BANCADA DIRECTA: Agosto 2010

terça-feira, 31 de agosto de 2010

Novo e pungente episódio da saga da Mary Lou e de sua sobrinha Kátinha da Purificação




Mary Lou, Mary Lou: onde estavas tu?

13º Capítulo

Nove é o autor

Pelos interstícios de uma alegada modernidade, o maligno renasce em todo o seu repugnante esplendor

Foi com grande angústia que soube das últimas notícias da Kátinha, trazidas por um tal Andy Saaavedra. Chego mesmo a duvidar da existência desse suposto crítico de arte. E queira Deus que tudo não passe de uma invenção pois, caso contrário, a Katinha fica colada ao desenvolvimento de uma das mais graves heresias da história e ao início de uma trágica confusão.

É que o Demónio busca nova maneira de negar o mistério da Divina Encarnação e encontrou em Kátinha e no dito Saaavedra dois dóceis instrumentos.

Reclamando-se ambos de ideias modernas e arejadas, mais não estão a fazer do que deixar-se envolver numa apostasia que incorpora e ultrapassará as velhas e condenadas doutrinas de docetas, gnósticos, arianos, nestorianos e monofisistas.

Vejamos como. Pelo que nos contam – as lágrimas vem-me aos olhos só de pensar nestas coisas – a Kátinha já ensaiou a venda de uma criança que gerou. Agora propõe-se ser barriga de aluguer. E nada a impede de criar um embrião cujos progenitores sejam dela desconhecidos. Basta que lhe paguem, pois já vimos – a crer no relato do Saaavedra – que só não fechou negócio com um herdeiro de Lúcio Tomé Feteira porque o dinheiro podia tardar demasiado.

Além disso, se fosse virgem não ficaria excluída da possibilidade de ser barriga de aluguer. Mas, não o sendo, pode, em qualquer caso, fazer uma operação para recompor o hímen. Uma vez esta membrana restaurada, nada a impedirá de requerer exames periciais, antes do parto, para que seja testemunhada a sua virgindade.
Os meus leitores, na sua grande maioria argutos policiaristas, já começaram a ver a satânica trapaça em que isto pode desembocar.

Quer dizer, um poder oculto anda a manobrar estas duas pobres criaturas – Kátinha e Saaavedra – para as levar à demonstração inequívoca de que uma moça pode ser mãe sem acto sexual, sem se aproximar de esperma, sem dar um óvulo seu e, ainda, em sua perfeita virgindade, conforme testemunho médico.

Para compor o ramalhete desta calamitosa história constatamos, aterrados, que não foi casual a ida da Kátinha para a antiga casa de Boris Karloff, onde, segundo consta, habitam fantasmas. É que estes são essenciais para fazer crer nas vozes que a Kátinha haverá de invocar – se o desaforo em curso não for travado – para justificar aquela muito estranha gravidez e o consequente parto.

Se não nos unirmos contra estes ardis, será proclamado outro nascimento de origem divina e negado o anterior. Instalar-se-á a confusão e o Rei das Trevas começará a governar os incautos terráqueos até ao dia do Armagedão.

Urge trazer Kátinha de volta ao redil de um modesto e bom pastor.

Dilacerado.
J. Novena, 30 de Agosto de 2010

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Excepcional noche de tangos en el Castillo de Santa Ana en Roquetas de Mar. Foi na Quinta-Feira 26 de Agosto

Cacho Soler: um “cantador de tangos formidável

Não assisti, mas contaram-me que foi um espectáculo tão maravilhoso, que igual só em Buenos Aires


ROQUETAS DE MAR.

El tango está de moda y al público le gusta. Está claro que se vive un momento interesante de este género y eso lo prueba el espectáculo ofrecido el pasado jueves en el Castillo de Santa Ana. El patio de este castillo estuvo a rebosar y nadie quiso perderse un año más el espectáculo coordinado por Adriana Divis desde Argentina con la Asociación Casa Argentina de Roquetas de Mar.

Precisamente, la voz en off de Adriana Divis se puedo escuchar disculpándose por no poder estar en persona en el Castillo de Santa Ana, aunque subrayó que había estado trabajando en la distancia para que un año más se pudiera disfrutar del tango en el programa A pie de calle en Roquetas.

Luego subió al escenario la presidenta de la Casa Argentina de Roquetas, Patricia Corigliani que hizo las presentaciones de los artistas.Desde el primer momento hubo feeling y una buena comunión entre los artistas y el público y eso se tradujo en dos horas de espectáculo, donde no falto el tango cantado y por supuesto el ba
ile del tango.

Resaltar la voz de Cacho Soler, un artistazo, un hombre también entregado al tango, que cantó un repertorio muy variado. Por su voz tanguera salieron los sones de temas tan inolvidables como ‘El día que me quieras’, la milonga ‘El Conventillo’, ‘Los mareados’, ‘Alfonsina y el mar’, ‘Por esa puta costumbre’, ‘Yira, yira’, ‘Mi Buenos Aires queridos’ y ‘Cambalache’.

Claro que hay que rendirse ante Roque Martínez Ríos tocando el órgano que hizo un extenso popurrí de tangos haciendo gala de su destreza con este instrumento. Luego también participó la pareja formada por Miguel y Paz, que estuvieron bien con el amplio repertorio tanguero que les tocó.

Al final del espectáculo, dieron una clase de tango para el público. Se encontraban en el Castillo, personas del mundo profesional del tango como los bailarines Tupac y Belén y Pio y Toñi y el cantante Horacio Morales.

Bancada Directa agradece a colaboração de Anne-Rose Schelman

De prostituta a deputada. Eis o caminho actual de Gabriela Leite




De prostituta a deputada

Chama-se Gabriela Leite e é candidata ao Congresso Nacional brasileiro. No início da década de 90, fundou a Rede Brasileira de Prostitutas. Sem pudores sobre o passado, a sua autobiografia intitula-se "Filha, mãe, avó e puta".

Gabriela Leite venceu todos os preconceitos e decidiu contar a Lusa como abandonou o curso de Sociologia da Universidade de São Paulo e uma vida de classe média para se tornar prostituta. Agora, é candidata ao Congresso nacional, com o slogan "Puta Deputada".


No início da década de 90, Gabriela Leite fundou a Rede Brasileira de Prostitutas, que já conta com 32 associações pelo Brasil, e no Rio de Janeiro, criou a organização não governamental "Davida" para lutar pelos direitos das prostitutas.


Em 2005, Gabriela idealizou a grife "Daspu" para garantir receitas às prostitutas. O nome é uma provocação à "Daslu", a maior loja de artigos de luxo do Brasil.


E agora, após 30 anos de militância, o seu objetivo é conquistar uma vaga como deputada federal. Com um slogan nada convencional "Puta Deputada", a sua campanha eleitoral pelo Partido Verde (PV, da candidata presidencial Marina Silva, ex-ministra do Ambiente de Lula da Silva) levanta a bandeira de temas tabus na sociedade brasileira, como a legalização dos profissionais do sexo, os direitos sexuais, a defesa do aborto e o casamento homossexual. "O meu voto é de opinião, não é de multidão", admite.


"Ó meu deus, uma prostituta que fala"


"Comecei uma onda de movimento de prostitutas. Trabalhei na Boca do Lixo em São Paulo, na zona boémia de Belo Horizonte e cheguei à Vila Mimosa no Rio de janeiro. As pessoas me consideravam meio maluca por estar fazendo isso". "Ó meu deus, uma prostituta que fala", reproduz Gabriela parte das críticas que recebeu ao longo de sua vida. E, para responder ao preconceito, escreveu uma . A sua autobiografia intA sua história de vida já vai servir de guião para uma longa-metragem de ficção e de tema para o teatro.


Sem dinheiro e com apoio dos amigos, a campanha é quase toda feita pela internet, pois a "Puta Candidata" tem apenas 10 segundos no programa eleitoral televisivo.

"Há muitas pessoas que simpatizam com a campanha. Mas tem gente que fala: 'o mundo está de cabeça para baixo, uma prostituta se candidatando', tem outro que disse que 'só faltava isso na política'. Qual é o problema? Acima de puta eu sou mulher", argumenta.


Falta presença feminina no Congresso Nacional


Gabriela Leite critica a falta da presença feminina no Congresso Nacional, onde as mulheres representam apenas seis por cento dos parlamentares. "Vai ser difícil, mas acho que vale a pena para dar uma sacudida. Vai ser uma baita luta política e eu gosto de fazer tudo com desejo e tesão. Acho que isso vai ser um baita tesão", afirmou a sorrir.


A campanha pouco inusitada e o pioneirismo de sua ação foram o que motivou a socióloga Verônica Machado a tornar-se voluntária da campanha. "Eu acredito na Gabriela, dou o meu apoio incondicional. É diferente porque ela tem uma proposta, tem opinião, não tem medo de brigar e de se expor. Ela quebrou paradigmas a vida inteira", defendeu Verônica.
Para a socióloga, "todo o profissional do sexo, independentemente do género, é um cidadão e tem o direito de se manifestar".


Rozzi Brasil, também se diz eleitora da Puta Deputada: "Eu acho ótima essa ideia. O que chama a atenção é a coragem dela dizer que é prostituta declarada e concorrer a um cargo público."


Para a seguidora de Gabriela Leite, a sociedade "vive ainda com uma mentalidade muito antiga, em que causa espanto uma prostituta".

A fonte deste texto é da Agencia Lusa

domingo, 29 de agosto de 2010

Esta Lisboa que eu amo. Recordar é Viver. Nova série de fotos de Lisboa do passado

Recordar é Viver

Rua de São Domingos à Lapa. 1970
Rua Garcia da Orta. 1969
Rua Domingos Sequeira. Fachada Cinema Paris. 1990

Rua Buenos Aires. 1970
Largo do Conde Barão. Principio século XX
Basilica da Estrela. Entre 1940/1959
Entrada para o Elevedor da Bica pela Rua de São Paulo. Meados século XX
Rua Barata Salgueiro. 1943
Rua de São João da Mata. Entre 1898/1908
Rua de São Domingos à Lapa. Palácio dos Viscondes de Porto Covo da Bandeira.1940
Rua do Conde de Redondo. Meados século XX
Rua Gomes Freire. Terminal carreira 74. 1961
Rua de Santa Marta. Palácio do Conde de Redondo. Principio século XX

Fragmentos e Opiniões. Esta Europa Comunitária merece que os europeus gostem dela?

A Europa traída pelos 27

Os europeus amam-na! Mas ela não retribui esta afeição. Brusseles, 3 de Julho de 2010. O espectáculo snob da abertura da presidência belga da União Europeia

A União Europeia caiu mais do que nunca nas sondagens, revela o último Eurobarómetro. Não são os eurocépticos que estão em alta, mas sim os defensores da integração. A Comissão marca passo. O presidente da União está entre os sempre ausentes. Acordai, 27!

Artigo do La Stampa. Autor: o jornalista em assuntos europeus Marco Zatterin

Quando a Europa pergunta aos seus cidadãos se ainda é a mais bela do seu reino, só 49% - 49%! – consegue responder que “sim”. O último Eurobarómetro publicado pela Comissão revela que menos de metade dos europeus considera que pertencer à UE é “uma coisa boa” para o seu próprio país. Desde 2004 que não se passava abaixo da barreira dos 50%, e em 2008 havia mesmo 58% de euro-entusiastas. Estamos no nível mais baixo desde que a Europa tem 27 membros. A época da maioria absoluta está temporariamente suspensa.
É uma derrota da União? Sim, com toda a certeza. Uma derrota da Europa? Claro que não. Uma vitória dos eurocépticos? Estão a brincar? Essa mesma sondagem indica que existe um desejo crescente de juntar e consolidar a energia política europeia. O número de pessoas que pensa que a Europa deve resolver os problemas ligados à recessão aumentou. Três quartos dos europeus pedem, de facto, uma maior coordenação.

De resto, são muitas as pessoas que gostariam de saber com mais exactidão o que é que a Europa pode fazer por elas, porque esperam que, realmente, faça qualquer coisa. Se há tantos europeus que pensam que, afinal, a Europa não é “uma coisa muito boa”, não é porque estejam contra a integração, mas porque se sentem traídos pelos Vinte Sete e pela maneira como estes conceberam o projecto de integração. Exigem mais. Sentem-se abandonados pelos joguinhos de poder que de desenrolam entre Bruxelas e os outros países europeus. Querem saber e participar.
A solução a adoptar é evidente. Há que parar de dar a impressão de que se trata simplesmente de um jogo de sociedade, como faz actualmente a Alta Representante da União para os Negócios Estrangeiros, Catherine Ashton, concertada com os Vinte Sete, com o lançamento do serviço diplomático.

Trata-se de um problema de comunicação, um problema que diz respeito à maneira como a Europa se exprime perante os seus cidadãos e a maneira como as instituições combatem a sua guerra fratricida. É um problema de aproximação nacional, porque ninguém quer, realmente, estar na equipa até ao fim.

O modo como, em França, foi gerida a questão dos ciganos dá disto mesmo um testemunho perfeito. Paris perseguiu-os porque a popularidade de Nicolas Sarkozy está em baixa, depois, convidou seis países para uma cimeira sobre imigração sem, no entanto, ter enviado convites à Comissão e ao Conselho. A Comissão, furibunda, denunciou os riscos inerentes à falta de diálogo e, na volta, teve direito a um convite para a cimeira parisiense, ao qual respondeu: “Temos uma verdadeira sensação de que a questão dos ciganos não está na agenda da cimeira desejada pelos franceses”. Veremos.
A questão dos ciganos é um problema sério. Por um lado, porque diz respeito a pessoas que deviam ser protegidas. Por outro, porque pode, igualmente, dar lugar ao recrudescimento da pequena criminalidade. Por fim, porque os ciganos têm os mesmos direitos e os mesmos deveres que todos os outros cidadãos.
A Europa tem que encarar o problema, unida e em conjunto.
Tem que responder aos que querem uma Europa mais concreta, àqueles que querem mais segurança, àqueles que defendem a igualdade dos cidadãos, seja qual for a sua raça, etnia ou religião.
A Europa tem que encarar as suas responsabilidades. Caso contrário, continuará a baixar nas próximas sondagens, abandonada por aqueles que a amam.

sábado, 28 de agosto de 2010

Um recado para a minha neta

Para ti, carissima neta, que nesta altura voas sobre o Oceano Atlantico a caminho de Nova Iorque e depois para Los Angeles, cá o avô manda-te um recadinho: porta-te bem. Não me tragas nenhum "gift". A melhor prenda que poderei ter será a tua presença.

E que a música de Amadeus te acompanhe sempre.


sexta-feira, 27 de agosto de 2010

O saber não ocupa lugar. Temas de Medicina. Com todo o respeito, vamos falar da idade em que as mulheres começam a ter calores.

Com todo o respeito, vamos falar da idade em que as mulheres começam a ter calores. Consequências da menopausa

O destaque

Com o anunciar da menopausa chegam os afrontamentos, vagas de calor ascendentes, que começam no peito e avançam em direcção à cabeça. O rosto fica avermelhado, como se escaldasse, e manchas vermelhas podem surgir no peito, no pescoço e nos braços.

O desenvolvimento

Duram apenas alguns segundos ou minutos, mas os afrontamentos constituem a face mais visível de que o relógio biológico anunciou a chegada da menopausa. Esta pode constituir um estado mais ou menos perturbador na vida de uma mulher. Cada mulher vive a menopausa de uma forma diferente: algumas atravessam esta fase de mudança da sua vida praticamente sem sintomas, enquanto outras a vivem de uma forma muito perturbada.

A irregularidade dos períodos menstruais é o factor que anuncia a menopausa. É comum que as regras sofram alterações na suja intensidade, tornando-se mais ligeiras ou mais intensas, o que acontece gradualmente até, finalmente, cessarem. No entanto, pode acontecer que o fim da menstruação seja súbito, sem aviso prévio, Trata-se de uma consequência das flutuações ovulatórias: os níveis de estrogénios entram em declínio, os ovários deixam de produzir óvulos e, em consequência, a fertilidade vai diminuindo.
Com os níveis de estrogénio em queda emerge outro dos sintomas comuns da menopausa, porventura o que mais incómodo causa: os afrontamentos. São vagas de calor ascendentes, que começam no peito e avançam em direcção à cabeça. A baixa súbita de estrogénios interfere, não de uma forma totalmente esclarecida, com o hipótalamo, que é o nosso termóstato. A informação é que o organismo se deve libertar de “calor” e dá-se uma dilatação mais rápida dos vasos sanguíneos, pelo que a temperatura da pele aumenta.

O rosto fica avermelhado, como se escaldasse, e manchas vermelhas podem surgir no peito, no pescoço e nos braços. O aumento de temperatura faz também suar, o que pode desencadear calafrios e uma sensação de fraqueza a até desmaios.

Duram, normalmente, entre 30 segundos a alguns minutos, mas a frequência e a duração dos afrontamentos variam de mulher para mulher. Tanto podem ocorrer de hora a hora como ocasionalmente, tanto podem manter-se por um ano como nem sequer se manifestarem.

Quando estão presentes podem ter como consequência os suores nocturnos. A mulher acorda encharcada e sentindo arrepios, após o que é frequente ter dificuldade em adormecer ou em atingir o sono profundo. Estas irregularidades no sono estão, muitas vezes, na origem de alterações de humor, além de poderem afectar a saúde em geral São sintomas suficientemente perturbadores associados às alterações emocionais relacionadas com a menopausa: a irritabilidade é a face mais notória desse esrado de espírito num corpo a braços com a mudança.

Os sintomas da menopausa tornam, por isso, necessária uma intervenção no sentido de aliviar o seu impacto sobre o bem-estar da mulher.

Existem várias terapias disponíveis, mas existem alguns cuidados que a própria mulher pode adoptar no sentido de aliviar este desagradável sintoma. Para atenuar os efeitos dos afrontamentos, é útil vestir-se em camadas que se retiram à medida que o calor vai subindo ao rosto. Deve tentar evitar factores que podem ajudar a desencadear os afrontamentos – comida e bebidas quentes, ambientes quentes, álcool, cafeína, picantes e tabaco. A prática de exercício físico também tem efeitos na diminuição dos afrontamentos e vantagens em relação a aumento de peso e sindroma metabólico

Bancada Directa deseja aos seus estimados e fieis leitores que tenham um excelente Fim-de-semana

Claro, que com esta caloraça toda, passar um excelente Fim-de-semana tem de ser num local fresquinho. Fica ao critério dos nossos amigos.

A foto da amiga Traci Lord, já nem me lembro onde a obtive. Junto o texto, a ela referente, a lembrar-me, um pouco, a literatura de O. Henry.

Fiquem bem!

......A esta rubrica de puro gozo revivalista não podia faltar a primeira mulher que me permitiu um conhecimento profundo da anatomia feminina.

Os segredos da vulva, as minudências do clitóris, a generosidade dos grandes lábios, o ponto G, que na altura ainda não tinha sido inventado, tudo ela ensinou.

Sozinha, com uma amiga ou com dois imigrantes da Guiné Conacri, a Traci foi como uma professora da tele-escola. Sempre participativa e entusiasta pela forma como participava. Sempre dedicada, muito desembaraçada para a idade (14 anos) e sempre disponível na prateleira dos títulos a cor de rosa do Disco Shop Joca.

A mestria no manuseio da genitália do belo sexo, que hoje é meu apanágio, a ti te devo bela Traci......

Aveiro, Aveiro. O tráfego intenso também te apoquenta

Agradecimento ao nosso carissimo amigo Christopher Leach

Esta Lisboa que eu amo. Série de fotos da nossa cidade

Apresentamos aos nossos leitores uma série de fotos de Lisboa do passado.

Largo Vitorino Damásio. (Santos)
Igreja de São Paulo. 1957

Elevador da Bica. Fim do século XIX

Largo do Corpo Santo. Inicio século XX (actualmente o edificio ao lado da Igreja é a sede do Conselho Superior da Magistratura)

Largo de São Paulo . Chafariz. Março 1908

Rua de São João da Mata. Entre 1898/1908

Rua de São Paulo (Arco da Rua do Alecrim). Inicio século XX

Rua de São Paulo (Entre 1898/1908)

Igreja de Santos-o-Velho. 1949

Elevador da Bica. 1959

Jardim Nuno Alvares (Santos-o-Velho) 1949

Mas que grande negócio! Para mim nem mais um chavo.

Não querem lá ver que o Benfica tem de gastar mais 3 milhões na compra deste cão espectacular


Benfica tem que pagar mais 3 milhões ao Atlético de Madrid se quiser o passe do cão-guia do guarda-redes Roberto.

O problema está relacionado com o facto de Roberto ter actuado sem a companhia de Quicke, o cão-guia que é os "olhos" do guarda-redes espanhol. " Roberto tem um grave problema de visão, mas tem uns reflexos incríveis. Quicke é o seu segredo.

É um cão treinado para o avisar de que lado vem a bola. Sempre que há um remate Quicke faz um determinado latido e Roberto age de acordo com o latido.

Nós avisámos o presidente do Benfica, mas ele recusou-se a pagar os 3 milhões do passe de Quicke, mas estamos disponíveis para negociar" explicou um dirigente do Atlético de Madrid.

Agradecimento ao nosso amigo Olho Vivo e Pé Ligeiro

A França cada vez mais fustigada nas criticas pela imprensa europeia

Os ciganos indesejados em França: "Os europeus começaram a expulsar-se uns aos outros?!". Cartoon de Glez, Le Journal du jeudi (Uagadugu).


Leio a imprensa internacional de hoje e ocorre-me fazer esta nota.

Nota de Bancada Directa: não estamos a pôr em causa que os estados europeus não tenham capacidade de fixar as suas próprias leis e não quererem ciganos ilegais nos seus países. Para nós o que está em causa é que foram postos à disposição dos paises milhões de euros para a reintegração dos ciganos e esse dinheiro desapareceu. E é como quem diz: quando o mar bate na rocha, quem se lixa, não é o mexilhão, mas sim a comunidade cigana. Tenham senso senhores governantes.
Por toda a Europa se segue, de perto, o repatriamento de ciganos de França para a Roménia e a Bulgária, com um olhar cada vez mais crítico.

Do lado romeno, o Jurnalul National revolta-se com o facto de os países da Europa ocidental enviem “os seus ciganos e outros delinquentes” para o “caixote do lixo da Europa”, lembrando que já durante a Segunda Guerra Mundial a Roménia e a Bulgária acolheram os ciganos vítimas de deportações.

O diário qualifica, por isso, o presidente francês Nicolas Sarkozy como “ovelha negra” da Europa, enquanto que para o seu concorrente, Evenimentul Zilei, “os ciganos são hoje as pessoas mais perigosas da Terra”, e exige “políticas públicas que saiam dos clichés habituais”, lembrando que, desde 28 de Julho, foram repatriados 681 ciganos para a Roménia, e mais de quatro mil desde o início do ano.

Segundo o WAZ EUobserver, o sítio consagrado às relações entre a EU e os países do sudeste da Europa, “os ciganos acolheram a notícia do início das expulsões de França com uma indiferença quase total que, por vezes, se transforma numa franca hostilidade em relação ao regresso de um grupo socialmente marginalizado”.
“A expulsão dos ciganos põe a França no mesmo nível populista da Itália”, afirma o El País, porque coloca “o Estado de Direito ao serviço dos imperativos de líderes políticos e não ao serviço da igualdade e da justiça”.

Do lado francês, também não são meigos: o Liberation fala de uma “França acusada” e afirma que “a imagem degradada da França de Sarkozy não é só uma imagem. É, também uma realidade tal qual é contada, dia após dia, pela Imprensa estrangeira”, de que o diário publica uma antologia nesta edição.

Sem apelo, o Trouw afirma que a deportação dos ciganos “é absolutamente contrária ao espírito europeu da igualdade”, razão pela qual “a Comissão Europeia deve pedir explicações à França”. “Sarkozy é culpado de fraude nacional”, acrescente o diário holandês, enquanto que para o austríaco Die Presse, a cimeira sobre imigração que Paris convocou para 6 de Setembro próximo “não é apenas um estalo na cara dos esforços feitos por Bruxelas para coordenar, a nível europeu, as políticas de imigração”. Levanta uma questão “um dos princípios base da EU: o direito dos cidadãos europeus viverem onde quiserem dentro do território da União. Os outros Estados membros deviam lembrá-lo a Paris, boicotando a cimeira, por exemplo”.

O Standard austríaco fustiga a hipocrisia dos media e dos Governos que hoje criticam Paris, lembrando o facto “de a França e de outros países europeus deportarem ciganos, desde há anos, estar documentado por publicações do Centro Europeu para os Direitos dos Ciganos.” De facto, resume o semanário alemão Freitag, “toda a actuação de Sarkozy não passa de um bluff político”, com o qual procura “aumentar as possibilidade de ser reeleito em 2012.”

“Um golpe mediático com efeito boomerang”, conclui a Spiegel, porque até mesmo a Imprensa conservadora denúncia uma “manobra táctica”.

Obrigado Pela Sua Visita !