BANCADA DIRECTA: Fevereiro 2008

sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

Novas da Katinha, de Tempicos e do padrinho Zé

Aos meus caros amigos e visitantes do Bancada Directa.

Nesta tarde, em que o sol anda envergonhado lá no alto, por estas bandas da Serra da Arrábida, sou surpreendido com uma troca de correspondência entre 3 figuras que me são muito gratas. E não quero deixar que os meus amigos não desfrutem deste assomo de arte.

Onaírda

Carta da Katinha para o seu padrinho Zé

Padrinho Zé,
Como lhe disse, o padrinho Tempicos anda cada vez mais a meter-se nos copos. Depois a bebida cai-lhe mal e começa a delirar. Ultimamente pensa que é poeta e julga ser a encarnação do Camões. Ora para isso o padrinho tinha que ser zarolho! Não acha?
Bem, aqui lhe mando uns versos que ele fez e que eu gostaria que o padrinho fizesse a sua crítica. Eu julgo que ele está a exagerar. Poeta popular tá bem! Fadista? - sim senhor! Agora, poeta tipo Camões é que eu acho que não. Falta-lhe muita areia naquela camioneta!

Bjs
Katinha




Soneto do Detective Tempicos
Autor confesso e arrependido, num dia em que se achou completamente etilizado, e em cujos vapores, pensou ser “O Mestre Camões!”


Não sei se verdes são, teus olhos verdes
Só sei que me perdi, só de os olhar
Será que são azuis da cor do mar
E o mar perdeu a cor de tanto vê-los?
Será que são da cor dos meus desvelos?
Talvez, um dia, eu possa desvendar:
Se foi o mar de cor do teu olhar,
Se foi a cor do mar a descrevê-los
O verde é cor azeda do limão
O azul é frio cortante da navalha
Os teus olhos azuis ou verdes são
Aqueles que não têm quem lhes valha
Os meus não têm cor, são solidão
Os teus são de uma cor que amortalha

Carta resposta do padrinho Zé à Katinha e a Tempicos


Excelente soneto! Bem merece que a gralha de concordância do décimo primeiro verso - Os e não O - seja corrigida, antes de publicação. É que este soneto não pode ficar na gaveta!
Raposo captou, perfeitamente, os temas e o ritmo camoniano. Verso Decassilábico, com acentos predominantes na 6ª e 10ª sílabas, de esquema ABBA ABBA CDC DCD, no mais puro classicismo!
Curiosamente, se no plano do ritmo ele é da segunda fase de Camões (Renascentista), no tema revela influências da primeira (a redondilha), vinda do Cancioneiro Geral de Garcia de Resende, que marcou a iniciação poética do Mestre, antes de contactar com Petrarca.
Basta o tema dos olhos verdes (perco-me por eles - diz Camões, algures). Mas olhos verdes/azuis também tem a Laura de Petrarca, olhos que dão brilho e cor à Natureza; sem os quais a própria natureza perde a sua beleza (só será bela se os olhos da amada nela pousarem). Esta aliança entre os olhos da amada e a Natureza (o limão é um clássico da época; o mar, menos) está cá...
Mas Raposo solta-se do modelo em dois apontamentos modernistas - o azul é frio cortante da navalha (impensável, no Petrarquismo) e "a cor que amortalha" (quase naturalista).
Meus amigos:
Temos aqui um poema de um poeta (e não me venha com palavras de circunstância ou falsas modéstias). Que lhe vamos fazer???
Eu já ganhei o dia, ao lê-lo e arquivá-lo...
Um grande abraço

Nota a Notícia Distorcida!!

Um Update acerca do que escrevi Aqui.


Afinal, depois da notícia dada pelo MF, parece que afinal Jesus, segundo jornalistas se precipitou a pensar que um possivel convite, era para receber o prémio...Mas o que acho grave, é os jornalistas darem a notícia como certa, antes de confirmarem com a outra parte e desculparem-se depois com o treinador que ao que parece foi a fonte!!!...Rídiculo para quem é jornalista...Mas continuo a ter a mesma opinião ao que escrevi, pois Jorge Jesus pelo que tem feito, com vaidade ou não, já merecia uma distinção.

Mais algumas Curiosas sobre Corrupção...

Como é curiosa esta justiça


VIAGENS PAGAS A ÁRBITROS

FICARAM PROVADAS


Tenho lido alguns comentários relacionados com as viagens pagas pelo FC Porto, ao árbitro Carlos Calheiros e verifico que afinal ninguém sabe muito bem o que se passou.

Eu conto:


Carlos Calheiros, João Mesquita e Pinto Correia foram acusados de viajarem à custa do FC Porto. Carlos Calheiros e família para o Brasil, João Mesquita para o Algarve e Pinto Correia para Cancun.

Levantado o problema, Pinto Correia calou-se que nem um rato e passou despercebido, mas Calheiros e João Mesquita aceitaram ir aos “Donos da Bola” e espalharam-se ao comprido. Calheiros acabou por confessar o crime, e João Mesquita acenou com um papel dizendo que era o recibo das tais férias no Algarve.
O assunto foi investigado e como sempre aconteceu, nada se provou. A factura do Calheiros foi apanhada na contabilidade dos Dragões, mas estes disseram que estava lá por engano e que iam pedir ao árbitro para a liquidar.
Depois de todo o processo arquivado chegou a hora da vingança. Pinto Correia continuou quedo e mudo, mas Calheiros e João Mesquita processaram o director do programa Jorge Schnitzer.

Jorge Schnitzer foi julgado em Viana do Castelo e um juiz desconhecido, para além de absolver o director dos “Donos da Bola” acrescentou, na leitura de sentença, de que ficou provado que Calheiros viajou à custa do FC Porto e que nunca pagou essa factura. Mas como era assistente no processo, nada lhe aconteceu.
No caso de João Mesquita, que se constituiu também assistente, Jorge Schnitzer voltou a ser absolvido e o juiz também acrescentou que o ex-árbitro nunca conseguiu provar que tinha pago as férias no Algarve. O papel com que acenou no programa e que se recusou a mostrar na altura, pelos vistos, não era nada.

Com assinatura BBola

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2008

Fantástico


Absolutely Hilarious Bathroom Mirror Prank - Watch more free videos

TODO O DISTRITAL DE FUTEBOL DE AVEIRO EM ARQUIVO




No blogue Arquivos da Bola encontrei esta preciosidade da Distrital de Futebol de Aveiro, e como sei que existem muitos amantes do futebol distrital, cá fica o registo:


O leitor Francisco Tavares envia-nos a lista de Campeões Distritais da Associação de Futebol de Aveiro (1ª, 2ª e 3ª Divisões) e a dos vencedores da Taça do Distrito de Aveiro:



1924/25 - Sporting Clube de Espinho
1925/26 - Sporting Clube de Espinho
1926/27 - Sporting Clube de Espinho
1927/28 - Sporting Clube de Espinho
1928/29 - Sport Clube Beira Mar
1929/30 - Sporting Clube de Espinho
1930/31 - Associação Desportiva Ovarense
1931/32 - Sporting Clube de Espinho
1932/33 - Associação Desportiva Ovarense
1933/34 - Sporting Clube de Espinho
1934/35 - Associação Desportiva Ovarense
1935/36 - Associação Desportiva Ovarense
1936/37 - Associação Desportiva Sanjoanense
1937/38 - Sport Clube Beira Mar
1938/39 - Associação Desportiva Ovarense
1939/40 - Associação Desportiva Sanjoanense
1940/41 - Sporting Clube de Espinho
1941/42 - Clube de Futebol União de Lamas
1942/43 - Clube de Futebol União de Lamas
1943/44 - Sporting Clube de Espinho
1944/45 - Sporting Clube de Espinho
1945/46 - União Desportiva Oliveirense
1946/47 - Associação Desportiva Sanjoanense
1947/48 - Sporting Clube de Espinho
1948/49 - Sport Clube Beira Mar
1949/50 - Associação Desportiva Ovarense
1950/51 - Sporting Clube de Espinho
1951/52 - União Desportiva Oliveirense
1952/53 - Associação Desportiva Sanjoanense
1953/54 - Clube de Futebol União de Lamas
1954/55 - Associação desportiva Ovarense
1955/56 - Sport Clube Beira Mar
1956/57 - União Desportiva Oliveirense
1957/58 - União Desportiva Oliveirense
1958/59 - Sport Clube Beira Mar
1959/60 - Clube Desportivo Feirense
1960/61 - Sporting Clube de Espinho
1961/62 - Lusitania Futebol Clube de Lourosa
1962/63 - Clube de Futebol União de Lamas
1963/64 - Lusitania Futebol Clube de Lourosa
1964/65 - Lusitania Futebol Clube de Lourosa
1965/66 - Clube Desportivo Feirense
1966/67 - Recreio Desportivo de Agueda
1967/68 - Clube Desportivo Feirense
1968/69 - Sport Clube Alba
1969/70 - Anadia Futebol Clube
1970/71 - Associação Desportiva Ovarense
1971/72 - Clube Desportivo Paços de Brandão
1972/73 - Atlético Clube de Cucujães
1973/74 - Recreio Desportivo de Agueda
1974/75 - Clube Desportivo Arrifanense
1975/76 - Associação Desportiva Valecambrense
1976/77 - Sporting Clube Bustelo
1977/78 - Associação Atletica de Avanca
1978/79 - Sporting Clube de Esmoriz
1979/80 - Clube Desportivo de Estarreja
1980/81 - Associação Desportiva Ovarense
1981/82 - Sporting Clube de Esmoriz
1982/83 - Futebol Clube Cesarense
1983/84 - Atlético Clube de Cucujães
1984/85 - Futebol Clube Cesarense
1985/86 - Sporting Clube Paivense
1986/87 - Não foi atribuido o titulo (a)
1987/88 - Associação Desportiva Valecambrense
1988/89 - Associação Desportiva Sanjoanense
1989/90 - Fiães Sport Clube

A partir desta época, a divisão maior do Distrital passou a designar-se Divisão de Honra:

1990/91 - Associação Desportiva de Sanguedo
1991/92 - Sporting Clube de Esmoriz
1992/93 - Grupo Desportivo de São Roque
1993/94 - Sporting Clube São João Ver
1994/95 - Associação Desportiva e Cultural de Lobão
1995/96 - Sporting Clube de Esmoriz
1996/97 - Oliveira do Bairro Sport Clube
1997/98 - Associação Desportiva Valecambrense
1998/99 - Associação Desportiva e Cultural de Lobão
1999/00 - Grupo Desportivo da Gafanha
2000/01 - Grupo Desportivo Milheiroense


A partir desta época, voltou a designar-se 1ª Divisão:

2001/02 - Fiães Sport Clube
2002/03 - Futebol Clube de Arouca
2003/04 - Associação Atletica de Avanca
2004/05 - Lusitania Futebol Clube de Lourosa
2005/06 - Recreio Desportivo de Agueda
2006/07 - Futebol Clube de Arouca

(a) - Na época 1986/87, aconteceu o maior escândalo na memória do Distrital de Aveiro: chegámos à última jornada, e a AD Sanjoanense e CD Paços Brandão estão empatados em pontos e no confronto directo. Na última jornada, se ambos vencessem, seriam os golos a decidir; jogaram com o CD Tarei e o SC Bustelo, e o resultado de ambos os jogos foi 32-0 (ficou conhecido como processo 32/0).
Após investigação, o Sanjoanense e o Paços de Brandão foram relegados para a 2ª Divisão distrital, em vez de um deles subir à 3ª Divisão Nacional. O beneficiado, sem ter nada a ver com o caso, foi o Sporting Clube de Esmoriz, que era 3º classificado e subiu à 3ª Divisão após a desclassificação dos infractores.

* * * * * * * * * *



Com o aumento do número de clubes, a partir de 1953, começa a disputar-se também o Campeonato Distrital da 2ª Divisão:

1953/54 - Grupo Desportivo da Mealhada
1954/55 - Atlético Clube de Cucujães
1955/56 - Clube Desportivo de Estarreja
1956/57 - Atlético Clube de Cucujães
1957/58 - Futebol Clube Cesarense
1958/59 - Atlético Clube de Cucujães
1959/60 - Clube de Futebol União de Lamas
1960/61 - Clube Desportivo de Estarreja
1961/62 - Sport Clube Alba
1962/63 - Associação Desportivo Valecambrense
1963/64 - Sporting Clube de São João de Ver
1964/65 - Oliveira do Bairro Sport Clube
1965/66 - Lusitania Futebol Clube de Lourosa
1966/67 - Sporting Clube de Bustelo
1967/68 - Atlético Clube de Cucujães
1968/69 - Grupo Desportivo da Mealhada
1969/70 - Sporting Clube de Fermentelos
1970/71 - Associação Atlética Macinhatense
1971/72 - Futebol Clube Cesarense
1972/73 - Futebol Clube Cesarense
1973/74 - Sporting Clube São João de Ver
1974/75 - Fiães Sport Clube
1975/76 - Futebol Clube Pinheirense
1976/77 - Futebol Clube da Pampilhosa
1977/78 - Grupo Desportivo Milheiroense
1978/79 - Associação Desportiva Valonguense
1979/80 - Futebol Clube de Arouca
1980/81 - Relampago União Futebol Clube Nogueirense
1981/82 - Associação Desportiva e Cultural de Lobão
1982/83 - Futebol Clube Pinheirense
1983/84 - Clube Desportivo de Tarei
1984/85 - Associação Desportiva de Oiã
1985/86 - Grupo Desportivo de São Roque
1986/87 - Futebol Clube de Arouca
1987/88 - Associação Desportiva Sanjoanense
1988/89 - Futebol Clube de Cortegaça
1989/90 - Juventude Desportiva Carregosense

A partir desta época, a 2ª Divisão Distrital passou a designar-se por 1ª Divisão - B:

1990/91 - Nege - Novo Estrela Gafanha da Encarnação
1991/92 - Canedo Futebol Clube
1992/93 - Grupo Desportivo Milheiroense
1993/94 - Associação Recreativa Cultural São Vicente de Pereira
1994/95 - Arada Atlético Clube
1995/96 - Futebol Clube da Pampilhosa
1996/97 - Canedo Futebol Clube
1997/98 - Nege - Novo Estrela Gafanha da Encarnação
1998/99 - Futebol Clube Pinheirense
1999/00 - Real Clube Nogueirense
2000/01 - Clube Desportivo Soutense

A partir desta época, voltamos à fórmula antiga, com o nome de 2ª Divisão Distrital:

2001/02 - Associação Desportiva e Cultural de Sanguedo
2002/03 - Sporting Clube Paivense
2003/04 - Juventude Académica Pessegueirense
2004/05 - União Desportiva Mouriquense
2005/06 - LAAC - Liga dos Amigos de Aguada de Cima
2006/07 - BARC - Associação Recreativa e Cultural da Borralha


* * * * * * * * * *



Em 1979, começa a disputar-se o Campeonato Distrital da 3ª Divisão:

1979/80 - Atlético Clube de Famalicão
1980/81 - Grupo Desportivo de Pedorido
1981/82 - Associação Desportiva de Argoncilhe
1982/83 - Associação Desportiva Paredes do Bairro
1983/84 - Unidos
1984/85 - Grupo Desportivo Calvão
1985/86 - Sport Maritimo Murtoense
1986/87 - Futebol Clube Bom Sucesso
1987/88 - Grupo Desportivo de Mogofores
1988/89 - Grupo Desportivo Santa Cruz Alvarenga
1989/90 - Ajax Desportivo Cultural da Silvâ


A partir desta época, o terceiro escalão no Distrital de Aveiro designa-se por 2ª Divisão Distrital:

1990/91 - Canedo Futebol Clube
1991/92 - Sport Clube Paradela
1992/93 - Grupo Desportivo da Fogueira
1993/94 - Centro Recreativo Cultural Rocas do Vouga
1994/95 - Futebol Clube Barcouço
1995/96 - Centro Desportivo Cultural São Martinho da Gandara
1996/97 - Grupo Desportivo de Fajões
1997/98 - Grupo Desportivo da Fogueira
1998/99 - Associação Atletica Macinhatense
1999/00 - Centro Recreativo Cultural Rocas do Vouga
2000/01 - Arada Atlético Clube

A partir desta época, voltamos à fórmula antiga com a designação de 3ª Divisão Distrital:

2001/02 - Atlético Clube de Famalicão
2002/03 - Centro Cultural Recreativo São Martinho (C. Paiva)
2003/04 - Juventude Desportiva Carregosense
2004/05 - Grupo Desportivo Beira Vouga
2005/06 - NEGE - Novo Estrela Gafanha da Encarnação
2006/07 - Sporting Clube Santa Maria da Feira

* * * * * * * * * *

Em 1988 começa a disputar-se a Taça Distrito de Aveiro (relação das finais a negrito o vencedor):

1988/89 - 17.06.89 - Em Santa Maria da Feira - CD Paços Brandão - CD Arrifanense 2-0
1989/90 - 01.05.90 - Em Aveiro - ADC Sanguedo - AA Avanca 0-1
1990/91 - 09.06.91 - Em Aveiro - FC Pinheirense - ADC Lobão 2-0
1991/92 - 18.06.92 - Em Aveiro - FC Pinheirense - JD Carregosense 0-1
1992/93 - 09.05.93 - Em Aveiro - CD Paços Brandão - AD Valecambrense 0-1
1993/94 - 10.06.94 - Em Aveiro - GD Gafanha - CD Luso 2-1
1994/95 - 06.05.95 - Em Aveiro - ADC Lobão - AD Valecambrense 0-0 2-3 (g.penalidades)
1995/96 - 01.05.96 - Em Aveiro - ADC Sanguedo - GD Mealhada 1-2
1996/97 - 10.05.97 - Em Aveiro - UD Mourisquense - FC Vaguense 2-1
1997/98 - 09.04.98 - Em Ovar - CD Paços Brandão - JA Rio Meão 1-1 1-3 (g.penalidades)
1998/99 - 08.05.99 - Em Estarreja - CCD Torreira Praia - GD Gafanha 0-3
1999/00 - 05.05.00 - Em Avanca - Canedo FC - AD Valonguense 1-1 4-5 (g.penalidades)
2000/01 - 12.05.01 - Em Esmoriz - Canedo FC - JD Carregosense 2-1
2001/02 - 02.06.02 - Em Oliveira de Azemeis - AD Oiã - Fiães SC 1-0
2002/03 - 01.06.03 - Em Vale de Cambra - JA Rio Meão - AD Valonguense 0-0 4-5 (g.penalidades)
2003/04 - 23.05.04 - Em Oliveira do Bairro - AC Cucujães - AD Valonguense 0-3
2004/05 - 05.06.05 - Em Aveiro - CD Paços Brandão - LAAC 1-1 5-4 (g.penalidades)
2005/06 - 03.06.06 - Em Estarreja - AD Oiã - JD Carregosense 4-4 8-9 (g.penalidades)
2006/07 - 03.06.07 - Em Santa Maria de Lamas - FC Arouca - SC Bustelo 0-1






Espaços Jornalísticos de Opinião BD

No MF, o director deste site escreve assim acerca do processo Apito Dourado:


Alguém tem medo do major?

Para muitos leitores, que o escrevem em comentários, peco por defeito. Para mim, talvez o pouco tenha sido até de mais. Este texto não serve para reflectir sobre o meu comportamento, enquanto jornalista que faz opinião. Mas também. É uma forma de partilhar o meu ponto de vista, de resto muito diferente de diversas outras pessoas com acesso a jornais, rádios, televisões e sites.

Objectivamente, ainda não descobri matéria sobre a qual emitir grandes opiniões. Existe uma investigação sobre corrupção desportiva. Foram divulgadas algumas escutas, conhecidos depoimentos e o caso entrou agora em fase de julgamento.

O único comentário que isto me merece esgota-se em duas palavras: está bem.

Não sendo advogado ou juiz, não possuo capacidade para analisar todas as vírgulas do processo e seguramente a minha visão será sempre menos completa e informada do que a daqueles que estudam há meses o «apito dourado».

Também sei que a sentença, qualquer que seja, é sempre o resultado da interpretação das leis e do que conseguir ser provado. Ou seja, num processo jurídico a distância entre o que se prova e o que realmente sucedeu pode ser grande, pequena ou inexistente.

Por tudo isto, entendo com dificuldade as pessoas que escrevem fascículos sobre um caso de polícia que os tribunais estão a julgar. Também não creio que seja sério tentar condicionar quem tem de decidir. Por muito estranho que isso possa parecer à generalidade das pessoas, acho que devemos esperar até ao fim do processo. Na justiça e na disciplina desportiva (claro que seria exigível que em ambas a coisa já estivesse decidida há meses, mas isso é outro problema. Aliás, o facto de a anterior Comissão Disciplinar da Liga ter passado meses a assobiar para o ar é indesculpável). E depois emitir opiniões, com base em factos provados e não em escutas parciais ou frases ditas à porta do tribunal. Mas admito que esteja enganado e a coisa mereça comentários ao minuto, como se de um jogo de futebol se tratasse.

Coisa bem diferente da matéria jurídica é o que afirmam na rua alguns dos que estão ser julgados. E isso pode e deve ser analisado. Daí reservar um último parágrafo para Valentim Loureiro, presidente da Câmara de Gondomar e da Assembleia Geral da Liga.

No tom que o caraceriza há anos, Valentim Loureiro tem dado como certa a sua vitória no processo («15-0!»), ao mesmo tempo que ameaça quem escreve e, segundo ele, ainda pouco percebeu sobre o tema. Desconfio que está enganado. Este é um jogo que já não pode ganhar. No limite conseguirá empatar, salvando uma bola sobre a linha, no último minuto. Não sei se alguém sentiu, por um instante que fosse, medo ao escutar a voz de Valentim Loureiro. Admitindo que sim, talvez fosse útil que um amigo do antigo presidente da Liga lhe dissesse que esses dias passaram. Na verdade, o major já não manda no futebol português. E isso, na minha opinião, é bom.

P.S.: Para muitos leitores, a diferença entre notícia, crónica, reportagem e opinião é um mistério insondável. Com o preço do pão e a instabilidade das taxas de juro acho muito bem que se preocupem com outras coisas. Mas apesar de lhe ligarem pouca importância, para um jornalista essa diferença existe. E por isso no IOL temos acompanhado o processo «apito dourado», do ponto de vista noticioso, com a relevância e o equilíbrio que ele merece, achamos nós. Basta ler aqui o que tem sido escrito ao longo dos meses pela jornalista Cláudia Rosenbusch no PortugalDiário e no Maisfutebol.

Luís Sobral



Na resposta um leitor deixou esta mensagem:

Sr. Sobral:

por mais que se queira argumentar, contra-argumentar, fantasiar ou opinar sobre o processo, há alguns factos indesmentíveis e que merecem reflexão da dita imprensa desportiva portuguesa (e da Com. Social em geral, salvo algumas honrosas excepções, curiosamente de jornais tidos como sensacionalistas, e talvez por isso sem medo de morder algumas mãos que alimentaram os outros):

1-As maioria das revelações do processo, seja por escutas seja por denúncias, não são novidade para os Portugueses. São comentários há muito tidos nas ruas e nos cafés, e que os jornalistas desportivos, melhor que ninguém, conhecem bem, mas optaram por ignorar (talvez por medo, talvez por conveniência, talvez por estas e outras razões);

2-Estas mesmas revelações, foram amplamente denunciadas pelo antigo Presidente do SCP, Dias da Cunha, chamando "os bois" pelos respectivos nomes. Mais uma vez, a cobertura e a investigação jornalística sobre os casos foram pouco mais que nulas (é mais interessante e menos perigoso falar dos bufos do Paulo Bento ou das pseudo-contratações do Benfica);

3- As escutas até podem vir a ser anuladas, os processos até podem vir a morrer por falta de provas ou erros processuais, mas as transcrições (frutas, chocolates, classificações, puxões de orelhas, etc) são claras, claríssimas e só as ignora quem as quiser ignorar, seja por clubismo exacerbado seja por conveniência;

Sendo assim, termino dizendo que os parcos argumentos que aqui apresenta não colam minimamente nem apagam o comportamento cobarde e vergonhoso que a generalidade dos media tem tido neste caso. Estou certo que se as posições de Valentim e Pinto da Costa vierem a estar fragilizadas no futuro, que se cheirar a fim efectivo de ciclo de poder, os mesmos srs que tudo ignoraram até agora, aparecerão em força, quais abutres quando detectam seres moribundos. É o que temos, tenho muita pena...

Por: Jota






Curto e directo!!!

Eu tenho alguma dificuldade em perceber como alguns jornalistas tratam esta questão como um assunto paralelo ou meramente acessório, quando do meu ponto de vista, esta é uma questão que deveria estar na base de tudo. Qualquer situação que ponha em causa a verdade desportiva, seja doping, corrupção, etc, deve ser combatida com toda a agressividade e mecanismos disponíveis pela imprensa, sob pena de meter em causa a credibilidade do futebol ou qualquer outro desporto, e dos mesmos que o acompanham de perto.

Bem hajam


quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

Taça de Portugal



Resultados:




Naval 1-2 V. Setúbal
FC Porto 1-0 Gil Vicente
Benfica 2-0 Moreirense
Sporting 1-0 E. Amadora












Duvidas Infelizes!!!

Estava a ver a sic e ao mesmo tempo a ouvir a Antenna 1, o que nem sempre faço, mas hoje foi um desses dias..Mas achei estranho ouvir o Sr. Jorge Coroado dizer alguns instantes depois do golo dos leões, que este foi irregular por fora-de-jogo de Purovic...

Fiquei curioso e depois de ver umas dezenas de vezes o lance, e parar a imagem no momento exacto de passe, ainda estou para verificar onde o ex-árbitro viu a irregularidade com tanta exactidão?!!!, pois talvez no máximo em linha e mesmo assim persistem as dúvidas, porque o jogador do Estrela abre as penas no momento do passe do jogador leonino, e como ele já devia de saber, em caso de duvida favorece o ataque, algo que nem sempre acontece, mas é muito difícil nestes casos para um auxiliar, uma vez que é uma questão de um cabelo ou um dedo, e mesmo assim é difícil para nós que vemos várias vezes na repetição e deixa dúvidas, quanto mais o árbitro auxiliar....

Não gosto deste tipo de especulação, pois se é flagrante e a olhos vistos, tudo bem, agora assim, é tirar ainda mais credibilidade a quem já praticamente não tem... Vejam se conseguem ter tanta certeza que existe fora-de-jogo sem olhos de cor, claro...




Falando da Taça e dos resultados, todos os grandes tiveram grandes dificuldades com equipas de menor nomeada, e todos sabemos que estes jogos nada tem a ver com a Liga, uma vez que todas as equipas chamadas pequenas, fazem das fraquezas forças, para tentarem estar numa final bastante importante para a carreira dos jogadores de qualquer equipa e seus treinadores, e até para o historial dos clubes de menor expressão do nosso país....mas convém destacar nesta fase, a confirmação da excelente campanha que o Vitória de Setubal está a realizar, mesmo depois de perder alguns jogadores neste mercado de inverno, a equipa de C. Carvalhal, demonstra que não depende só de jogadores, mas sim de uma estrutura e um modelo de jogo que está bem organizado, independentemente de quem jogue.. Parabéns a este treinador e seus jogadores que estão nas meias-finais da Taça de Portugal, Final da Taça da Liga e com grande brilhantismo no campeonato, apesar de todos as dificuldades do clube, o que para mim é o mais importante realçar desta eliminatória... as outras equipas têm obrigação de estar nesta fase, o que nem sempre acontece, e que a partir daqui tudo pode acontecer, pois só duas estarão na final.

Bem Hajam

fãs sinceros


Recordar é Viver "O autógrafo". Ficção ou realidade de um passado distante





O Autografo é uma "short story", inicialmente destinada a participar em concurso do genero, mas que devido a uma condicionante de espaço e limite de numero de caracteres, optei por publicá-la aqui no Bancada Directa.


O autógrafo
11 anos de idade. Com a 4ª classe concluída, havia que ir trabalhar para participar no sustento da família. Naquele tempo era assim e não havia o conceito do trabalho infantil. Para os jovens de hoje, nem sei se será sorte ou azar. O miúdo saía pelas 8h00 da Rua da Graça e dirigia-se para o fim do Bairro Alto, onde começara a trabalhar no jornal. Fazia o percurso com grande leveza, apesar de subir a Calçada do Monte para um lado e as Escadinhas do Duque para o outro. O Rossio e a Mouraria eram o seu ponto de descanso, mais para a vista do que por cansaço. E de tanto passar pela Baixa, um dia viu-a. Já tinha uns 17 anos, tinha passado de “paquete da redacção” (onde conheceu os grandes monstros do jornalismo da época)” para os escritórios, mas o hábito de fazer o percurso a pé manteve-se.

Viu a moça, estremeceram-lhe os olhos, a emoção acelerou a respiração e admirou-a. Seguiu-a e viu que morava num pátio, alçado e sobreposto num muro com vasos de sardinheiras, na Rua do Marquês de Ponte de Lima, quase, quase em frente da Rua do Capelão. Dias depois pediu-lhe namoro e ela aceitou. E assim namoraram 3 anos. Pediu-a em casamento aos pais e mal saísse da tropa daria o nó com ela. Não chegaram a casar. Culpa dele! Esqueceu-a!

A vida dá muitas voltas, ele deixou de trabalhar no jornal, porque o seu sonho era estudar e procurar nova profissão. Foi morar para longe da Graça e ela também deixou a sua casa e foi viver para a Grande Lisboa, se bem me lembro em Ponte de Lousa. A separação física ajudou a contribuir o afastamento deles. Depois dele se esquecer, ela seguiu a sua vida. Ele seguiu uma nova carreira e a vida correu-lhe bem. Ela manteve-se solteira e dedicou-se a escrever livros policiais. Deixou o seu nome de baptismo e criou um pseudónimo. É agora uma escritora de sucesso e os seus livros são best-sellers. Granjeou fortuna média.
Nunca mais se encontraram e nenhuma referência sobre cada um lhes chamou a atenção.





Mas o destino ligava-os de uma forma indelével. Ela dedicada a escrever as suas obras policiais e ele tornando-se um adepto da problemática policiária, o que o levava a produzir enigmas policiais e a participar em secções da especialidade. Porque lia muitas obras policiais tornou-se admirador da escritora, sem saber quem ela era na realidade. Na parte que o tornava mais visível, o seu pseudónimo não ajudava a escritora a relacioná-lo com o passado.

O moderno Centro Comercial regurgitava de gente para uma sessão de lançamento de um livro dela, seguida de uma de autógrafos. Quando ele entrou no espaço onde ela se encontrava, a fila de pessoas formada para pedirem o autógrafo encobria a escritora, o que não impediu de ele esperar pela sua vez. Comprou o livro e entrou na fila. Na sua altura estendeu o livro e pediu um autógrafo com dedicatória para um leitor fiel. Ela levantou os olhos e viu-o. Reconheceu-o e ele teve o mesmo sentimento. Tinham-se passados 50 anos. Ele estendeu-lhe o livro. A mão dela tremia quando, para alem do nome, lhe fazia a dedicatória.

Ele agradeceu e retirou-se perturbado, mais porque pensava, que por muitas voltas que a vida dê, as pessoas julgam que estão longe e afinal estão bem perto. Se calhar, afinal, nunca se tinha esquecido dela.





Já ao volante do seu carro em direcção à Aldeia de Irmãos, ali para os lados da Serra da Arrábida, olhando da Ponte 25 de Abril o mar para além de Cascais, abriu o livro para ler a dedicatória. E em termos simples, para além do seu nome próprio, não do seu pseudónimo, a dedicatória lá estava: "Para que queres a minha assinatura para o divórcio, se nem chegámos a casar!"

Jogador é atacado por formigas

Cena inusitada no futebol paulista. O jogador Marcos Paulo caiu em cima de um formigueiro durante partida pela Terceira Divisão. E, desesperado, saiu correndo para o vestiário. Hilariante...

Clique aqui para ver o vídeo.

terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

Europa Portuguesa

Caros leitores, desde as minhas desculpa pelo post tão tardio mas nem sempre dá para fazer as coisas a horas. Hoje com um EXTRA especial iremos falar de 2 semanas de futebol falado em português mas jogado por essa Europa. E vamos então dar inicio dando um pequenino salto ao país vizinho.

Espanha

Ganha cada vez mais emoção o campeonato de “nuestro hermanos”. O campeão, Real Madrid, perdeu 2 semanas consecutivas e ficou assim com somente 2 pts de vantagem sobre o Barça que não deitou a oportunidade de chegar mais próximo fora. Um dos grandes responsáveis por esta mudança na tabela classificativa é o nosso guardião Ricardo que joga actualmente no Bétis. Foi na jornada 24 que Ricardo fez o que pôde e o que não pôde, rubricando uma exibição muito agradável. Na jornada 25 foi Deco quem se destacou mais uma vez com os seus passes magníficos :)

Betis 2-1 R. Madrid



Barcelona 5-1 Levante

Ainda de referir o episódio caraticato que aconteceu na derrota do Real Madrid por 1-0 frente ao Getafe (25ª Jorn.). Num simples minuto o Real Madrid viu o arbirtro anular-lhe bem um golo e o Getafe a fazer o golo da vitória numa rápida jogada de contra-ataque

Real Madrid 0-1 Getafe


Curiosidade: Villareal é a Equipa com mais vitória fora na “La Liga”!

Inglaterra

Numa jornada marcada pela Final da Taça da Liga (disputada entre Tottenham e Chelsea), todos os outros clubes disputaram os seus jogos referentes à “Premier League”. Destaque a escorregadela do Arsenal frente ao Birmingham (empatou fora 2-2), o que permitiu que o Man. Utd se aproximasse e ficasse assim somente a 2 pts (venceu o Newcastle por 2-1, com 2 golos de CR7) do 1º posto . Mas este empate ficou marcado pelas piores razões. Eduardo, internacional croata e avançado do Arsenal saiu aos 2 minutos de jogo lesionado e vai ficar 9 meses fora dos relvados. Basta dizer que rompeu os ligamentos. As imagens comprovam a violência da jogada.

Birmingham 2-2 Arsenal


Newcastle 1-5 Man. Utd.


Curiosidade: Chelsea é a equipa com mais vermelhos na “Premier League”

Itália

Em terras italianas continua tudo na mesma. O Inter continua lider isolado: Tem 9 pts sobre a Roma, apesar de ter empatado na ultima jornada com a Sampdoria. Aliás, o destaque já vai mais para a luta pelo 2º lugar que na ultima jornada teve novidades. A Juventus (que podia ultrapassar a Roma) perdeu por 2-1 com a Reggina e ficou a 4 pts da Roma (ganhou 1-0 à Fiorentina. Manuel da Costa não saiu do banco).
Aqui fica o resumo de ambos os jogos:

Reggina 2-1 Juventus


Roma 1-0 Fiorentina


Curiosidade: Milan é a equipa que tem mais vitórias fora de casa

Até à próxima

Mundo Policiário 10/08


Coordenação de Onaírda

Dic Roland e KO = Presentes
Conheça os nossos autores policiários (14) ZÉ – VISEU

Zé- Viseu é o nosso alvo desta semana


Quase como que por um golpe de magia lá conseguimos descobrir um problema da autoria do nosso amigo e compadre Zé-Viseu. E assim não nos fizemos rogados e aqui vai ele.


O problema das contradições
Problema policiário de Zé-Viseu


Segunda-feira 8 de Março deste ano, 10h30

A campainha soou (finalmente!) e os alunos da Secundária Alves Martins, em Viseu, abandonaram as “câmaras de tortura” e dirigiram-se para os recreios. Acabara mais uma aula e, para aquela turma do 12º Ano, particularmente torturante (penso eu)!
A Rita desceu as escadas e respirou, aliviada, o ar puro daquela manhã brumosa, mas não particularmente fria. A seu lado, o colega Dias (um calmeirão, todo virado para as matemáticas) tirava as medidas ao ambiente circundante (façam o favor de interpretar como quiserem).
E, naturalmente, o diálogo começou:
-Vê-se mesmo (disse a Rita) que o professor Gustavo adora Fernando Pessoa! Acho, porem, que o Ricardo Reis é aquele que menos o toca.



-Também acho (responde o Dias). A mim o paganismo fascina-me; o epicurismo, porém, não me agrada, por ser demasiado….redutor. Aliás, o heterónimo de Pessoa que mais me entusiasma é Antero de Quental. Pessimista, sim, mas idealista e politicamente utópico, como eu.
Sorridentes, como (quase) sempre, o Tó e o Raul juntaram-se ao duo. O Tó é um criativo aluno de Artes. O Raul, um jovem vocacionado para o Desporto e com a característica de ver, em cada árbitro dos jogos do seu Benfica, o inimigo público nº 1 (coisas do sistema, diz ele)!
-Olá, pessoal (saúda o Raul). Que grande dia, o de ontem: ganhou o Benfica e ganhou a Ferrari. Foi um dia vermelhão! Vocês viram como o Michael Schumacher arrancou na Austrália, mal o semáforo verde acendeu, e nunca mais ninguém o viu? Até tinha tempo para tomar um cafezinho a meio…..Só deu mesmo vermelho!




-Também gostei (concordou o Tó). Aliás, no que respeita o Benfica, se um diz mata, o outro grita: -esfola). Mas Tambem a mim o dia correu super-bem. Obtive, finalmente, um bilhete para o concerto dos Guns N’Roses, no Rock in Rio Lisboa. O vocalista, o Brian Mc Fadden, é espectacular! Estava a ver que só me restava ir, com os cotas, ver o do Paul Mc Cartney. Desse frete lá eu me livrei!!!
Fatal como o destino. Lá voltou a ouvir-se a campainha. Os jovens, resignados, regressaram ao suplício de mais 50 minutos de aula.
A Rita, porem, não ia muito sorridente.
Ao almoço, contou a conversa ao irmão, Artur:
-Tu já viste aquelas cabecinhas?
-Ó maninha, como notaste, estavam a querer dar-te tanga! Eles são uns moços impecáveis, mas toda agente sabe que não resistem a uma boa brincadeira. E ainda lá faltava o mais “tolo”do grupo! Safaste-te de boa!!!
E pronto, amigos! A parte do autor, neste filme, acaba aqui. E aqui, também, começa a vossa, a dos solucionistas.



Pseudónimo: ZÉ - VISEU



Nasceu na Marinha Grande
62 anos

Professor efectivo do Ensino Secundário, aposentado – Formador
O pseudónimo nasceu como homenagem ao seu tio Zé (José é,
também, o seu segundo nome), que lhe reconheceu, na adolescência,
algumas qualidades e o iniciou no Jornalismo e no Teatro (mais tarde, na
sua Escola, encenou dezenas de peças, com um grupo de alunos).

No Mundo de Aventuras, onde se iniciou nos finais da década de 60 /
princípios de 70, era o Zé (Viseu), já que o Sete de Espadas (a quem
agradece o estímulo de sempre) colocava, à frente do pseudónimo, a
localidade do concorrente. Ao regressar ao Policiarismo, no Público, como
já havia um Zé, juntou o pseudónimo de sempre à localidade (mas, para os
"velhos" e amigos, orgulha-se de ser, simplesmente… Zé!).

Chegou ao Policiarismo através do gosto pela B.D. e pelo prazer de ler,
pensar, pesquisar e escrever: hobby’s que divide com outros passatempos,
como o modelismo e a pesca, tudo isto sempre sem prejuízo da família
(valor que mais preza, acima de tudo). Os amigos e a ética social são
outros dos valores que mais preserva e defende.

Com alguma boa gestão do tempo, conciliou (até à aposentação) as
suas duas vocações – o Ensino do Português (Literatura) e o Jornalismo
(escrito e radiofónico) – e ainda conseguiu “ganhar” algumas horas a ouvir a
música de que gosta e a "consumir" todas as outras artes, hábitos que
ainda hoje conserva inalteráveis.

O desporto também consome algum do seu tempo, nomeadamente o
automobilismo (é fanático, doente incurável, pela Ferrari). Tem uma grande
paixão por carros antigos (adora participar nos passeios do Clube Alfa
Romeo de Portugal) e é suficientemente masoquista para se assumir como
Benfiquista.

Depois de uma breve ausência, regressou, no Público-Policiário, como
Provedor, lugar em que antecedeu a Lima Rodrigues. Alguns anos depois,
em 2002, voltou ao solucionismo (de que esteve afastado cerca de 15
anos), por sugestão do Zé dos Anzóis (a quem agradece a amizade e
cumplicidade de muitos anos). Tem-se afirmado como um brilhante
solucionista e promete para breve investir na Produção (diz que gostaria de
escrever um bom problema policiário e garante que vai tentar!!!).



O Melhor de ZÉ-VISEU


– Diversos prémios (de classificação e de originalidade) em torneios
organizados pelas revistas Mundo de Aventuras, Passatempo e Quebra-
Tolas;
– seccionista no Passatempo, em parceria com o Inspector Aranha;
– terceiro classificado no Campeonato Nacional do Público-Policiário na
temporada 2002/2003;
– prémio das “melhores soluções” e quinto classificado no Campeonato
Nacional do Público-Policiário na temporada 2003/2004;
– vencedor da Taça de Portugal do Público-Policiário na temporada
2003/2004.
- Campeão Nacional do Publico/Policiário em 2005/2006.


Opiniões Desportivas...





Numa semana passa-se do oitenta para o oito, estou a falar concretamente do Rui Patrício... Deu um grande "frango" e daí ?!! Outros não deram?! lembro de frangalhão do Bento por debaixo das pernas, lembro de Vitor Baía ter dado um idêntico ao Rui num lance polémico, só que esse não foi considerado golo, pois o fiscal de linha considerou que a bola não tinha passado totalmente a linha final... e deixaram de ser considerados grandes guarda-redes?! Ainda o Cech do Chelsea este fim de semana, soca uma bola na cabeça do adversário que dá golo e uma final ao Tottenham...

Deve-se ter algum cuidado a elogiar, mas também a críticar, e aí estamos infelizmente muito mal servidos de comentadores e críticos da bola.

Patrício não está numa elite "ainda" dos grandes guardiões na minha opinião, pois esses fazem defesas que normalmente apelidamos de "quase ímpossíveis", e este miudo tem qualidade e trabalhado bem, mas longe de esses valores, ainda terá de crescer mais para entrar num lote restrito deste lugar específico e difícil numa equipa de futebol, mas não se pode crucificar um jovem por um lance infeliz, quando outros muito mais maduros, erram muito e mais vezes... Deixem-no crescer com as suas virtudes e defeitos, e daqui a algum tempo veremos se vai amadurecer e corrigir alguns aspectos que claramente tem em deficiente [especialmente concentração e posicionamento], para fazermos uma analise mais aprofundada.

Paulo Bento aposta nele, mas deve ter algum cuidado, tanto na defesa do atleta, como na demasiada exposição negativa !!! Alguns jogadores foram destruídos por esse facto....
O que divide os excelentes guarda-redes dos bons guarda-redes, é a diferença que divide os génios da vida, do resto das pessoas... Fazer boas defesas , não define um bom guarda-redes a ser apelidado de excelente, mas sim as defesas que normalmente os "bons" não conseguem fazer, que só estão ao alcance dos fora-de-série...




Uma palavra também, para Rui Santos comentador desportivo da SIC, pois apesar de nem sempre concordarmos com a sua opinião, não é justificável a cobarde tentativa de agressão que foi alvo, pois por todas e mais razões, a violência é um recurso inútil e que demonstra as pessoas sem moral intelectual e moral, para aceitar a livre expressão, num país "ainda"democrático que vivemos...

Nas competições Europeias, Sporting defronta uma equipa inglesa que apesar de bons nomes internacionais, é uma equipa perfeitamente ao alcance dos leões, o 16 lugar no seu campeonato não diz tudo desta equipa, mas ajuda a perceber muita coisa, tal como Getafe para o Benfica que apesar de ter um dos orçamentos mais baixo do campeonato vizinho [20 milhões de euros], nos quatro anos que leva de I liga, tem feito excelentes prestações em Espanha e Europa, mas longe de um clube temível.

O Porto, só depende dele para passar um dos adversários mais doces, dos que ainda restam na Liga dos Campeões.

Mais do que sorte, é preciso trabalho para passar as dificuldades.


Jorge Jesus foi considerado o treinador do ano de 2007 pela Soccerex, uma multinacional inglesa especializada na organização da maior convenção itinerante do mundo da indústria do futebol.

Um distinção que à muito devia ter sido feita dentro de portas, mas infelizmente é necessário serem outros países a reconhecerem o valor dum treinador, que demonstrou já qualidades para outros palcos e outros objectivos...

Parabéns Jorge Jesus, uns dos melhores treinadores portugueses da actualidade, mas esta é a minha opinião.
PS* Afinal, depois da notícia dada pelo MF, parece que afinal Jesus, segundo jornalistas se precipitou a pensar que um possivel convite, era para receber o prémio...Mas o que acho grave, é os jornalistas darem a notícia como certa, antes de confirmarem com a outra parte e desculparem-se depois com o treinador que ao que parece foi a fonte!!!...Ridiculo para quem é jornalista...Mas continuo a dizer o que escrevi em cima, pois Jorge Jesus pelo que tem feito, com vaidade ou não, já merecia uma distinção.



A última palavra cabe ao treinador do Nacional, pois como já deixei neste espaço a minha opinião sobre o caso que Jokanovic, queria também dizer, para não fazerem deste homem um exemplo de justiça no nosso país, pois era vergonhoso fazê-lo a um treinador que só por ser estrangeiro e ter tido uma atitude menos profissional, seja ele a pagar as favas de tudo o que "não" tem sido feito no nosso futebol em matéria de justiça desportiva.

Deve ser castigado, mas com algum racionalismo, pois tem havido situações mais graves que não sofreram os devidos e merecidos castigos, onde muitas estão ainda a decorrer na justiça desportiva, e nada se passou até ao momento....

Bem Hajam

o becko-sistema


domingo, 24 de fevereiro de 2008

As crianças de Pemba (Moçambique)



Isto não é Futebol...

Quando os jogadores que entram desta maneira e lesionarem os seus companheiros de profissão, sofrerem as sanções devidas, deixará de haver menos entradas violentas.
Uma das medidas, poderia ser o jogador que faz agressão, ter de parar de jogar enquanto o adversário que fica lesionado não poder jogar... é impressionante este video em que Eduardo, jogador do Arsenal sofre esta grave lesão...

o leão mostra a sua raça







Mais ... Aqui e aqui

sábado, 23 de fevereiro de 2008

Newsletter da Associação Desportiva de Taboeira




Jogos Particulares


JOGOS PARTICULARES

Domingo, 24 de Fevereiro
Escolas A - 10H30
Parque Desportivo St.a Joana
Escolas B - 10H30
Parque Desportivo Taboeira
Ler mais...


Escola Futebol MINI FOOT


Escola de Futebol
MINI FOOT
No dia 23 de Fevereiro várias turmas deslocam-se ao Mário Duarte
para jogar com o Beira-Mar e no dia 24 de Fevereiro as outras
turmas deslocam-se a Espinho para jogar com "Os Baixinhos"











Campeonatos Futebol 11


Ler mais...
2ª Fase
Campeonatos de Futebol 11


Campeonatos Futebol 7
Ler mais...
2ª Fase
Campeonatos de Futebol 7



Mini Foot Clube

Mini Foot Clube

Comentários aos Jogos



Psicologia do Desporto

Ler mais...
Psicologia do Desporto

Coluna da autoria de Maria Manuel Teixeira

Psicologa Clinica


Campanha Carrinha


CAMPANHA

Aquisição de uma Carrinhapara transporte dos Atletas

O nº de colaboradores tem aumentado




Taboeira Cup 2008


Torneio Internacional Futebol Infantil

TABOEIRA CUP 2008

21/22 Março 2008

Quinta da Condessa Taboeira

Já disponivel o site oficial http://www.taboeiracup.com/



Mini Cup 2008

Torneio de Futebol Infantil

MINI CUP 2008

25/26/27 Abril 2008

Já está online no canto inferior direito

Futebol Feminino Ano III Nº6



Selecções Nacionais supostamente de Futebol de 11

Selecção A
A selecção Feminina de Futebol de 11( em teoria) continua a travessia do deserto. Mais dois jogos(em casa) e mais duas derrotas. Continua assim a aposta(como disse Gilberto Madaíl numa entrevista recente ao Record !!!) na selecção feminina. Continuamos a perder com todos, a ter um campeonato fortíssimo, a convocar jogadoras de futsal, a importar cada vez mais luso descendentes sem que sejam dadas condições para que as jogadoras a competir em Portugal tenham condições para evoluir. Já não chegasse isto ainda nos damos ao luxo de convocar apenas 18 jogadoras para uma jornada dupla. Como disse na última rubrica como seria se alguém se lesionasse ou fosse expulsa? Pois bem. A jogadora Inês Borges fracturou a tíbia esquerda num treino(as melhoras) e Portugal apresentou-se com 17 frente à Ucrânia. 17!!!!!!!!!!!!!!!! Continua a aposta.

Portugal 0 Eslováquia 1(Veja mais aqui)

Portugal 0 Ucrânia 1 (veja mais aqui)



Sub 19
A seleccionadora Mónica Jorge revelou as convocadas para o estágio de preparação entre os dias 25 e 27 de Fevereiro em Rio Maior.

Lista de convocadas:

A.R.C. Borralha: Ana Catarina Silva;
C.C. Ansião: Ana Lopes;
C.D. Aves: Daniela Ferreira;
C.D. Cartaxo: Joana Martins;
C.D. Feirense: Liliana Ramos, Sara Granja e Sara Sá;
C.A.A.F. Alte: Mica;
C.R. Golpilheira: Carolina Silva e Inês Cruz;
Fundação D. Laura Santos: Ana Borges e Sílvia Rebelo;
G.C.D. Del Negro: Cristiana Gonçalves;
G.D. Apel: Amélia Pereira;
G.D. Mealhada: Ana Martins;
C.C.D. Desportalegre: Elsa Ventura;
S.C. Freamunde: Bibiana Silva;
S. Pedro FC: Ana Rita Jóia;
S.U. 1º Dezembro: Dolores Silva, Filipa Patão e Telma Xavier;
U.D. Ponte Frielas: Andreia Veiga;
U.R. Cadima: Sara Pinto;
Vitória SC: Filipa Mendes.


Suécia:
- Göteborg: A equipa contratou a guarda-redes Jenny Olsson.
- Bälinge: A norte-americana Joanna Lohman é a mais recente contratação.

Até para a semana.

A Piscina do Diabo

No Zimbabwe (antiga Rodésia), encontram-se as magníficas Cataratas Victória, uma queda de 128 metros de altura.Há lá um lugar conhecido, e não sem razão, pelo sugestivo nome de "A Piscina do Diabo", por ser possível uma pessoa banhar-se, sem um grande risco aparente, nas proximidades da queda, graças a uma estiagem que acontece entre os meses de Setembro a Dezembro.Cada vez mais procurada por turistas interessados em lugares exóticos e emocionantes, as Cataras Victória têm-se tornado um destino de turismo radical.


(com a devida vénia do amigo Dr. Pedro Paulo Faria)























Obrigado Pela Sua Visita !