BANCADA DIRECTA: Fevereiro 2010

domingo, 28 de fevereiro de 2010

Patinagem Artistica. Imagens de desporto

Os deslizes de hoje serão a glória de amanhã. Trabalho, dedicação e vontade de aperfeiçoamento técnico/artístico é o necessário.

Confesso que não sei o nome desta atleta e nem o seu país natal. A foto é de uma competição realizada em 2006.

Talvez a Margarida me dê uma ajuda....

Aqui está a resposta/comentário da atleta algarvia Margarida Garcia de Martim Longo e que representa o PC Tavira

Olá!

Assim é que é falar, pois antes da perfeição... ...Caímos muitas vezes no chão.Agora que me faltam 15 dias para os meus testes,... ... abri os 2, sim os 2 pulsos.

E porquê?Porque tenho de treinar um salto que está difícil de ficar bem, o "Axel" e como tal, tantos faço que vou ao chão.Eu também não sei o nome desta atleta.

Mas tenho muito respeito por ela, pois cair em prova ou num teste deve ser ABISMAL!!!Até agora nunca caí, mas será daqui para a frente, mais difícil não cair, pois os saltos mais complicados começam agora, logo: as quedas também. Obrigada pela referência,

Um abraço

Atleta :Margarida Garcia. http://margaridasonhacompatins.blogspot.com/Mãe: Elizabetegghttp://bloguedabecas2008.blogspot.com/
Domingo, Fevereiro 28, 2010

Ílhavo: festival Blindagem Metal Fest realiza-se a 29 de Maio de 2010

Caros amigos leitores do Bancada Directa

Ora prestem lá muita boa atenção, para não dizerem depois que não sabiam nada deste evento.

Em Maio: próximo “Blindagem Metal Fest” será em Ílhavo

A oitava edição do “Blindagem Metal Fest” já tem data e local marcados: desta vez, o festival muda-se para Ílhavo, acontecendo a 29 de Maio


Cartaz do recente festival realizado na Vagueira


Foi devido ao “enorme sucesso” da recente realização, no início deste mês, do “VII Blindagem Metal Fest”, na Vagueira, com as bandas “Switchtense”, “Revolution Within” e “Motim”, que a equipa organizadora do “Blindagem” está a preparar a oitava edição de “mais uma noite de peso no distrito de Aveiro”.

Já com o cartaz fechado, as bandas que se apresentarão em Ílhavo serão: “Pitch Black”, “The Ransack”, “Demon Dagger”, “Hacksaw”, “Estado de Sítio” e “Unblessed Ark”.

Com este evento, a organização pretende “movimentar a zona de Aveiro”, perspectivando criar um circuito em Ílhavo, “como há 15 anos atrás”.

Contribuições
Ílhavo

Falar de Ílhavo, é falar do mar - do seu sussurro, da sua canção cujo eco se repercute pelos séculos além. Ílhavo e o mar andam tão unidos como o perfume às rosas e a inquietação à alma humana!

Ílhavo, meu lindo amor...
(João Marques Ramalheira In "Canção do Mar")

O lápis azul pegou em moda! Fragmentos e Opiniões

Fragmentos e Opiniões


O lápis azul pegou em moda!



O mistério do blog 'fantasma' de Hu Jintao

Foi criado um perfil oficial do Presidente chinês num blogue do jornal "People's Daily Online", mas a conta desapareceu sem qualquer explicação.

O blogue oficial do presidente chinês desapareceu sem explicação
Ym Yik/EPA


O Presidente chinês Hu Jintao surpreendeu o país ao abrir uma conta num micro-blog - O equivalente chinês do Twitter, que permanece bloqueado na China - do jornal People's Daily Online.

Internautas fascinados começaram a inscrever-se ao ritmo de 10 por minuto, mas ao fim desse mesmo dia a conta foi apagada sem qualquer explicação, e quem lhe tentasse aceder recebia a seguinte mensagem: "O item não foi encontrado, o autor pode tê-lo apagado".

Na altura em que desapareceu, o perfil de Hu Jintao já contava com mais de 16 mil seguidores.

Quem censurou Hu Jintao?

O incidente levantou diversas perguntas sobre quais seriam os motivos por trás do cancelamento, com pessoas a especularem que o próprio presidente havia sido vítima da censura estatal da Internet.

É também possível que se trate de um passo atrás por parte do governante, que pode ter considerado este gesto de interacção com os cidadãos algo extremo e mesmo insustentável.

O presidente não chegou a lançar uma única mensagem no micro-blog, mas o seu perfil contava já com mais de mil comentários, muitos dos quais adulatórios.

Explicações divergem

Uma reportagem local ofereceu duas explicações oficiais para o sucedido. Por um lado o site poderia simplesmente ter tido problemas técnicos devido à enorme afluência de internautas.

Outra explicação era de que a criação da conta foi automática, visto que este tipo de micro-blog é aberto para todas as pessoas que registam a sua identidade na sala de chat do People's Daily, e o presidente havia feito isto em 2008 para participar numa conversa com o público.

O jornal chinês Global Times - uma publicação de língua inglesa associada ao People's Daily - confirmou a autenticidade da conta.


Carlos Afonso Monteiro

O desporto na minha terra. OpenKarate. International UNAM. Mafra. Portugal

Caros amigos leitores: Bancada Directa dá conhecimento deste evento
Nota importante: Devido ao elevado numero inscritos de participantes o local do evento foi alterado para o Pavilhão Desportivo Municipal da Malveira, Rua Doutor José Eduardo Esteves – 2665-238 Malveira


Estimadas Federações, Associações e Clubes,

É com grande honra e satisfação que o convidamos a marcar presença no III OPEN INTERNACIONAL DE KARATE UNAM.


Este evento irá ter lugar nos dias 13 e 14 de Março de 2010 em Mafra, Portugal, e conta com a presença de mais de 1000 participantes provenientes de vários Países, sendo que nas edições passadas participaram atletas de Portugal, Espanha, Inglaterra, Dinamarca, Letónia, Rússia, Kuwait, Nigéria e São Tome.

Esperamos que durante dois dias tenhamos o prazer de os receber calorosamente neste solarengo Portugal, para que com a vossa presença enriqueçam ainda mais, este que será um dos melhores eventos competitivos da modalidade.

Com os melhores cumprimentos,

Jaime Reis
ver o programa completo aqui

Contribuições


Mafra é um município de caráter único e histórico, que reflecte, não só o seu passado grandioso, mas também o seu rico e diversificado património natural. Aqui em Mafra, você ainda pode ver as pessoas que utilizam técnicas artesanais tradicionais e experimentar os sabores e aromas do passado.

Tendo uma rica história cultural, Mafra é também uma terra de contrastes, onde os valores tradicionais convivem com uma inovação modernista. Foi executado um programa de construção de estradas sustentado para melhorar o acesso à região, bem como a construção de novas manifestações de cultura e lazer. Um aumento em instalações turísticas trouxe Mafra em pleno para o século XXI.

Aproximadamente Mafra está situado a 40 km do Aeroporto de Lisboa. Para obter mais informações sobre como obter informações das vilas de Mafra e Ericeira
Por favor, consulte o site www.viamichelin.com ou o Google Maps. (do programa do evento, traduzido para português)

sábado, 27 de fevereiro de 2010

Fragmentos e Opiniões. Um atleta mediático. O exemplo de Luis Figo

Fragmentos e Opiniões


O exemplo de Luis Figo

Continuamos no Bancada Directa a focalizar aspectos de uma novela que não tem, lá muito bem, objectivos definidos


Dificilmente haverá exemplo mais acabado da disfuncionalidade a que chegou a nossa vida política e económica do que o caso Figo.

Um atleta-modelo, símbolo do país moderno, alegadamente envolvido num esquema bem doméstico, onde se cruzam compadrios políticos com negócios públicos e apoios partidários.

O pior dos mundos.

Para ajudar à festa, a habitual culpabilidade decretada nos media. Há boas razões para que o caso seja investigado, o que não ajuda é que partamos da culpabilidade para depois investigar.

Desde logo, porque há já demasiados casos nos quais houve culpados e depois não houve nem acusação nem condenação.

Mas o caso Figo tem outra face: os partidos, em acentuada trajectória de descrédito social, procuram compensar a credibilidade perdida através de uma colecção de cromos que vai sendo exibida ao lado dos líderes.

As máquinas partidárias, devidamente fustigadas, interiorizaram a sua própria falência e vivem deslumbradas com o apoio de uns quantos notáveis. É pouco provável que haja ganhos eleitorais significativos com estas aparições em campanha. As razões das escolhas eleitorais são outras e, paradoxalmente, o investimento nos notáveis convive com uma negligência dos partidos nos factores que enraízam mais as escolhas.

Na verdade, por cada notável que surge numa campanha, haverá sempre uma relação perversa entre políticos e amigos, que aparentam proteger-se mutuamente em negócios de contornos dúbios.

É por isso tão exemplar o caso de Figo. É-nos sugerido que as duas dinâmicas, afinal, até se podem encontrar interligadas.

Pedro Adão Silva

Esta Lisboa que eu amo. E lá pela estranja olham-na!

Esta Lisboa que eu amo
Lisbon: slowly dying out




Calçadinha de São Vicente


DW-TV EUROPA - European Journal - 24 Fev 2010 The Magazine from Brussels - Europe fears a Euro crash. As well as Greece, other EU nations are mired in debt. European Journal focuses on Portugal's debt trap and Iceland's EU ambitions.

«Lisbon is one of Europe's most beautiful cities but it is slowly dying out. The economic crisis is robbing the city on the Tejo of its children.»


DW-TV EUROPA - European Journal - 24 Fev 2010
The Magazine from Brussels - Europe fears a Euro crash. As well as Greece, other EU nations are mired in debt. European Journal focuses on Portugal's debt trap and Iceland's EU ambitions.

«Lisbon is one of Europe's most beautiful cities but it is slowly dying out. The economic crisis is robbing the city on the Tejo of its children.»

Nesta manhã de um autentico ciclone aqui em Sintra, vale a pena ver e ouvir a nossa amiga Maria del Mar Bonet

Excertos de uma novela sem definição de objectivos

Esta Lisboa que eu amo.Lisboa - Calçada da Ajuda - traseiras do Palácio Nacional da Ajuda

Esta Lisboa que eu amo

Lisboa - Calçada da Ajuda

Traseiras do Palácio Nacional da Ajuda

Trata-se de um monumento nacional onde têm lugar as recepções oficiais do Presidente da República aos altos dignitários dos países estrangeiros em visita oficial a Portugal para além de ali estar instalado o Gabinete do Ministro da Cultura, a Biblioteca Nacional da Ajuda e diversos serviços do Ministério da Cultura, nomeadamente o INGESPAR (ex-IPPAR) que é suposto zelar pela defesa do património cultural do nosso país...

As fotografias foram tiradas hoje, (Dexembro de 2009) mas a fachada do edifício apresenta este estado calamitoso há longos anos e ninguém tem vergonha na cara...

Espero sinceramente que a nova Ministrada Cultura - Gabriela Canavilhas - se ocupe de dar um pouco mais de dignidade a esta fachada que há decénios é objecto da chacota nacional e internacional e me envergonha...nos envergonha.

Não haverá uma solução arquitectónica para este mamarracho?

O texto e fotos são do nosso amigo “Urbanus Detalhes”

Outro nosso amigo, o Gastão Brito e Silva, mais conhecido por Don Gaston do “Ruinarte” esclarece o que se passa com estas ruínas.

Bem...eu ando a explorar precisamente este assunto de Ruínas...tenho feito um levantamento exaustivo de várias centenas de edifícios. Não incluí este palácio por não o ter considerado como uma ruína. O projecto foi suspenso por falta de verbas e a sua conclusão foi adiada ad eternum.

Posso considerar que foi uma medida justa pela parte da família real ter evitado o gasto continuado na construção e manutenção deste faustoso edifício, impedindo dessa forma penalizar os cofres públicos e pessoais.

Houve num governo recente uma tentativa para finalizar este projecto, o ministro Carrilho no seu mandato refez uma casa de banho e gastou 12.000 contos na obra...
e acabou por aí orçamento do Ministério da Cultura.

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Bancada Directa deseja aos seus amigos leitores que tenham um Bom Fim-de-semana.

É só atestar.

Tenham um excelente Fim-de-semana

Fragmentos e Opiniões. Apesar de Alberto João ser um leader a gosto dos habitantes da Madeira, vale a pena reflectir um pouco sobre a sua obra.

Fragmentos e Opiniões

A Madeira que não vemos

Jardim construiu no arquipélago um modelo de irresponsabilidade e inconsciência política. Está à vista. Tragicamente

Não gosto de unanimismos. Como a prática ensina, os unanimismos trazem hipocrisia e cinismo atrelados. Algo que a tragédia da Madeira dispensa. Na verdade, não tenho de simpatizar com os regimes para ser solidário com os seus povos. Choro a Madeira. Mas não a Madeira erguida ao longo de décadas pelo doutor Alberto João Jardim. Essa não me merece qualquer tipo de condescendência ou caridadezinha de telejornal, à boleia de um qualquer heroísmo.
Curral das freiras

Explico: Jardim construiu no arquipélago um modelo de irresponsabilidade e inconsciência política. Está à vista. Tragicamente. A sua governação - ainda que disfarce algumas benfeitorias - entusiasmou e apadrinhou comportamentos, práticas e medidas que, em casos estudados e documentados, deixaram uma boa parte da região autónoma entregue à sua sorte. E quando a sorte de um povo depende da bondade ou maldade do tempo que faz, o crime tem nome: chama-se incúria. No mínimo. O doutor Jardim terá dado à Madeira o betão e o folclore de que precisa para a sua sobrevivência política. Por demasiadas vezes - e assim continua - os governos da República lhe toleraram o intolerável. Não falo sequer das dívidas da região ou do saco sem fundo da governação de Jardim, permitido sem escrutínio nem açaime. Falo do olhar turístico que sempre tivemos sobre o problema clínico: como o doutor Jardim é um Carnaval em permanência, ignoramos o desplante e rimos com a alarvidade. O homem e a prática têm, por isso, mais cúmplices do que se julga.

Não se iludam: depois da lama, do entulho, das mortes, dos desaparecidos, dos sem abrigo, a Madeira imprevidente, a Madeira das negociatas e das obras de fachada que tentam domar a natureza, continuará sem julgamento nem condenação. Provavelmente, até ganhará com o regresso à normalidade.

Os outros, os que neste País perdem família numa ponte, num desabar de terras, numa fúria das águas e numa qualquer tragédia anunciada e documentada, têm a sentença escrita: mesmo com toda a solidariedade do mundo e do momento, continuarão sós. Entregues a quem deles não cuida, a quem os ignora quando faz sol. Até à próxima tragédia.

Se não perceberam o Haiti, tentem ao menos perceber a Madeira. E aí talvez ainda se vá a tempo de responsabilizar quem merece. Uma vez que seja.

A novela continua. Está para durar e lavar.

Apenas nos apetece fazer uma pergunta:

Depois desta 1ª pagina do Sol de hoje, o que é que mais se seguirá?

Tragédia na Madeira. O que aconteceu. Tudo explicado em video, mas de Abril de 2008

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Fragmentos e Opiniões. O calvário da PT.

Fragmentos e Opiniões.
Depois do que tem acontecido a PT tem de mudar e muito!

Depois da tentativa falhada de compra da TVI pela PT, um negócio que teria a ver com a intenção de José Sócrates de afastar José Eduardo Moniz e Manuela Moura Guedes da estação televisiva, a operadora de telecomunicações deve fazer uma profunda reflexão sobre a sua forma de funcionamento.
A demissão de Rui Pedro Soares da comissão executiva é um primeiro passo. A eventual saída de Fernando Soares Carneiro pode ser o segundo. Ambos representa(va)m a golden share do Estado na PT. Mas engana-se quem pensa que estas saídas resolvem o problema de fundo: a PT tornou-se uma empresa que os Governos de plantão utilizam para pagar favores políticos e/ou para atingir objectivos, uns louváveis, outros muito pouco estimáveis.

A par disto, claro, existe uma gestão muitissimo profissional e um grupo de quadros de altíssima qualidade. Mas o contágio político está a minar a credibilidade e os valores da empresa. E quando, de cada vez que surge uma situação destas, nos atiram com o argumento de que a PT é a única empresa portuguesa cotada na Bolsa de Nova Iorque e, portanto, não faz operações duvidosas nem pisa o risco das boas regras de governance, começamos por achar que sim, depois duvidamos e, no final do dia, não acreditamos.

E não acreditamos porque os factos recentes - para não ir buscar acontecimentos mais antigos - mostram que, depois do que se passou com o investimento do fundo de pensões da PT em fundos da Ongoing, operação decidida por Soares Carneiro à revelia do Comité de Investimentos da operadora; depois da divulgação das actas de reuniões do conselho de administração da PT no site e no jornal da Ongoing, o que foi considerado "um acto terrorista" pelo chairman da PT, Henrique Granadeiro; e depois do mesmo Granadeiro, em entrevista ao Expresso, ter convidado Soares Carneiro a demitir-se, nada aconteceu. Fernando Soares Carneiro continua a presidir ao fundo de pensões da PT. Nuno Vasconcellos, presidente da Ongoing, que controla o "Diário Económico", que divulgou as actas, continua a presidir ao comité de governance da PT. E Rui Pedro Soares só saiu (embora fique na empresa...) porque as buscas da Polícia Judiciária na PT e no Taguspark, no quadro do processo Face Oculta, tornaram a situação insu
stentável.

Em todo este processo nem Henrique Granadeiro nem Zeinal Bava ficam bem na fotografia. Granadeiro porque quer mas parece não poder; Bava porque parece que estava a desenhar uma operação sem dar conhecimento ao seu presidente - e depois foi obrigado a abortá-la. E porque ambos não deram um murro na mesa quando o poder político lhes impôs como membro da comissão executiva uma pessoa que obviamente não tinha um curriculum à altura das exigências dessa estrutura - nomeação que só foi aprovado pelo núcleo duro nacional de accionistas (Joe Berardo, Ongoing, Visabeira, Joaquim Oliveira) porque, tirando o BES, estão todos fortemente endividados e nas mãos do banco público (Caixa) ou do banco nacionalizado (BCP).

Última nota: seria um desastre para Portugal se a PT caísse nas mãos da Telefonica ou doutra multinacional. É para evitar isso que existe a golden share e é por isso que ela deve continuar a existir na pureza dos seus objectivos iniciais- e não para os Governos lá colocarem os seus homens de confiança.

Nicolau Santos

Os desalinhados no Bancada Directa

Caros amigos leitores do Bancada Directa

Os maus exemplos frutificam e já nem é preciso adjectivar estas situações.

Apenas dizer : Francamente

Mafra. Rua José Elias Garcia. Junto ao edificio da Biblioteca da Camara Municipal de Mafra. Uma artéria estreita e por onde passa imenso trafego aut0movel, incluindo autocarros de carreiras urbanas. Para dar passagem justa aos autocarros e não lhe levarem a trazeira do pópó, não se deixa passar as pessoas.

Quinta-feira 25 de Fevereiro. 11h00 da manhã

Fragmentos e Opiniões.

Fragmentos e Opiniões
Uma mentira reiterada várias vezes não se transforma numa verdade


Por mais perverso que possa parecer, mentir e omitir são dois conceitos compreensíveis em política, e até mesmo admissíveis, quando se está, efectivamente, a falar no exercício do poder em prol de um Estado e de um povo. Não quer com isto dizer-se que ao mentir o político esteja a ser virtuoso. Seria uma hipocrisia assumir tal ideia.

Mas, já não será abusivo considerar-se que o “Príncipe” esteja a ser astuto na arte de governar ao negar ou omitir determinado facto, se com isso considerar que está a servir genuinamente um interesse maior: o nacional.

Este racional degenera quando uma mentira ou omissão são veiculadas pelo líder político, visando interesses menores, muitas das vezes de âmbito clientelar e corporativo, que em nada correspondem às obrigações nobres da governação e às exigências do Estado e dos cidadãos.

A apresentação destas linhas fica-se a dever, não tanto aos sucessivos “casos” polémicos que se têm abatido sobre o primeiro-ministro português, José Sócrates, mas antes à sua reacção e contínua negação de qualquer acto ilícito ou menos próprio.

Não nos propomos avaliar tal comportamento, e muito menos tirarmos ilações quanto à veracidade ou não das declarações de inocência reiteradas por Sócrates relativas a todos os dossiers que o envolvem. Simplesmente, toda esta história remeteu o autor destas linhas para um episódio político de proporções gigantescas que começou, precisamente, com uma negação categórica feita pelo líder sobre um polémico escândalo que o abraçara.

Em Janeiro de 1998, perante a juíza Susan Webber Wright, num processo de inquérito instaurado pelo procurador Keneth Starr, o então Presidente Bill Clinton dava o primeiro passo de um tortuoso e desastroso processo ao admitir que dera presentes a Monica Lewinsky, estagiária entre 1995 e 1996 na Casa Branca, mas negando ter tido “relações sexuais”. Uma afirmação reiterada dias depois numa entrevista ao programa NewsHour da PBS. A 26 de Janeiro, falando na Casa Branca aos americanos, Clinton comete o seu pecado capital ao dizer a célebre frase: “I did not have sexual relations with that woman, Miss Lewinsky.”

Para os americanos, era a palavra do seu Presidente e na qual queriam acreditar, legitimamente, já que a própria forma e tom com que Clinton o afirmou foram bastante convincentes. Mas, ao mesmo tempo, Clinton mergulhava numa espiral que só o puxava cada vez mais para o fundo, uma vez que em tempo algum a sua estratégia de mentira teria como fim os interesses nacionais e dos seus cidadãos.

“O que fizera com Monica Lewinsky fora imoral e estúpido. Estava profundamente envergonhado e não queria que viesse a lume. Estava a tentar proteger a minha família, a mim própria, da minha estupidez egoísta”, admitiu Clinton mais tarde nas suas memórias. “Com a minha conduta errada, causara danos à presidência e às pessoas. E a culpa era exclusivamente minha.”

E como mais tarde se veio a perceber, os americanos nunca viram nas “escapadelas” de Clinton com Mónica Lewinski um factor particularmente grave, apercebendo-se, inclusivamente, da campanha agressiva feita por Starr, que assumiu contornos inquisitórios. O problema foi a mentira reiterada várias vezes pelo Presidente americano, sem que por detrás de tal acto estivesse um interesse maior de Estado que o justificasse.

Clinton acabou por ver-se envolvido num processo de perjúrio, arrastando-se durante meses e fragilizando a sua imagem perante os seus concidadãos, que o quase afastou da Casa Branca, não fosse o Senado ter indeferido os factores que sustentavam a efectivação do “impeachment”.

Perguntará agora o leitor deste blogue sobre o que é que esta história terá a ver com José Sócrates? Provavelmente quase nada… Ou talvez tudo

Agradecimento ao “O diplomata”.

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Fotografia com sinal mais.

Caros amigos leitores do Bancada Directa

O presente vídeo é apenas uma forma de linguagem informática para mostrar as novas tecnicas de fotografias panoramicas.

É a amostragem do estadio do SL Benfica, conforme podia ser o do FC Porto, do SC Portugal ou até o do Sporting de Braga.

Boa técnica, não haja dúvida!..

vista da bancada http://www.antonio.cabral.com.pt/PanArquitecturaEstadioSLB2SWF-Port.html

vista do relvado http://www.antonio.cabral.com.pt/PanArquitecturaEstadioSLB4SWF-Port.html

Os desalinhados no Bancada Directa

Caros amigos leitores do Bancada Directa

Algures em terras algarvias, este condutor dá mostras de ser um autentico mestre na arrumação do seu veiculo.

Experiencia, maus costumes e estar maribando-se para os os outros é o que é necessário!
Francamente

agradecimento ao "passeio livre".

Mafra. Sabores da Tapada. Subordinado ao tema "As iguarias dos generais".

Caros amigos leitores do Bancada Directa

Do Gabinete de Comunicação da Camara Municipal de Mafra recebemos a noticia deste magnifico evento.

Vamos lá leitores amigos: se querem saborear uma verdadeira refeição com sabores da Tapada de Mafra não faltem. Esperamos por todos vós.


"SABORES DA TAPADA"

"AS IGUARIAS DOS GENERAIS"

De 26 de Fevereiro a 7 de Março. de 2010

14 restaurantes do Concelho de Mafra integram uma mostra gastronómica no âmbito das Comemorações do Bicentenário das Linhas de Torres. Sabores de outros tempos, com um toque de modernidade... »

No ano em que se assinalam os 200 anos de um dos mais importantes episódios da história portuguesa e europeia, esta é uma iniciativa que pretende divulgar a diversidade da gastronomia local, bem como promover a restauração do Concelho de Mafra.

“Sabores da Tapada: As Iguarias dos Generais” é uma organização da Câmara Municipal e da Tapada Nacional de Mafra, em estreita colaboração com o Matadouro Regional de Mafra, que certifica a qualidade da carne.

O gamo, proveniente da Tapada Nacional de Mafra, surge como produto principal de um conjunto de pratos que colocam em evidência a arte de bem cozinhar, assim como produtos típicos da região: o afamado Pão de Mafra, queijos saloios, pêra rocha, limão, entre outros.

Conheça os restaurantes participantes:

Adega do Convento (Mafra)
Casa dos Caracóis (Malveira)
Convento da Cerveja (Mafra)
D. Guida (Gradil)
Frei António (Mafra)
Hotel Castelão (Mafra)
João da Vila Velha (Mafra)
O Azeiteiro (Mafra) (cumprimentos à Dona Teresa)
O Brasão (Mafra)
O Faisão (Gradil)
Portal do Moinho (Ervideira, Enxara do Bispo)
Restaurante Saloio (Malveira)
Retiro do Volante (Carapinheira, Igreja Nova)
Sete Sóis (Mafra)

Mais informações em http://www.cm-mafra.pt/….e bom Apetite!!!

O saber não ocupa lugar. Temas de Medicina. A esclerose múltipla

O mistério da substância branca.
Parece o nome de um filme, mas não o é!
A realidade da esclerose múltipla


O saber não ocupa lugar. Temas de Medicina.
A esclerose múltipla (2ª parte do tema e conclusão).

Os dois primeiros dias são os mais críticos, tendendo a inflamação a desaparecer após varias semanas, embora a recuperação não seja completa. É, por isso que, num quadro de stress, de cansaço ou de febre, a visão pode turvar-se novamente, sem que isso corresponda a um surto novo de esclerose múltipla.
A função motora é uma das principais vitimam desta doença. O que se explica pelo facto do sistema nervoso conter um grande número de fibras que controlam os movimentos. O que acontece é que há uma perda de forças muscular nos braços e nas pernas, a qual pode oscilar entre dificuldade em mover os dedos até à paralisia.

Pode mesmo não haver possibilidade de recuperação. Os membros inferiores são os mais afectados, pelo que é comum o recurso a auxiliares de marcha (bengala) muletas ou até cadeira de rodas.

Agarrar pequenos objectos pode ser uma tarefa árdua para os doentes escleróticos: este cenário significa que a inflamação se instalou no cerebelo, a parte do cérebro que controla o equilíbrio e a coordenação de movimentos. Resultado: as mãos tremem, os passos são atabalhoados. E quando são danificadas as fibras nervosas que comandam o tacto é como se houvesse um encortiçamento nas pernas parecendo que se caminha sobre algodão. Formigueiro, picadas, corpo dormente são outras das consequências possíveis.
Entre os músculos afectados pontuam os da bexiga e dos intestinos, dois órgãos que estes doentes têm dificuldades em controlar. Assim, sentem com frequência aquilo a que se chama “incontinência urinária” – a necessidade de expelir a urina aos primeiros sinais de que a bexiga está quase cheia. E como têm pouca mobilidade, podem sofrer de obstipação.

A dor acompanha a esclerose múltipla: nos músculos das costas e das pernas, devido à dificuldade em caminhar, nas pernas e nos braços devido à contractura dos respectivos músculos, bem como na face.

Fadiga, dificuldades em pensar e em recordar. Alterações de humor e disfunções sexuais completam este quadro de sintomas de esclerose múltipla.

Viver com a doença é possível

A esclerose múltipla é uma doença crónica, o que significa que é para toda a vida. Não tem cura, mas não é fatal. O tratamento existe e permite lidar com os surtos, embora não faça regredir a doença. Entre os medicamentos mais usados incluem-se os corticosteróides, devido à sua capacidade para combater a inflamação. Têm, no entanto, efeitos secundários e não são adequados a todos os surtos. Há mesmo alguns que requerem apenas repouso e paciência até que os sintomas diminuam.
Mais recentes são os interferões, proteínas libertadas pelo corpo quando ocorre uma inflamação e que contribuem, nomeadamente, para reduzir a inflamação. Diminuem, pois, a probabilidade de surtos, bem como a gravidade dos mesmos, além de aternuarem os danos na mielina.

O tratamento passa também por actuar sobre os sintomas específicos da esclerose múltipla. Tais como o cansaço, a rigidez muscular, as alterações do tacto, as disfunções urinarias ou os problemas intestinais.

E é complementado com alguns cuidados que os doentes podem adoptar. Assim o repouso é essencial, de forma a poupar os músculos. Quem sofre de esclerose múltipla sabe que há dias que qualquer esforço, por mínimo que seja, é sentido como um esforço hercúleo. E sabe também que a exaustão, tanto física como mental pode agravar o seu estado. Estes doentes devem, pois, ter consciência das suas limitações e não tentar ultrapassá-las.

Por ser uma doença de evolução imprevisível, a esclerose múltipla é geradora de muita ansiedade. Não raro os doentes deixam-se cair em depressão ou tornarem-se intolerantes e agressivos para com os próximos. Não raro também foge do convívio social, isolando-se, porventura envergonhados pelo estado de dependência em que vão ficando.

A instabilidade comportamental mina as relações familiares e sociais, conduzindo, por vezes a situações de um isolamento total. Daí que sejam aconselhados a procurar apoio ao nível da psicoterapia, daí também que as associações que os representam prestam aconselhamento às famílias e demais cuidadores. Pode ser difícil lidar com a esclerose múltipla, mas é possível e desejável não ceder às limitações que a doença impõe.

Codificação dos conceitos


A esclerose múltipla é uma doença do sistema nervoso, crónica, desmielinizante e degenerativa. Vejamos o que significa cada um dos conceitos:

1- Chama-se esclerose múltipla porque, devido à doença, se forma um tecido semelhante a uma cicatriz, que endurece, deixando uma placa em algumas áreas do cérebro e da espinal-medula.

2- É múltipla, na medida em que afecta áreas do sistema nervoso, com sintomas que tanto podem ser leves como severos, que aparecem e desaparecem, total ou parcialmente, de uma maneira imprevisível

3- É desmielinizante porque causa uma lesão na mielina que envolve as fibras nervosas.

4- É degenerativa pois há também lesões das próprias fibras nervosas, as quais podem evoluir de uma forma irreversível.

Contribuições

O dia 4 de Dezembro é a data em que se assinala o “Dia Nacional da Esclerose Múltipla”. É que nesta data, mas em 1984, que nasce a Sociedade Portuguesa de Esclerose Múltipla, uma instituição particular de solidariedade social que visa apoiar doentes e seus familiares.

Com esse objectivo, propõe-se intervir junto dos Organismos competentes, transmitindo a melhor informação disponível sobre a natureza da doença e a terapêutica no sentido de os doentes beneficiarem do apoio necessário.

Colabora igualmente com as unidades de saúde com a finalidade de sensibilizar os profissionais, de melhorar o acesso ao diagnóstico e vigilância por especialistas qualificados, promover um rastreio nacional que permita estabelecer prioridades para a abertura de consultas e centros de recuperação.

A SPEM intervém ainda junto da indústria farmacêutica no sentido de serem desenvolvidas pesquisas para o aperfeiçoamento dos tratamentos. Junto da opinião pública desenvolve acções de sensibilização para a doença.

No que respeita aos doentes, apoia-os em todas as vertentes, nomeadamente através de cuidados de saúde preventivos, curativos e de reabilitação

Para melhor alcançar estas metas associou-se em 200\ à Plataforma Saúde em Dialogo, uma aliança solidária de promotores de saúde e associações de doentes.

Com delegações na Beira Interior, Coimbra, Évora, Faro, Leiria, Porto, Santarém, Setúbal e Viseu, a SPEM tem sede em Lisboa na Rua Zófimo Pedroso nº 66, 1950-291.

Podem consultar o site: www.spem.org

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Fragmentos e Opiniões. Antonio Raposo diz de sua justiça.O aspecto social desejavel na óptica do nosso cronista.

Fragmentos e Opiniões

O que é que nós desejamos de melhor para o nosso país?

A crónica do mestre sociólogo do Bancada Directa Antonio Raposo

Sabendo o que eu acho o que é bom para mim, presumo que poderei também achar o que é bom para o resto dos habitantes do meu País.

Seguindo este raciocínio concluo que o ideal será que o País tenha a maioria da sua população sem dificuldades económicas ao ponto de poder comprar o mínimo para a sua subsistência.

Que viva o melhor possível. Feliz e contente. Rodeada do que achar mais útil para a sua felicidade. Que retire prazer a ler um livro ou a ir à bola.
Porém, o que o País produz é o que tem para dividir pela população. Muito ou pouco. O que houver produzido.

Da riqueza produzida, segundo os doutos economistas (o PIB) é repartido entre o capital e o trabalho. Isto porque vivemos numa economia de mercado (os políticos chamam-lhe de democracia burguesa).
Dela nunca saímos, mesmo tendo a revolução dos cravos em 1974, a qual conseguiu grandes alterações na propriedade dos bens, mas sem nunca alterar o sistema capitalista. Curiosamente, sempre se disse, nessa altura que caminharíamos para o socialismo.

Por estranho que pareça, com a chegada dos “socialistas democráticos” ao poder, a via do socialismo foi definitivamente colocada numa gaveta e nunca mais daí saiu.

Com os actuais socialistas no poder, dificilmente se prevê a gaveta abrir-se, pelo que me parece que o nome do partido deveria ser mudado para social-democrata, para não enganar algum ingénuo.

Desculpem-me esta intromissão, vem a propósito, mas não foi por mal.

Para vosso conhecimento, apresento a seguir, a repartição, no decorrer dos tempos do PIB ou seja da riqueza produzida anualmente e da forma de a dividir entre o factor trabalho e o capital.

Em 1953 (salazarismo) – era de 55% para o capital e 45% para o trabalho.
Em 1976 (revolução) - era de 40,5 para o capital e 59,5 para o trabalho
Em 2005 (recentemente) -era de 59,4 para o capital e 40,6 para o trabalho


Esclarecendo melhor: do que se produzia e que ficava disponível para se dividir por quem produziu e financiou o que acima mencionamos. As conclusões poderão ser tomadas por quem as queira ler. Não quero influenciar ninguém….

…mas hoje ainda estaremos pior para quem viva do trabalho e melhor para quem possua o capital.

Olhando os números acima eu posso concluir com alguma possibilidade de acertar que no salazarismo a coisa não era lá muito boa para os lados de quem só tinha o trabalho como retorno do seu bem-estar, Eram os tempos negros do fascismo da censura e da polícia política, das restrições das liberdades. Era natural que os trabalhadores não fossem lá muito bem remunerados. Não havia os votos nem os partidos para reverter eventualmente as situações.

Depois veio o 1974 (Movimento das Forças Armadas) que deu uma reviravolta à situação e que mudou muita coisa. Não preciso de contar o que é ainda hoje são boas memórias de muitos e más recordações de outros.
As revoluções são sempre feitas contra alguém!

Hoje temos a situação que temos. Em termos de pose dos bens de produção a situação voltou toda atrás e as grandes fortunas foram rapidamente refeitas. Hoje mais importantes que na época 1973/4. Isto é uma constatação e não tomem como um juízo de valor.

Ora, eu que desejo o melhor para os meus conterrâneos, não posso aceitar que a situação a que isto chegou (graças à nossa querida democracia burguesa e seus ideólogos e dirigentes) seja do agrado deles.
As razões que nos colocaram neste patamar são muitas e diversificadas. Não temos agora espaço e tempo para as explicar.

Nem sabemos se os nossos eventuais leitores estarão interessados. Mas, iremos fazendo aos poucos. Para não aborrecer os amantes de futebol, que tem muitas culpas no cartório mas sempre ajuda a esquecer as agruras da vida e a porca da política!.

Antonio Raposo

Esta Lisboa que eu amo. Aspectos das Avenidas Novas. Os olhos tambem comem.

Caros amigos leitores do Bancada Directa
Bem se esforçam os profissionais da restauração em se esmerarem na qualidade das refeições a servirem aos seus clientes, mas por vezes factores externos à sua vontade fazem com que os seus restaurantes não apresentem fachadas que atraiam os clientes. Não sei se será o caso deste restaurante, mas francamente merecia melhor aspecto exterior.

Avenida Elias Garcia

fotos do Lisboa sos

Os temporais na Madeira. Suspeitas de haver 17 corpos nos pisos do Shopping Anadia


As autoridades suspeitam que estejam retidos 17 corpos no interior do parque de estacionamento subterrâneo do centro comercial Anadia

As equipas que estão a trabalhar no parque do centro comercial Anadia, com três pisos completamente inundados, continuam a tentar retirar com bombas a água que impede o acesso ao interior.

De acordo com a PSP, no local, já estiveram equipas cinotécnicas e um bote do Sanas (Socorro a Náufragos), mas não existem condições para fazer buscas mais rigorosas.

Segundo a mesma fonte, o primeiro nível do estacionamento está limpo e as equipas não encontraram ninguém, mas continuam os trabalhos de bombagem de água nos pisos inferiores. Ao local chegaram as equipas de mergulhadores e barcos pneumáticos que deverão começar a operar dentro de momentos.

No Dolce Vita alerta foi dado a tempo

Ao contrário deste estacionamento subterrâneo, no centro comercial Dolce Vita, no extremo oposto da cidade, o plano de emergência foi eficaz na saída de todas as pessoas e viaturas.

De acordo com uma funcionária de uma farmácia do shopping, Susana Gonçalves, as pessoas saíram toda do espaço comercial.

Os elementos de segurança do centro avisaram com antecedência as pessoas para retirarem os carros "quando viram alguma água entrar nos estacionamentos" e "acompanharam sempre" a retirada dos veículos.

A funcionária recorda em particular o "pânico" e a "gritaria" das pessoas que "se atropelaram para fugir para as traseiras do centro, para a zona mais segura". Os trabalhos de evacuação do edifício demoraram cerca de hora e meia.

Durante uma reunião realizada hoje, a direcção do shopping explicou que o piso térreo, dos restaurantes, apresenta um metro de água de altura.

Mensagem para o amigo Pedro Sousa

Caro amigo Pedro Sousa

Neste momento dificil para si, só lhe posso desejar, sinceramente, que tenha rápidas e consistentes melhoras e que a recuperação seja breve para poder voltar à sua vida normal.

Receba um abraço.

Adriano Rui Ribeiro

Fragmentos e Opiniões. Nos Estados Unidos a saga Barack Obama continua



Fragmentos e Opiniões


Obama avança com proposta de "bill" para pressionar democratas e republicanos

Alex Brandon

O Presidente Barack Obama está a demonstrar, claramente, que pretende ver a reforma de saúde aprovada quanto antes, nem que para isso seja o próprio a tomar as rédeas do processo legislativo, que neste momento está a decorrer no Congresso.

Perante o impasse que se verifica na Câmara dos Representantes e no Senado, Obama apresentou esta Segunda-feira uma nova proposta de “bill” que unifica os projectos daquelas duas câmaras. Com esta iniciativa, o Presidente tem como objectivo pressionar republicanos e democratas para desbloquear o processo e aprovar uma versão final do plano para a tão ambicionada reforma de saúde.

A proposta apresentada por Obama surge num momento crítico, a poucos dias de um debate televisivo de extrema importância entre democratas e republicanos, precisamente para discutir a problemática da saúde nos Estados Unidos.
Da parte dos republicanos, a reacções negativas não se fizeram esperar, através do líder daquele grupo na Câmara dos Representantes, John A. Boehner. Este acusou Obama de estar a proceder a uma aquisição massiva, por parte do Governo, do sistema de saúde. Perante este ataque seria expectável que os democratas daquela câmara viessem em apoio a Obama, mas, efectivamente, neste momento a sua posição é “wait and see”.
A tarefa de Obama é bastante difícil, visto que não tem assegurada a votação na Câmara dos Representantes e no Senado. Na primeira, precisará de 217 votos, algo que se adivinha muito difícil, e nesta última, Obama perdeu recentemente o 60º lugar democrata, do Estado do Massachusetts, ficando, assim, sem o privilégio de contornar um eventual veto republicano.

Ilha da Madeira. Lutar para sobreviver

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Os desalinhados no Bancada Directa

É preciso é por o carrinho à sombra.

Obrigado Pela Sua Visita !