BANCADA DIRECTA: Abril 2008

quarta-feira, 30 de abril de 2008

a nova ordem mundial



Força Fernanda Serrano: tu és uma "mãe coragem".

Acontece cada coisa na vida de uma pessôa.

Fernanda Serrano está doente.



Não me vou alongar muito na descrição do que está a acontecer a Fernanda Serrano. A própria anunciou a sua doença em comunicado e a Comunicação Social ,escrita e falada,tem-se dado eco da mesma em textos e reportagens extensas. Ao ter esta atitude, a actriz não só demonstrou um grande sentido de verdade perante o seu publico, mas deu mostras de uma grande confiança, que vai vencer este desafio, lutando para que o seu restabelecimento seja um facto concreto. E disso estamos nós certos que vai acontecer.....

Neste momento, o autor deste post, serve-se do Bancada Directa para desejar a Fernanda Serrano as rápidas melhoras e que tudo de bom lhe venha por acréscimo .

Força Fernanda Serrano, não te esqueças de que fazes muita falta para a tua familia e para todos nós. Tu, que ainda és uma miuda na força da vida. Não esmoreças. Estamos todos contigo.

Força, meu amigo Pedro Miguel, tu que que és um miudo de um coração bom e do tamanho do Mundo. A teu lado a Fernanda está sempre num porto seguro.

Faltam-me as palavras perante tanta injustiça que a vida nos prega. Neste momento repito apenas. Força Fernanda e Pedro Miguel.

terça-feira, 29 de abril de 2008

PARABÉNS TRICAMPEÃO



foto de Costa Pereira
Em primeiro lugar, quero pedir desculpa aos meus fieis leitores.
Estive ausente muito tempo devido a afazeres profissionais, mas sempre deitei o "olho" a este blog, que eu considero dos mais cordeais e bem intensionados da Net.
Agora já estou mais livre, prometo que vão ter de me "aturar".
Grande abraço ao PSOUSA, por conseguir manter este blog, com tanta sabedoria e empenho...
Resolvi entrar com esta foto, pois mesmo para aqueles que não são azuis-e-brancos se "vergam" a tamanha equipa, sem dúvida a "anos-luz" de todas as outras. Isto deve-se a que no FCP há organização, querer, trabalho e quando acordam pensam só no seu clube...

AJUDA: PROCURA DE AMIGO DE INFÂNCIA


Ora VIVA,


Antes de explicar o motivo que me leva a pedir ajuda para encontrar um Amigo, desde já endereço os meus cumprimentos a toda a vossa fantástica e bem disposta equipa.

Um amigo que eu já não vejo nem convivo que se mudou para Aveiro, desde que deixou Odivelas (arredores de Lisboa), onde crescemos juntos, amigos de infância, e pode-se dizer também com alguma mágoa, uma vez que se a vida já nos tinha afastado, ainda mais agora.

O Fernando terá os seus 39/ 40 anos, estatura média cabelo castanho-escuro e numa mão só tem 3 dedos (a direita), é portanto esquerdino. Um outro pormenor é o de ser filho único, bem como ser fã incondicional dos PinK Floyd e Iron Maiden. Sei quais os nomes que formam o seu nome, não me recordo é da sua ordem, penso que seja Fernando Filipe Martins Vieira, ou Vieira Martins.

Muito tempo passou mas continuo com esperança de ainda ir com ele ao concerto dos Iron Maiden em Julho, e de encontrar aquele que viveu comigo momentos únicos dos anos 80.

Agradeço que seja divulgada esta mensagem no Bancada Directa com o meu contacto pessoal para mais informações que alguém possa ter:

Telm: 96 625 44 62
E-mail:
pbispo@iol.pt

Um grande Abraço, e tudo a correr bem,


Paulo Bispo

Mundo Policiário 19/08

Coordenação de Onaírda
Dic Roland e KO = Sempre presentes
Tema de hoje ="Conheça os nossos autores policiários" (17)
"O cantar maravilhoso do tentilhão". Autor Onaírda
2ª Prova Campeonato Nacional Publico/Policiário 2005/2006

Antes , as habituais notas de Onaírda
11 de Maio no Barreiro: Realiza-se o XI Convivio da Tertulia Policiária Valtejo, este ano sob a organização da nossa confrade Professor Cebolas (Marcia G. Correia).
1 de Junho: Realiza-se o IV Convivio Anual da Tertulia Policiária da Liberdade na Estalagem da Quinta do Rio em Alto das Vinhas, situada na N379, uma estrada que liga Azeitão a Sesimbra.
O CANTAR MARAVILHOSO DO TENTILHÃO
Autor: Onaírda
Naquela manhã de Maio de um ano extraordinariamente afectado por uma seca extrema, que se iria agravar mais tarde com a previsão de que o défice iria chegar aos 6,8%, o Inspector António Garçôa (o Teórico) entrou no seu gabinete e qual não foi o seu espanto ao deparar com o seu colega Tempicos (ainda em recuperação de amores mal-sucedidos com a Nelinha) vestido a rigor e tendo nas mãos um ramo de flores, uma mistura de papoilas, verduras e espigas. Garçôa riu-se, porque conhecia o espírito marialva de Tempicos para agradar ao belo sexo e a sua presença no seu gabinete justificava-se, porque tinha sido admitida uma nova agente de 3ª (muito apresentável e bem classificada no curso) e que fora adstrita à sua secção. A Tempicos já lhe tinha dado o cheiro e estava a lançar as redes. Garçôa, meio a sério e meio a brincar, disse-lhe que ao menos podia gastar mais uns cobres e comprar um ramo mais jeitoso. O detective mulherengo arranjou uma desculpa esfarrapada, porque a porta das instalações da polícia estava pejada de vendedoras, num dia a preceito. Cheio de boas intenções e para ajudar as mulheres, lá comprou um ramo. Tempicos, depois de cansar os olhos na figura agradável da nova agente (Cristina, refira-se o nome), saiu, não sem antes avisar o amigo que telefonaria mais tarde.
Garçôa, que estava de piquete, foi chamado às 17h00 para tomar conta de um crime violento, ocorrido num parque de estacionamento à superfície, situado na zona do Restelo.
O Teórico foi confrontado com uma morte executada com extrema violência por “profissionais“. Daniel Morgado era um empresário de sucesso do ramo imobiliário em Cascais, mas com algumas habilidades à mistura, que lhe iam granjeando fortuna, mas também ressentimentos, ódios e desejos de vingança por parte de alguns concorrentes. Foi ele quem apareceu morto no interior do seu automóvel, apresentando um profundo e extenso golpe na garganta, direccionado da direita para a esquerda e que quase o degolou. Tinha tido morte praticamente imediata, tal a precisão do golpe. O móbil do crime não fora o roubo, pois não foram subtraídos quaisquer valores da viatura e a própria carteira de Daniel, que estava meio à vista num dos bolsos do casaco, estava intacta e com 800 euros. Garçôa concluiu que a morte do empresário tinha sido o objectivo único daquele golpe de mão!
Havia uma testemunha importante e que se pôs à disposição do Teórico. Tratava-se de um empregado de uma cervejaria próxima, situada a cerca de 100 metros do local do crime. Disse que nessa tarde entraram dois indivíduos, um de pele branca e o outro de raça negra, com ligeiro sotaque afrancesado, que nunca os tinha visto por aqueles lados, que se sentaram em dois bancos do balcão e de onde podiam ver distintamente a rua. Pediram dois copos de cerveja, mais tarde repetiram e ali permaneceram duas horas praticamente sem conversar, mas sempre olhando para o exterior, o que fez desconfiar o empregado. Perto das 16h30, saíram repentinamente, deixando os copos meios de bebida e passaram para o outro lado do passeio. Como não tinham ainda pago a despesa, o empregado veio até fora do estabelecimento e gritando, chamou a atenção para o facto e de imediato o negro atirou para o chão uma nota de cinco dólares. O empregado, que estava de luvas por estar a lavar copos e chávenas, não se fez rogado: atravessou a rua e apanhou a nota, mas teve tempo de reparar que os dois homens seguiam outro bem vestido e que iam todos na direcção do parque de estacionamento. Já com a visão perturbada por uma árvore, viu de relance que o homem bem vestido entrou no seu automóvel e o outro de pele branca tentou impedi-lo de fechar a porta ou pelo menos dificultou a entrada. Mas como estavam a chamá-lo da cervejaria voltou para trás e não pensou mais no que viu. Quando soube do crime, relacionou-o com a presença dos dois desconhecidos e dera conhecimento à Policia. Com a excitação do momento, não lavara os copos que ainda estavam em cima do balcão, nem guardara a nota na gaveta da máquina registadora.
O apoio logístico de Garçôa funcionou, traduzido com a recolha de indícios e a presença do médico legista. A conclusão do que viu permitiu ao Teórico confirmar que estava em presença de uma dupla especialista neste género de golpes, de certeza que já tinham cadastro e que actuaram às ordens de um mandante.
Diligências efectuadas no dia seguinte permitiram que, no fim do dia, o inspector tivesse a investigação alinhavada. Tinha obtido do juiz de instrução um mandado de detenção para os dois suspeitos e havia que os interrogar no dia seguinte, sábado. Tratava-se de Arnaldo Camarão, que morava na zona da Ericeira, e de Mifiná Siké, de origem africana, que residia na zona oriental da capital e estava em Portugal havia dez anos, devidadamente legalizado.
Quando Garçôa interrogou Arnaldo Camarão, este ainda não sabia para o que fora chamado, ficando na expectativa – talvez fosse o não cumprimento da apresentação de uma “condicional”. Devido à forma inteligente e matreira como começou o interrogatório, deu-lhe para falar à vontade, para impressionar o Teórico. Este, de repente, disparou a pergunta inevitável:
– Que é que você fez durante todo o dia de anteontem?
Arnaldo é apanhado de surpresa mas respondeu com convicção.
Dormi toda a manhã e levantei-me por volta da uma.
Almocei uns restos do jantar da véspera e de tarde fui até ao porto de pesca da Ericeira, onde estive entretido a ver a grua a descer e içar barcos empenhados na pesca desportiva. Mas aproveitei a ocasião e levei comigo um tentilhão numa gaiola, para o ir treinando a cantar em andamento.

Tenho um tentilhão novo, que canta grande quantidade de cantigas, mas só em casa. As pessoas que me viam passar, não só admiravam o cantar da ave, mas também o seu bico azul, sinal de que anda com o cio e que o faz cantar lindamente nesta época da Primavera. Regressei a casa por volta das 19h00 e já não saí!
Garçôa não lhe perguntou mais nada mas lembrou-se que por vezes ia à Ericeira aos domingos e gostava de ver a tal grua no seu movimento de bota abaixo e levantamento de barcos desportivos.
Mifiná Siké dava claramente a ideia de ser esperto e operacional. Estava no mesmo estado de Arnaldo quando começou a ser interrogado. Garçôa fez-lhe a mesma pergunta e ele respondeu convictamente:
– Nesse dia apeteceu-me ir à pesca. Fui desatracar o meu barco à doca da Matinha pelas 9h00 e dirigi-me para a outra margem perto do Samouco, onde apanhei minhocas suficientes para um dia inteiro de pesca. Segui para o mar da Palha e por lá estive todo o dia até às 18h00. Depois vim atracar o barco na doca e segui para casa. Já não saí no resto do dia. Mas no dia seguinte também fui para a pesca, agora nas valas das lezírias de Vila Franca, dado que é a altura ideal e permitida para se apanharem bogas, carpas, barbos e achigãs.
Como é seu hábito só ao final do dia seguinte é que Tempicos se lembrou de telefonar ao Teórico e perguntou-lhe se a nova agente estava a corresponder às suas funções. Garçôa disse-lhe que ela tinha passado todo o dia no laboratório da científica, aguardando resultados urgentes e concretos. Tinha demonstrado grande paciência, o que era bom sinal. Mas tudo foi frutuoso e correu bem e agora informava-o de que o namorado da Cristina tinha vindo buscá-la e que o mesmo tinha dois metros de altura e praticava karaté. Tempicos pigarreou, tossiu e resmungou:
– O Teórico até nem pode acertar num alvo a cinco metros, mas que é certeiro a desmoralizar, lá isso é!...

Onaírda conhece o relatório elaborado pelo Teórico e que permitiu que o caso fosse para tribunal. Mas como está obrigado pelo segredo de justiça, que quer cumprir, deixa ao cuidado dos detectives do Policiário a elaboração do mesmo o mais aproximado possível.

{ publicado na secção “Policiário” do jornal “Público” de 8 de Janeiro de 2006 }

(Nota de Onaírda: a imagem do tentilhão, mostra-nos a ave com o bico já azulado, que indica que está na fase de cio, o que o faz "correr cantigas". Um tentilhão premiado em concursos correrá numa hora cerca de 45/55 cantigas, tendo maior valor qualitativo as que foram feitas em trrri-chéu-chéu, como era o caso do tentilhão que inspirou este problema).

Não é preciso chegar a tanto, para se mostrar que é um homem.

À imagem que se segue, Bancada Directa não faz juizos de valor e nem processos de intenção. Mas que o homem, a acreditar no que se está a ver, é um grande "sacripante", lá isso é.

segunda-feira, 28 de abril de 2008

Futebol Distrital de Aveiro










Quando faltam algumas jornadas para o final, ficam os resultados, classificações completas e algumas curiosidades e estatísticas...





1ª Divisão 2007/08

JORNADA 30 2008-04-27
Visitado Visitante
Sanguedo 0-0 Gafanha
Cortegaça 2-0 São Roque
Águeda 1-1 Canedo
Alba 3-0 Carregosense
Oiã 1-0 Fermentelos
FC Cesarense 4-1 Estarreja
P. Brandão 2-1 BARC
Pessegueirense 3-1 Oliveirinha
Arrifanense 2-0 At. Cucujães

JORNADA 31 2008-05-04
Visitado Visitante
At. Cucujães 04/05 Sanguedo
Gafanha 04/05 Cortegaça
São Roque 04/05 Águeda
Canedo 04/05 Alba
Carregosense 04/05 Oiã h2h
Fermentelos 04/05 FC Cesarense
Estarreja 04/05 P. Brandão
BARC 04/05 Pessegueirense
Oliveirinha 04/05 Arrifanense

Pos. Equipa Pontos Jogos
1 Águeda 69 30
2 FC Cesarense 62 30
3 Estarreja 52 30
4 Alba 49 30
5 Arrifanense 46 30
6 Canedo 44 30
7 Gafanha 44 30
8 Sanguedo 43 30
9 P. Brandão 43 30
10 Pessegueir. 40 30
11 Oiã 40 30
12 Carregosense 38 30
13 Fermentelos 36 30
14 At. Cucujães 34 30
15 São Roque 31 30
16 BARC 30 30
17 Oliveirinha 27 30
18 Cortegaça 22 30




Curiosidades e Estatísticas


FC Cesarense é a Equipa que menos tempo precisa para marcar um golo na competição!
Sanguedo é a 2ª Equipa que está há mais jogos sem ganhar na competição!
Carregosense é a Equipa com mais golos sofridos em casa na competição!



Estatística Líder
Melhor Ataque - FC Cesarense 63 Golos
Pior Defesa - Fermentelos 51 Golos sofridos
Mais Vitórias - Águeda 21 Vitórias
Mais Empates - Cortegaça 10 Empates
Mais Derrotas - Oliveirinha 19 Derrotas
Max. Jogos sem Perder - Águeda 18 Jogos




2ª Divisão 2007/08 Zona Norte

JORNADA 26 2008-04-27
Visitado Visitante
ARC S.Vic.Pereira 0-0 Amigos Cavaco
Bustelo 1-0 FC Pinheirense
Sp. Paivense 2-1 CDC Mac.De Cambra
Mansores 1-6 Argoncilhe
Romariz 0-1 ACRD Mosteirô
Sporting Clube da Feira 1-2 ACR Sardoura
FC Macieirense 1-1 GD Beira-vouga
ADC Lobão 3-1 Mosteirô F.C.

JORNADA 27 2008-05-04
Visitado Visitante
Mosteirô F.C. 04/05 ARC S.Vic.Pereira
Amigos Cavaco 04/05 Bustelo
FC Pinheirense 04/05 Sp. Paivense
CDC Mac.De Cambra 04/05 Mansores
Argoncilhe 04/05 Romariz
ACRD Mosteirô 04/05 Sporting Clube da Feira
ACR Sardoura 04/05 FC Macieirense
GD Beira-vouga 04/05 ADC Lobão

Pos. Equipa Pontos Jogos
1 SC Bustelo 65 26
2 Sp. Paivense 57 26
3 ACR Sardoura 48 26

4 FC Pinheirense 39 26
5 ACRD Mosteirô 36 26
6 Romariz 36 26 10
7 Argoncilhe 35 26
8 FC Macieirense 31 26
9 JA Amigos Cavaco 31 26
10 ACR Mansores 28 26
11 ARC S.Vic.Pereira 27 26
12 ADC Lobão 27 26
13 GD Beira-vouga 24 26
14 SC Sta. Maria Feira 24 26
15 CDC Mac.De Cambra 24 26
16 Mosteiro FC 23 26




Curiosidades e Estatísticas


ACR Sardoura é a 2ª Equipa com mais golos marcados por jogo na competição!
ADC Lobão é a 3ª Equipa que está há mais jogos sem perder na competição!
SC Sta. Maria Feira é a Equipa com mais derrotas em casa na competição!

Estatística Líder
Melhor Ataque - FC Pinheirense 57 Golos
Pior Defesa - FC Pinheirense 50 Golos sofridos
Mais Vitórias - Bustelo 20 Vitórias
Mais Empates - ARC S.Vic.Pereira 15 Empates
Mais Derrotas - Mansores 14 Derrotas
Max. Jogos sem Perder - Bustelo 16 Jogos



2ª Divisão 2007/08 Zona Sul


JORNADA 26 2008-04-27
Visitado Visitante
GD Calvão 2-0 FC Serém
Luso 2-1 N.E.G.E.
CCD Couvelha 3-1 SC Carqueijo
LAAC 5-0 MD Eirolense
AD Requeixo 1-1 Mourisquense
GD Águas Boas 1-1 AD Paredes Bairro
UD Bustos 2-0 CRAC
Macinhatense 0-1 Mealhada

JORNADA 27 2008-05-04
Visitado Visitante
Mealhada 04/05 GD Calvão
FC Serém 04/05 Luso
N.E.G.E. 04/05 CCD Couvelha
SC Carqueijo 04/05 LAAC
MD Eirolense 04/05 AD Requeixo
Mourisquense 04/05 GD Águas Boas
AD Paredes Bairro 04/05 UD Bustos
CRAC 04/05 Macinhatense

Pos. Equipa Pontos Jogos
1 LAAC 69 26
2 Mealhada 62 26
3 FC Serém 54 26

4 Macinhatense 51 26
5 Mourisquense 47 26
6 GD Calvão 37 26
7 UD Bustos 37 26
8 Luso 35 26
9 CCD Couvelha 32 26
10 N.E.G.E. 28 26
11 AD Requeixo 25 26
12 GD Águas Boas 23 26
13 MD Eirolense 22 26
14 SC Carqueijo 21 26
15 AD Paredes Bairro 20 26
16 CRAC 15 26



Curiosidades e Estatísticas


Mealhada é a 2ª Equipa com mais vitórias consecutivas na competição!
CRAC é a 3ª Equipa com mais derrotas em casa na competição!
Macinhatense é a Equipa com melhor defesa na competição!



Estatística Líder
Melhor Ataque LAAC 82 Golos
Pior Defesa CRAC 73 Golos sofridos
Mais Vitórias LAAC 22 Vitórias
Mais Empates N.E.G.E. 10 Empates
Mais Derrotas CRAC 17 Derrotas
Max. Jogos sem Perder LAAC
23 Jogos


3ª Divisão 2007/08 Norte


JORNADA 22 2008-04-27
Visitado Visitante
Amigos do Visconde 27/04 GDS Cruz Alvarenga h2h
AD Santiais 0-1 CRC Rocas do Vouga
AD Severense 1-0 ADRC Palmaz

JORNADA 23 2008-05-01
Visitado Visitante
CRC Rocas do Vouga 01/05 Amigos do Visconde
ADRC Palmaz 01/05 AD Santiais
CCRS Martinho 01/05 AD Severense

Pos. Equipa Pontos Jogos
1 Amigos do Visconde 38 18
2 CCRS Martinho 34 18
3 CRC Rocas do Vouga 33 19
4 GDS Cruz Alvarenga 25 18
5 AD Severense 22 19
6 AD Santiais 18 19
7 ADRC Palmaz 9 19






Curiosidades e Estatísticas


ADRC Palmaz é a 2ª Equipa com mais golos sofridos em casa na competição!
Amigos do Visconde é a Equipa com mais vitórias fora na competição!
CCRS Martinho é a 2ª Equipa com mais golos marcados fora na competição!


Estatística Líder
Melhor Ataque CCRS Martinho 34 Golos
Pior Defesa ADRC Palmaz 33 Golos sofridos
Mais Vitórias Amigos do Visconde 11 Vitórias
Mais Empates CCRS Martinho 7 Empates
Mais Derrotas ADRC Palmaz 14 Derrotas
Max. Jogos sem Perder CCRS Martinho 12 Jogos


3ª Divisão 2007/08 Sul

JORNADA 21 2008-04-20
Visitado Visitante
AR Aguinense 0-1 ADRC Ribeira
GD GAF Aquem 0-1 CAP Alquerubim
AC Famalicão 3-2 CR Antes
FC Bom-Sucesso 1-3 Mamarrosa FC

JORNADA 22 2008-04-27
Visitado Visitante
ADRC Ribeira 27/04 CAP Alquerubim
GD GAF Aquem 0-0 CR Antes
AC Famalicão 27/04 Mamarrosa FC
AR Aguinense 0-2 FC Bom-Sucesso


Pos. Equipa Pontos Jogos
1 FC Bom-Sucesso 50 22
2 AC Famalicão 48 21

3 ADRC Ribeira 34 21
4 AR Aguinense 29 22
5 GD GAF Aquem 28 22
6 CAP Alquerubim 22 21
7 Mamarrosa FC 18 21
8 CR Antes 12 22




Curiosidades e Estatísticas

GD GAF Aquem é a 3ª Equipa com mais golos marcados fora na competição!
AR Aguinense é a 2ª Equipa que está há mais jogos sem ganhar na competição!
Mamarrosa FC é a Equipa com mais derrotas consecutivas na competição!



Estatística Líder
Melhor Ataque - FC Bom-Sucesso 59 Golos
Pior Defesa - Mamarrosa FC 49 Golos sofridos
Mais Vitórias - FC Bom-Sucesso 16 Vitórias
Mais Empates - GD GAF Aquem 7 Empates
Mais Derrotas - CR Antes 16 Derrotas
Max. Jogos sem Perder - AC Famalicão 13 Jogos



Génios são assim...

Boas amigos, como acho que vou estando em dívida para quem nos visita e para os meus amigos que ajudam este blogue, cá vai um excelente vídeo, que nos mostra uma criança de 5 anos a tocar piano a um nivel só alcance dos génios e que só com um dom é possível...Vejam e comprovem.

Desliguem o som do blogue em cima para ouvir, pois vale a pena.


O Domingo de ontem, visto no dia seguinte: Acontece cada coisa na vida de um homem!!!!

Homem de 55 anos, mata, em acidente, a sua própria neta!!!!

12 de Abril de 2008. Aldeia do Biscainho, Concelho de Coruche. Tragédia com bebé de 14 meses deixa esta localidade em choque!
Individuo de 55 anos, mata em acidente a sua neta que ele tanto adorava.

Hoje ainda me encontro em São Vicente do Paul. Freguesia do Concelho de Santarém, terras de “borda-d’água”, margem direita do Tejo a 10 Kms a montante da capital escalabitana. Neste fim-de-semana XL reúno-me com os amigos, que fui fazendo ao longo de muitos anos, e aproveito para pôr a “conversa em dia”

Confesso que a noticia me falhou e desconhecia o assunto. Por isso fiquei boquiaberto com o que ocorreu a 12 de Abril na aldeia do Biscainho, Coruche, na margem esquerda do Sorraia e onde se situa a Herdade da Torrinha, pertença da família “Ribeiro Telles” e outra, também grande, dos Herdeiros de Alberto Cunhal Patrício, que foi primo de Álvaro Barreirinhas Cunhal. Esta zona privilegiada é, por excelência, a catedral de criação dos cavalos do Sorraia.

Como desconhecia o acidente a que me refiro, foram buscar-me os jornais da região e respiguei para o “Bancada Directa” o principal do que aconteceu:

Bebé de 14 meses atropelada mortalmente pelo avô.

Uma bebé de 14 meses foi atropelada, Sábado, pelo avô no quintal da casa dos pais no Biscainho. A tragédia ocorreu cerca do meio-dia, na Estrada 515, que liga esta localidade a Benavente. Segundo se sabia, a bebé foi atropelada pelo avô, quando este retirava da garagem a sua carrinha pick-up. A bebé, que já gatinhava, ter-se-á colocado por detrás da viatura, sem que avô se apercebesse. Depois de pôr o motor a trabalhar, saiu em marcha-atrás, colhendo mortalmente a criança. Uma viatura do VMER (Viatura Medica de Emergência e Recuperação) do Hospital de Vila Franca de Xira acorreu à situação, que levaram a cabo várias tentativas de reanimação da criança, mas que não resistiu aos ferimentos. O corpo da bebé foi transportado para morgue do Centro de Saúde de Coruche.



(casa dos pais da bébè)

Uma equipa de psicólogos do INEM prestou acompanhamento aos familiares, que ficaram em estado de choque, como é natural. O avô da criança tem 55 anos de idade e é motorista de camiões TIR. De seu nome Joaquim Maximiano, é uma pessoa conceituada na aldeia, e segundo um amigo, tinha muito orgulho na sua netinha, com quem fazia muitas brincadeiras e mostrava-a aos amigos em locais públicos, como tinha acontecido dois dias antes.

O corpo da pequena Sofia esteve na Igreja do Biscainho, onde foi rezada missa de corpo presente. Rumou depois para o cemitério da freguesia, onde o funeral se realizou às 18h00 de segunda-feira. Foi uma cerimónia fúnebre que decorreu com grande adesão popular, não só dos habitantes da aldeia, mas de todos os lugares em redor. Contou com a presença do Presidente da Câmara Municipal de Coruche, o qual se mostrava bastante consternado com a morte da bebé naquelas circunstâncias.

É caso para dizer: Acontece cada coisa na vida de um homem!!!!!

domingo, 27 de abril de 2008

O humor de Domingo no Bancada Directa


Um agente da Brigada de Trânsito manda parar um condutor por excesso de
velocidade.
Agente: Posso ver a sua carta de condução ?
Condutor: Não tenho. Foi suspensa na minha ultima contra-ordenação .
Agente: Posso então ver o registo de propriedade do veículo ?
Condutor: O carro não é meu. Roubei-o.
Agente: O carro é roubado ?
Condutor: Sim, é verdade. Mas agora que penso nisso, acho que vi o
registo de propriedade no porta-luvas quando lá meti a minha pistola...
Agente: Está uma arma no porta-luvas ?
Condutor: Sim. Coloquei-a lá depois de matar a dona do carro e ter metido o
corpo dela no porta-bagagens.
Agente: Está um CORPO na BAGAGEIRA ???
Condutor: Sim, senhor.
Ao ouvir isto, o agente chama imediatamente o seu superior. O carro foi
rápidamente cercado por um cordão policial e o capitão aproximou-se do
veículo para controlar a situação.
Capitão: Senhor, posso ver a sua carta de condução ?
Condutor: Claro, aqui está ela. (A carta é válida )
Capitão: A quem pertence este veículo ?
Condutor: É meu, seu guarda. Aqui tem o registo de propriedade. (O carro é,
de facto, do condutor)
Capitão: Fazia-me o favor de abrir o seu porta-luvas lentamente para eu
verificar se lá se encontra uma arma dentro ?
Condutor: Sim, senhor. ( O porta-luvas está vazio )
Capitão: Podia abrir o porta-bagagens do seu veículo, por favor ?
Condutor: Sim, senhor. ( Não tem corpo nenhum )
Capitão: Não compreendo. O agente que o mandou parar disse que afirmou não
ter carta de condução, ter roubado o carro, ter uma arma no porta-luvas e um
corpo no porta-bagagens.
Condutor: Ah, claro. E aposto que o mentiroso também lhe disse que eu ia em
excesso de velocidade, certo ?

sábado, 26 de abril de 2008

25 d'Abril sempre!

O Desporto na minha terra: As Rainhas do Voleibol: equipa senior feminina da Associação D. Carlos I de Sintra

O Desporto na minha terra (2)

As Rainhas do Voleibol: equipa sénior feminina da Associação D. Carlos I de Sintra.




Estas são as campeãs!!!! Ana Caldeira; Ana Costa; Diana Bruno; Filipa Neves; Filipa Santos; Francisca Gualdino; Helena Cabral; Joana Sousa; Marisa Vilela; Ildegarda Cabral, Patrícia Pires e Sónia Caravela.


A equipa sénior feminina da Associação D. Carlos I de Sintra, conquistou o título de Campeã regional de Lisboa em Voleibol, apenas com uma derrota. As estudantes estão apuradas para a Final Four Nacional. Bancada Directa endereça-lhe as maiores felicitações, não só pelo êxito alcançado, mas sim com o constante progresso evidenciado por estas jovens.

Sincronizar o Desporto nas suas vertentes físicas e competitivas, é a combinação perfeita dos projectos lançados pela Associação Cultural, Desportiva e Recreativa D. Carlos I, sedeada na Escola com o mesmo nome, em Sintra. Sem nunca perder de vista os sentidos de uma boa e eficiente aprendizagem escolar dos seus atletas.

Criada no dia 1 de Outubro de 1988, inicialmente como núcleo de Ténis de Mesa e mais tarde, em 1993/94, sob a designação de Clube Top Spin, foi sempre desenvolvendo uma vasta actividade de formação desportiva e social junto da comunidade Concelhia de Sintra, até ao dia 31/10/2000, a partir do qual se constituiu como Associação Cultural, Desportiva, Recreativa D. Carlos I, dando seguimento ao trabalho desenvolvido desde a sua fundação.

Desenvolvendo um Projecto de desenvolvimento desportivo integrado - conhecido como Projecto Top Spin -, na medida em que proporciona a continuidade de formação e competição aos atletas formados na Escola D. Carlos I, e outras escolas do Concelho de Sintra, na transição e passagem ao associativismo desportivo. À luz desta perspectiva e apesar de o Ténis de Mesa ser a modalidade - mãe da associação, a Direcção desde logo acarinhou em Janeiro de 2003, a criação de uma secção de voleibol no seu seio, respondendo ao convite de ex-alunos e alunas que tinham passado pela Escola D. Carlos I, e outras vizinhas.

Rapidamente se constituíram duas equipas seniores: uma masculina e outra feminina, fazendo ascensão natural da III para a II Divisão. Actualmente, para além destas duas equipas, existem mais duas de formação, ambas nas categorias de Juniores (masculinos e femininos) que competem desde há duas épocas, nas fases regionais e nacionais dos respectivos campeonatos

Para chegar ao título de campeã regional, as jogadoras da Associação D. Carlos I, apenas perderam um jogo em dez confrontos, o que revela bem uma hegemonia da equipa orientada por Alexandre Eufrásio no campeonato da Associação de Voleibol de Lisboa.

Apuradas para a fase nacional – Zona Sul, terminaram a prova em 4º lugar, jogando agora um lugar na final, através da Final Four que se vai realizar no Pavilhão da Escola em Sintra. Um factor casa que pode trazer vantagem à equipa, conforme adiantou á comunicação social, o treinador Alexandre Eufrásio “Esta equipa tem condições de chegar à fase final da II Divisão, por tudo o que tem trabalhado até aqui. Nesta fase todas as equipas se equilibram, mas sabemos do nosso valor e do facto de jogarmos no nosso pavilhão, espero que seja uma vantagem
para nós e um premio para todos os que nos têm apoiado.

(texto publicado no Bancada Directa tendo como fonte Ventura Saraiva do "Sintra Desportivo")

sexta-feira, 25 de abril de 2008

VIVA LIBERDADE: 25 DE ABRIL 1974

Obrigado a todos que lutaram para que hoje todos nós possamos exprimir-nos abertamente e livremente sem opressão....

Não há excesso de liberdade se aqueles que são livres forem responsáveis. O problema é liberdade sem responsabilidade. (Milton Friedman)

O meu 25 de Abril (3)


Outro cidadão deste país , A. Raposo, figura de grande democrata, e que faz o favor de ser meu amigo, tambem comentou o meu post " O meu 25 de Abril", denotando uma certa desilusão pelo caminho que os ideais de Abril tomaram. Mas há sempre uma esperança de que as "coisas "podem melhorar.

Eis o seu comentário:

Meus caros,
Não posso ficar calado. Eu estou de acordo com as vossas opiniões mas queria aprofundar mais umas coisinhas.
O nosso "amigo" Presidente deve andar distraído. Será que ele não percebeu, porque é que o pessoal se está maribando para os políticos? Para o Poder Político em geral? Será que ele que esteve 10 longos anos no poder a desfazer pouco a pouco quase tudo o que o 25 de Abril fez e não deu por isso? Hoje estamos
como estamos, a viver este tipo de "Suciedade" graças aos políticos que estiveram no Poder. Só a eles se deve a situação actual.



Se há desemprego (como nunca houve) se a classe média foi destruída e quem vive de "reforma" dia a dia ganha menos, isso devemos agradecer ao nosso ilustre Presidente sem cravo (que veio da Ilha da Madeira a assobiar para o lado, recentemente) e aos seus ministros quer do PSD quer do PS que agora estão a enterrar o que resta. Estão agora a acabar com a agricultura (graças à U.E. que nos venderá os comes e bebes) estão a acabar com a indústria. A sobrante vai-se embora explorar povos mais "económicos".
e ficam-nos os SERVIÇOS!. Vamos todos ser empregados de mesa! Para servir a terceira idade que aí venha apanhar sol e mar.
Veja-se o ilustre código do trabalho - OBRA GRANDE dos Socialistas que vai por todo o mundo a recibo verde e a ir para a rua se o patrão não apreciar a cor da gravata.
O nosso amigo Presidente ou anda muito distraído (não tem assessores que o informem) ou anda-nos a pregar uma partida. Mas se é assim. Eu por mim já resolvi. Não voto mais. Mesmo quando votava contra, eu estava a mudar de burro mas não mudava de jumento. E também não passava disso!
Um abraço
A Raposo

O meu 25 de Abril (2)




Quis um ilustre amigo tecer alguns comentários sobre o post "O meu 25 de Abril". Obtida a sua autorização prévia, tenho o maior orgulho em reproduzir a sua notavel intervenção, própria de um Democrata com D grande e um cidadão com o maior sentido de justiça e igualdade entre seres humanos. Apesar da minha pessoa estar a milhas consideraveis do seu elevado nivel cultural, esta diferença não me causa complexos e quero continuar a ser seu amigo de mão inteira, porque sei que o meu 25 de Abril tem alguem que é da minha opinião.

Bem haja, Dr. Gustavo Barosa

E aqui está o seu comentário:

Amigo Onaírda:

Estou, no essencial, totalmente de acordo com o seu comentário sobre o 25 de Abril.
Compreendo (e de que maneira!) que Cavaco Silva não tenha levado um cravo vermelho, na sua ida à cerimónia. Felicito-o pela sua coerência e agradeço-lhe não o ter levado!
É coerente, porque, como nunca foi um homem de esquerda, não terá usado, jamais, um cravo vermelho na lapela, no dia de hoje. E, como presidente de um País em que a Esquerda já está longe do poder (a corrosão dos ideais humanistas e sociais do 25 de Abril desapareceu, totalmente, da prática política dos governos deste país, a partir, exactamente, de Cavaco), para quê recordar um fantasma que a Direita assumida e a disfarçada sempre tentaram excomungar? Portugal já não é um país de Esquerda e o seu Presidente deu, hoje, a prova clara desse facto.


Agradeço-lhe, muito, o não ter levado o cravo! É a distinção entre ele (Presidente da maioria) e eu (membro da orgulhosa minoria que ainda se revê no cravo)! Não o trago na lapela (não sinto necessidade disso), mas nos meus actos - aí é que ele é necessário! Cavaco nunca foi nem nunca será dos meus! Nem eu serei, nunca, dos dele. Respeito-o, integralmente, mas não me revejo, politicamente, nele (muito pelo contrário)!
Os jovens estão divorciados da política, disse o nosso Presidente. Aí, ri-me a perder!

Qual divorciados, se os espertos se colam, desde cedo, às Juventudes partidárias, para serem os sucessores dos que hoje se movem nos corredores do poder? Já assim era, antes do 25 de Abril! Só os herdeiros eram escolhidos para eternizar o sistema. Só os herdeiros serão escolhidos para eternizar o sistema!

Nenhum Poder esclarece os jovens, politicamente. Os Poderes doutrinam os jovens, para continuarem o poder deles!
Nada se fez para ESCLARECER e EDUCAR, politicamente, os jovens. Houve, sempre (antes e a seguir ao 25 de Abril) políticas e currículos escolares que visavam DOUTRINAR os jovens (o que é, totalmente, diferente)!
Valeu a pena o 25 de Abril?
VALEU!

Compare-se a vida, antes e agora! A miséria, a falta de água, luz, estradas, assistência social. Estamos mal, agora? Estamos! Mas ... lembrem-se de como estávamos antes (ou perguntem a quem o viveu, numa aldeia, numa vila, numa cidade).
Quem detinha o poder económico? Quem era rico? Quem tinha casa própria? Quem tinha carro? Sobretudo os do poder, de então! Esses, como perderam privilégios, são contra o 25 de Abril! E (ironia das ironias!) alguns daqueles que continuam mal, hoje, suspiram por um regresso a um tempo que não viveram ou em que viveram pior. Assim é e será sempre, enquanto a Igualdade Social não passar de uma utopia, cruelmente combatida pelo Poder Económico (aquele que, efectivamente, governa o Mundo) ...

Mas, sobretudo ... seria possível o Onaírda ter escrito o que escreveu, antes da Revolução dos Cravos? Já estava preso, a esta hora! Ele e eu, que concordo com ele e lhe mando o meu abraço solidário!
25 de Abril, sempre! Alma vermelha (nos ideais de Igualdade, Democracia e Solidariedade), para sempre!

O meu 25 de Abril.


Um ponto de vista sobre o 25 de Abril
O golpe de estado militar do dia 25 de Abril de 1974 derrubou, num só dia, o regime político que vigorava em Portugal desde 1926, sem grande resistência das forças leais ao governo, que cederam perante a revolta das forças armadas. Este levantamento é conhecido por Dia D, 25 de Abril ou Revolução dos Cravos. O levantamento foi conduzido pelos oficiais intermédios da hierarquia militar (o MFA), na sua maior parte capitães que tinham participado na Guerra Colonial. Considera-se, em termos gerais, que esta revolução trouxe a liberdade ao povo português (denominando-se "Dia da Liberdade" o feriado instituído em Portugal para comemorar a revolução).


O 25 de Abril visto 34 anos depois


O 25 de Abril de 1974 continua a dividir a sociedade portuguesa, sobretudo nos extractos mais velhos da população que viveram os acontecimentos, nas facções extremas do espectro político e nas pessoas politicamente mais empenhadas. A análise que se segue refere-se apenas às divisões entre estes estratos sociais.
Existem actualmente dois pontos de vista dominantes na sociedade portuguesa em relação ao 25 de Abril.
Quase todos reconhecem, de uma forma ou de outra, que o 25 de Abril representou um grande salto no desenvolvimento politico-social do país. Mas as pessoas mais à esquerda do espectro político tendem a pensar que o espírito inicial da revolução se perdeu. Os partidos, ditos de "mais à esquerda" lamentam que a revolução não tenha ido mais longe e que muitas das conquistas da revolução se foram perdendo.
As pessoas mais à direita lamentam a forma como a descolonização foi feita e as nacionalizações feitas no periodo imediato ao 25 de Abril de 74 que condicioram sobremaneira o crescimento de uma economia já então fraca.

O meu 25 de Abril de hoje

O Presidente da República, Cavaco Silva, mostrou-se «impressionado» com a ignorância de muitos jovens sobre o 25 de Abril e o seu significado e denunciou uma «notória insatisfação» dos portugueses com o funcionamento da democracia, informa a agência Lusa.
No seu discurso na sessão comemorativa do 25 de Abril, no Parlamento, Cavaco Silva, que novamente não levou um cravo na lapela, divulgou extractos de um estudo que mandou
realizar sobre o alheamento da juventude face à política, e atribuiu parte da responsabilidade aos partidos políticos.
O Presidente considerou «não ser justo» para aqueles que se bateram pela liberdade, tantas vezes arriscando a própria vida, que a geração responsável por manter viva a memória de Abril persista em esquecer que a revolução foi um projecto de
futuro.
«Os mais novos, sobretudo, quando interrogados sobre o que sucedeu em 25 de Abril de 1974 produzem afirmações que surpreendem pela ignorância de quem foram os principais protagonistas, pelo total alheamento relativamente ao que era viver num regime autoritário», declarou o Chefe de Estado perante o hemiciclo.
Cavaco Silva recordou que, quando o 25 de Abril ocorreu, uma parcela substancial da população não tinha ainda nascido e lamentou que quem viveu a revolução tenha a tendência para não se lembrar disso, julgando que essa data, fixada no tempo, possui uma perenidade eterna: «Um regime político não pode esquecer as suas origens», disse, acrescentando «não ser saudável que a nossa democracia despreze o seu código genético e as promessas que nele estiveram inscritas».
Para Cavaco Silva, «num certo sentido, o 25 de Abril continua por realizar».

Eu, modesto cidadão de um país adiado (Fernando Pessoa), medito nestas considerações de Anibal Cavaco Silva e fico perplexo. Tenho de assumir que Cavaco Silva é o meu Presidente da Republica, mas este respeito que tenho pela sua função, não me obriga a que goste dele, como de facto assumo, que não é politico que foi no passado em funções partidarias e governativas do meu gosto pessoal. E nunca o será!!!!

Por isso estou à vontade para perguntar aqueles que me lerem, que é que Cavaco Silva fez até hoje para que o 25 de Abril seja respeitado, por aquilo que representou e proporcionou em devolver a Liberdade a um povo escravizado por uma Ditadura fascizante. Ele que, ainda, na sessão solene de hoje na Assembleia da Republica não levou um cravo vermelho na lapela do casaco. Porque será????!



Mas em todo o caso devemos sempre gritar sem vergonha 25 de Abril - Sempre

a arte do futebol : participa !

quinta-feira, 24 de abril de 2008

Sérgio Silva e a outra dimensão.

Umas histórias sobre o burlão que queria ser o salvador do Boavista, sem dinheiro...Em Portugal dá para tudo.



Piloto de aviação, empresário, banqueiro, e outras profissões de “luxo”, tudo títulos usados com alguma frequência por Sérgio Silva e testemunhados por alguns dos seus amigos. Mas diga-se, em abono da verdade, que Sérgio, ou “Serginho” como é vulgarmente tratado por quem com ele convive de mais perto, nunca pareceu ter capacidade para convencer ninguém da realidade do que dizia ser.

Limitado no verbo mas exuberante nos gestos de forma a ser notado, todos perceberam sempre que ou se tratava de um brincalhão ou de alguém com uma estranha mas cómica mania das grandezas.
Um amigo que com ele privou em férias no Brasil é de opinião que “o Serginho é inofensivo. Mentiroso compulsivo, se calhar, mas mentindo de tal forma que nem uma criança enganaria.
Quando nos conhecemos, na esplanada de um hotel, intitulou-se piloto da Air Itália. Mas fê-lo de tal modo que imediatamente notei que mentia. E assim, apenas para me divertir, tentei que me falasse da profissão, da arte de voar.

Brotou então da sua boca um montão de disparates que fizeram com que todos, mesmo nas mesas à volta, nos ríssemos, incluindo o Serginho que, sem dúvida, viu que não enganou ninguém.

Passados uns dois ou três dias, com as mesmas pessoas presentes, já falava como se fosse banqueiro, “tratando por tu” os mais famosos nomes da banca lusa. Para azar dele, estava presente um senhor que era director de zona de uma conhecida instituição de crédito e que, sorrindo de forma inequívoca, forçou a Sérgio a falar do sector, bem como dos sonantes nomes com quem dizia ombrear em reuniões e negócios.

Escusado será dizer que aquilo foi o início de mais uma noite de gargalhadas, face ao despautério que Serginho debitava, com histórias que tinham como denominador comum a fantasia. Chegou ao cúmulo, ao ver que nos ríamos a bandeiras despregadas, de simular uma conversa telefónica com um dos mais conhecidos dos nossos banqueiros. Escusado será dizer que foi o clímax e que de engraçado Serginho chegou ao burlesco. E cenas destas foram-se repetindo durante aqueles dias. As férias valeram sobretudo por ele, Sérgio Silva. Era um consolo ouvi-lo falar de negócios, off-shores, aviões e linhas aéreas, transacções e contratos de milhões em que ele participara ou conhecia por dentro. Definitivamente Sérgio vivia em constante delírio. E não se zangava por lhe dizermos, à gargalhada, que era mentiroso e até pouco imaginativo. Apenas cómico e inofensivo.



Já em Portugal continuei a ver o Serginho. Negociava em automóveis – disso sim, tinha aspecto – e a vida corria-lhe ora bem, ora mal. Mesmo assim, sabedor que conhecia agora a sua realidade, muitas vezes ele não resistia e lá inventava mundos de negócios e profissões de prestígio onde ele era estrela e viveria como um nababo. Era numa outra dimensão mas Serginho, indubitavelmente, também vivia lá. Estava sempre com um pé lá, outro cá”.


XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

Sem dinheiro nenhum
Com reconhecida actividade na venda de automóveis usados, Sérgio Silva viveria em constante aflição pois “o negócio anda mau há muito tempo”. Por isso haverá aqui e ali alguns cheques seus sem cobertura.
O proprietário de um stand do Porto confiou-nos ter sido “levado” por Sérgio que lhe terá pago uns carros com cheques que se revelariam sem provisão. Terá então mandado um “gorila” proceder à cobrança. Sérgio terá então acordado pagar aos “bochechos”, coisa que ia cumprindo. Até que há dias, pouco antes do mirabolante negócio do Boavista, e quando o tal “grandalhão” foi receber mais uma prestação, Sérgio não tinha nem um chavo. Terá dado em pagamento, ao que apurámos, o próprio relógio e um telemóvel.
Dias depois aparecia a “injectar” no Boavista os tais 38, 5 milhões!
Feitos de fumo, como se viria a revelar.
Ao que apurámos, de fonte credível, durante o interrogatório a que foi submetido na PJ, Sérgio Silva terá contado que no Boavista havia quem soubesse que ele não tinha dinheiro nenhum, pelo menos naquela altura. E que até se terá prestado a adiantar-lhe 17 mil euros para abrir uma off shore.
O inquérito ainda vai no início mas a Policia Judiciária estará muito pouco convencida que Sérgio Silva tenha tido capacidade e discernimento para inventar e fazer tudo sozinho.

Enviado via e-mail pelo Óscar e publicado pelo ASA

terça-feira, 22 de abril de 2008

Mundo Policiário 18/08: Recordar é Viver: o Natal de Dic Roland

Coordenação de Onaírda
Dic Roland e KO = Sempre presentes
Antes as notas habituais de Onaírda

É ja no próximo Sabado dia 26 de Abril que se realiza no Porto, o Convivio da Tertulia Policiária do Norte, tendo como pano de fundo, a homenagem ao companheiro de tantos anos M. Lima. Nesta homenagem , a que o Mundo Policiário se associa, mas que não pode estar presente, ser-lhe-á entregue uma merecidissima "Lupa de Honra"
Tema de hoje: Recordar é Viver: O Natal de Dic Roland

1) Paulo Bento, depois da humilhante e nada normal derrota do Sporting por números tão expressivos com o lanterna vermelha, disse que “O Natal não acontece mais do que uma vez por ano!

2) Outro Paulo, mas o Carvalho tem um tema musical em que diz “Que o Natal é sempre quando o homem quiser!”. Estou mais de acordo com esta segunda afirmação do que a do Paulo Bento, não só porque esta indicia uma distracção semântica do jovem treinador leonino, mas porque pode-se alegar que o resultado de 4 dias antes foi um autentico “bodo de Natal” para os leões.

3) Dei comigo a pensar nestas duas afirmações, quando me lembrei que o nosso saudoso amigo Dic Roland, tinha feito um belíssimo poema de Natal e que o mesmo ainda não tinha sido publicado, podendo-se considerar como um original inédito, digno de ser recordado neste Mundo Policiário, mesmo numa altura em que o Natal está longe no Tempo, mas não nos nossos corações, nós que somos pessoas de bem, no numero das quais incluo todos os policiaristas e os visitantes do Bancada Directa



O MEU NATAL

Por trás da vidraça, frente ao Mar imenso,
Olho a noite plúmbea, sem luar, sem estrelas.
Olho, mas não vejo – que o negrume é denso
E a chuva, copiosa, é como que um lenço
De opaco tecido, velando as janelas.

Para além das trevas oiço o rouco arfar
Do irado Oceano, que a procela agita.
Oiço o vento agreste fustigando o ar
E a voz magoada, triste a soluçar a soluçar,
Da pungente angústia que em minh’alma habita

O rugir das ondas, que em rouco estertor
Se lançam, revoltas, na praia deserta,
Ecoa em meu peito, num grito de dor
Que agride, e lacera, e torna maior
A imensa tristeza que nele se aperta.

Mas, súbito, escuto, qual sopro divino,
Rasgando, suave, a noite sem Lua,
Um cântico etéreo de que não atino
Qual seja a origem ou o seu destino
Mas que, docemente, sobre o Mar flutua.

Não sei mas suspeito, pois que num momento,
Nesta escura noite algo aconteceu:
Já não cai a chuva, já não sopra o vento;
As ondas acalmam o seu movimento
E, longe, uma Estrela ilumina o Céu.

Em mim, por milagre, dilui-se a tristeza
No brilho calmante da luz sideral.
No ar e nas coisas refulge a beleza
Da Noite que é fonte de Amor e Pureza
Da Noite que é dia! Que é Luz! Que é Natal!!!!

Num dia 25 de Dezembro
Da minha janela, na Avenida Marginal. São João do Estoril
Capitão Cid Geraldo

(Que Deus, na sua infinita misericórdia, te guarde em Paz, meu grande e nosso amigo)

segunda-feira, 21 de abril de 2008

Mudar de Vida!!!! O Domingo de ontem visto no dia seguinte.



20 de Abril. Dia chuvoso, logo pela manhã, batida a Primavera e a Natureza, para alem desta chuva a espaços, mas grossa que se farta, e se infiltra pelas ombreiras de mármore das janelas, por um vento frio e agreste, aborrecido q.b. Condições de invernia que vão deteriorando as sementeiras da época, quer sejam batatais, favais ou ervilhais, ramas tombadas pelo peso da agua pluvial e da pouca firmeza das terras encharcadas. Invernia que teima em não desaparecer.

Saio pela manhã com destino à feira mensal de Vendas Novas, perdida a vontade de comparecer no habitual almoço familiar semanal em Azeitão. Desculpa aceite pelo clã, mas que não se repita. Saio de Sintra e miro o Palácio da Pena e o Castelo dos Mouros. As enormes nuvens negras que estão pregadas nos telhados e ameias dos dois monumentos indiciam-me que a chuva grossa, mais tarde ou mais cedo irá fazer das suas. Desço a IC 19 e no troço entre a Amadora e a Buraca, mais conhecido pela “Estrada dos Reis da Ervilha”, comprovo as plantações das favas e ervilhas todas derreadas pelo vento nos socalcos artisticamente arranjados por uma etnia africana diligente. As faveiras e as ervilheiras já fazem parte da paisagem rodoviária e daqui a pouco tempo estará tudo apanhado, e é ver os “agricultores das estradas” carregarem com sacas daqueles legumes às costas, para que a sua alimentação e da família seja um pouco mais normal.

Já depois de passar a Ponte Vasco da Gama, parei na Atalaia, na Pastelaria D. Manuel I para tomar o pequeno-almoço. Ontem, porque o Sporting jogava à tarde em Leiria, não estava presente o meu amigo Paulo Bento, cliente habitual da casa, quando vai a caminho da Academia. Encontro-me sempre lá com ele, quando o Sporting joga no Sábado e no dia seguinte ele leva a esposa e a filha para passarem o dia na Academia do Sporting.

Feira de Vendas Novas. Metade das tendas dos feirantes ausentes e outras por armar, se o dia melhorasse. Naturalmente os clientes primam por uma redução substancial do seu número habitual. Como em ocasiões anteriores e semelhantes, os feirantes e os clientes lamentam que a Junta de Freguesia cobre as taxas devidas aos utilizadores do espaço de vendas, mas não se preocupa em ordenar o recinto, alcatroando as artérias por onde passam os clientes e estes enterram na lama os seus pés, provocando um desconforto terrível.

Casal novo de etnia cigana, tinha montado a sua banca de colchas e lençóis de cama. Poucos artigos em exposição, dado que com a chuva iminente, havia o risco de se deteriorarem os artigos para venda, se eles se molhassem. Gostámos de uma colcha, que pensámos seria bem empregue na cama de um dos netos. O preço não era caro e adquirimo-la. O jovem cigano confessou-me que, entre uma feira que ontem fez e a de Vendas Novas, era o primeiro artigo que vendia. O lucro da colcha nem dava , nem de longe,para o gasóleo da carrinha. E já nem pensava pagar o aluguer do espaço da banca, porque daí a pouco ir-se-ia embora. Moravam no Pinhal Novo. De repente cai uma violenta bátega de água e o vento batendo na parte inferior dos toldos das tendas, levantava estes e projectava a água da chuva para cima de tudo e de todos. O jovem confessou-me que era casado, mas que dependia dos seus pais para sobreviver. Disse-lhe que a vida estava difícil. Ele confirmou e disse-me em tom lacónico e pungente: Vou deixar de ser feirante e vou “MUDAR DE VIDA”. Já não basta, de vez em quando, virem para aí uns senhores, com muita policia a guardá-los, que levam tudo da banca dos meus pais, que me revolta o fígado, quanto mais este mau tempo que afasta as pessoas das feiras. Lidei muito com gente desta etnia e sinto-me um pouco á vontade para dialogar com eles. Disse-lhe então: Mudas de vida e depois vais fazer o quê? E depois como é que te sustentas a ti e á tua mulher?
- Dedico-me à venda de droga novamente. Sempre ganho para ter uma vida digna!!!!!

Fiquei absorto com tanta incongruência racional e paradoxismo. Mas é assim a vida!!!! Quem diria?????

domingo, 20 de abril de 2008

O humor de Domingo no Bancada Directa



Na sala de espera de um consultório veterinário, entrou um cavalheiro efeminado
com um pastor alemão e sentou-se ao lado de uma senhora que tinha um gato ao colo.

O gato, em conversa com o pastor alemão:
- Eu estou aqui para ser castrado – disse o gato.
- Porquê? - Perguntou logo o pastor alemão.
- Fazia bacanais com as gatas da vizinhança e a minha dona, inconformada
com o barulho que eu fazia todas as noites, resolveu castrar-me... E tu, porque é que estás aqui?




O pastor alemão explicou-lhe
- Eu, estava em casa sem nada que fazer. O meu dono, acabado de sair do banho, baixou-se para apanhar o sabonete e eu, ao vê-lo naquela posição, não me contive, perdi a noção do perigo, subi para cima dele e meti-lhe a vara até ao fundo... O pior é que, no auge da excitação, arranhei-lhe as costas todas!!!...
- Fogo……!; espantou-se o gato - E também te vai castrar por isso?
-Nãoooooo!... - Vim só cortar as unhas!...

sábado, 19 de abril de 2008

o saudoso Beckham


Mais uma nova oportunidade: ser-se Mestre em Campos de Golfe!!!!!



Muito gostam os indigenas de cá da terra de pompas e penachos, a contradizer com uma grande parte da população de uma vivencia habitual de extrema pobreza!!!!

Agora esta de haver um curso superior para Mestrado em Gestão e Manutenção de Campos de Golfe, não lembraria ao diabo!!!!.

É o progresso!!!!

matraquilhos elegantes





A empresa GRO Design juntamente com TIM Modelmakers apresentaram este mês o 11- the beatiful game (assim é como lhe chamam) na Semana de Design de Milão. Julguamos que seja pela sua elegância.

Dura lex, sed lex: O que é a norma sobre o "couvert" e o que diz a Lei sobre o tema.

Hoje, Sabado, não será o dia ideal para as pessoas meditarem sobre o assunto. Mas convenhamos que poderemos mais tarde reflectir e saber o que fazer quando se nos apresentar uma situação destas.



"Couvert": dos usos às normas que os suplantam...

Em geral, o "couvert", define-o a lei, como: "todo o conjunto de alimentos e aperitivos fornecidos antes do início da refeição, propriamente dita "

E os usos do mester da restauração e similares pareciam favorecer a sua apresentação e a exigência do pagamento... ainda que não houvesse solicitação expressa dos comensais...

Os usos, porém, cedem sempre que as normas rejam em contrário
.

E o facto é que, no particular do direito à protecção dos interesses económicos do consumidor, a Lei 24/96, de 31 de Julho, ainda em vigor, estabelece imperativamente (que não supletivamente) que:
" O consumidor não fica obrigado ao pagamento de bens ou serviços que não tenha prévia e expressamente encomendado ou solicitado, ou que não constitua cumprimento de contrato válido, não lhe cabendo, do mesmo modo, o encargo da sua devolução ou compensação, nem a responsabilidade pelo risco de perecimento ou deterioração da coisa."

Ora, tal norma tem de ser havida como prevalecente ante os usos de antanho da restauração.

Daí que, em rigor o couvert, desde que não solicitado, tem de ser havido como oferta sem que daí possa resultar a exigência de qualquer preço, antes se concebendo como uma gentileza da casa, algo de gracioso a que não corresponde eventual pagamento.

Daí que os prestadores de serviços de hotelaria, restauração e estabelecimentos similares devam adequar os seus hábitos a tais exigências, não vão surpreender-se perante qualquer recusa lícita de pagamento que possa ocorrer.

Os usos jamais prevalecerão sobre normas do estilo da enunciada.

Além do mais, tal implica também um ilícito de mera ordenação social passível de coima que a lei comina da seguinte forma:
- Pessoa singular: 500 a 3 700 euros
- Sociedades mercantis: 3 500 a 35 000 euros.

É vulgar também cobrar-se muito para além do que se consome. Tal prática não é de saudar.

A cobrança para além do que efectivamente se consome, a menos que haja pedido expresso formulado pelo consumidor, constitui crime de especulação previsto e punido pelo artigo 35 da Lei Penal do Consumo (DL 28/84, de 20 de Janeiro): o crime de especulação é passível de pena de prisão de 6 meses a 3 anos e de pena de multa não inferior a 100 dias.

Ponto é que os operadores económicos intuam da relevância de gestos aparentemente anódinos , mas que representam clamorosa ofensa às regras do ordenamento jurídico.

E custa pouco adequar comportamentos às regras para que se suste o efeito surpresa, quantas vezes penalizante da crença na boa-fé alheia.

Impõe-se, pois, adaptar atitudes, remodelar hábitos, refazer comportamentos para que se cumpram os desígnios que se imbricam no estatuto do consumidor.

Em muitas ementas nem sequer figura o "couvert": nem a sua composição nem os respectivos preços.

E o facto de nelas não se considerarem os preços dos "aperitivos" também constitui uma infracção, a saber, um ilícito de mera ordenação social passível de coima de 249, 39 a 3 740 e 2 493 a 29 927 euros, segundo o artigo 11º do DL 138/90, de 26 de Abril, consoante se trate de pessoas singulares ou de sociedades mercantis.
(fonte= apDC. Coimbra. Mario Frota)

Sobre o Dengue...


Conheça esses magnificos trabalhos sobre a dengue (e malaria), sugiro que faça uso disso, antes porém recomendo uma leitura atenta!

O QUE É DENGUE ?
Dengue é uma doença causada por um vírus, o vírus do dengue, transmitida de uma pessoa doente para uma pessoa sadia por meio de um mosquito, o Aedes aegypti.
A doença pode se manifestar de duas formas:

DENGUE CLÁSSICO
Dengue se inicia de maneira súbita com febre alta, dor de cabeça, dor atrás dos olhos, dores nas costas. Às vezes aparecem exantemas (manchas vermelhas no corpo). A febre dura cerca de cinco dias com melhora progressiva dos sintomas em 10 dias. Em alguns poucos pacientes podem ocorrer hemorragias discretas na boca, na urina ou no nariz. Raramente há complicações.

DENGUE HEMORRÁGICO
Dengue hemorrágico é uma forma grave de dengue, quando se tem a doença uma segunda vez. No início os sintomas são iguais ao dengue clássico, mas após o 5º dia da doença alguns pacientes começam a apresentar sangramento e choque. Os sangramentos ocorrem em vários órgãos. Alguns doentes apresentam choque circulatório. Este tipo de dengue pode levar a pessoa à morte.Dengue hemorrágico necessita sempre de avaliação médica de modo que uma unidade de saúde deve sempre ser procurada pelo paciente. O médico irá avaliar a condição do doente e indicar o tratamento correcto.

ALERTA GERAL:

Foi pesquisado recentemente e publicado pelo Dr. Edimilson Ramos Migowski de Carvalho MD, Phd (Professor de Infectologia Pediátrica da UFRJ) , portanto, Professor de altíssimo gabarito, que o PARACETAMOL isto é, Tylenol, Dôrico e etc..., antes prescritos como anti-térmicos em casos de Dengue, estão abolidos, por serem Hepatotóxicos, isto é trazem problemas de agressão ao Fígado.
A Dengue por si só é Hepatotóxica, portanto traz desde pequenos problemas ao Fígado, até lesões graves e fatais.
Usando o Paracetamol (Tylenol, Dôrico e etc) as ações se somam, portanto, Paracetamol + Dengue é = um efeito Hepatotóxico Grave.
Em qualquer caso suspeito de Dengue, deve-se procurar urgente Socorro Médico e iniciar imediatamente uma hidratação. Em crianças com Soro Caseiro (soro caseiro é = 2 colheres das de sopa de açucar + 1 colher das de café de sal e 1 litro de água fervida), e nos adultos, hidratação com, água, chá, mate, água de coco e etc.., até chegar ao Hospital.
O Ácido Acetil Salicílico (AAS, Aspirina, Melhoral, Doril e etc..), estão formalmente CONTRA INDICADOS, pois interferem no mecanismo da coagulação sanguínea, isto é, impedem o sangue de coagular, causando portanto Hemorragias Graves.
Os medicamentos Novalgina, Dorflex, Anador e etc.., e os derivados do Ibuprofeno (Dalsy e Alivium) podem ser usados de forma comedida, isto é, não podem ser dados à vontade e de preferência com Orientaçào Médica, sempre que possível.
Supõe-se que muitos casos de morte por Dengue, podem ter sido causados por Hepatite Medicamentosa, segundo o professor Edimilsom Ramos.
Pedimos por favor, a todos que possuem e-mail, para repassar estas importantes informações aos colegas que não o possuem e também aos familiares, amigos, vizinhos, conhecidos e até aos inimigos.

Obrigado,

Flávio Garchet

Própolis contra Dengue ( e Malária )

Segundo um pesquisador de Florianópolis, basta tomar algumas gotas diárias para que o mosquito nem se aproxime!

Ninguém divulga porquê não há interesse, a própolis é barata e não enriquece ninguém, as indústrias farmacêuticas ganham fortunas com remédios para amenizar os sintomas da dengue, a Johnson ganha fortunas vendendo o Off, que é repelente de insetos...

Biólogo explica como usar Própolis contra Dengue

O biólogo Gilvan Barbosa Gama, de Florianópolis, explica como usar a própolis contra a dengue.
Segundo ele, a própolis exala na sudorese dois dos seus princípios ativos (flavona e vitamina B) que repelem os insetos.

Composição da Própolis

A própolis é uma cera produzida pelas abelhas a partir cascas, resinas e botões de flores.
Sua composição: além das vitaminas do complexo B, C, H e O, a própolis também possui em sua composição a Flavonóides, galangia, resinas com bálsamo, cera e pólen.

Uso Preventivo

A tintura de Própolis na prevenção aos mosquitos da dengue, deve ser ingerida da seguinte forma:

- Adultos: de 30 a 40 gotas diluídas em água (ausente de cloro).
Um copo a cada 6hs.

- Crianças: crianças de 0 a 10 anos deverão tomar a metade do peso corporal em gotas diluídas em água sem cloro (quantidade a critério).


Uso com a Dengue Instalada (TRATAMENTO RADICAL)

- Adultos: tomar 7,5ml do extrato de própolis diluído em água (sem cloro).
1/2 copo na crise febril, ou seja, quando a febre se mostrar mais elevada. A partir daí, repetir esta mesma dosagem mais 3 vezes a cada 2hs.

- Crianças:
- crianças de 0 a 3 anos: 1,5 ml do extrato de própolis diluído em água sem cloro (quantidade da água a critério) quando a febre se mostrar mais severa. A partir daí repetir esta mesma dosagem mais 3 vezes a cada 2hs.

- crianças de 3 a 6 anos: 3,0 ml do extrato de própolis diluído em água sem cloro (quantidade de água a critério) quando a febre se mostrar mais severa. A partir daí repetir esta mesma dosagem mais 3 vezes a cada 2hs.

- crianças de 6 a 10 anos: 5,0ml do extrato de própolis diluído em água sem cloro (quantidade de água a critério) quando a febre se mostrar mais severa. A partir daí repetir esta mesma dosagem mais 3 vezes a cada 2hs.

OBSERVAÇÕES IMPORTANTÍSSIMAS

- Gilvan alerta, para não esquecer de fazer o teste ALÉRGICO para ver se quem vai tomar a própolis não é alérgico a ela. É muito rara esta sensibilidade mas pode ocorrer.
- Caso queira trocar a água sem cloro pela água de coco, é uma excelente pedida.

Mais informações em: http://www.inova.unicamp.br/inventabrasil/propdengue.htm

Zhannko Idhao Tsw
http://www.piramidal.cjb.net/
Curitiba PR Brasil


sexta-feira, 18 de abril de 2008

nova empresa de reciclagem do Benfica


Pinceladas da bola...





Como o que nem sempre é mentira, o que pode ser verdade, cá estou eu com mais uma crónica sobre futebol muito própria...



Temos assistido a um descalabro total da estrutura directiva do Benfica, a começar no presidente e acabar no futuro director desportivo.
O Sr. Luís F. Vieira tem sempre justificado os seus insucessos desportivos com as más arbitragens, ou então com as pessoas que o acompanham, ao qual se serve delas e depois para servirem de escudo da sua má gestão desportiva, nada melhor que dispensá-los, pois foi assim com Veiga, Fernando Santos, Camacho antecipou-se, e Carraça está quase de saída... Vieira a camuflar um acumular de equívocos, na gestão do futebol e do clube, com a esfarrapada desculpa dos erros dos árbitros nestes anos recentes, menos no ano que foi campeão, pois aí recordo-me de ele dizer que não falava de arbitragem, que achava que estavam no bom caminho e para deixá-los apitar descansados...

Rui Costa ao aceitar o cargo com 6 meses de antecedência, arrisca a ficar desacreditado, antes de começar o seu trabalho, pois não sabe quem contratar para treinador, melhor tem ideias, mas o presidente também tem e bem diferentes, depois não sabe o que fazer na planificação e estruturação da próxima época, pois a equipa não tem garantida a presença da LC da próxima época, sendo que o balão financeiro que esta competição trás, poderá interferir nas contratações da respectiva época, entre muitas outras situações..

No relvado, o Benfica acumula derrotas e corre o risco de terminar no 4.º lugar, mas, para Vieira, os “culpados” continuam a ser Pinto da Costa, Vale e Azevedo, José Veiga [até então seu braço direito] e os treinadores que anunciavam sempre um novo ciclo. É bom que comece a olhar-se ao espelho e defina, sem subterfúgios, a política desportiva a seguir. Resta saber se ainda haverá espaço e autonomia para Rui Costa colocar em prática as suas ideias e provar que um jogador pode dar um excelente director desportivo, e tempo para Vieira poder anunciar mais uma serie de ciclos viciosos.

Já agora, Chalana que foi um grande jogador e não tem culpa do cargo que ocupa neste momento, mas fico a pensar que o homem a falar, mais parece um " Chalarnix" da famosa banda desenhada que todos conhecemos, e dá sempre mais do mesmo, aliás, já tem a tactica desta semana no quadro abaixo...





Entretanto no blogue BdB a seguinte notícia:

“Vendo pelo preço que comprei. Garantiram-me hoje que o grande problema do Benfica se chama Rui Costa. Desde que Luís Filipe Vieira disse publicamente que o 10 seria, no próximo ano, director desportivo do clube da Luz, a escuridão instalou-se no balneário benfiquista. Foi um erro de casting, garantiu-nos quem conhece os balneários do Seixal.
A notícia não colheu o efeito desejado foi antes aceite de uma forma muito pouco alegre e este sentimento foi aumentado à media que o Rui ia mostrando que já mandava. Nem toda a gente aceitou o facto já consumado, muito embora disfarcem e se a isto juntarmos alguma espionagem que se tem infiltrado no reino da águia melhor se entende a razão do fracasso.
Também não deve ser esquecido o facto de José Veiga ter deixado alguns cabides nos balneários da Luz e que ainda agora o lembram com saudade: “Pelo menos ganhávamos”. Dizem os agora descontentes que ainda acrescentam que o clube está a ficar sem identidade.”


Vamos guardar mais desenvolvimentos que estão para breve...



No Sporting parece que mais uma final [possivelmente perdida] salva as andorinhas que se encontram no estádio de Alvalade, pois com um presidente como Filipe Soares Franco, que disse nos jornais que o principal objectivo do Sporting é a Liga dos Campeões e vai mais longe quando afirma que preferia o segundo lugar na Liga que a Taça UEFA.
Com este discurso Filipe S. Franco alerta os seus adeptos e simpatizantes que não está no Sporting para ganhar seja o que for, mas sim para fazer dinheiro para pagar aos seus conterrâneos da banca e aos que servem o clube com ordenados chorudos, e como se não bastasse uma vez, tornou a dizer esta semana que o objectivo é o mesmo, pois a Taça de Portugal não é importante, pois mais titulo menos título, o que interessa é o primeiro lugar dos últimos, que dá direito ao cheque milionário...

É o seguimento do seu discurso perdedor, pois no ano transacto Soares Franco disse que preferia ficar em 2º lugar e ter acesso directo à liga dos campeões do que ganhar o campeonato tendo também acesso na mesma, e não teria de pagar o prémio de campeão a quem de direito.
Veja-se a mentalidade deste dirigente!!!

Pelo tom do discurso de Soares Franco, facilmente se percebe que o clube vai andar mais uns largos anos, a tentar reduzir o passivo, sendo que uma tacita de vez enquando e um titulo de campeão de 18 em 18 anos, será o objectivo. E se sair sempre todos anos um jogador jovem para o estrangeiro, sempre dá para gastar em meia dúzia de jogadores a custo zero, que na realidade são uns milhares de contos que custam ao clube, sem proveito algum, senão a quem recebe comissões por tal.
Sportinguistas, tenham como exemplo o que está a acontecer à maior parte dos clubes portugueses, pois correm o risco de quando acordarem já ser tarde demais.

Resta dizer que a época do Sporting com Paulo Bento, pode ser igual à de Peseiro...quase, quase...tudo, e no fim, pode ser...nada, mas tudo ficará feliz com mais umas finais perdidas e um lugar abaixo do primeiro, que é no fundo o principal objectivo destes dirigentes…Ops!!!, ganharam uma [Supertaca]...vamos ver.

A situação financeira sempre como desculpa para alcançar outros objectivos face aos adversários directos, mas quando se trata de justificar perante um Guimarães ou um Setubal o discurso é sempre diferente, porque será?!!.

Em breve uma lavagem celebral aos sócios do Sporting por estes dirigentes, para que a Academia e Estádio fique a mercê dos vampiros...


Como diz o Paulo Bento, é preciso....


No Porto tudo parece perfeito, mas nem tudo o foi, pois com uma equipa que está muito acima dos rivais em qualidade/ quantidade de plantel, nem tudo correu sobre rodas... pois o campeonato é uma certeza como o tem sido na maioria das vezes nas 3 décadas anteriores, na Taça de Portugal está na final, mas na Europa não aproveitou a época e o adversário para tentar chegar mais longe, na Taça da Liga todos sabemos o que aconteceu, e também se recordam que a Supertaça no início do campeonato foi vista por um canudo, se a isto juntarmos uma hipotética derrota no Jamor, alguém se atreve dizer que foi uma época fantástica no Dragão...Para mim, tinham obrigação de fazer algo mais, e vocês que acham?

Bem, se olharem pela perspectiva de Soares Franco, pode-se dizer que foi extraordinária, se olharmos pela do L. Filipe Vieira nem tudo foi mau, mas com certeza que os adeptos do Porto, pensarão de outra maneira, quanto a Pinto da Costa já não tenho a certeza disso, pois com os processos a correr no último ano dos apitos, serve para camuflar um pouco as verdades escondidas...

Agora até ao divino suplica e lá se vai defendendo como pode:


E como recordar é viver, cá vai mais um artigo BdB, para não dizerem que nos esquecemos nos momentos mais felizes do clube portita, pois umas coisas não apagam outras, pelo menos para mim:

"FC Porto perseguido pelos “quinhentinhos”

Começo a pensar que isto dos “quinhentinhos” faz parte de um verdadeira perseguição ao FC Porto.
Em 1994, quando a Polícia Judiciária resolveu investigar a corrupção na arbitragem, foi feita uma escuta telefónica a Reinaldo Teles, administrador da SAD portista, que em conversa com o árbitro de Coimbra, José Guímaro, este se queixava de que não lhe tinham sido pagas “algumas facturas” relacionadas com favores feitos pelo árbitro em causa, em alguns jogos, por intermédio do dirigente portista e na qual este falava de um pagamento de “quinhentinhos” relacionados com um jogo do Leça.
Ouvido pela PJ, Reinaldo disse que não se lembrava, tinha tido um lapso de memória, tal como Carolina e isso bastou-lhe para que o DIAP do Porto lhe retirasse o estatuto de arguido e o transformasse em testemunha de acusação. Foi o que se pode arranjar.
Mais de 12 anos depois, vem à ribalta uma nova história de mais outros “quinhentinhos”. Carolina Salgado zangou-se com o seu companheiro, Pinto da Costa e resolveu dar com a língua nos dentes, denunciando-o de ter dado 2.500 euros (na moeda antiga quinhentinhos) ao árbitro de Braga, Augusto Duarte para este ter em atenção o jogo que ia arbitrar, dois dias depois entre o Porto e o Beira-Mar. Desta vez o TIC do Porto deu como aceitável a acusação e Pinto da Costa vai mesmo sentar-se no banco dos réus. É sinal que alguma coisa está a mudar. "

Acham que o homem tem alguma coisa haver com isto, olhem bem nos olhos generesos dele:




Para já é tudo, e cenas do próximo capítulo se seguem... Desculpem se não agradei a gregos, nem a tróianos, bem que gostaria de ser mais simpático, mas estou de mau humor...


Até já a todos…


Obrigado Pela Sua Visita !