chamborg realizavam-se à noite, e talvez ainda se realizem, uns espectáculos de luzes especialmente destinados aos turistas. Estou a lembrar-me disso porque o acaso me trouxe às mãos uns pedaços de páginas manuscritas do que terá sido o diário do cónego Novenat, que nesse Castelo muita coisa ouviu e viu no tempo do Marquês Mendés-de-Chamborziac. É que a vida daquela gente seria mais um jogo de luzes e sombras, de desejos e frustrações, de realidades e ficções do que outra coisa qualquer.

Espero ser um fiel tradutor do cónego.

“… porque a Kátinha me enfeitiça, Senhor. Quem lhe pode resistir? Aquela pele sedosa, aquela boca sensual de onde se derrama um francês mais cativante do que o das francesas, aqueles seios perfeitos. Perdoai-me! Sabeis bem quanto me contenho na azáfama do roçagar dos paramentos e como me escandaliza a vontade do Anardá agarrar a pequena. Senhor, sabeis bem que o meu maior pecado é do espírito espicaçado pelo meu pobre corpo que Vós não quereis amansar. Sim, o mais que fiz foi tocar nos mamilos da Kátinha.
………………………………………………….............

Desde há quinze anos que digo missa no Castelo de Chamborg e confessei toda a gente que por lá pernoitou mais de um mês seguido. Pois posso garantir que de todos ouvi mistificações para iludir fraquezas ou justificar gabarolices, embora mais de uns do que de outros. Sim, também confessei o Joseph e a Frau Jeremein, Nem me atrevo a escrever como. As pessoas esquecem-se que, num meio tão restrito, me é dada a possibilidade de cruzar informação. Se tivessem pensado um bocadinho, tinham procurado confessores diferentes.

Vou ser franco, a Madame Lilly de Chamborg só tem relações verdadeiramente íntimas comigo. O Joseph acha-a demasiado velha e estragada, mas, como bom empregado, cumpre o papel que a Madame lhe destina, ou seja, o de fazer cenas que provoquem ciúmes ao Marquês e sejam ampliadas pelos binóculos e a boca do Anardá, para conhecimento e inveja de toda a gente no vale do Loire. O velho Mendés está quase impotente e não tem outro sonho que não seja o de passar uma noite encostado à Arnéss. E Lilly não perdoa ao Marquês o facto de ele, desde há uns tempos, nem a querer para aquecimento
A cozinheira é sincera nos seus arroubos pelo Joseph. Este, porém, não consegue desenvencilhar-se do papel que assumiu para, enfim, lhe cair nos braços. Embora metido numa palhaçada, é talvez das pessoas mais honestas que por aqui anda.

Frau Jeremein tem feito crer que não se deixa enrolar com patrões ou colegas de trabalho. Não consegue esconder, contudo, uma ligação a Mendés, que vai para além dos deveres de uma empregada bem paga. O nudista Anardá – na verdade, o grande sonho dele era ter sido o Tarzan - apareceu-lhe uma vez assim como nasceu. Ela fugiu a refugiar-se no quarto do Marquês e por lá ficou tempo suficiente para dar mais de cem injecções ao patrão, que de lá saiu meio trôpego e com um sorriso nos lábios. Disse-me o Anardá, pesaroso, que lhe pareceu ter ela gostado da cena de exibicionismo, mas que estranhamente lhe fugiu…

Mendés-de-Chamborziac disfarça mal as suas novas preferências por Arnéss e Frau Jeremein. Por outro lado, Lilly tenta enganar-nos dizendo que ele está sofrendo de amores serôdios, quando aquilo que a consome é a possibilidade do Marquês doar ou fazer testamento a favor das suas novas amiguinhas.
E ontem a Kátinha veio mostrar-me, toda orgulhosa, uma carta de um empresário de nome Salvador Santi, a dizer-lhe que contava com ela para entrar numa peça a levar à cena no Ambassador, um teatro da Broadway, cuja acção decorreria no Castelo de Chamborg, onde um horrendo crime haveria de acontecer.

Tudo isto me preocupa sobremaneira. Algo de muito grave se conspira por estes lados e não consigo ver muito bem o que é.
…………………………………………………….............
Meu Deus, como me castigas! Porque me fizeste tentar pela bela cozinheira Arnéss, desejá-la ardentemente, ficar louco? Para correr à procura de Lilly a fim de sossegar a carne? E Lilly, ao contrário do costume, que se mostrou tão alheia, cismando noutra coisa, falando por monossílabos. O que se passa?
…………………………………………………...............
…matar. A mim? Mas para quê? A quem aproveitaria o meu desaparecimento?

Será que querem liquidar o Marquês? Se ele não modificou o testamento, como creio, a grande beneficiária seria a Lilly. Mas se ele modificou o testamento poderá haver outros beneficiários.
O Marquês, meio tresloucado e atazanado por alguém, poderá levar a sério as cenas de Joseph com a Lilly e acabar com o motorista e a senhora. Só por causa da honra ferida e em público exposta. Porque, quanto à Lilly, preferiria que ela morresse de tédio. Será que os dois vão sucumbir a um golpe do velho fidalgo? Ou desaparecerá apenas o motorista?

Hoje, Frau Jeremein veio dizer-me, com um brilho nos olhos, que está para chegar um tal Tempicosse, ou coisa parecida, para investigar um ou mais homicídios aqui perpetrados. Ora, no Castelo de Chamborg, não ocorreu, até este momento, qualquer homicídio. No entanto algum assassínio parece estar encomendado.

A morte violenta anda por aí a rondar e não sei que fazer para a afastar.
………………………………………………….................”
Desconheço o que veio a suceder no Castelo de Chamborg, mas não há dúvida que o cónego Novenat estava muito intranquilo.

Ass) Nove. Maio 2011

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Fragmentos e Opiniões. Em tempos de mudanças, o nosso cronista António Raposo mostra aos seus leitores o que pensa sobre o tema.

Fragmentos e Opiniões. Em tempos de mudanças, o nosso cronista António Raposo mostra aos seus leitores o que pensa sobre o tema.

Algo está a mudar!....



Até há pouco tempo falava-se na juventude amorfa e desinteressada da política.
Com tanta política antes dava a impressão que a juventude não estava para aí voltada.
De repente, surgiu no Egipto um movimento político mas apartidário que levou a encher a praça da Liberdade. Ninguém tinha projecto nem bandeira. Estavam ali porque sentiam que o sistema em que viviam não lhes dava presente nem futuro.
Praça Tahir. Cairo


Estudaram para nada. O sistema que sempre conheceram e que tinha funcionado como o menos mau não estava respondendo mais. É claro que para evitar maiores males e sabendo que a utilização da violência pelos poderes instituídos não tem dado resultado, quem mandava resolveu tirar de cena a cara do comandante, para que tudo mudasse ficando tudo na mesma. Puertas do Sol. Madrid

A revolta das pessoas é um facto – uma revolta pacífica – como a que encheu as portas do sol em Madrid. Com um desemprego da ordem dos 20% para quem tinha trabalho e com a ausência total de perspectivas para a juventude, está na cara que a coisa vai rebentar. É só uma questão de tempo. Os políticos que pensem nisto antes que sejam varridos pelos acontecimentos.

Um homem um voto e as decisões a passarem ao lado dos votantes foi um sistema bom mas, pelo que se vê está a chegar ao fim o prazo de validade. Tem que ser inventado um sistema melhor. Mas qual?

Temos vivido, desde tempos imemoriais em dois sistemas básicos. Ambos terão defeitos e qualidades. Funcionaram, mas hoje estão, creio eu, esgotados.
É escusado pensar que eles se irão aperfeiçoando com o tempo. Há coisas que não mudam internamente e tem que ser mudadas de fora. Há instituições como a Escola, as Igrejas, os tribunais são incapazes de se auto regenerarem. É assim e semp
re será.
Geração à rasca. Lisboa


Sinto que novos tempos de organização social se aproximam. Que o homem sempre foi capaz de dar a volta aos problemas e inventar novas saídas.
A solução parece simples como a água: o que o homem sempre quis foi paz, casa, alimentação, um bom sistema de saúde, educação, diversão e dinheiro para gastos e para se divertir. Para que todos tenham um pouco de tudo isto sem que precisem de se matar uns aos outros ou de se explorar entre si, esse é que é aparentemente o objectivo a atingir.

Parece simples e nada complicado de aplicar mas o homem carrega em si tudo de bom e de mau da humanidade. Tão depressa é um messias e tudo o que tem dá aos outros como outras vezes põe os outros a trabalhar para si e dá-lhes uma côdea de pão duro.

Fica rico e turva-se-lhe o pensamento. Esquece os outros. Manda matar e pensa que é o mais esperto da tribo.

É – penso eu – o homem que tem que mudar. O homem e as suas circunstâncias

Então o mundo será melhor

António Raposo. Maio 2011

domingo, 22 de maio de 2011

O saber não ocupa lugar. Temas de Medicina. Falemos novamente sobre o “colesterol”

O saber não ocupa lugar. Temas de Medicina. Falemos novamente sobre o “colesterol”

Gorduras para que te quero? Eu só quero é das boas!... Assim defendo o meu colesterol.
A cozinha portuguesa é única na gastronomia mundial. Mas também é rica em colesterol – a gordura terrífica para a saúde. Antes de se deixar cair na tentação de um molho delicioso ou de uma fritada malandrinha, pense duas vezes….E vigie sempre o seu colesterol.

Todos tememos o colesterol – o que já é bom. Mas nem sempre sabemos comno actua no organismo. O colesterol é uma gordura que circula no sangue, fundamental para formar as membranas das células, gerar algumas hormonas e outros tecidos indispensáveis ao bom funcionamento do corpo.

Mas, como tudo na vida, há limites para a sua presença no sangue – hipercolesterolemia – constitui um dos maiores factores de risco para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares, que podem provocar acidente cardiovascular.

Enquanto gordura, o colesterol não é dissolvido no sangue, tendo de ser transportado por veículos especiais, as lipoproteínas, que podem ser de baixa ou alta densidade – LDL ou HDL, respectivamente.

O que é a alimentação ideal

O nível de colesterol que concentramos no nosso corpo resulta, em parte, do produzido pelo próprio fígado, mas também da ingestão de alimentos de origem animal, como a carne, o peixe, o marisco e os produtos lácteos. A média diária de consumo de colesterol não deve exceder, de acordo com os especialistas, os 300 miligramas e, como consta de todos os alimentos de origem animal, é recomendável um consumo aproximado de 180 gramas de carne ou de peixe por dia e não mais do que três ovos por semana, na medida em que ovos, ainda que pouco calóricos, são ricos em colesterol. Tudo somado sim…mas com moderação.

Como os produtos de origem vegetal não têm colesterol, tornam-se fundamentais na dieta alimentar, podendo mesmo complementar o aporte de proteínas presentes nas leguminosas.

Outro mito é de associar as massas a um elevado teor de colesterol. É um facto que dão energia, mas o que realmente as torna ricas em colesterol é a adição de molhos, manteigas e afins. Da mesma forma, os pré-cozinhados são um rastilho de colesterol.

Assim, a melhor pratica será evitar alimentos com mais de 30% de gorduras ou mais de 10% de gorduras saturadas. Prefira os grelhados, assados ou cozidos aos fritos ou salteados. E se não resistir, minimize a gordura, escorrendo bem os fritos antes de os consumir. Aumente a ingestão de alimentos ricos em fibras, que ajudem a reduzir o colesterol. Frutas, vegetais farinhas integrais e leguminosas são excelentes fontes de fibras.

E na azáfama do inicio do dia, privilegie um pequeno-almoço ainda em casa, onde pode garantir rapidez e qualidade de vida. Bastam breves minutos para preparar uma tigela de cereais integrais com leite magro ou um sumo de laranja acompanhado de uma tosta de pão integral com uma compota. Evita assim correr para o café da esquina e deglutir um qualquer folhado que se esvai em colesterol…..

Entretanto, como a rapidez se propaga ao almoço, quantas vezes resolvemos a ”coisa” com um salgado ou uma sandes de presunto, na companhia de uma cerveja ou de um refrigerante? Além de estar a fazer um almoço incompleto e desequilibrado, acaba por ingerir níveis insustentáveis de colesterol.

O comportamento ideal
As gorduras monoinsaturadas são ideais para a alimentação, caracterizando-se por serem liquidas à temperatura ambiente. Este tipo de gordura contribui para o aumento do nível de colesterol HDL. Azeite e alguns frutos secos são excelentes fontes de gorduras monoinsaturadas.

As gorduras polinsaturadas ainda são aceitáveis, designadamente as que possuem antioxidantes, que favorecem a estabilização de alguns riscos. O problema decorre da hidrogenação, processo que solidifica estas gorduras, e que pode provocar doenças cardíacas. São os polinsaturados, que encontramos nos óleos de milho, de soja e de amendoim e nos peixes gordos.

Já as gorduras saturadas são mesmo para evitar, porque aumentam o colesterol, aumentando o risco de doenças cardiovasculares. Este tipo de gordura provém das carnes e dos produtos lácteos. Os óleos de coco e de palma são ricos em gorduras saturadas.

Doenças cardiovasculares. Factores de risco.

TABACO: O fumo do tabaco lesa as paredes das artérias, tornando-as mais disponíveis para acumular depósitos de ”gorduras”. Fumar também diminui o nível do seu colesterol “bom”, o HDL.
OBESIDADE: Ter excesso de peso ou, no limite, ser obeso coloca-o em grande risco de ter colesterol elevado.
ALIMENTAÇÃO DESEQUILIBRADA: Alimentos ricos em colesterol, como as carnes vermelhas e produtos lácteos “gordos”, aumentam os seus níveis de colesterol. Comer gordura saturada que encontramos em produtos animais ou em alguns bolos e bolachas, pode também fazer subir esses mesmos níveis
SEDENTARISMO: A prática de exercício físico faz subir o seu colesterol “bom” (c-HDL) e diminuir o seu colesterol “mau”.
HIPERTENSÃO: A pressão arterial no interior das artérias também as danifica, o que acelera a aterosclerose.
DIABETES: A glicose elevada no sangue contribui para um aumento de c-LDL e diminuição de c-HDL, para além de lesaer a parede das artérias.
Historia familiar de doença cardíaca – Se tiver um parente que tenha desenvolvido doença cardíaca antes dois 55 anos de idade, ter colesterol elevado vai colocá-lo em maior risco de também a poder desenvolver

Contribuições

A evitar: Cremes para saladas. Molhos, mantAdicionar imagemeigas e sal. Cremes ácidos e maionese: Batatas fritas: Empada de maçã. Gelados. Manteiga e margarinas. Fritos

Substitutos saudáveis: Cremes com pouca ou nenhuma gordura. Ervas aromáticas, especiarias e sumo de limão. Iogurtes ou queijos magros e cremes magros. Batatas cozidas. Maçã assada. Iogurte gelado, sorvetes de fruta. Azeite, óleos vegetais ou margarina líquida. Cozidos grelhados, assados e preparados no microondas

Fragmentos e Opiniões. Isto é que anda para aqui uma açorda de marisco. Mamões são que são!

Fragmentos e Opiniões. Isto é que anda para aqui uma açorda de marisco. Mamões são que são!

Amigos leitores: ora vejam lá esta situações….

"Cerca de 20 administradores acumulavam funções em 30 ou mais empresas distintas, ocupando, em conjunto, mais de mil lugares de administração, entre eles os das sociedades cotadas" (Relatório anual sobre o Governo das Sociedades Cotadas em Portugal, ontem divulgado pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) referente ao ano de 2009, aqui citado).

Que há por aí muita gente, ao nível de administradores de empresas, que tem o "dom da ubiquidade" já era uma realidade relativamente bem conhecida, sendo certo que, nalguns casos, a acumulação de funções de administração em mais do que uma empresa até pode ter justificação económica racional. Não é, porém e seguramente, o caso dos 20 administradores a que se refere o relatório, porque, quando se atinge um tal grau de "ubiquidade", é impossível (por paradoxal que pareça) ter tempo para administrar seja o que for.

Ou antes, talvez ainda haja tempo para passar pelas empresas para tratar das próprias remunerações, em regra, chorudas, pois segundo o mesmo relatório, os 20 recordistas e os demais administradores na mesma situação (de acumulação) recebiam, em média, à data a que se reporta o relatório, por cada um dos lugares ocupados, "297 mil euros por ano, ou, no caso de serem administradores executivos, 513 mil euros".
A acumulação de remunerações, quando atinge valores escandalosos, é naturalmente censurável, mas, do meu ponto de vista, não é principalmente por aí que "o gato vai às filhoses". O mais grave é que a acumulação de funções de administração, quando se atinge o ponto que o relatório documenta, tem, forçosamente, reflexos negativos ao nível da qualidade da gestão e, logo, no plano da produtividade da empresa e da competitividade da economia. E igualmente grave é o facto que se pode deduzir do relatório de que nem todas as decisões são tomadas em função do interesse das empresas, nem dos sócios em geral, mas apenas e só em função dos interesses dos grandes accionistas que são quem tudo manda e quem ocupa, directamente ou por interposta pessoa, os lugares de administração.

Só assim se explica o alerta sobre o assunto deixado pela CMVM aos accionistas, alerta que corre o risco de cair em saco roto, exactamente porque os pequenos accionistas não têm voz activa na gestão e na vida das empresas. Todavia, o alerta não deixa de ser importante: a população em geral fica a saber (se é que ainda alguém tinha dúvidas sobre isso) que o sector privado é bem menos transparente que o sector público e que o sacrossanto "mercado" pode ser tudo, menos santo

Cá por esta casa, Bancada Directa, claro, só apetece dizer: mamões são o que são….

Obrigado Pela Sua Visita !