BANCADA DIRECTA: Junho 2007

sábado, 30 de junho de 2007

Pinto da Costa põe “Gato Fedorento” em Tribunal



De acordo com a notícia veiculada pelo PortugalDiário, o grupo humorístico “Gato Fedorento” e o director de programas da RTP, Nuno Santos, foram acusados por Jorge Nuno Pinto da Costa, presidente do FC Porto, de difamação, na sequência do programa televisivo “Diz que é uma Espécie de Magazine”, emitido a 5 de Novembro de 2006. A acusação formulada por Pinto da Costa não foi acompanhada pelo Ministério Público, já que este não considerou o programa injurioso. No entanto, tratando-se de crimes particulares, a acusação é deduzida pelo queixoso e segue ainda que o procurador decida não a subscrever, o que foi o caso. Ricardo Araújo Pereira, José Diogo Quintela, Tiago Dores e Miguel Góis são acusados de “cultivar o escândalo e o sensacionalismo com afirmações e expressões altamente difamatórias e injuriosas” que o presidente portista afirma não corresponderem à verdade. “Agiram os arguidos com o objectivo de denegrir a imagem do queixoso, objectivo esse que conseguiram”, refere a acusação, que mais adiante aduz “os arguidos sabem muito bem do prestígio, do sucesso e consideração de que goza Pinto da Costa e o clube a que preside”, acrescentando que o líder portista “é estimado por todas as pessoas que o conhecem como sendo um homem íntegro, honesto, honrado, pacífico, ordeiro e defensor dos mais elevados valores morais e sociais. Um dirigente desportivo de renome nacional e internacional”. Pinto da Costa considera ainda que “o conteúdo do programa abalou profundamente a sua vida pessoal e profissional” pelo que ficou “profundamente revoltado e indignado com o programa e sentiu desse modo feridas a sua credibilidade, reputação, prestígio e imagem pública”. O crime em apreço, no caso de o Tribunal dar razão a Pinto da Costa, é punido com pena de prisão até 2 anos e oito meses e pena de multa não inferior a 160 dias. Pinto da Costa não pediu qualquer indemnização, limitando-se a indicar como testemunhas o empresário Joaquim Oliveira, o médico Fernando Povoas, o seu motorista, Afonso Ribeiro, e os membros da SAD do FC Porto, Reinaldo Teles e Adelino Caldeira, segundo o jornal desportivo "OJogo".


"...é estimado por todas as pessoas que o conhecem como sendo um homem íntegro, honesto, honrado, pacífico, ordeiro e defensor dos mais elevados valores morais e sociais..."

Bem, só podem realmente estar a gozar com todos os portugueses, ou é uma anedota, pois dos adjectivos que o classificam em cima, penso que pelo que conhecemos ao longos destes anos todos no dirigismo nacional, poucas dessas qualidades terá, para não dizer nehumas, pois com o que todos sabemos do que tem feito, dificilmente pode argumentar esses factos para sua defesa, e meter em tribunal os autores do programa "Gato Fedorento", só prova como está...fragilizado e comprometido com tudo o que se diz dele, e que muitos já o sabiam ao longo destes anos, com viagens ao Brasil, boites, prostitutas que depois viram escritoras, malinhas de dinheiro, jantares com árbitros para escolhas dos mesmos, envelopes com $, ironias todos dias sobre o movimento desportivo adversário, etc, etc, etc...
Por isso...credibilidade precisa-se.

quinta-feira, 28 de junho de 2007

Basquetebol: Vagos vai jogar na Liga


A Associação Desportiva de Vagos vai mesmo jogar na UZO Liga de Basquetebol, garantiu ontem Mário Rocha ao Diário de Aveiro. O presidente do clube vaguense não avançou muitos dados concretos relativos ao projecto, mas afirmou que o mesmo foi muito ponderado e que «não é um risco para o futuro do clube»

«Vamos jogar na Liga», anunciou ontem o presidente da Associação Desportiva de Vagos ao Diário de Aveiro. «Há muito que demonstrámos à Liga o interesse de participar na prova, mas só hoje (ontem) é que recebemos as respostas que nos permitem assumir e avançar com o nosso desejo», admite Mário Rocha, que não tem qualquer dúvida que a candidatura, entregue ontem, será aceite pelo organismo profissional que rege a prova. Todavia, desconhece se o Vagos era o oitavo clube que o presidente da Liga de Basquetebol, Paulo Mamede, já havia anunciado.
Quem são os parceiros deste projecto? Custos financeiros? Quem irá orientar a equipa?, Quais são os jogadores? Estas são apenas algumas das perguntas que se fazem em relação a este projecto, mas que, para já, Mário Rocha não pode responder, já que «ainda é muito cedo, pois só agora angariamos os apoios necessários». «Em breve, vai haver uma apresentação formal do projecto», anuncia. No entanto, o presidente do Vagos garantiu que o clube nunca se aventuraria neste propósito se não tivesse o «apoio da Câmara Municipal, sobretudo no que concerne à parte logística».
Mário Rocha abriu uma excepção e desmentiu por completo as notícias que davam como certo que o plantel do clube iria ser constituído, em grande parte, por atletas emprestados pela Ovarense Aerosoles e FC Porto. «Não faz qualquer sentido. Estamos no mercado e, por isso, atentos a todos atletas. Podem vir jogadores de vários pontos do país, mas dificilmente através de empréstimos», clarifica.
O principal responsável do clube, assegurou ainda, em relação a este assunto, que gostava que o plantel fosse constituído por muitos atletas formados no distrito, mas isso não depende exclusivamente do Vagos. Em relação aos atletas estrangeiros, o clube deverá apostar em três ou quatro, ou seja, os «necessários para termos uma equipa competitiva».

Ser uma referência na região

«O muito trabalho que temos vindo a realizar visa que este projecto não seja uma mera aventura, pois queremos consolidar o Vagos ao mais alto nível e não ter apenas uma passagem fugaz de um ano pela prova». Por isso, para esta primeira época, o objectivo é «dar o nosso melhor, tomando o pulso à competição e dessa forma ganhar experiência para o futuro», anunciou Mário Rocha, que deu como exemplo, com as suas devidas proporções, o trajecto da equipa feminina do clube na Liga.
Mário Rocha revelou ainda que gostava que o Vagos passasse a ser «uma referência». «Na zona Norte do distrito temos o campeão (Ovarense), enquanto na zona mais a Sul vamos passar a ter um projecto diferente, mas extremamente positivo para modalidade e para a região».
Para Mário Rocha, esta decisão «não é um risco para o futuro do clube». «Só decidimos avançar ontem, depois de obter as respostas que nos possibilitam apresentar um projecto credível e viável. Sabemos que a realidade é totalmente diferente da que estamos habituados, mas vamos trabalhar para estar à altura», perspectiva o dirigente.

Salto «gigante»

Se tivermos em conta que há duas épocas jogava no Campeonato Nacional de Basquetebol 2 (CNB2), onde sempre actuou (divisão mais baixa do basquetebol nacional), a equipa sénior masculina do Vagos, tal como a feminina, tem revelado uma grande dinâmica nos últimos anos.
Fundado em 1994, a equipa sénior do principal clube de Vagos garantiu, há duas épocas, a subida ao CNB1, onde esta época chegou à final da Zona Norte, garantindo dessa forma o direito desportivo de participar na Proliga. Os seus responsáveis ainda ponderaram jogar na principal prova federativa, mas o futuro vai mesmo passar pela competição profissional. Ou seja, em três anos, o clube passa do escalão mais baixo do basquetebol nacional para o mais exigente. Sem dúvida um salto «gigante».

Fonte DA



Só espero que não seja o prícipio do Abismo do sonho Vaguense, pois sempre se deu passos seguros nesta modalidade em Vagos, desde o seu grande pavilhão, a grande organização que se criou, para dar lugar a uma passagem pela Liga Profissional, onde as exisgências são demasiado elevadas, para uma modalidade Amadora em Portugal, que pode ser mais uma aventura, que poderá custar o futuro de muitos jovens e de um sonho sustentado de uma região...Espero que não, e que o sucesso bata a porta, sem exageros financeiros ou utopias, pois outros já se afastaram desta Liga e com muito mais prestígio e história, um deles bem perto, Illiabum e outro recente...Benfica. E penso que num curto prazo, mais clubes baterão com a porta, se não se rever as condições desta Liga...

Bem Hajam


DESCOBRINDO ÁFRICA....2

A África é um território banhado pelo Oceano Atlântico, pelo Mar Mediterrâneo e pelo Oceano Índico, onde provavelmente surgiram os primeiros seres humanos. Os mais antigos fósseis de hominídeos foram encontrados na África e têm cerca de cinco milhões de anos.
O Egito foi provavelmente o primeiro estado a constituir-se na África, há cerca de 5000 anos, mas muitos outros reinos ou cidades-estado foram sucedendo-se neste continente, ao longo dos séculos. Além disso, a África foi, desde a antiguidade, procurada por povos de outros continentes, que buscavam as suas riquezas como sal e ouro. A atual divisão territorial da África, no entanto, é muito recente – de meados do século XX – e resultou da descolonização européia.













Até breve, com mais...África.

quarta-feira, 27 de junho de 2007

QUANDO ACABA A POUCA VERGONHA ??....2


Mais um artigo do CM que manifesta tudo o que se passa no futebol nacional...
O futebol Português está podre e completamente corrompido...
São juizes,políticos,dirigentes desportivos, empresários....Meu Deus...Ao que isto chegou.

A FIFA,EUFA, se nada for feito devia de intervir nisto e ser um tribunal europeu a julgar, pois quem pode confiar assim na Portuguesa...



Ainda agora na Roménia 10 árbitros foram afastados, segundo site MF, Seis árbitros principais e quarto árbitros auxiliares foram afastados do escalão principal do futebol romeno, na sequência de «actuações inaceitáveis» ao longo da última época, anunciou a federação daquele país. Além destas sanções, também quatro árbitros do escalão secundário conheceram o mesmo destino.
A medida, que se enquadra na tentativa de acabar com os escândalos de arbitragem no futebol romeno, ao longo dos últimos anos, foi anunciada no site da federação, cujo director-geral, Ioan Lupescu, tinha já apontado o dedo a diversas «arbitragens inaceitáveis» no balanço do último campeonato, ganho pelo Dínamo Bucareste.

A isto chamaram a limpeza do Futebol, e eu pergunto para quando a nossa....


E presidentes e outros ainda dizem que nunca fizeram nada...será que todos são parvos?!!!

Vejam lá vocês como funcionam as coisas e façam o vosso juizo..



Vergonha nacional...




Combate à corrupção
Castigo adiado para favorecer dragões





"São muitas as escutas do processo ‘Apito Dourado’ que revelam a promiscuidade entre dirigentes despor-tivos e magis-trados. As conversas que o CM hoje revela em primeira mão já foram arquivadas pelos tribunais superiores, por as escutas a magistrados obedecerem a regras especiais.


Gomes da Silva, presidente do Conselho Disciplinar da Liga, disse a Valentim Loureiro que a demora da punição de um jogador do FC Porto foi para favorecer o clube. “Assim ele não ia jogar com instabilidade”, disse o magistrado ao então presidente da Liga, garantindo que também já falara com Pinto da Costa sobre o mesmo assunto.

Esta e outras escutas, que revelam que muitas das punições a jogadores e dirigentes eram combinadas nos gabinetes, estão anexas ao processo ‘Apito Dourado’ e a maioria delas consubstanciam casos já arquivados. Nas situações que envolvem juízes, o motivo foi assentarem em escutas telefónicas, já que a autorização para a intercepção das chamadas dos magistrados têm regras especiais.

Além disso, as certidões tiveram de ser enviadas para tribunais superiores, que já determinaram: não podem ser valoradas.

Segundo o CM sabe, são mais de uma dezena as conversas entre dirigentes e magistrados que levantam dúvidas, pelo menos no plano da ética dos magistrados. Por exemplo, em Janeiro de 2004, Gomes da Silva recebeu pedidos de vários dirigentes. No dia 5, foi Valentim Loureiro quem lhe falou do caso Maniche (o jogador que alegadamente teria um contrato com o FC Porto antes de terminar o que assinara com o Benfica), e menos de uma semana depois o interlocutor era Ferreira Torres. “Foi uma cena com o capitão, o Mário Mendes mostrou vermelho, o que é que isso pode dar, senhor desembargador?”, perguntava o autarca do Marco de Canaveses, terminando com um pedido: “Veja se pode fazer alguma coisa, pelo menos que só apanhe um jogo.”

Outra conversa interceptada no âmbito da investigação tem como interveniente o juiz conselheiro Pais de Sousa. Valentim Loureiro e o magistrado conversavam longamente sobre um acórdão que acabara de ‘sair’ do Supremo Tribunal de Justiça e o juiz confirmava que tinha “dado um toque” ao relator. “Só falei com o relator, dizendo-lhe que a minha opinião era a do relator. E mais não disse ao major (Valentim), você sabe, não se pode dizer mais nada”, concluiu o juiz, que disse ainda ao presidente da Liga que não lhe podia fazer promessas. “Eu podia dizer-lhe ‘vamos lixá-los com uma reclamação’. Mas não, major, são raríssimas”, termina.

Também escutada no âmbito do ‘Apito Dourado’ foi uma conversa entre João Loureiro e José Veiga. Onde o primeiro diz ao segundo que fale com o presidente do Leiria, que “controla” o relator de um processo.

PJ SEM REGISTOS DE CHAMADAS

A PJ do Porto não tinha os registos das chamadas telefónicas feitas com os aparelhos da instituição, de modo a verificar se foi feito algum contacto para Pinto da Costa nos dias anteriores a serem cumpridos os mandados de detenção. A informação consta do despacho de arquivamento, assinado pela equipa de magistrados liderados por Maria José Morgado, que embora dissessem não ter dúvidas de que houve uma fuga de informação não conseguiram determinar o autor da mesma. No entanto, as suspeitas recaíram sobre alguém da PJ do Porto, tendo os investigadores afastado liminarmente do rol de suspeitos o magistrado que tutelou o inquérito e a equipa de polícias que teve a investigação a seu cargo. Os dois directores, Reis Martins e Atayde das Neves, também foram interrogados mas disseram desconhecer como ocorreu a fuga.

CONVERSAS NO DIA DA PRISÃO

A primeira operação da PJ, em que foram detidas 17 pessoas, entre elas Valentim Loureiro, decorreu no maior sigilo. Isso mesmo pode ser verificado através das inúmeras conversas captadas entre os protagonistas nas primeiras horas da manhã de 21 de Abril de 2004, onde se verifica que aqueles desconheciam em absoluto os contornos da investigação. Uma delas teve como intervenientes Pinto da Costa e Pimenta Machado e revela a surpresa pela acção policial. “Um gajo como o Pinto de Sousa, não há gajo mais sério no Mundo. E é preso porque põe um árbitro no Gondomar?”, diz, indignado, o líder dos azuis-e-brancos, garantindo ao ex-presidente do Vitória de Guimarães que Carolina Salgado lhe propusera sair do País. “Eu não tenho idade, senão mandava-os todos... A minha mulher ainda hoje me dizia ‘se quiseres vamos embora’.”


ESCUTAS ENVOLVEM VALENTIM, JOSÉ VEIGA E MAGISTRADOS

- Gomes da Silva, juiz desembargador e presidente da Comissão Disciplinar da Liga, em conversa com Valentim Loureiro

Ó pá, Valentim, o Pinto da Costa também já me veio chatear, eu disse que não sabia. Que é muito desagradável. Pode dizer ao senhor Pinto da Costa que esta demora foi só para favorecer o jogador, se não ele ia jogar com instabilidade.

- José Veiga com João Loureiro, conversam em Março de 2004. Em causa, a possibilidade do estádio do Marco de Canaveses ser interdito, o que obrigaria o clube a jogar com o estoril em estádio emprestado.

Dê uma apitadela ao Bartolomeu. Acho que ele controla lá um relator, o Mano Nunes também controla lá alguém. Se eu fosse a si já estava a combinar isso com o Barbas. Ó pá, é criar um clima filho da puta, que o meu pai esteja à vontade para falar com o gajo e dizer ‘ó senhor desembargado, isso não pode ser, se não cai-nos toda a gente em cima. Fale com o Mano e o Bartolomeu.

- Juiz conselheiro pais de Sousa diz-se surpreso com uma decisão do Supremo Tribunal de Justiça, mas assegura a Valentim Loureiro ter falado com o magistrado que tinha sido nomeado relator

Só falei com o relator, dizendo--lhe que a minha opinião era da Relação... e mais não disse, ó major, você sabe, não se pode dizer mais nada... Eu francamente não sei onde é que eles pegaram. Eu tinha a melhor impressão do relator, do Armando Luís.

- Valentim pede cinco bilhetes a Manuel Vilarinho para a inauguração do estádio do benfica

Por mim não pedia, mas são 5 juízes e não me largam. (...) Os filhos da puta, são benfiquistas, também é a primeira e a última.

Ao menos são gajos que mereçam?

"O FC PORTO NÃO PRECISAVA"

PROCESSO SOBRE O PLANO DE PORMENOR DAS ANTAS

O FC Porto comprou dois terrenos contíguos ao antigo Estádio das Antas, em 1956 e 1968, mas afinal não precisava deles. Pagou cerca de três mil euros pelos mesmos (5,5 mil metros quadrados), mas ontem, no Tribunal Cível do Porto, onde decorre o julgamento que opõe a família proprietária aos dragões, os dirigentes chamados pelo clube garantiram que o FC Porto nem queria os terrenos. “Não valiam nada”, “as cotas eram diferentes”, “não tinham interesse para o FC Porto”, foram invariavelmente as respostas dadas pelas testemunhas, arroladas pela defesa da ré neste processo – o próprio clube.

Recorde-se, tal como ontem noticiámos, a posição dos herdeiros da família é diferente. Reclamam uma indemnização de cinco milhões de euros, por terem vendidos os terrenos ao “desbarato”, quando os mesmos foram comercializados no âmbito do Plano de Pormenor das Antas, com o grupo Amorim, num negócio que ultrapassou os cinco milhões.

Entre as testemunhas ontem chamadas a depor incluía-se José Guilherme de Aguiar, ex-director executivo da Liga e actual membro do conselho superior do FC Porto. “Não assisti, não estava presente, não tenho ideia nenhuma desses negócios”, começou por dizer o dirigente, acrescentando só ter participado num negócio com a mesma família em 1988 (também alvo de uma impugnação no mesmo tribunal). “O que sei é que há 40 anos aqueles terrenos não tinham grande interesse para o FC Porto. Basta ver que as cotas são muito diferentes e que qualquer projecto de urbanização tinha custos muito elevados. Só mais tarde, com o PPA, é que a venda dos mesmos se tornou rentável”, afirmou, garantindo que o FC Porto tentou pagar o menor valor pelos terrenos, por “dificuldades de tesouraria”.

Castro Neves, responsável pelo departamento jurídico do clube nos anos 80, foi também chamado a depor e defendeu a mesma tese. Que os terrenos não tinham grande importância para o clube, não tendo havido qualquer pressão do mesmo para que a família os vendesse.

Na próxima sessão (16 de Julho), que se prevê que seja a última, serão ouvidos Rui Rio e Nuno Cardoso, actual e ex-presidente da Câmara do Porto, estando ainda arrolado como testemunha o empresário Américo Amorim, que pagou ao FC Porto entre 16 a 20 milhões de euros por seis lotes de terrenos na zona das Antas.

NOTAS

SUBIDA DE NOTA A LÚCILIO

Uma conversa entre dois dirigentes revela que a nota de um teste escrito de Lucílio Baptista terá sido subida. “J. está visto, ele que se cale”, diz um membro da Liga referindo-se a Lucílio Baptista

BRUXARIAS AO TELEFONE

As escutas do ‘Apito Dourado’ revelam a vertente mística dos dirigentes, que contactavam videntes brasileiras para lançar feitiços contra os adversários. O Braga foi um dos visados.

MENSAGENS PORNOGRÁFICAS

A PJ transcreveu diversos SMS de conteúdo pornográfico enviados para o telemóvel de alguns dos dirigentes desportivos. As mensagens estavam guardadas nos aparelhos apreendidos

CARTA ANÓNIMA RASGADA

Uma carta anónima que denunciava o jantar de elementos da Associação de Futebol do Porto com elementos do clube de Gondomar foi encontrada pela PJ, rasgada, na casa de José Luís Oliveira "



Enfim, até quando....


Oh Yeah, You Wish...



segunda-feira, 25 de junho de 2007

QUANDO ACABA A POUCA VERGONHA ??....

Combate à Corrupção
Favores do futebol, negócios milionários




" Os negócios dos dirigentes desportivos extravasam as fronteiras do futebol. Um mundo onde os favores se pagam, onde se fazem empréstimos de milhares em troca da palavra e onde se escolhem árbitros e pressionam dirigentes.


João Bartolomeu e João Loureiro conversavam ao telefone a 23 de Fevereiro de 2004. O presidente do Boavista já tinha tudo acertado com a Somague para o negócio do novo Estádio do Bessa, mas tinha acabado de avançar com todo o dinheiro que dispunha para o início do projecto. Precisava urgentemente de 750 mil euros (150 mil contos) para tapar outros buracos abertos na contabilidade do clube. E foi pedi-los a Bartolomeu, presidente do Leiria, lembrando-lhe que acelerara o negócio para que ele pudesse abrir as lojas junto ao Holmes Place. “Acelerei tudo por sua causa, para fazerem o Holmes Place. Agora preciso de um favor, que a sociedade que comprou as lojas [Montargila] me adiantasse dinheiro. Preciso de 150 mil contos”, dizia João Loureiro, enquanto João Bartolomeu se mostrava renitente. “Eu vou falar com eles. Vou ver”, respondeu, tendo João Loureiro adiantado logo uma solução: “Fazemos assim, nós temos de receber 240 mil e você ou a sociedade adianta, não custa nada. Você anda a nadar em dinheiro.”

Meses antes, o pedido de um favor tinha sido contrário. Em meados de Outubro de 2003, depois de o Leiria ter feito um humilhante início de época, João Bartolomeu pedira ajuda a Valentim Loureiro. “Tem de me meter aqui o Martins dos Santos a ver se me safo. Se não estou fodido. O Martins ou o Paulo Baptista. Mas o Martins é que era bom”, dizia Bartolomeu, que de tanto pressionar já começava mesmo a tornar-se inconveniente: “Ele que tenha calma, estamos a ver o que se consegue”, queixava-se Júlio Mouco, vogal do Conselho de Arbitragem da Liga, confirmando-lhe que Bartolomeu já lhe pedira o mesmo favor. “O Martins dos Santos está no Amadora-Paços de Ferreira. Mas vamos tentar fazer a troca”.

ESCUTAS COMPROMETEDORAS

Estas e outras trocas de favores podem ser lidas nas centenas de escutas do ‘Apito Dourado’. Onde os conhecimentos são levados ao extremo e as teias do negócio, da política e do futebol se confundem. Aprígio Santos, presidente do Naval, e Pinto de Sousa, presidente da Arbitragem da Federação, foram frequentemente interceptados em conversas com militantes comuns do CDS-PP. Enquanto isso, Valentim falava com Isabel Damasceno, presidente da Câmara de Leiria, para aquela “controlar” um árbitro da terra que iria apitar um jogo do adversário do Gon- domar. Atendia também políticos e ministros, tal como José Luís Arnault, que dizia mesmo que “estamos aqui uns para os outros”.

"DIZ-ME O QUE PREFERES"

“Diz-me o que é que preferes, não é preferível transferir o estádio e ficar mais terreno?”, perguntava Manuel Teixeira, chefe de gabinete de Rui Rio, a João Loureiro. “É mais fácil de embrulhar politicamente, no fundo vamos dizer que o Boavista faz um estádio”, explicava ainda o político, garantindo que com essa “troca” o Boavista ganharia terreno que depois poderia comercializar.

“Se me garantires 40 mil metros quadrados o negócio está feito”, respondeu o presidente dos axadrezados durante uma conversa ainda em investigação pela PJ, pedindo depois ao pai uma ajuda suplementar: “Quando estiver com o Rui Rio eles têm de esticar aquilo para cima.”

O QUE ELES DISSERAM

"Precisava de falar contigo, estou preocupa-díssimo com o Paulo Paraty, a continuar assim ele desce de internacional. [...] Precisava de trocar impressões para saber como é que a gente há-de resolver [...] Tenho as notas dele, dão para descer quanto mais para continuar como internacional." Pinto de Sousa fala com Valentim sobre a classificação de Paulo Paraty

"Tem de me meter aqui o Martins dos Santos, a ver se me safo, caralho, se não estou fodido. O Martins ou o Paulo Batista. Mas o Martins é que era bom.. [...] Tive o Martins na primeira jornada, perdi em Guimarães. Se não ganho o jogo vou direitinho." João Bartolomeu pede a Valentim que consiga a nomeação de Martins dos Santos para um jogo

"Levamos um trabalhão do diabo para chegar onde o Bartolomeu queria. [...] Fizemos as alterações. Assisti à conversa do major com o Luís. Se o Bartolomeu soubesse o trabalho que tivemos para pôr o Martins dos Santos..." Júlio Mouco, da Comissão Disciplinar da Liga, diz a Valentim que Martins dos Santos vai arbitrar jogo do Leiria

"Tive reunião com a Somague [...] acelerei tudo por sua causa, para fazerem o Holmes Place. Agora preciso de um favor, que a sociedade que comprou as lojas Montargila, me adianta-se dinheiro, eu preciso de 150 mil contos. [...] Não custa nada, você anda a nadar em dinheiro, vá-se foder." João Loureiro precisa de dinheiro e pede-o a Bartolomeu

PAULO PARATY MUITO ALÉM DO RELVADO

Pauto Paraty, árbitro internacional da Associação de Futebol do Porto, é uma das mais polémicas figuras do futebol português. O seu telefone foi colocado sob escuta pela Polícia Judiciária e muitas das suas conversas foram transcritas.

Paraty falava com Valentim, Pinto da Costa e Pinto de Sousa e os negócios mantidos com os homens-fortes do futebol ultrapassavam em muito os limites do relvado. Tratavam de negócios, designadamente a venda de material da empresa do sogro de Paraty, onde aquele é engenheiro.

Arguido no processo das classificações desportivas, o árbitro chegou a estar indiciado por corrupção passiva no jogo Gil Vicente-Sporting, a contar para a época 2003/2004. A conversa foi interceptada dias antes da partida e revela contactos entre o empresário António Araújo, que mantinha negócios com o FC Porto, e um dos auxiliares que fazia equipa com o árbitro do Porto Devesa Neto. “Eu depois de amanhã ligo-lhe, que eu precisava de falar com o Paulo [....] dar-lhe uma palavrinha”, disse Araújo a Devesa Neto.

Neste mesmo dia Paraty e Devesa Neto conversam e as escutas indiciam que o segundo árbitro auxiliar iria beneficiar o Gil Vicente. “O Serafim vai vacinado, vai benzido [...] vai benzido pelo lado norte. Bruxo. Vai benzido por dois lados até [...] pelo Minho e pelo norte.” À saída da PJ, quando foi interrogado como arguido, Paraty mostrou-se tenso. “Estive aqui na qualidade de árbitro”, disse.

OS ÁRBITROS QUE TODOS QUERIAM

Paulo Paraty, Paulo Baptista e Martins dos Santos eram os árbitros mais ‘solicitados’ pelos dirigentes desportivos. Do outro lado da balança está Duarte Gomes, que parecia ter o condão de fazer irritar todos os presidentes de clubes. João Ferreira e Proença só agradavam ao Sul e Bruno e Jacinto Paixão eram ‘escolhidos’ pelos clubes do Porto.

Paraty e o seu assistente Devessa Neto parecem fazer o pleno. Tanto agradavam ao FC Porto como ao Benfica e a frequência com que os seus nomes eram falados era grande. Por exemplo, João Rodrigues, que mediava os contactos entre a Federação e o Benfica, chega mesmo a dizer a Pinto de Sousa que para acalmar Luís Filipe Vieira “bastava nomear o Devessa Neto”. Disse-lhe ainda noutra conversa que Vieira queria o Paraty a arbitrar a meia-final da Taça com o Belenenses. “Ele não quer outro”, afirmou. Pinto da Costa também falava com frequência do mesmo árbitro internacional. Mostrava-se satisfeito quando ele era nomeado e nessa época são muitas as críticas feitas quando o mesmo apitou os encontros do Sporting.

Outra conversa que indicia o tratamento privilegiado de Paraty refere-se à sua classificação. No ano em que terminou em 3.º lugar no ranking dos árbitros (2003/2004), Pinto de Sousa garantiu a Valentim que Paraty corria o risco de descer de categoria. “Está nos 5 ou 6 dos últimos”, assegurou, enquanto o então presidente da Liga lhe lembrava: “Já no ano passado esteve mal, pensei que estava a correr melhor.”

NOTAS

CASA ESTAVA LIMPA

No dia em que a PJ fez a busca a casa de Pinto da Costa, aquela estava limpa e não havia qualquer documento relevante. A porta foi aberta pelo motorista, que já estava arranjado e barbeado.

SEGREDO FOI REVELADO

O MP, no despacho que arquivou o processo por fuga de informação contra incertos, defende que Pinto da Costa terá sido avisado por alguém da Polícia Judiciária do Porto.

SITUAÇÃO ANÓMALA

A procuradora que assinou o despacho de arquivamento à fuga de informação diz que é no mínimo anómalo que a então direcção da PJ do Porto não tenha tentado investigar o ocorrido.

SUBDIRECTOR AUSENTE

Reis Martins, subdirector da PJ do Porto e responsável pelo ‘Apito Dourado’ quando Pinto da Costa foi preso, disse que não sabia que aquele não estava em casa. De férias, soube quatro dias depois pela rádio.

NÃO QUERIAM PRENDER

Atayde das Neves, director da PJ do Porto em 2004, não queria prender Pinto da Costa. A revelação é feita no despacho de arquivamento à fuga de informação. Inspectores opuseram-se.



Dez de Junho de 2003. Pinto da Costa e Pinto de Sousa falam ao telefone. O presidente do Conselho de Arbitragem da Federação diz ao presidente dos azuis-e-brancos que já escolheu o árbitro para a final da Taça de Portugal, que irá opor FC Porto e União de Leiria.


Pedro Henriques é o árbitro escolhido para o jogo, mas a justificação para a nomeação torna-se difícil. Nessa altura, Pinto de Sousa já sabe que o árbitro será o quarto classificado na I Liga, o que poderá levar a que a nomeação seja duvidosa.

Em terceiro ficara João Ferreira, um árbitro que se percebe ao longo das muitas escutas do ‘Apito Dourado’ que não é do agrado do FC Porto. E deveria ser ele o nomeado. “O Pedro Proença está em Toulon. O segundo é o Paulo Costa, o terceiro o João Ferreira”, diz Pinto de Sousa ao presidente portista. E acrescenta: “Tive de os ultrapassar, fazer de conta.”

João Bartolomeu não gostou da nomeação. Quando percebe que a escolha recaiu sobre Pedro Henriques questiona o presidente da Federação e diz-lhe que a decisão deverá ter sido do presidente dos azuis-e-brancos. “Não falei com o Pinto da Costa. Dou-lhe a minha palavra de honra”, diz-lhe Pinto de Sousa, que cinco dias antes falara de facto com Pinto da Costa.

O telefonema seguinte é sobre a forma de alterar a classificação e justificar a escolha. Pinto de Sousa diz a Pinto da Costa que a alteração no sistema será feita por um técnico de informática. “Já foi a reunião. Ficou em terceiro”, conta Pinto de Sousa ao árbitro auxiliar António Perdigão que lhe pergunta surpreso: “Trocou?”

No meio de todos estes acertos, Pinto de Sousa e Pinto da Costa só lamentam não ter conseguido ajudar Bruno Paixão. Pretendiam que ficasse em quinto, mas aquele foi ultrapassado por Carlos Xistra. Mesmo assim, asseguram, continua garantido o lugar de árbitro internacional para o juiz de Setúbal.

Outras escutas revelam ser habitual este procedimento, onde se chega ao ponto de escolher observadores mais ou menos exigentes para subir e descer notas a árbitros.

QUEIXAS DE BARTOLOMEU

Eram frequentes as queixas do presidente da União do Leiria, que acusava Pinto de Sousa de ceder aos pedidos de Pinto da Costa.

PAULO COSTA NÃO PODIA

Paulo Costa era o segundo classificado nessa época, mas nunca poderia apitar o jogo por ser da Associação de Futebol do Porto.

MAIOR CERTDIDÃO AINDA ESTÁ EM INQUÉRITO

A investigação relativa à viciação das classificações na arbitragem permanece em inquérito. Foi avocada pela equipa liderada por Maria José Morgado por ser um processo que corria no DIAP de Lisboa, sede da Federação Portuguesa de Futebol. Diversos árbitros da 1.ª categoria são visados nessa investigação e o procurador Carlos Teixeira, do Ministério Público de Gondomar, sustenta que foram viciados os resultados dos árbitros nas épocas 2002/2003 e 2003/2004.

Além de Pinto da Costa, também João Loureiro, Valentim Loureiro e Isabel Damasceno (presidente da Câmara de Leiria) são arguidos no mesmo processo, onde se questiona a escolha dos observadores como um dos factores que permitia alterar os resultados. Outra conversa anexa ao ‘Apito Dourado’, entre António Henriques, vogal da Comissão de Arbitragem, e Pinto de Sousa, o presidente do órgão, revela isso mesmo. O dirigente máximo pede ao amigo para nomear dois observadores para um jogo que será arbitrado por Hernâni Duarte. “Para apanhar duas porraditas”, diz Pinto de Sousa, que explica ainda o procedimento usual: “Assim fica mais equilibrado.”

"QUAL É A COR DO JUIZ?"

No mesmo dia (24 de Outubro de 2003) em que os azuis-e-brancos reagiam em comunicado ao anúncio de que a Comissão Disciplinar da Liga abrira um processo disciplinar ao FC Porto para apurar se Maniche já tinha um contrato assinado com o clube antes de sair do Benfica, Valentim Loureiro ligava a Emanuel Medeiros, secretário-geral da Liga e actual responsável pelas ligas europeias. Pediu-lhe que obtivesse informação sobre o juiz a quem seria entregue o processo. “O conselheiro José Ramos da Silva, qual é a cor clubística?”, perguntou o presidente da Liga, deixando ainda uma indicação ao mesmo funcionário: “Tenho de saber es-se conjunto de juízes conselheiros, magistrados, onde trabalham, quem são, o que fazem. Vê se tira o currículo de todos.”

Dois meses depois, em Janeiro de 2004, ainda o processo corria na Liga, Valentim e Pinto da Costa voltaram a discutir o mesmo assunto. O major ligou então a Gomes da Silva, o juiz que liderava a Comissão de Disciplina, e deu-lhe conta do desagrado do presidente dos azuis-e-brancos. “O Pinto da Costa está f... Aquela história do Maniche, sem mais nem menos, dá logo processo disciplinar?”

Gomes da Silva tenta explicar que não havia outra forma de actuar. “Não, o Benfica é que intentou a acção disciplinar. Não havia nada a fazer”. E lembra que tudo não passava de um pró-forma. “Mas diga ao Pinto da Costa que isso é para arquivar.”

As escutas do ‘Apito Dourado’ revelam ainda que Valentim não desistiu: “As pessoas ficam sempre fod... com essas coisas dos processos e ele está farto de dizer ‘este juiz persegue-me’”, ao que Gomes da Silva respondeu: “Ó major, é para arquivar, ele bem sabe.”

O QUE ELES DISSERAM

“Vai ser o Pedro Henriques. [...] Não foi o primeiro, o primeiro foi o Proença, que está Toulon. Passei à frente o segundo, não digas nada disto, pá. [...] O segundo foi o Paulo Costa, o terceiro era o João Ferreira, eu tive de os ultrapassar, fiz de conta que não sabia...” Pinto de Sousa informa Pinto da Costa da nomeação de Pedro Henriques

“Já tenho dores de cabeça. O Bartolomeu não se cala, não se conforma. [...] Exactamente. Só que eu estou interessado que o Pedro Henriques fique em terceiro, não custa nada fazer a troca, até já mandei o gajo da Federação, um engenheiro, vem cá com o computador fazer isso.” João Bartolomeu interroga Pinto de Sousa sobre a nomeação. Pinto de Sousa fala a Pinto da Costa

“Já saíram as classificações, o terceiro é o Pedro Henriques e o quarto é o João Ferreira. [...] Hoje vem no jornal que afinal o Pedro Henriques era o terceiro... Infelizmente, não trocaram o Xistra com o Bruno [Bruno Paixão ficou em 6.º] mas vamos pôr o Bruno a internacional.” Pinto da Costa toma conhecimento por Pinto de Sousa da mudança na classificação

VALENTIM ASSUSTA LUÍS GUILHERME

Luís Guilherme, presidente da Comissão Disciplinar da Liga de Clubes, ficou verdadeiramente assustado com a hipótese de Valentim Loureiro se demitir. A ameaça foi feita em jeito de “chantagem” e combinada entre o major e Emanuel Medeiros, secretário-geral do mesmo organismo.

As conversas aconteceram nos últimos dias do mês de Outubro, em 2003, depois de o Boavista ter sido prejudicado num jogo da Liga. Valentim ficou irritado com as incidências do jogo e pediu a Emanuel que falasse com Guilherme e lhe dissesse que admitia demitir-se, provocando a queda do organismo: “Já transmiti a coisa ao gajo, ficou preocupado. Disse que vai atrás”, contou o secretário-geral minutos antes de o próprio Luís Guilherme ligar a Valentim: “O senhor presidente não passa aqui na Liga? Para conversarmos?”, perguntou Guilherme. “Não me apetece passar aí, estou cheio disto. A levar porrada de todo o lado, por causa arbitragem.”

Luís Guilherme ainda disse que não era assim. Que na sua opinião “há certos erros que são sem querer”, mas Valentim manteve-se inflexível. “No momento em que o senhor sair eu saio consigo”, disse Guilherme. A pressão parece ter dado frutos um mês depois, quando Júlio Mouco explicou a Valentim as razões da nomeação de João Ferreira para um jogo do Boavista com o Estrela. “O Luís acha que este jogo não é assim tão difícil. Mete-o agora e fica liberto, não leva mais com ele...”

NOTAS

JULGAMENTO À ESPERA

O julgamento em Gondomar continua à espera de ser marcado. O incidente de escusa requerido pelo juiz já foi distribuído no Tribunal da Relação, mas ainda não foi apreciado.

INSTRUÇÃO NO TIC DO PORTO

A instrução dos processos relativos aos jogos FC Porto-Estrela da Amadora; Beira-Mar-FC Porto e Boavista-Estrela da Amadora vão decorrer no Tribunal de Instrução Criminal do Porto. As datas ainda não estão marcadas.

MARCADO PARA NOVEMBRO

O julgamento que opõe Pinto da Costa ao Estado começa no próximo dia 27 de Novembro no Tribunal de Gondomar. O líder portista reclama uma indemnização de 50 mil euros por alegada prisão ilegal. "








O CM está a fazer um trabalho excelente nesta matéria da corrupção do futebol português, pois enquanto os outros jornais têm abafado um pouco o assunto com notícias, em plano reduzido, os jornais desportivos, dão pouca atenção e reservam poucas páginas ao assunto, como se não interessa-se, e normalmente nas páginas principais, aquando das acusações aos dirigentes, preferem antes ter em grande plano um jogador, do que a limpeza do futebol, e chega-se ao ridiculo, de o jornal "OJOGO" aquando as acusações de Pinto da Costa, dar-se ao luxo de meter e dar enfâse acusação de Vale de Azevedo, do que acusação do presidente Portista, tendo como referência: "Advogado do PC abre instrução..."...






É uma vergonha a comunicação social, e como referências negativas e de pouca credibilidade, tenho neste momento O Jogo, os jornais Diário de Notícias, Jornal de Notícias, 24 Horas, Tal & Qual e a rádio TSF, entre outros órgãos locais que são controlados pelos homens da corrupção, e para isso basta estar atento, na forma como tratam este tipo de assunto...




É uma vergonha, e ainda o presidente do Porto vem dizer que nunca comprou ou aliciou árbitros, e que ainda se vão arrepender de dizer o que dizem dele...






Mas Pinto da Costa pensa que todas as pessoas de Portugal são inocentes e ignorantes, ao ponto de acreditar nele ou nos seus marginais da corrupção? Acha que somos todos parvos ao ponto de acreditar nele, e que está inocente ou que nunca fez nada de errado, ou o que fez, não é grave, como Valentim, Pintos de Sousa, Guilhermes, Araújos, Bartolomeu, etc...E dizer que é uma perseguição ao norte!!!


Pois que eu saiba, a 1 liga a Sul do Tejo...é paisagem...e a maioria da força está no norte...enfim, defesas de quem realmente está apertado, e não tem defesa das maiores atrocidades que tem feito ao futebol português, e só mesmo gente sem escrúpulos e doentes o podem defender destes feitos...e esses não merecem crédito.






E como ele todos os outros envolvidos, que enquando não forem afastados do futebol e haver uma limpeza total destes corruptos, nada mudará no futebol português...infelizmente para quem gosta de ganhar...limpo e com honestidade...
Uma coisa é certa, as escutas telefónicas não são inventadas, e o que se diz e fala lá, não são contos de fadas ou simplesmentes anedotas, pois existiram, e Pinto da Costa e seus capangas, quer fazer passar um atestado de estupidez aos portugueses, sendo que a fruta, café com leite, e outros, são simplesmentes um pequeno almoço com os dirigentes por telefone....
Pois, pelas leis os tribunais podem não o condenar, pela falta de provas e pela astucia de contornar a lei dos seus advogados, uma vez que portugal vive num país das bananas, onde cada um interpreta a lei a sua maneira, não sendo objectiva para todos, mas só conforme os interesses e pessoas envolvidas...
Mas a condenação pela opinião pública já foi feita e com justiça, sendo que a Liga e federação tem que tomar actos, mesmo sem tribunais, pois as provas são mais que suficientes...e todos dentro o sabem, pois muitos deles estão envolvidos.






Bem hajam




domingo, 24 de junho de 2007

Verão chegou...

Numa escola em Angola, a professora pergunta a um aluno:
- Marreta diga aí um verbo.
- Bicicreta.
- Não é bicicreta, seu matumbo. É bicicleta! E bicicleta não é verbo.

Depois, perguntou ao segundo aluno:
- Marcolino diga aí um verbo.
- Prástico.
- Não é prástico seu .... É plástico! E plástico não é verbo.

A professora, desesperada, perguntou ao terceiro aluno.
- Bastião diga aí um verbo.
- Hospedar.

- Muito bem! Agora diga uma frase com o verbo que você escolheu.
- Hospedar da bicicreta são de prástico !!!

sábado, 23 de junho de 2007

Futebol Feminino - Informação


A rubrica Futebol Feminino está de férias. Dia 4 de Agosto vai regressar com tudo o que interessa no Futebol Feminino.

quinta-feira, 21 de junho de 2007

A.F. Aveiro com novo Conselho de Arbitragem

Tomou posse, no passado dia 8 de Junho, o novo Conselho de Arbitragem da Associação de Futebol de Aveiro para o quadriénio 2007/2011.

É assim constituído:

  • Presidente: Engº Dino Augusto Ferreira Rasga
  • Vice-Presidente: José Neves Coelho
  • Secretário: Armando Fontes Teixeira
  • Vogal: Rui Micaelo
  • Vogal: Rodrigues Patrício
  • Vogal: Manuel do Carmo Fernandes
  • Suplentes:1º : Joaquim Alberto Silva Jesus
  • 2º : Luís Filipe Tondela Falcão
  • 3º : Francisco José Silva Carvalho

segunda-feira, 18 de junho de 2007

Quase reforço do Sporting: Marat Izmailov

Segundo revelou a imprensa russa e a RTP, o Sporting está interessado no médio do Lokomotiv de Moscovo [RTP garante que será reforço], Marat Izmailov, que poderá vir por empréstimo com opção de compra.
Nasceu a 21.09.1982, e é um médio ofensivo, e uma das referências do Locomotiv de Moscovo e uma das maiores estrelas actuais da selecção Russa.

Aqui fica um video de alguns momentos interessantes do jogador.



sábado, 16 de junho de 2007

Futebol Feminino Ano II Nº24



Suécia
Damallsvenskan


(11ª jornada)
Örebro - AIK 0 - 0
Falköpings - QBIK 2 - 2
Hammarby - Bälinge 1 - 2
LdB FC Malmö - Linköpings 4 - 1
Sunnanå - Kopparbergs/Göteborg 0 - 1
Umeå - Djurgården 1 – 2(veja o vídeo)

O Damallsvenskan voltou a ficar mais animado com a jornada 11. Finalmente o Umea perdeu e logo em casa frente ao Djurgarden, o que permitiu à equipa de Estocolmo aproximar-se na classificação. Foram 56 jogos sem derrotas, o correspondente a 32 meses sem saborear o sabor da derrota. A última tinha acontecido a 9 de Outubro de 2004, com uma derrota por 1-0 frente ao Malmö. Pelo meio apenas perderam pontos por duas vezes, em empates com o Malmö e o Göteborg.
Hanna Ljungberg colocou o Umea a vencer logo aos 13’, mas em 3 minutos a equipa de Estocolmo deu a volta ao jogo. Aos 32’ Linda Forsberg empatou e aos 35’ Victoria Svensson garantiu os 3 pontos. No comentário ao jogo o treinador do Umea foi irónico dizendo que agora estão todos a festejar a derrota do seu clube. Do lado do Djurgarden a estrela Victoria Svensson não podia estar mais contente, pois o resultado relançou a liga.
Apesar de mais afastado o Malmö ainda sonha com o título. A equipa goleou o Linköpings(desilusão da época) por 4-1. Therese Lundin foi a figura do jogo ao marcar dois golos.
Quem também ainda sonha é o Kopparbergs/Göteborg que foi ao difícil Norrvalla IP vencer o Sunnana por 1-0. Sara Línden marcou o único golo da partida.

Melhores Marcadoras:
14 golos: Marta(Umea)
13 golos: Lotta Schelin(Kopparbergs/Göteborg)
10 golos: Victoria Svensson(Djurgården)
9 golos: Emelia Erixon(Örebro)


As equipas da Damallsvenskan.
Esta semana:

AIK
Cidade: Estocolmo
Fundação: 1981
Estádio: Skytteholms IP
Capacidade: 3000 lugares

Troféus:
Nada

Equipamentos:

Equipa 2007:
Estrela:
Com a subida de divisão a equipa reforçou-se com muita qualidade. Sofia Lundgren e Sanna Valkonen transferiram-se do Uma. Jessica Julin e Frida Höglund do Kopparbergs/Göteborg, mas a grande aquisição e a grande estrela da equipa é a Finlandesa Laura Kalmari. A avançada ex- Djurgarden é uma garantia de golos. Internacional mais de 100 vezes pela Finlândia, retirou-se recentemente para dar lugar às mais jovens, isto apesar de ter apenas 28 anos.

Equipa é treinada por Jörgen Zetterström..


Alemanha
(Frauen-Bundesliga)22ª Jornada(última)

1. FFC Frankfurt - Brauweiler Pulheim 7-0
Heike Rheine - Bad Neuenahr 1-2
2001 Duisburg - Hamburger 2-2
Bayern München - Crailsheim 1-2
Freiburg - Turbine Potsdam 2-4
Wolfsburg - Essen-Schönebeck 0-4

Com tudo decidido, desde campeão, às descidas e às promoções, restava terminar um campeonato muito emotivo que se decidiu perto do final.
O Campeão 1. FFC Frankfurt despediu-se em beleza do campeonato, com uma goleada de 7-0. Em dia de festa Birgit Prinz marcou 4 golos. Kerstin Garefrekes marcou 2. Renate Lingor marcou o outro. A equipa terminou a época sem qulquer derrota a nível interno.
O Duisburg terminou com um empate, num final de época para esquecer. Perder a final da taça e o título para o FFC Frankfurt no espaço de 2 semanas.

Melhores Marcadoras:
28 golos: Prinz (FFC Frankfurt)
22 golos: Grings (2001 Duisburg)
21 golos: Garefrekes ( FFC Frankfurt)
18 golos: Laudehr ( Duisburg) e Hartmann (Essen-Schönebeck)

Dinamarca
(Kvinde 3F Ligaen)


Brondby faz dobradinha

O Brondby conquistou no passado dia 10 o seu 5º título consecutivo. Uma vez mais foi uma luta acesa contra o Fortuna Hjorring, com o título a ficar decidido na penúltima jornada. O Brondby já tinha ganho a taça ao bater na final o Fortuna por 2-1.
Destaque para o terceiro lugar do Skovlund da guarda-redes portuguesa Sofia Grave.

Até para a semana

DESCOBRINDO ÁFRICA...

A África é o terceiro continente mais populoso da Terra (atrás da Ásia} e o terceiro continente mais extenso (atrás da Ásia e das Américas). Tem cerca de 30 milhões de km², cobrindo 20,3 % da área total da terra firme do planeta e mais de 800 milhões de habitantes em 54 países, representando cerca de um sétimo da população do mundo.




Cinco dos países de África foram colónias portuguesas e usam o português como língua oficial: Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique e São Tomé e Príncipe; em Cabo Verde, Guiné-Bissau e São Tomé e Príncipe são ainda falados crioulos de base portuguesa.



Por isso vou trazer em cinco post...os países que constituem o continente de África.
























Mais países para descobrir...brevemente.


ÍNCRIVEL RESGATE DE UM CARRO...













Obrigado Pela Sua Visita !